Buscar

30 maio 2017

Falha em inscrição no Sisu afetou até 600 mil participantes, diz MEC

Quando o aluno tentava se inscrever, número de inscrição e senha do Enem 2016 aparecem como inválido (Foto: Reprodução)
O Ministério da Educação (MEC) diz que uma falha em sua base de dados afetou até 600 mil pessoas que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 e que estão aptas a disputar vagas em universidades públicas oferecidas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre de 2017.
O Sisu seleciona, até quinta-feira (1º), alunos para mais de 51 mil vagas em cursos superiores. As inscrições começaram nesta manhã (veja calendário completo abaixo).
Estudantes afetados pela falha recebiam a mensagem "dados inválidos" quando tentavam acessar o Sisu. O MEC diz que quem teve dificuldade deve alterar a senha no site www.enem.inep.gov.br/participante para solucionar o problema.
Origem do problema
Segundo o MEC, foi identificada nesta manhã uma falha de "sincronização entre as bases de dados do MEC e do INEP". A pasta diz que o entrave já foi resolvido.
Ainda de acordo com a pasta, o número de potenciais candidatos afetados é de até 600 mil, e eles já estão recebendo informações por e-mail ou SMS sobre a necessidade de troca de senha.
"Além disso, foi inserida no sistema de inscrição uma mensagem específica para eles, redirecionando esses participantes a acessarem o site do INEP para realizar a atualização necessária", informou o MEC em nota. A pasta nega relação entre este problema e o verificado na primeira edição do Sisu neste ano.

Calendário do Sisu 2017.2

Inscrições: 29 de maio a 1º de junho
Chamada regular: 5 de junho
Lista de espera: 5 de junho a 19 de junho
Matrícula da chamada regular: 9 de junho a 13 de junho
Convocação dos candidatos da lista de espera: a partir de 26 de junho

Aplicativo da operação carro-pipa não registra rota de entrega de água, dizem pipeiros

Ação da polícia apreende GPS que deveria estar instalado em carro-pipa. Segundo a PRF, esquema é uma tentativa de burlar a entrega de água; sindicato diz que é pra compensar rota não computada pelo GPS quando rodou com o caminhão (Foto: PRF/Divulgação)O aplicativo utilizado por pipeiros - usado na Operação Carro Pipa para entrega de água em cidades do Nordeste - não registra toda a rota realizada pelos veículos, segundo afirmou nesta segunda-feira (29), em comissão na Assembleia Legislativa, o presidente do Sindicato dos Pipeiros, Eduardo Araújo.
"Por isso alguns pipeiros são flagrados com GPS nos carros e nas motos, pra completar o percurso que ele já fez no caminhão. Pra não gastar tudo de novo no caminhão, ele usa um transporte mais barato, como um moto. O aplicativo não registra nem 40% da rota que a gente faz, por isso a gente roda na moto para chegar a pelo menos 90%", disse o presidente do sindicato.
Nos últimos meses, as polícias Militar, Rodoviária e Federal apreenderam vários veículos e prenderam pessoas que rodavam em veículos comuns com GPSs que deveriam estar instalados em carro-pipa. Conforme as denúncias das polícias, a prática é criminosa e é uma tentativa de burlar o sistema, sem fazer a entrega de água.
O coronel Claudemir Rangel, representando o comando da 10ª Região Militar, explicou que tem procurado dar toda a atenção aos problemas que surgem na Operação Carro-Pipa. No entanto, não "pode fugir dos rigores da lei, sob pena de cair em uma ilegalidade". Ele acentuou que os procedimentos da operação são definidos pelo Ministério da Integração Nacional, e, portanto, cabe ao Exército apenas executar o que é definido.
Ainda conforme o coronel, se for necessário, serão solicitados à empresa responsável reajustes no funcionamento do aplicativo que controla a rota dos pipeiros. O pagamento aos pipeiros é feito mediante comprovação da entrega da água, feita pelo programa eletrônico.
O sindicato reclamou ainda da falta de reajuste do pagamento à categoria. Conforme Eduardo Araújo, em 10 anos, o valor pago pelo Exército só foi reajustado em 10%, enquanto os insumos foram majorados em 100% no período.

Fonte: G1

Seleção pública em Aratuba tem 55 vagas e salários de até R$ 10 mil

Concurso público em Aratuba tem salários de até R$ 10 mil (Foto: Divulgação)A Prefeitura de Aratuba, no interior do Ceará, divulgou nesta terça-feira (30) edital de seleção pública com 55 vagas e salários de até R$ 10 mil. Vinte das 55 vagas são para cadastro de reserva.
Os interessados devem fazer a inscrição de 30 de maio a 1º de junho, das 8h às 12h e das 13h às 17h, na Secretaria Municipal da Saúde, na Rua Praça Adolfo Lima, 20, no Centro, Aratuba.
As oportunidades são para profissionais da saúde, para os cargos de médico, enfermeiro, odontólogo, fisioterapeuta, veterinário, farmacêutico, fonoaudiólogo, psicólogo, nutricionista, técnico em enfermagem, agente comunitário da saúde e agente endêmico.


A seleção será realizada em duas etapas: análise curricular (valendo 40 pontos) e entrevista (que soma até 60 pontos). As entrevistas estão agendadas para 8 e 9 de junho, na Secretaria da Saúde de Aratuba.
O resultado final do processo seletivo será divulgado em 16 de junho.
O processo seletivo tem prazo de validade de um ano, podendo ser prorrogado por mais um ano, a critério da administração pública municipal.
Seleção pública em Aratuba

Inscrições
Até 1º de junho
Vagas
55
Salário
Até R$ 10 mil
Entrevistas
8 e 9 de junho

Fonte: G1