Buscar

24 abril 2017

“Não existe crítica construtiva e sim pessoas invejosas”, afirma Solange Almeida

Solange Almeida sempre agita as redes sociais com seus depoimentos e comentários. Desta vez, a ex-vocalista do Aviões do Forró resolveu opinar sobre críticas construtivas. “É muito comum a gente ouvir a frase, né? Não fique chateada é só uma crítica construtiva. Eu acredito, que nunca a gente deve aceitar crítica construtiva de quem nunca construiu nada com a gente”, afirmou a cantora em um vídeo publicado nas redes sociais na manhã desta quarta-feira, 19.
A artista, que vem se destacando em carreira solo, aconselha não dar ouvidos ao achismo. “As pessoas têm uma péssima mania dar palpites em nossa vida, sem ao menos conhecer. Crítica construtiva no meu ver não existe. O que existe são pessoas invejosas, que andam ao nosso lado e observam nossa vida, mas que queriam estar no nosso lugar. Portanto, não dê ouvidos a esse povo, que está de ‘mimimi’ e acha isso ou aquilo. Isso é tudo achismo. Isso não é crítica construtiva”, finaliza a cantora.
Confira vídeo

O desafio de superar a crise que afetou a rotina da Cidade

De dentro dos presídios foram coordenados ataques em Fortaleza. Vinte e um ônibus foram incendiados. Um dos ataques foi no Canindezinho  FOTOS FABIO LIMAAs ações registradas na Grande Fortaleza na última semana, reivindicadas pela facção Guardiões do Estado (GDE), evidenciam um cenário em que população e Estado ficam reféns de decisões de organizações criminosas que dominam os presídios. Ônibus, agências bancárias, veículos de concessionárias e serviços do Estado e prédios públicos foram atacados numa sequência que complicou a rotina dos cidadãos e prejudicou diretamente os usuários do transporte público.
Os ataques não são novos, porém chegaram a proporção ainda inédita na Capital.
E não podem ser vistos como eventos isolados, alerta o sociólogo Marcos Silva, pesquisador do Laboratório de Estudos da Violência (LEV), da Universidade Federal do Ceará (UFC). “São frutos de processos mais amplos, de políticas públicas de segurança que colocaram a prisão como última solução e conduziram um sistema prisional defasado”, analisa. Para ele, superlotação dos presídios e falhas nas ações de ressocialização são alguns dos fatores que dificultam a prevenção de uma relação hoje concretizada: grupos criminosos com força para bater de frente com o poder público.
“Eles se organizam na guarda do Estado. Isso é o mais absurdo da situação”, critica Cláudio Justa, presidente do Conselho Penitenciário do Estado (Copen).

Conforme o advogado, a situação se agrava à medida que os problemas principais deixam de ser atacados. Um deles é o baixo efetivo de agentes prisionais, que não acompanhou o aumento da massa carcerária. Segundo Justa, um agente faz a custódia de uma média de 200 presos, enquanto deveria custodiar entre 30 e 40 internos. Outra medida básica, aponta, é separar presos provisórios e primários dos condenados, fazendo valer a Lei de Execução Penal e evitando que novos internos caiam na lógica das facções.
Superar a situação de colapso também depende de investimento em estrutura, efetivo e trabalho de inteligência no sistema prisional, defende Justa. Para ele, o Estado fica vulnerável às reivindicações dos grupos e adota “linha perigosa” ao dialogar com internos para separar as facções criminosas e tentar evitar conflitos.
Prática que, segundo ele, remonta às rebeliões deflagradas em maio de 2016.
Parar de “entupir” cadeias e ofertar melhores condições de higiene, alimentação e assistência jurídica são caminhos apontados para reduzir o poder das facções criminosas, principalmente sobre os recém-chegados ao sistema, defende Silvia Ramos, coordenadora do Centro de Segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes (RJ). “O Estado precisa acordar para a ideia de que ou ele provê condições de assistência ou ele entrega os presídios ao mando das facções”, alerta. (colaboraram Rômulo Costa e Jéssika Sisnando)

Problemas e soluções

Entre os problemas do sistema penitenciário cearense estão: custódia inadequada com baixo efetivo de agentes prisionais, superlotação de unidades, pouca aplicação de medidas alternativas ao encarceramento, negligência ao interceptar informações entre os grupos e fraco combate à entrada de celulares nas unidades
Entre as soluções básicas, conforme especialistas ouvidos pelo O POVO, estão: aumentar o efetivo de agentes prisionais, investir na estrutura das unidades, dar celeridade aos processos e prestar assistência jurídica para presos provisórios, além de criar estratégias para que o contato deles com presos já condenados seja evitado.

Resposta do Governo  

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que as diligências continuam para identificar e prender envolvidos nas ações criminosas na Grande Fortaleza, já tendo detido 17 pessoas desde a última quarta-feira, 19. A pasta não respondeu a reportagem sobre iniciativas na tentativa de solucionar a crise.
A reportagem solicitou entrevista, no último sábado, com algum representante da Secretaria da Justiça do Ceará (Sejus), mas o órgão informou que a SSPDS investiga os casos e que ainda não há nada concreto que ligue os ataques ao sistema penitenciário.

