Buscar

30 novembro 2016

Escolaridade maior já não garante emprego e bom salário

Escolaridade maior j no garante emprego e bom salrioMesmo as pessoas com mais estudo têm encontrado dificuldade para conseguir emprego, revela a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Em 2015, 13,6% da população tinha ensino superior completo, nível 0,4 ponto percentual maior em relação ao ano anterior. No entanto, a taxa de desemprego entre as pessoas com 18 a 24 anos — faixa etária em que muitos concluem a graduação — ficou em 21,3%, acima do observado em 2014.
O mesmo movimento aconteceu entre pessoas com ensino médio completo, que eram 26,4% da população. A taxa de desocupação entre jovens com 15 a 17 anos subiu para 32,5%.
Os números refletem uma realidade preocupante, na visão de especialistas: muitas pessoas estão concluindo a graduação sem perspectiva de emprego. Luana Ribeiro, 25 anos, faz parte do “exército” de diplomados que, devido à crise, não conseguem se inserir no mercado de trabalho. Formada em comunicação em dezembro de 2014, quando tinha 23 anos, até hoje ela não conseguiu uma vaga na área.
No fim de 2015, depois de um ano de procura, Luana resolveu aceitar uma função de nível médio, como atendente de telemarketing, na qual calcula ganhar 40% a menos do que se trabalhasse na área em que é diplomada. A situação é bem diferente da expectativa que tinha ao entrar na faculdade, em 2011. “Na época, os colegas que se formavam conseguiam trabalho facilmente. Por isso, achei que seria tranquilo, que eu já sairia empregada”, lembrou.
Quando concluiu o curso, quatro anos depois, a decepção veio não apenas para ela, mas para grande parte dos colegas. “Ninguém estava contratando. Pelo contrário, as empresas estavam demitindo.”
Limbo profissional
A consequência do desperdício de mão de obra qualificada é uma redução na produtividade do país, alertou o especialista em mercado de trabalho Rodolfo Peres Torelly, ex-diretor do Departamento de Emprego do Ministério do Trabalho. “Essas pessoas estão saindo da faculdade muito preparadas e poderiam influir fortemente na produtividade, que já é muito baixa no país.
Esse é, inclusive, um dos grandes problemas que enfrentamos hoje em dia”, afirmou. Ele descreve o cenário mostrado pelo IBGE como de “luto social”.

Vivo foi condenada ao pagamento de R$ 15.000,00 por danos morais por chamar "chata maior de todas"

Publicado por Rodrigo M. V. do Amaral
Uma cliente, insatisfeita com o serviço prestado pela Vivo, ligou para a central de relacionamento para tentar resolver um problema.
Após o longo telefonema, a cliente entrou em seu perfil on-line da Vivo, para verificar se o problema havia sido resolvido. Foi quando a cliente se surpreendeu com os seguintes dizeres:
"bom dia, Chata maior de todas"
Vivo indenizar cliente chamada de chata maior de todas
Inconformada, a cliente ingressou com uma ação de indenização por danos morais, que tramitou perante a 9ª Vara Cível do Foro Regional de Santana (SP) sob o nº 1003299-09.2016.8.26.0001.
Em sua peça de contestação, a Vivo se limitou a alegar que tal conduta não seria capaz de causar um dano moral, tendo em vista que ficou restrito ao conhecimento da cliente.
Note que a Vivo não negou o ato de seu funcionário, mas tão somente defendeu que tal ato não seria capaz de gerar dano moral por não ser de conhecimento de terceiros.
A Vivo foi condenada ao pagamento de R$ 15.000,00 em primeira instância. Decisão que foi mantida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.
Fonte: JUSBRASIL

ARATUBA - Mulher é presa por suspeita de matar filhos, marido e sogro

DSAARATUBA - Quatro mortes em cinco anos, no mesmo núcleo familiar, sem causas aparentes, levantaram suspeitas na pacata comunidade do Mundo Novo, zona rural de Aratuba, a cerca de 110 km de distância da Capital. O estranhamento foi levado à promotoria de Justiça da Comarca do Município, que iniciou a investigação do caso e suspeitou da culpa de uma mulher pelos falecimentos de dois filhos, do marido e do sogro. Ela foi detida por força de um mandado de prisão temporária na última quinta-feira (24), em Canindé.
As mortes aconteceram entre os anos de 2009 e 2014. Entretanto, apenas a última vítima, uma menina de apenas 2 anos de idade, teve o corpo periciado na Perícia Forense do Ceará (Pefoce), que apontou envenenamento por rodenticida (produto ilegal conhecido popularmente como 'chumbinho') como a causa do falecimento. "Nada indica que a menina tenha sido envenenada de forma acidental", avaliou a promotora responsável pela investigação inicial do caso, Camila Frota Furlan.
De acordo com Camila Furlan, uma pessoa procurou a promotoria de Justiça, neste ano, levantando a possibilidade dos óbitos na família em questão não terem sido por causas naturais. "Quatro pessoas vindo a óbito dentro de cinco anos, sendo que elas estavam saudáveis, é realmente muito estranho", concordou a representante do Ministério Público do Ceará (MPCE).
Diante do inusitado, a promotoria iniciou a investigação do caso. A mulher, que negou a autoria das mortes, e familiares e vizinhos foram ouvidos durante a investigação. De acordo com promotora, os depoimentos indicaram que as vítimas anteriores à menina apresentaram sintomas semelhantes à ela pouco antes de morrerem e que as fatalidades surpreenderam a população do Distrito de Mundo Novo. 
Os corpos do sogro, do outro filho, que na época também tinha dois anos, e do marido da mulher presa, que morreram nessa sequência, não foram periciados, sendo encaminhados diretamente ao Sistema de Verificação de Óbito (SVO).
Ainda conforme a representante do MPCE, a menina morta em 2014 já havia sofrido um envenenamento no ano de 2013, precisando ser transferida de Aratuba para o Hospital Albert Sabin, especialista no cuidado de crianças, em Fortaleza.

