Buscar

03 março 2017

Acesso de alunos da rede pública do Ceará a universidades cresce 27%

Número de alunos da rede pública do Ceará aprovados no Enem cresce 27%, diz Seduc (Foto: Governo do Estado/Divulgação)O índice de aprovação dos alunos das escolas públicas estaduais do Ceará no ensino superior cresceu 27% entre os anos de 2015 e 2016, de acordo com balanço divulgado nesta quinta-feira (2) pelo governador do Ceará, Camilo Santana. De acordo com o governador, foram 12.737 estudantes com chance de ingressar no ensino superior; no ano anterior, foram 10.035 aprovações. 
Entre as aprovadas está a aluna indígena Antônia Silva Santos, de 17 anos, da etinia Kanindé, aprovada em 1º lugar em Museologia na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.
Ainda conforme o Governo do Estado, 5.423 estudantes ingressaram em universidades públicas no ano passado. Em 2015, foram 4.502 alunos. A aprovação por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que usa como base as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), garantiu o ingresso de 3.693 alunos, em 2016. O resultado de 2015 mostra que 2.669 jovens obtiveram a mesma oportunidade.
Ainda sobre as universidades públicas, 1.730 estudantes entraram por meio de vestibulares realizados no ano passado.
Com relação à rede privada, 1.745 foram selecionados pelo Programa Universidade para Todos (Prouni), que também usa como base as notas do Enem para conceder bolsas de estudo integrais e parciais (de 50%) em cursos de graduação em instituições privadas. Outros 5.569 estudantes ingressarão em instituições particulares por meio de vestibulares.

Cursos mais procurados

Os cursos que dominaram as aprovações dos alunos nas instituições públicas e privadas foram Enfermagem (1.123), Administração (995), Fisioterapia (689), Pedagogia (588), Direito (569), Ciências Contábeis (554), Psicologia (482), Engenharia Civil (405), Matemática (381) e Nutrição (353).
A Secretaria da Educação do Ceará também verificou um aumento no ingresso dos estudantes em cursos com ampla concorrência nas universidades públicas. Em 2017, 25 estudantes vão cursar Medicina na Universidade Federal do Ceará (UFC). No ano passado, 10 haviam sido aprovados. Na UFC, o número de aprovados também cresceu em faculdades como Ciências da Computação (91), Engenharia da Computação (82), Engenharia Civil (61), Administração (63), Engenharia Elétrica (48) e Agronomia (48).

Fonte: G1/CE

Mais de 130 cidades do CE registram chuva nesta 6ª; Tururu tem 180 mm

Fortaleza chuvosa e nublada vista do Morro Santa Terezinha, no Mucuripe (Foto: Wânyffer Monteiro/TV Verdes Mares)O Ceará registrou chuva em pelo menos 132 cidades, no monitoramento de 7h da quinta-feira (2) até 7h desta sexta-feira (3). A maior foi em Tururu, com 180 milímetros. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) emitiu um alerta de que a precipitação do dia deve ser acompanhada de descargas elétricas, rajadas de vento e acumulados de precipitação pontuais.
Já a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos  (Funceme) divulgou que, apesar de existir tendência de precipitações entre moderadas e intensas para esta sexta-feira, "não há motivos para pânico".
As outras maiores precipitações do dia foram em Beberibe (148 mm), Fortim (144 mm), Cascavel (112 mm), Horizonte (98 mm), Barroquinha (95,2 mm), Aracati (92,8 mm), Aracati (91 mm), Itaitinga (90,5 mm) e Ocara (85 mm).
Em Fortaleza, a chuva é registrada em diferentes regiões da cidade. A Defesa Civil Municipal informou que vai emitir um boletim preliminar ao meio-dia sobre as ocorrências atenidades nesta manhã. Disse ainda que está com 10 equipes de plantão nesta sexta, para trabalhos de prevenção, monitoramento e atendimento. A população pode acionar pelo 190, para ocorrências de alagamento de via, de residência, desabamento, entre outros.

