Buscar

18 novembro 2016

Ministra do TSE determina retorno de Garotinho a hospital

Anthony Garotinho é transferido de hospital para presídio em Bangu no Rio (Foto: Alexandre Cassiano/Agência O Globo)A ministra Luciana Lóssio, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta sexta-feira (18) a transferência do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho para um hospital. A decisão é liminar (provisória) e será levada à apreciação do plenário do TSE na próxima sessão da Corte.
A ministra também determinou que, após o prazo necessário para a conclusão dos exames e procedimentos médicos indicados pela equipe, o ex-governador fique preso em regime domiciliar.
O ex-governador foi preso pela Polícia Federal sob a acusação de usar programas sociais para comprar votos. Após a prisão, ele ficou sozinho em um quarto no hospital desde a última quarta-feira (16), quando chegou ao local após ter sido preso pela Polícia Federal e ter passado mal. Ele foi submetido a exames que mostraram alterações cardíacas e a equipe médica indicou que ele passasse por um cateterismo.
Na noite desta quinta (17), Garotinho foi transferido do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio, onde ele não poderá receber o tratamento médico que foi indicado para seu quadro cardíaco.
A decisão de transferir o político foi do juiz Glaucenir Silva de Oliveira, de Campos de Goytacazes, que alegou suspeitas de que o ex-governador tenha recebido tratamento privilegiado na unidade pública.
Glaucenir afirmou ter chegado ao seu conhecimento que “Anthony Garotinho estava recebendo diversas regalias no Hospital Souza Aguiar” e que “nenhum preso por ordem judicial pode ter direito a qualquer regalia ou tratamento diferenciado, seja em unidade prisional ou hospitalar”.
Na decisão desta sexta, a ministra afirma que não cabe ao juiz avaliar o quadro clínico do ex-governador. Ela diz ainda que o juiz procedeu sem qualquer embasamento técnico-pericial por parte da equipe médica que acompanhava o quadro de saúde de Garotinho.
"Atitude, a meu ver, em tudo temerária, ante o risco de grave à integridade física do custodiado", diz a ministra na decisão.
Ela ainda destaca que o juiz Glaucenir de Oliveira afirmou, no despacho em que ordenou a transferência de Garotinho para o Complexo Penitenciário, que recebeu notícias de supostas regalias.
Para Luciana Lóssio, não é "minimamente razoável" que uma decisão judicial, que poderia trazer graves consequências à saúde do ex-governador, seja tomada por "notícias de supostas regalias, em relação às quais não se indicou nada de concreto".
Ela observa na decisão que, caso o ex-governador opte por ser transferido para um hospital particular, os custos da permanência deverão ser pagos por ele.
"A fim de assegurar o adequado e necessário acompanhamento médico, determino à autoridade policial a imediata remoção do ora paciente, Anthony William Garotinho Matheus de Oliveira, para hospital - podendo ser na rede privada, desde que por ele custeado - o qual
deverá estar apto à realização dos exames indicados no relatório médico", decide a ministra.
Ao final do despacho, a ministra Luciana Lóssio afirmou que Garotinho deve permanecer sob custódia enquanto houver necessidade devidamente atestada pelo corpo clínico. Ela autoriza ainda que a família de Garotinho e seus advogados possam visitá-lo no local, ficando proibida a utilização de celular.

Fonte: G1

URGENTE - Ministro da Cultura, Marcelo Calero pede demissão do governo

O Ministro da Cultura Marcelo Calero em audiência pública para esclarecimentos sobre fatos relacionados ao objeto de investigação da CPI da RouanetO ministro da Cultura, Marcelo Calero, pediu demissão do cargo nesta sexta-­feira (18).
Segundo a Folha apurou junto a integrantes do Palácio do Planalto, o titular da pasta vinha apresentando divergências com membros do governo.
Procurado, o ministro não foi localizado. A assessoria de imprensa do ministério ainda não se posicionou.

Menina de 14 anos engravida depois de abusos do padrasto, diz mãe

Jovem está no 6° mês de gestação de uma menina  (Foto: Arquivo pessoal)Uma mãe registrou um boletim de ocorrência depois de descobrir que a filha de 14 anos estava grávida de seis meses em Votorantim (SP). Segundo a mulher, a garota era abusada pelo companheiro dela, de 46 anos. Em entrevista ao G1, ela afirmou que o crime acontecia na casa da família. A polícia investiga o caso.
O abuso só foi descoberto depois que a barriga da menina começou a crescer e ela ficou inchada. Ainda segundo a mãe da menina, foram seis anos sofrendo abusos calada por medo do padrasto, que era violento com a esposa, conforme a jovem relatou à polícia. Além de ameaçá-la, a enteada afirmou em depoimento que o suspeito ficava nervoso quando a via conversando com meninos, tirava seu celular e a agredia.
"Ele destruiu a vida da minha filha e a minha. A dele também", disse a mãe da jovem, ainda abalada com tudo o que aconteceu e preferiu não ser identificada. 
A mãe da jovem, que está desempregada, conta que conheceu o marido em uma igreja e não imaginava que ele fizesse mal às filhas. A mais velha, que tem 16 anos, afirmou que não sofreu nenhuma violência ao longo dos sete anos de casamento da mulher com o suspeito.
"Nunca percebi nada. Minha filha [de 14 anos] disse que ele ia ao quarto dela quando eu saía ou de manhã, depois que a irmã ia para a escola. Como o meu quarto ficava longe e tenho sono pesado, não passava pela minha cabeça. Ele fazia ela ficar quieta, falava que ia me matar se contasse. Por ela ser mais tímida, ele se aproveitou disso", lamenta a mulher.
Depois de registrar o boletim de ocorrência, a mãe da jovem disse que encontrou o suspeito somente uma vez, quando foi buscar as roupas na casa em que moravam. O homem teria proposto à esposa que fugissem da cidade "para abafar o caso". Além disso, ela afirma que o marido pediu para não registrar boletim de ocorrência e propôs continuar pagando as despesas dela e das meninas. "Saí nervosa e ele confessou para mim que foi ele."
Gravidez de risco
A gestação foi confirmada durante uma consulta particular, já que o exame de sangue pedido em uma unidade básica de saúde foi marcado somente para o dia 30 de novembro. Preocupada com o crescimento da barriga da filha, a mulher pediu dinheiro ao então marido para levar a adolescente ao médico. 
"Quando o médico falou que ela estava gestante caiu o meu chão na hora. Ela começou a vomitar de nervosa e teve que contar o que aconteceu. Eu tinha perguntado se ela aprontou, mas ela negou, não falou nada. Achei que fosse algum problema hormonal, como eu já tive e fiquei inchada", diz a mãe.
Em outros dois episódios anteriores a menina teve enjoos e foi levada a um pronto-atendimento, mas a mãe acreditou ser virose. Pela idade da jovem a gravidez é de risco e o pré-natal vai começar no fim do mês; a família já descobriu o sexo do bebê. A menina receberá o nome de Isabela, que significa consagrada a Deus.
Fonte: G1

