Buscar

20 abril 2017

Lula é o presidenciável com maior potencial de votos, afirma Ibope

Resultado de imagem para LUlaPesquisa inédita do Ibope mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a ser o presidenciável com maior potencial de voto entre nove nomes testados pelo instituto.
Pela primeira vez desde 2015, os eleitores que dizem que votariam nele com certeza (30%) ou que poderiam votar (17%) se equivalem aos que não votariam de jeito nenhum (51%), considerada a margem de erro. Desde o impeachment de Dilma Rousseff, há um ano, a rejeição a Lula caiu 14 pontos.
A pesquisa foi feita antes de vir a público a lista do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), com as delações de executivos da Odebrecht que acusaram o ex-presidente de corrupção, junto com dezenas de outros políticos. Se a divulgação das denúncias prejudicou a imagem de Lula (e de outros denunciados), não houve tempo de isso ser captado pelo Ibope.
Os três principais nomes do PSDB, por sua vez, viram seu potencial de voto diminuir ao longo do último ano e meio. Desde outubro de 2015, a soma dos que votariam com certeza ou poderiam votar no senador Aécio Neves (PSDB-MG) despencou de 41% para 22%.
O potencial do senador José Serra (PSDB-SP) caiu de 32% para 25%, e o do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) foi de 29% para 22%. Os três tucanos aparecem na pesquisa com taxas de rejeição superiores à de Lula: 62%, 58% e 54%, respectivamente.
O Ibope testou pela primeira vez o potencial do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), em uma eleição para presidente. Embora seja muito menos conhecido do que seus colegas de PSDB (44% de desconhecimento, contra 24% de Alckmin e 16% de Serra e Aécio), Doria já tem 24% de eleitores potenciais (metade votaria com certeza), ou seja, tanto quanto os outros tucanos, levando-se em conta a margem de erro. Mas sua vantagem é ter uma rejeição muito menor que a dos concorrentes dentro do partido: 32%.
Assim como os nomes tradicionais do PSDB, a ex-ministra Marina Silva (Rede) sofreu redução de potencial de voto e aumento da rejeição. Agora, um terço dos eleitores a indicam como possível opção - eram 39% há um ano.

Método

Entre os dias 7 e 11 de abril, o Ibope realizou 2.002 entrevistas face a face, em 143 municípios de todas as regiões do Brasil. A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos, com intervalo de confiança de 95%. As perguntas eleitorais fizeram parte da pesquisa que o instituto conduz mensalmente com questionário variável, o chamado BUS.
Na pesquisa de potencial de voto, o entrevistador apresenta um nome de cada vez e pede ao eleitor que escolha qual frase descreve melhor sua opinião sobre aquela pessoa: se votaria nela com certeza, se poderia votar, se não votaria de jeito nenhum, ou se não a conhece o suficiente para opinar. É diferente da intenção de voto.

Barbosa

Apesar de ter não contar mais com a projeção e a visibilidade inerente ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa ainda é considerado um candidato viável à Presidência da República por uma parcela considerável dos eleitores. Na pesquisa Ibope, Barbosa aparece com 24% de potencial de voto (soma das respostas "votaria com certeza" e "poderia votar").
O ex-ministro, que se celebrizou ao conduzir o julgamento do mensalão e que se aposentou do STF em 2014, também não sofre com os níveis de rejeição atribuídos aos políticos. Apenas 32% dizem que não votariam nele de jeito nenhum - uma das taxas mais baixas entre as dos nove nomes testados pelo Ibope.
Barbosa, porém, não manifestou a intenção de se candidatar em 2018 e nem sequer é filiado a um partido.
O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que tenta se beneficiar da onda de rejeição a políticos - apesar de ser parlamentar desde o começo dos anos 1990 -, aparece com 17% de potencial de voto na pesquisa. Seu possível contingente de eleitores cresceu seis pontos porcentuais desde o ano passado, mas a parcela que o rejeita aumentou ainda mais, de 34% para 42%. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: O POVO