Fonte: O POVO

Morre o cantor Jerry Adriani

O cantor Jerry Adriani, ídolo da Jovem Guarda, morreu às 15h30min deste domingo (23), aos 70 anos, no Rio. Ele enfrentava um câncer e estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste. A família  ainda não deu informações sobre horário e local do velório e do enterro. Recentemente, Jerry Adrini havia sofrido uma trombose em uma das pernas.
Jair Alves de Souza nasceu em 29 do janeiro de 1947, no bairro do Brás, em São Paulo.
Adotou o nome artístico de Jerry Adriani quando começou sua carreira como cantor, em 1964. O primeiro disco foi “Italianíssimo”, quando cantava músicas em italiano, algo que seguiu fazendo em toda a carreira.
Em 1965, o cantor passou a gravar em português, com músicas reunidas no disco “Um grande amor”. Também na década de 1960, Jerry virou apresentador do programa “Excelsior a Go Go”, da TV Excelsior. O programa coapresentado por Luiz Aguiar era um musical com apresentações de artistas como Os Vips, Os Incríveis e Cidinha Santos.
Outro programa musical que ele comandou foi “A grande parada”, no ar pela TV Tupi em 1967 e 1968. Ele era um dos apresentadores ao lado de Neyde Aparecida, Zélia Hoffmann, Betty Faria e Marilia Pera.
Além da TV, Jerry se aventurou pelo cinema. Ele cantou e atuou em “Essa gatinha a minha” (com Peri Ribeiro e Anik Malvil); “Jerry, A grande parada”; e “Jerry em busca do tesouro” (com Neyde Aparecida e os Pequenos Cantores da Guanabara).

Fonte: O POVO

Camilo Santana anuncia prorrogação de concurso para Polícia Civil e Bombeiros

Resultado de imagem para camilo santanaO governador do Ceará Camilo Santana anunciou nesta sexta-feira (21) a autorização para prorrogar os concursos para os cargos de delegado, inspetor e escrivão de Polícia Civil e para soldado do Corpo de Bombeiros. O anúncio foi feito nesta sexta-feira na página do governador em uma rede social.
“Lembro que recentemente completamos a turma de 650 policiais civis chamados e já estamos com novos 1.400 PMs sendo treinados, e outros 2.800 que também serão chamados. O governo do ceará tem tido todo o empenho para reforçar a seguranças do nosso estado”, disse Camilo Santana na postagem.
Ataques
O anúncio do governador ocorre no dia em que se comemora o dia do Policial Civil e em meio a uma onda de ataques a ônibus na capital e em cidade da Região Metropolitana de Fortaleza. Desde quarta-feira (19), 23 ônibus foram incendiados, além de ataques a prédios públicos e veículos de concessionárias de água e de energia elétrica incendiados. Um motorista e um cobrador foram atingidos e seguem internados em estado grave no Hospital Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza.
Dezessete pessoas foram presas suspeitas de participar dos ataques. De acordo com o secretário André Costa, titular da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), as últimas prisões ocorreram na Cidade de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, onde dois suspeitos foram flagrados em um carro transportando dois galões de gasolina.
Sobre as investigações, o secretário disse que trabalha com várias linhas e ressaltou que o sigilo é necessário. "A carta existe. É prova. Faz parte do inquérito", disse ao ser perguntado sobre a carta com ameças assinada por suposta facção criminosa recolhida pela polícia na Barra do Ceará, onde um coletivo foi incendiado. "Essa é uma das linhas [de invetigação]", disse Costa.

Fonte: G1

Equipes do DER estão em Trairi para iniciar recuperação da estrada danificada por rompimento de barragem

A Polícia Militar disse que a CE-163 foi bloqueada em dois pontos (Foto: Reprodução/TV Verdes Mares)Equipes do Departamento Estadual de Rodovias (DER) já se encontram no município de Trairi, no litoral do Ceará, para tratar da interrupção da CE-163, estrada que dá acesso às praias do litoral oeste, especialmente à praia de Flexeiras e à comunidade de Canaã. A rodovia foi danificada em dois pontos, por conta do rompimento da barragem de um açude particular.
De acordo com os engenheiros do Departamento, os trabalhos, de início, foram concentrados na viabilização de um desvio e construção de um bueiro provisório, no acesso a Flexeiras, para que o trecho seja restabelecido, o que deve acontecer até a proxima terça-feira (25). Os trechos bloqueados se situam na localidade de Estrela e nas proximidades o ao trevo que dá acesso à Praia de Flexeiras.
Após o rompimento da barragem do açude o acesso ao distrito de Canaã passou a ser feito pelas localidades de Emboaca e Mundaú. O acesso a Flexeiras está sendo pela faixa de areia da praia, quando a maré está baixa. De acordo com a Polícia Militar, o rompimento da barragem se deu na tarde desta quinta-feira (20) e a rodovia ficou bloqueada em dois pontos, quando o asfalto não suportou a pressão das águas e cedeu. Não há informações de feridos ou de prejuízos materiais para a população local.

Fonte: G1