Inquérito 

Com as provas colhidas, a promotoria de justiça solicitou à Polícia Civil a abertura de um inquérito para investigar a suspeita pelas quatro mortes. A Delegacia Municipal de Guaramiranga, responsável pelo município onde aconteceu o caso, realizou oitivas e chegou à conclusão que a mulher deveria ser presa temporariamente até o término da investigação. O mandado de prisão teve o parecer positivo do MPCE e foi acatado pelo juiz da Comarca de Aratuba.
Na última quinta-feira (24), policiais militares cumpriram a ordem da Justiça e realizaram a detenção da suspeita no município de Canindé, onde ela estava morando. A prisão para onde a mulher foi levada não foi informada. Em nota emitida pela assessoria de comunicação, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou que a mulher foi capturada por existir suspeitas de que ela seja a autora dos quatro delitos, com indícios de que as pessoas tenham sido assassinadas com veneno. Ela não tinha antecedentes criminais. 

Fonte: DN

JN tem salva de palmas em homenagem às vítimas da queda do avião da Chapecoense

O Jornal Nacional (JN) encerrou a edição desta terça-feira, 29, com uma homenagem às vítimas da queda do avião da Chapecoense. Ao lado de Heraldo Pereira e Giuliana Morrone, Galvão Bueno puxou a salva de palmas no fim do noticiário, com a presença de um grupo grande de jornalistas na redação do JN.
"Todos nós sabemos como esporte provoca emoção e paixão. Os atletas serão sempre protagonistas de histórias inesquecíveis. Mas quem leva a você a emoção que o futebol provoca são os jornalistas das televisões, das rádios, dos impressos e da internet", disse o narrador. E continuou: "É simbólico e muito triste que seja esse acidente a nos lembrar de forma explícita essa ligação. Só nos resta, então, uma última homenagem aos jogadores, à comissão, e aos jornalistas de todos os veículos que nos deixaram hoje tragicamente".
A queda do avião próximo da cidade colombiana Medellín matou 71 pessoas, entre jogadores e comissão técnica da Chapecoense, membros da tripulação e jornalistas. Três jogadores, um jornalista e dois comissários de bordo.

Fonte: O POVO

Papa manda mensagem ao Brasil por tragédia da Chapecoense

Imagem relacionadapapa Francisco enviou hoje (30) uma mensagem ao povo brasileiro por conta do desastre aéreo com o avião da Chapecoense durante sua audiência geral, na praça São Pedro, no Vaticano. O acidente, ocorrido nos arredores de Medellín, na Colômbia, onde a equipe catarinense disputaria a final da Copa Sul-Americana, deixou 71 mortos, incluindo 19 jogadores.
"Gostaria de lembrar hoje a dor do povo brasileiro pela tragédia com um clube local e rezar pelos jogadores mortos e suas famílias", disse o líder da Igreja Católica.
Além disso, o Pontífice comparou a tragédia da Chapecoense com o desastre que matou todo o elenco do Torino em 1949, quando um avião com a delegação da equipe italiana se chocou contra a Basílica de Superga, em Turim. Na ocasião, 31 pessoas faleceram. "Recordemos Superga. São tragédias duras, rezemos por elas", acrescentou o Papa.
Ontem (29), Francisco já havia enviado uma mensagem de condolências ao bispo da diocese colombiana de Sonsón Rionegro, Fidel León Cadavid Marín.
"O Santo Padre, profundamente atingido ao saber da dolorosa notícia do grave acidente aéreo que ocasionou numerosas vítimas, eleva orações para o eterno descanso dos falecidos", diz a nota enviada à Conferência Episcopal da Colômbia.
A delegação da Chapecoense viajava em um avião da empresa Lamia, surgida na Venezuela, mas que agora é baseada na Bolívia. As causas da tragédia estão sendo investigadas, mas suspeita-se de pane seca ou elétrica.
Em sua trajetória rumo à final da Sul-Americana, o "Verdão do Oeste" havia eliminado inclusive o San Lorenzo, time de coração de Jorge Bergoglio.