Maioria dos deputados cearenses é contra reformas

Em manobra, Câmara aprovou ontem regime de urgência para tramitação da reforma trabalhista AGÊNCIA CÂMARAA maioria dos deputados federais cearenses se posiciona de forma contrária às reformas da Previdência e trabalhista que tramitam na Câmara dos Deputados.
Levantamento feito pelo O POVO aponta que 11 parlamentares não apoiam o texto atual da reforma previdenciária. Outros dez votariam também contra o texto da reforma trabalhista caso a votação ocorresse hoje.
Pelo menos oito deputados ainda não têm posição definida e afirmam que devem estudar o texto apresentado nas comissões especiais. A minoria se coloca favorável às alterações na legislação. Apenas dois votariam a favor da reforma previdenciária e três apoiariam a nova legislação trabalhista.
Nomes da base aliada do presidente Michel Temer (PMDB) na Câmara têm postura contrária às medidas consideradas como prioridade da gestão peemedebista. Um deles é o deputado Vitor Valim (PMDB), que prevê prejuízo ao trabalhador caso haja a aprovação das duas medidas na Casa.
“Esses partidos que defendem as reformas têm que levar essas propostas para a eleição de 2018. Não me sinto com legitimidade para votar se a gente não discutir esses assuntos nas eleições”, criticou o peemedebista.
O deputado Ronaldo Martins (PRB), também da base de Temer, diz ter comunicado ao partido que vai votar contra as duas pautas. “Acho que houve pouco avanço nas alterações (da reforma da Previdência) e há outras formas de o governo atualizar as leis sem prejudicar o trabalhador”, afirma.
Impopulares, as pautas têm dificuldades para receber apoio público de aliados do governo. Vaidon Oliveira (DEM), Aníbal Gomes (PMDB), Moses Rodrigues (PMDB), Genecias Noronha (SD) e Adail Carneiro (PP) disseram ainda estar analisando os textos que geram polêmica há várias semanas. As duas matérias ainda não foram apreciadas nas comissões especiais.

Manobra

Após a derrota da última terça-feira, 18, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), colocou em votação mais uma vez requerimento para acelerar a tramitação da reforma trabalhista na Câmara.
Houve protesto da oposição.
Dessa vez, a base do governo conseguiu aprovar o regime de urgência na noite de ontem, com 287 votos favoráveis e 144 contrários. Dos 15 cearenses que votaram, seis ajudaram na aprovação do requerimento.
Maia comemorou a vitória do governo. “Ontem foi um descuido pessoal meu e alguma insatisfação na base, mas estou, como brasileiro, muito feliz”, declarou Maia, ao deixar o Plenário.

Saiba mais

Com a leitura do relatório pelo deputado Arthur Maia (PPS-BA), sobre a proposta de reforma da Previdência na comissão especial da Câmara, os parlamentares definiram o calendário de tramitação da matéria. A previsão é que o parecer de Maia seja votado na comissão no dia 2 de maio.
Dos cearenses que votaram na urgência da tramitação da reforma da previdência, a maioria se posicionou contrária. Os parlamentares André Figueiredo (PDT), Chico Lopes (PCdoB), José Airton (PT), José Guimarães (PT), Leônidas Cristino (PDT), Odorico Monteiro (PROS), Ronaldo Martins (PRB) e Vitor Valim (PMDB) votaram contra o requerimento de urgência. A deputada Luizianne Lins (PT) obstruiu a pauta.
Já os deputados Adail Carneiro (PP), Domingos Neto (PSD), Gorete Pereira (PR), Moses Rodrigues (PMDB), Paulo Henrique Lustosa (PP) e Vaidon Oliveira (DEM) votaram a favor.

Fonte: O POVO

Carta com ameaças é encontrada em local de ataque a ônibus em Fortaleza

Carta deixada em local de ataque a ônibus em Fortaleza  nesta quarta cita transferências de presos (Foto: Anézia Gomes/TV Verdes Mares)Uma carta que exibe a assinatura de uma suposta facção criminosa foi deixada em um local de ataque a ônibus em Fortaleza nesta quarta-feira (19) na Barra do Ceará. A mensagem aponta como motivo dos incêndios mudanças dentro dos presídios.
"Queremos transferência de imediato da CPPL 2 [Complexo Privação Provisório de Liberdade 2] ou vai para os ataques", diz um trecho da mensagem. A carta com a ameaça foi recolhida pelo major da Polícia Militar Nunes. "Isso é uma resposta ao trabalho que estamos fazendo'', disse o major.
Nesta quarta-feira, pelo menos 12 coletivos foram alvos de ataques incendiários na Grande Fortaleza, nos bairros Edson Queiroz, Barra do Ceará e Barroso, na capital, e nos municípios de Eusébio e Horizonte, de acordo com informações do sindicato das empresas de ônibus.
Conforme o tenente-coronel Lima, comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM), criminosos pararam um ônibus na Barra do Ceará e mandaram os ocupantes descerem. Logo em seguida, eles queimaram o veículo e fugiram. A polícia realiza buscas para tentar identificar e prender os suspeitos.
Em consequência dos ataques, passageiros relataram que estão sem ônibus nos terminais.

