Buscar

07 julho 2017

Rapaz do Ceará faz teste de gravidez 'por brincadeira' e descobre câncer raro

Mãe, Lígia Bezerra,  e filho, Gerardo Filho. A família lançou campanha para custear cirurgia contra câncer do garoto. (Foto: Arquivo Pessoal/ Divulgação)
“Sou muito brincalhão”. É assim que Gerardo Filho, estudante de técnicas de enfermagem, explica por que fez o teste de gravidez com urina que acabou revelando um câncer espalhado pelo pulmão, peito e crânio do jovem. Para custear a cirurgia e tratamento com especialistas em São Paulo, a família do rapaz de 18 anos do Ceará começou uma campanha de doação .
O teste foi feito em fevereiro deste ano, depois de Gerardinho, como é conhecido, ter procurado atendimento médico para acabar com algumas dores nas costas e, com a piora dos sintomas, ter expelido sangue pela boca.
De acordo com o rapaz, os médicos acreditavam que ele estava com tuberculose. Antes de realizar um exame para atestar a doença, o jovem resolveu fazer a brincadeira com o teste de gravidez, que culminou em um diagnóstico de câncer do mediastino - um tumor de células germinativas, cariocarcinoma.
Ele conta que ficou assustado com o resultado positivo do teste - por ser estudante da área de saúde, imaginou que a alteração hormonal poderia significar algo mais sério. “Eu não queria abalar minha mãe e minha avó, que tem 91 anos. Pensei em esconder o teste pra saber primeiro o que poderia ser”, explica.
O teste de gravidez acabou sendo descoberto pela mãe, que preocupada de que fosse um resultado da namorada de Gerardinho, levou o casal até um posto para refazer os exames. Foi assim que o diagnóstico de câncer surgiu.
Médico patologista do Hospital Albert Sabin, Carlos Gustavo Hirth explica que o teste de gravidez detecta as taxas do hormônio beta-HCG, que crescem em pacientes com alguns tipos de câncer. “Tumor de célula germinativa é uma forma de câncer, tem capacidade de gerar tecido placentário, parece com placenta, mas é câncer. O coriocarcinoma é a placenta maligna. Tem como característica a produção do beta-HCG, hormônio placentário, e o teste de gravidez é a dosagem desse hormônio”.
Nos quatro meses seguintes ao diagnóstico, o jovem passou por quatro ciclos de quimioterapia no Instituto Peter Pan, em Fortaleza. Depois, a família procurou uma segunda opinião em São Paulo. Segundo Lígia Bezerra, mãe de Gerardinho, o médico avaliou que o câncer está em uma espécie de estado “adormecido”, e esta seria a melhor hora para fazer a cirurgia.

Gerardo Filho descobriu câncer após fazer um teste de gravidez, que deu positivo (Foto: Gerardo Filho/Arquivo pessoal)

Campanha de doação
Para obter o dinheiro necessário, a família divulgou nas redes sociais a campanha e o site #TodosPeloGerardo. Lançada na última semana, ela alcançou até o momento cerca de R$ 20.800. A família também está promovendo eventos, como chás e feijoadas beneficentes, para ajudar na arrecadação.
O objetivo é angariar R$ 200 mil. O estudante explica que o orçamento apenas para o procedimento cirúrgico é de R$ 98 mil, e a equipe médica custa cerca de R$ 40 mil. Os valores não incluem medicações, exames complementares e eventuais complicações durante a internação hospitalar, além de passagens aéreas também para viagens de reavaliações médicas em São Paulo.
Os clubes de futebol mais tradicionais do estado, Fortaleza e Ceará, também se mobilizaram em prol da campanha e divulgaram nas redes sociais pedidos de doação a Gerardo.

Risco e esperança
O procedimento, considerado de alto risco, é para retirar as lesões dos tumores no pulmão e peito. Após a recuperação, o rapaz ainda vai precisar passar por radioterapia para eliminar o câncer do crânio.

Fonte: G1 CE

Justiça decide levar mais um réu a júri popular por envolvimento na Chacina de Messejana

Policiais acusados de participação na Chacina de Messejana estavam presos no 5º Batalhão da Polícia Militar (Foto: Valdir Almeida/G1 CE)Trinta e quatro policiais militares vão ser julgados por um Tribunal do Júri por envolvimento na Chacina de Messejana. Nesta sexta-feira (7), o colegiado da 1ª Vara do Júri de Fortaleza decidiu pela inclusão de mais um acusado, após a realização do último interrogatório processual, nesta sexta-feira no Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza.
No total, 44 policiais foram presos. Durante a fase de depoimento das testemunhas, não foram apontadas provas contra 11 deles. De acordo com a Justiça, os policiais estavam mantidos presos para evitar intimidação dos familiares das vítimas e de sobreviventes ou tentativa de atrapalhar as investigações durante a etapa em que as autoridades ouviam os depoimentos.
O processo deste último réu aguardava conclusão de incidente de insanidade mental que havia sido interposto pela defesa. No entanto, o resultado declarou a sanidade do réu, dando seguimento à ação. Na audiência, o réu utilizou seu direito constitucional ao silêncio. Ainda na sessão, o colegiado proferiu a sentença de pronúncia.
A sentença de pronúncia decide que existem indícios de que o acusado praticou homicídio (s) e que pode ser culpado. Por se tratar de um crime doloso (com intenção) contra a vida (tentados ou consumados), o processo é julgado por um tribunal do júri e não por um juiz sozinho.
Atualmente, os três processos (que envolvem todos os acusados do caso) aguardam o fim dos prazos de razões e contrarrazões dos recursos apresentados pelas partes. Somente um dos pronunciados não recorreu da decisão judicial. O Ministério Público apelou de todas das decisões de impronúncia. Todos os 34 acusados esperam o julgamento em liberdade.
Os acusados serão julgados pelos crimes de homicídio por omissão imprópria (em relação a 11 vítimas mortas) e tentativa de homicídio por omissão imprópria (em relação às três vítimas sobreviventes). Os acusados, deverão também responder por tortura física em relação a outras três vítimas e tortura psicológica em relação a uma.