Durante a madrugada, deputados modificam pacote anticorrupção

Resultado de imagem para camara dos deputadosEm uma votação que varou a madrugada desta quarta-feira, 30, o plenário da Câmara aprovou uma série de mudanças no pacote de medidas contra corrupção proposto pelo Ministério Público Federal. Para o relator do projeto, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), o pacote foi completamente desconfigurado.
Apesar de terem desistido de incluir no pacote a anistia à prática do caixa 2, os deputados incluíram medidas polêmicas e retiraram do textos propostas consideradas essenciais do projeto. O projeto seguirá agora para a apreciação do Senado.
"O objetivo inicial do pacote era combater a impunidade, mas isso não vai acontecer porque as principais ferramentas foram afastadas. O combate à corrupção vai ficar fragilizado e, com um agravante, que foi a essa intimidação dos investigadores", disse o relator.
Ao final da votação, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu o resultado e disse que se tratou de uma decisão "democrática do plenário". "Mesmo que não tenha sido o que alguns esperavam, isso foi o que a maioria decidiu", disse.
Desde que o projeto foi votado na comissão especial na semana passada, líderes partidários não esconderam o descontentamento com o relatório elaborado por Lorenzoni. Segundo os parlamentares, o projeto contemplava apenas os interesses do Ministério Público.
Na madrugada desta quarta, o chamado texto-base do projeto foi aprovado praticamente por unanimidade, mas depois disso diversas modificações no projeto foram aprovadas. A primeira delas foi a inclusão no pacote da previsão de punir por crime de abuso de autoridade magistrados, procuradores e promotores. A emenda, que obteve o apoio de 313 deputados, foi vista como uma retaliação por membros da força-tarefa da Operação Lava Jato. Muitos dos que votaram a favor da medida são investigados por conta do esquema de corrupção da Petrobras.
Os deputados também incluíram a possibilidade de punir policiais, magistrados e integrantes do MP de todas as instâncias que violarem o direito ou prerrogativas de advogados. A emenda foi patrocinada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Entre as medidas que foram retiradas do texto está a criação da figura do "reportante do bem", que era uma espécie de delator que não havia participado do esquema de corrupção, mas que contaria tudo o que sabia e seria premiado com até 20% dos valores que fossem recuperados.
Os deputados também retiraram do pacote a previsão de dar mais poder ao Ministério Público em acordos de leniência com pessoas físicas e jurídicas em atos de corrupção.
A Câmara derrubou ainda a responsabilização dos partidos políticos e dirigentes partidário por atos cometidos por políticos filiados às siglas. Outra medida suprimida foi a tipificação do crime de enriquecimento ilícito e das regras que facilitavam o confisco de bens provenientes de corrupção.
Do texto original enviado pelo Ministério Público Federal, foram mantidos no pacote apenas a criminalização do caixa 2 de campanha eleitoral, o aumento de punição para crime de corrupção (com crime hediondo a partir de 10 mil salários mínimos), a transparência para tribunais na divulgação de dados processuais, limitação de recursos para protelação de processos e ação popular, este último incluído pelo relator no pacote.

Fonte: O POVO

Selo de Organização Cidadã torna o SINDIARA uma referência estadual

O SINDIARA É A ÚNICA ENTIDADE SINDICAL DO MACIÇO DE BATURITÉ CONTEMPLADA COM  ESTE SELO EM 2016.
O Hemoce sempre contou com a parceria valiosa de organizações cearenses que se importam e fazem a diferença social no que se refere a doação de sangue. Estas organizações não só promovem esta ação, mas assumem oficialmente seu compromisso através da assinatura do convênio “Organização Cidadã”, no qual se comprometem a realizar duas campanhas de doação de sangue por ano.
Na Semana do Doador, o Hemoce contou com uma programação especial em todas as suas unidades e, na sexta-feira (25), homenageou os doadores. Um dos agraciados da solenidade ocorrida na sede do Hemoce foi o sindicalista Joerly Vítor que compareceu a solenidade acompanhado do seu vice professor Bernardo, a secretária de finanças do SINDIARA Camila Lima e da redação do Aratuba Online. “Esta homenagem se estende para todos filiados a nossa entidade e ao povo de Aratuba, que sempre atendem nosso apelo e comparecerem nas campanhas para doarem vida.”, discursou.
Joely que é presidente do SINDIARA recebeu o Troféu “Organização Cidadã” dado às entidades que se dedicam a estimular a doação voluntária. Além dele, recebeu a homenagem o senhor Raimundo Helder de Sousa Bandeira do Instituto Federal do Ceará (IFCE) – Campus. Hoje o SINDIARA tem reconhecimento estadual e já é a maior referência no Maciço de Baturité na defesa dos direitos e seus filiados e na atuação social junto à comunidade local.
Além das homenagens, a programação incluiu apresentações da Camerata de Violões do Liceu do Conjunto Ceará e do Coral Vozes da UECE, composto por funcionários e alunos da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Na recepção do doador, também se apresentaram a banda da Polícia Militar Major Xavier Torres a humorista Madame Mastrogilda.O Sindiara no ano de 2016 realizou duas campanhas de doação de sangue, nos meses de janeiro e setembro. Ao todo, foram realizados 307 cadastros de candidatos a doação, sendo considerados aptos a doação 209 pessoas, e foram ainda realizados 22 cadastros de medula óssea.