Ônibus são incendiados em Fortaleza (Foto: Arquivo pessoal)
Fonte: G1

Mudança de rotina em presídio e transferências motivaram ataques, diz fonte

A perda de regalias de presidiários do Ceará motivou a série de ataques a ônibus em Fortaleza na tarde desta quarta-feira (19). Segundo uma fonte da área de inteligência da segurança ouvida pelo G1, "a mudança de rotina em um dos presídios que deixava os presos soltos no pátio e passaram a ser recolhidos nas celas" foi o estopim da ação criminosa.
A transferência de presos das unidades prisionais do Ceará também é apontada como motivação para a ação dos criminosos. A medida "atingiu uma maior concentração de presos" da facção que reivindicou a autoria dos ataques, conforme a fonte.
Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), 14 veículos foram alvos de ataques incendiários, e a principal linha de investigação é que os crimes foram uma retaliação contra a transferências de detentos dos presídios cearenses.
Mais cedo, uma carta foi deixada próxima a um ônibus atacado supostamente assinada por uma facção criminosa reclamando das transferências e ameaçando novos ataques a veículos e órgãos públicos.
Por conta dos ataques simultâneos, os ônibus deixaram de circular durante a tarde desta quarta-feira; faculdades suspenderam aulas; muita gente ficou sem opção para voltar para casa, e o transporte alternativo cobra valores superfaturados.
A polícia também investiga se o combustível utilizado nos ataques foi adquirido em um depósito clandestino no Bairro Mucuripe, em Fortaleza. Até a noite desta quarta, a SSPDS havia divulgado a prisão de um suspeito de envolvimento na série de crimes.
Além dos ônibus, veículos Enel foram atacados; um a tiros e outro com fogo. A Cagece, distribuidora de veículos no Ceará, recolheu os carros que circulavam na Grande Fortaleza nesta quarta. Os ônibus voltaram a circular na noite de quarta.

Ataques
Dentre as ocorrências, foram registrados incêndios nos bairros Edson Queiroz, Barra do Ceará e Barroso, na capital, e nos municípios de Eusébio e Horizonte. Devido aos ataques, pelo menos três terminais de ônibus suspenderam as atividades.
Conforme o tenente-coronel Lima, comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM), criminosos pararam um ônibus na Barra do Ceará e mandaram os ocupantes descerem. Logo em seguida, eles queimaram o veículo e fugiram. A polícia realiza buscas para tentar identificar e prender os suspeitos.
Já a professora Lídia Bandeira contou ao G1 que estava em casa no Bairro Edson Queiroz com uma amiga quando ouviu um barulho alto, achou que fosse uma batida, mas quando chegou à frente da casa avistou um ônibus em chamas.
Usuários do transporte público também relaram ao G1 que as conduções passaram por diversos bairros em direção às garagens das empresas, sem parar nos pontos de ônibus. Um carro da concessionária de nergia Enel também foi incendiado no Bairro Cidade dos Funcionários.

Fonte: G1

Fortaleza volta a registrar ataque a ônibus nesta quinta-feira

Vila VelhaUm ônibus foi incendiado na manhã desta quinta-feira (20), na Rua Gama, localizada no Bairro Vila Velha, em Fortaleza. Não há informações de feridos. O ataque ocorreu quase 12 horas depois da série de incêndios a transportes coletivos na Grande Fortaleza, que resultou em 16 veículos queimados.
De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindionibus), o veículo incendiado fazia a linha Vila Velha/Riomar Kennedy e pertence à empresa Vega.
O corpo de bombeiros foi acionado e está no local da ocorrência para conter as chamas.
Conforme o Sindionibus, apesar do novo ataque, não há previsão de retirar os ônibus de circulação.

Fonte: G1

Três delegacias são alvo de ataques de criminosos na Região Metropolitana de Fortaleza

No 8º Distrito Policial, no Bairro José Walter, um carro foi incendiado.  (Foto: Reprodução/TV Verdes Mares)
Três delegacias foram alvos de ataques de criminosos na noite desta quarta-feira (19) e madrugada desta quinta-feira (20) em Fortaleza e Região Metropolitana. O primeiro ataque foi registrado, segundo a Polícia Militar, na Delegacia de Pajuçara. De acordo com a polícia, homens armados atiraram contra a vidraça da unidade. Ninguém ficou ferido. A polícia está investigando se foi o mesmo grupo que atacou a agência bancária.
Já em Fortaleza, no 33º Distrito Policial no Bairro Goiabeiras, também teve ataque nessa madrugada. A polícia informou que quatro homens em duas motos disparam contra o distrito. A vidraça foi quebrada e o grupo conseguiu fugiu. Ninguém ficou ferido. A delegacia recebeu reforço da Polícia Militar.
E no 8º Distrito Policial, no Bairro José Walter, um carro foi incendiado. A polícia disse que dois homens chegaram e colocaram gasolina em um carro apreendido que estava estacionado no pátio. O veículo ficou destruído. Por sorte ninguém ficou ferido. O Corpo de Bombeiros foi chamado para apagar as chamas. Até a manhã desta quinta-feira, ninguém foi preso.

Fonte: G1

Agência bancária é atacada a tiros por bandidos em Maracanaú, no Ceará

A polícia disse que investiga o caso. Nenhum dinheiro foi levado pelos bandidos. (Foto: Reprodução/TV Verdes Mares)Uma agência bancária foi atacada a tiros na noite desta quarta-feira (19), no município de Maracanaú, Região Metropolitana de Fortaleza. De acordo com a Polícia Militar, foi uma agência no Bairro Pajuçara.
Na vidraça marcas dos tiros. A polícia informou também que o dinheiro não foi levado e que está trabalhando para identificar os suspeitos. Até o início da manhã desta quinta-feira (20), niguém foi preso.

Fonte: G1