Onze homicídios
A chacina se refere aos assassinatos ocorridos em novembro de 2015, no bairro Messejana, em Fortaleza. Ao todo, 11 pessoas foram mortas e sete vítimas de crimes distintos. A denúncia foi oferecida pelo MPCE contra 45 policiais militares. Logo que o edital de formação do Colegiado foi publicado, a denúncia foi recebida em relação a 44 deles e em seguida decretada a prisão preventiva dos envolvidos.
Considerada a maior da história do Ceará, a chamada chacina de Messejana teria sido uma vingança pela morte do soldado da Polícia Militar Valtemberg Chaves Serpa, assassinado horas antes ao proteger a mulher em uma tentativa de assalto. Os homicídios foram registrados em um intervalo de aproximadamente quatro horas, em ruas dos bairros Curió, Alagadiço Novo e São Miguel, na Grande Messejana.

Fonte: G1 CE

Fortaleza tem deflação de 0,25% em junho, segundo IBGE

Fortaleza foi a única capital do país a apresentar aumento no preço da gasolina, segundo medição do IPCA (Foto: Marcelo Brandt/G1)O consumidor pagou mais barato pelos produtos em junho deste ano em Fortaleza, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta sexta-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O percentual de deflação na capital cearense foi 0,25%, maior do que o índice apresentado no país, 0,23%, no mesmo mês.
Os grupos que concentram a maior parte das despesas domésticas brasileiras foram os que apresentaram maior queda na inflação. Habitação, com 0,77%; transporte, com 0,52%; e alimentação, com 0,50%.
Em Fortaleza, a habitação teve variação de -3,98%. Com relação à gasolina, a capital foi a única do país a apresentar aumento, com percentual de variação em 0,44%.
A alimentação, grupo que domina 26% das despesas das famílias, ficou mais cara fora de casa em Fortaleza. Segundo o IBGE, o fortalezense pagou 0,40% a mais para comer em restaurantes e lanchonetes. Já a alimentação em casa sofreu deflação de 1,23%.
O tomate foi o produto com maior variação de deflação de maio a junho no país. Em maio, o percentual foi -3,14%, enquanto em junho chegou a -19,22%.
De acordo com o IBGE, o resultado do IPCA é o mais baixo para um mês de junho desde o início do plano Real e o primeiro resultado mensal negativo para qualquer mês desde junho de 2006 (-0,21%). O índice nunca foi tão baixo desde agosto de 1998, quando a taxa atingiu -0,51%.

Fonte: G1 CE

Quadrilha Explode Coração do Distrito de Lagoa São João encanta público em Pacoti

Na noite desta quinta-feira (06) de julho, no município de Pacoti, Região do Maciço de Baturité, a quadrilha Explode Coração do Distrito de Lagoa São João encantou público levando a simplicidade e a vida do sertanejo nordestino.
A quadrilha Explode Coração, de Aracoiaba, fechou a programação da segunda noite do Ceará Junino Etapa Maciço de Baturité e encantou o público com uma homenagem ao sertão nordestino. Iniciante, a quadrilha apresentou-se com sua simplicidade e elegância, sendo uma das mais aplaudidas pelo público.
Luz, brilho, luxo, irreverência, alegria emoção e tradição. Estes foram os ingredientes da noite de encerramento do Ceará Junino Etapa Maciço de Baturité, na cidade de Pacoti. A área externa da Arena ficou pequena para o tamanho e empolgação do público que acompanhou os festejos juninos.
O segundo o marcador da quadrilha Explode Coração coordenar um grupo tão grande. “Não é uma tarefa fácil. Mas a gente vai se apoiando e acaba dando tudo certo, tanto é que estamos aqui mais uma vez”, destacou.
O secretário de Educação e Cultura, Emílio Freitas, fez questão de participar, ao lado de assessores, representantes de quadrilhas e do grande público de todas as idades. O secretário na oportunidade representava o Prefeito de Aracoiaba Antônio Cláudio.
“Parabenizo a prefeitura de Pacoti, pela iniciativa e pela receptividade em acolher a todos de forma igualitária. Fico feliz em poder ver a Região do Maciço de Baturité, se destacando em eventos desse porte. Parabenizo a quadrilha Explode Coração pela brilhante apresentação, apesar de serem iniciantes mostraram que a paixão pelo São João e a cultura é maior que títulos”, finalizou o secretário.