Buscar

25 setembro 2017

Servidores de Ipaumirim param atividades; prefeitura diz que pagamento será realizado 'se houver uma boa surpresa'

Ofício enviado pela Secretaria de Administração de Ipaumirim a servidores paralisados (Foto: Arquivo Pessoal)
Servidores públicos de Ipaumirim, município no Centro-Sul do Ceará, paralisaram as atividades desde o início desta semana, em protesto pelo atraso dos salários de agosto. Nesta quarta-feira (20), eles acamparam e dormiram na prefeitura do município. Em resposta à paralisação, a Secretaria Municipal de Administração de Ipaumirim enviou ofício afirmando que “se houver uma boa surpresa”, o pagamento integral dos profissionais será realizado.
De acordo com a servidora da saúde do município, Geísa Maria de Sousa, os salários do mês de agosto da maioria dos servidores da Educação, Saúde, Agricultura, e outras áreas, todos concursados efetivos, está atrasado. A administração do município justifica a situação alegando que o recurso enviado pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) não é suficiente para garantir os vencimentos.
Em comunicado oficial, assinado pela titular da Secretaria de Administração, Jucieuma Gouveia Correia, ela afirma que não é possível garantir o pagamento de todos os servidores, já que “o recurso que entrará no dia 29/09/2017 é inferior à dívida total referente aos pagamentos”. “Lembramos que no dia 30 ainda há o compromisso com os 50% restantes das férias dos professores, o que sobrecarrega ainda mais a dívida do município. Assim, se houver uma boa surpresa, vindo recursos além de nossas expectativas, pagaremos de forma integral a todos que ainda não receberam”, diz o ofício.
Em nota enviada ao G1, a prefeitura disse que está tomando ''todas a providências para regularizar os pagamentos dos servidores dos quais já foram pagos aproximadamente 50% da Folha, assim como 50% do terço de férias dos professores em que está previsto o restante do pagamento para o próximo dia 30 ( sobre o terço de férias dos professores, 60% foi parcelado em 2 vezes e os 40% restantes da educação já foram pagos de forma integral)". A adminstração diz ainda que a atual gestão sofre muito com a crise financeira que atinge o país e que precisou arcar com os débitos da gestão passada.

Fonte: G1 CE

Nenhum comentário:

Postar um comentário