Buscar

26 junho 2017

Invicto há cinco jogos, Fortaleza enfrenta o CSA tentando retomar liderança do grupo

Rodrigo Mancha volta ao time titular após lesãoSem perder desde a estreia na Série C do Brasileiro quando foi derrotado pelo Remo por 1 a 0, fora de casa, o Fortaleza tem uma missão na partida desta segunda-feira, 26, no estádio Rei Pelé, diante do CSA, às 21 horas: recuperar a liderança Grupo A. Como o Botafogo-PB venceu o Confiança no sábado por 1 a 0, chegou aos 14 pontos e deixou o Tricolor com 13. Um empate já basta para o time voltar ao primeiro lugar após o fim da sétima rodada da primeira fase da competição.
Não podendo contar para o confronto em Maceió com o meio-campista Everton, suspenso por causa do cartão vermelho tomado contra o Sampaio Corrêa e com lateral esquerdo Bruno Mello, também suspenso, mas em função de acúmulo de três cartões amarelos, o técnico Paulo Bonamigo optou pelas escalações de Pedro Carmona no meio-campo e Adalberto, recém regularizado, improvisado na lateral. Adalberto, por sinal, está de volta ao Pici depois de deixar o clube no fim de 2015 e atuar por América-MG e Náutico.
As mudanças no time titular não incomodam Bonamigo."Chegou o momento de rodar o elenco em função do desgaste físico dos primeiros jogos e das suspensões. Quem tem entrado no time tem ido bem e é um bom momento para fortalecer o grupo todo", avisou o técnico tricolor, que confirmou a volta na zaga de Rodrigo Mancha, recuperado de contusão, no lugar de Edimar.
No CSA, com 11 pontos e ocupando a terceira colocação, a semana foi conturbada, em que pese a boa campanha da equipe. É que a diretoria optou por dispensar três atletas: o lateral-esquerdo Rayro, o meia-atacante Thiago Potiguar e o atacante Luís Soares. O presidente Rafael Tenório confirmou que era preciso reduzir a folha de pagamento e optou por atletas que não ajudariam mais o técnico Ney da Matta. Em relação ao time que empatou com o Confiança na rodada mais recente, Jorge Fellipe, Daniel Costa e Gustavinho devem ganhar oportunidade, por mais que o treinador faça questão de guardar segredo até momentos antes do confronto. (Fernando Graziani)

Série C - CSA x Fortaleza
Data: 26 de junho 2017
Local: Estádio Rei Pelé - Maceió
Árbitro - Cleisson Veloso Pereira - MG 
Assistentes: Magno Arantes Lira - MG e Felipe Alan Costa de Oliveira - MG

CSA 
Mota, Dick,Thales, Jorge Fellipe e Raul;Dawhan, Boquita, Gustavinho, Daniel Costa e Marcos Antonio; Michel
Técnico: Ney da Matta

FORTALEZA
Marcelo Boeck, Felipe, Rodrigo Mancha, Ligger e Adalberto; Anderson Uchoa, Pablo, Adenilson e Pedro Carmona; Hiago e Lúcio Flávio
Técnico: Paulo Bonamigo