Fonte: G1/CE

31% das prefeituras do Ceará não cumpriram limites de gastos, diz TCM

Cidades revogam decreto de emergência após saberem que serão fiscalizadas  (Foto: TCM/Divulgação)Cinquenta e oito prefeituras do Ceará descumpriram o limite de despesas com pessoal nos três quadrimestres de 2016 determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Com isso, ficam impedidas de receber transferências voluntárias da União e do Estado, obter garantia desses mesmos entes em operações de crédito ou mesmo contratar o empréstimo (exceto aqueles destinados ao refinanciamento da dívida mobiliária e os que visem à redução das despesas com pessoal). Veja a relação das prefeituras com contas irregulares.
De acordo com LRF, o gasto com pessoal não deve ultrapassar 54% da Receita Corrente Líquida (RCL) e, quando excedido, precisa ser restabelecido no prazo de dois quadrimestres seguintes ao que ocorreu o excesso.
Os prefeitos estão sujeitos, ainda, ao pagamento de multa após processo no Tribunal de Contas do Ceará (TCM) no valor de 30% da remuneração anual. Outras 31 gestões terminaram o ano com índices acima de 48,6%, situação que exige alerta, segundo o Tribunal. O levantamento foi realizado pelo TCM.
Agora, para voltar ao patamar permitido, abaixo de 54%, as prefeituras acima do teto devem adotar procedimentos como redução em, pelo menos, 20% das despesas com cargos em comissão e funções de confiança e exoneração de servidores não estáveis.
A análise do TCM também aponta que 45 municípios finalizaram 2016 com percentuais abaixo do máximo mas acima de 51,3%. Estas, assim como as que ficaram acima dos 54%, ficam vedadas, por exemplo, de conceder aumento de remuneração, contratar pessoal e horas extras, com algumas exceções previstas na Lei Fiscal.
De acordo com o conselheiro Domingos Aguiar, presidente do TCM, o monitoramento do limite de gastos com pessoal é permanente, a partir do recebimento dos relatórios de gestão fiscal (RGF), e faz parte de uma série de ações que o Tribunal tem realizado sobre o controle dos gastos públicos municipais.
“Constatamos que no primeiro quadrimestre de 2016, 60,33% municípios tinham desobedecido ao limite estipulado pela LRF. Esse total passou para 39,67% no terceiro quadrimestre do mesmo ano. Cabe ao TCM alertar os órgãos públicos sobre os limites da despesa e acompanhar a redução, o que continuará sendo feito já que outros 76 municípios, terminaram 2016 muito próximos de atingir o limite máximo.”

Fonte: G1/CE

'Não há motivos para pânico', diz Funceme sobre alerta de chuva no CE

Ceará recebeu boas chuvas neste sábado de Carnaval. Em Viçosa do Ceará o tempo está nublado (Foto: Tadeu Feitosa/Arquivo Pessoal)A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) divulgou que, apesar de existir tendência de precipitações entre moderadas e intensas para esta sexta-feira (3), "não há motivos para pânico". O comunicado foi emitido após o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) emitir um alerta de que a precipitação do dia deve ser acompanhada de descargas elétricas, rajadas de vento e acumulados de precipitação pontuais.
Para a Funceme, entretanto, o alerta passa corretamente uma preocupação para as equipes de defesa civil. A expectativa, segundo órgãos nacionais de meteorologia, é de chuvas intensas em algumas regiões do Ceará, com possibilidade de rajadas fortes de vento, raios e trovões na madrugada e durante todo o dia dessa sexta-feira.
Os meteorologistas da Funceme esclarecem que as chuvas previstas deverão ocorrer como normalmente se observa durante a quadra chuvosa no Ceará, quando há nuvens mais desenvolvidas, consequência da atuação direta da Zona de Convergência Intertropical  (ZCIT).
Ainda conforme a Funceme, março é o mês de média pluviométrica mais elevada no Ceará. "Dessa forma, é comum serem observados eventos de chuva intensa, com rajadas fortes de vento, raios e trovões. Neste ano de 2017, algumas regiões cearenses já  receberam precipitações intensas como as previstas para esta sexta-feira", disse.

Alerta

O alerta do Inpe tem validade para 124 cidades e localidades, inclusive Fortaleza. Conforme o instituto há risco considerável para ocorrência de fenômeno meteorológico adverso dentro das próximas 120 horas no estado.
A Defesa Civil, após o boletim, orientou que em situações de alto risco de desastres, deve ser acionado do Plano de Contingência Municipal para a verificação in loco das áreas potencialmente atingidas, a solicitação de apoio dos órgãos locais correlatos, a preparação de abrigos temporários e das rotas de fuga e de outras medidas previstas e necessárias.

Fonte: G1/CE