Fonte: O POVO

MARACANAÚ - Vizinhos sentem medo e indignação após estupro coletivo

Comunidade, no bairro Timbó, vive medo e sensação de insegurança intensificados após o crime  MAURI MELOVizinhos do bar localizado no Conjunto Timbó, em Maracanaú (Região Metropolitana de Fortaleza), onde teria acontecido o espancamento e o estupro coletivo de uma mulher de 41 anos, vivem o medo e a sensação de insegurança, intensificados após a crueldade. A vizinhança está indignada porque o crime, no último sábado, 24, foi presenciado por várias pessoas, mas ninguém interveio. O ataque, cometido por pelo menos dois homens, teria começado ainda no banheiro do estabelecimento. O restante das agressões seguiu até as proximidades da avenida Adauto Lima.
Uma das vizinhas do bar socorreu a vítima. Sem se identificar, ela contou ontem ao O POVO que estava em casa quando foi chamada por dois homens. Ela diz que eles queriam abandonar a mulher na calçada da residência. A testemunha diz que comunidade conhece a vítima, que, mora no Jereissati, mas costuma ir ao Timbó. “Umas 5 horas, eu estava dormindo e vieram esses dois homens e disseram que ela estava quase morta. Fiquei com medo de serem marginais e não abri a porta, mas avisei ao meu ex-marido. Eles, então, pegaram ela e colocaram na outra porta (a do ex-marido). Jogaram ela lá”, diz. Depois disso, a dupla fugiu.
A família cuidou dela antes de a ambulância chegar. A mulher diz que a vítima, inicialmente, não conseguia falar. “Minha filha e outra menina que eu crio pegaram ela e a colocaram debaixo do chuveiro. A água virou sangue”, recorda-se a mulher. A vítima tinha muitas marcas de agressões no rosto, ela conta.
A testemunha diz que a mulher agredida é uma boa pessoa, que não tem inimizades no local. “Ela é educada. É mãe de três filhos adolescentes, uma das meninas foi mãe. Ela é querida”, comentou.
Outra mulher, que acompanhou a vítima na ambulância até o Hospital Municipal João Elísio de Holanda, no Centro de Maracanaú, conta que, depois do atendimento em Maracanaú, ela chegou a ser encaminhada ao Hospital da Mulher, em Fortaleza, para os procedimentos referentes à violência sexual. Conforme a mulher, a vítima continua internada deve passar por uma cirurgia no nariz e fazer implante, pois perdeu vários dentes com as agressões. O POVO não conseguiu confirmar em qual unidade está a vítima.

O bar

Moradores dizem que o bar em que a vítima foi agredida funciona quase ininterruptamente, 24 horas, com som que incomoda a todos. Uma moradora diz que, por diversas vezes, acionou a Polícia por causa da poluição sonora, mas o problema não é resolvido.
Outra vizinha comenta que na comunidade impera “a lei do silêncio”, com muita gente com medo de denunciar as irregularidades do bar. Ela reforça que o crime contra a mulher foi presenciado por várias pessoas, porque o bar estava lotado na madrugada do sábado, e nada foi feito. E afirma que, após a vítima ter sido retirada do local e socorrida na vizinhança, o bar continuou funcionando. O POVO foi até o bar ontem à tarde, mas o proprietário tinha ido embora ao perceber a presença da equipe de reportagem na comunidade.
No último sábado, 24, a funcionária que atendeu a vítima no hospital de Maracanaú disse ao O POVO que a vítima relatou que pelo menos dois homens praticaram a agressão. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) disse que ainda não é possível afirmar que o caso se caracteriza como estupro coletivo. O crime está sendo investigado.

JÉSSIKA SISNANDO - O POVO

Eleições 2018 – Lula lidera em todos os cenários

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva segue líder absoluto nas intenções de voto para as eleições presidenciais de 2018. É o que diz pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira pelo jornal Folha de São Paulo. Lula Lula está na liderança em todos os cenários de primeiro turno, tendo entre 29% e 30% das intenções de voto.
O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) aparece em segundo, empatado com Marina Silva (Rede-AC). Quando disputa com Alckmin, o petista fica com 30%. Nesse cenário, o tucano aparece apenas na terceira posição, com 8%, enquanto Bolsonaro, com 16%, e Marina, com 15%, aparecem embolados no segundo lugar.
O cenário com o prefeito de São Paulo João Doria (PSDB), é similar e tem Lula na dianteira, com 30%. Doria fica em quarto lugar, com 10% das intenções dos eleitores.
Após escândalo da JBS, o Datafolha não incluiu o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o presidente Michel Temer (PMDB) na lista de presidenciáveis.

2º Turno

Em simulações para o 2º turno, Lula vence Alckmin (45 a 32%), Doria (45 a 34) e Bolsonaro (45 a 32), mas empata com Marina (40 a 40), de acordo com o Datafolha. Em uma eventual disputa entre Marina e Bolsonaro, a ex-ministra venceria por 49 a 27%.

Rejeição

Apesar da liderança nas intenções de voto, Lula também aparece em primeiro lugar na lista das maiores rejeições, com 46 por cento, seguido por Alckmin (34) e Bolsonaro (30).

Fonte: O POVO