Inep deve divulgar locais de prova da segunda aplicação do Enem na terça-feira

Os estudantes que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos dias 3 e 4 de dezembro saberão os locais de prova na semana que vem, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A intenção é que a informação sobre os locais seja divulgada na próxima terça-feira (22).
Os 271.033 candidatos que tiveram a prova adiada poderão consultar os novos locais na internet, na página do Participante e também no aplicativo do Enem, nas plataformas Android, iOS e Windows Phone.
Saiba Mais
Adiamento parcial do Enem desagrada a candidatos em Belo Horizonte
Enem 2016 termina com 30% de abstenção, MEC considera índice dentro do normal
O Enem foi aplicado nos dias 5 e 6 de novembro para 5,8 milhões de candidatos. Devido a ocupações de escolas, universidades e institutos federais, o Ministério da Educação (MEC) adiou o exame para um grupo de estudantes que faria a prova em 405 locais de diferentes estados. Esses estudantes receberam um aviso do Inep por mensagem no celular e e-mail.

As ocupações ocorrem em diversos estados do país. Estudantes do ensino médio, superior e educação profissional têm buscado pressionar o governo por meio do movimento. Os alunos são contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55 que limita os gastos do governo federal pelos próximos 20 anos, a chamada PEC do Teto. Eles também criticam a reforma do ensino médio, proposta pela Medida Provisória (MP) 746/2016, enviada ao Congresso.
Os locais de prova serão todos alterados. Segundo o instituto, os novos locais terão o padrão necessário para a aplicação das provas e não correrão o risco de serem ocupados até a realização do exame.
As provas serão diferentes daquelas aplicadas no início do mês, mas manterão o mesmo nível de dificuldade, o que, de acordo com o Inep, garantirá a isonomia entre os candidatos. O resultado do Enem será divulgado para todos os participantes no dia 19 de janeiro.
Fonte: Ceará Agora

Filha de Garotinho diz que transferir paciente sem condições é 'desumano'

Anthony Garotinho é transferido de hospital para presídio em Bangu no Rio (Foto: Alexandre Cassiano/Agência O Globo)
A filha do ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, Clarissa Garotinho, disse que é desumano que seu pai seja transferido do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio, onde ele não poderá receber o tratamento médico que foi indicado para seu quadro cardíaco. A saída de Garotinho do hospital foi marcada pela resistência do ex-governador e choro da filha.
Na noite de quinta-feira (17), o Juiz Glaucenir Silva do Oliveira, de Campos de Goytacazes, decidiu pela transferência, por conta de suspeitas de que o ex-governador tenha recebido tratamento privilegiado na unidade pública. Glaucenir afirmou ter chegado ao seu conhecimento que “Anthony Garotinho estava recebendo diversas regalias no Hospital Souza Aguiar” e que “nenhum preso por ordem judicial pode ter direito a qualquer regalia ou tratamento diferenciado, seja em unidade prisional ou hospitalar”. A família desmentiu os favorecimentos.
O ex-governador ficou sozinho em um quarto no hospital desde a última quarta-feira (16), quando chegou ao local. Ele passou por exames que mostraram alterações cardíacas e a equipe médica indicou que ele passasse por um cateterismo e continuasse internado até ser transferido para o Instituto de Cardiologia Aloysio de Castro, no Humaitá, na próxima segunda-feira, quando haveria vaga no local.
Anthony Garotinho é transferido de hospital para presídio em Bangu no Rio (Foto: Alexandre Cassiano/Agência O Globo)
A família rebateu a decisão do juiz e afirmou que a UPA do Complexo de Bangu não tem unidade coronariana e que, assim, não tem condições de receber um paciente com problemas cardíacos.
“Quer dizer que você tem um paciente médico com um laudo do hospital Souza Aguiar, dizendo que precisa de uma transferência pra um lugar em que ele não pode ser atendido pra ter uma ambulância pra sair correndo caso ele precise, não queremos privilégio nenhum, nós queremos que ele tenha toda a assistência médica que ele tem direito. Inclusive telefonei agora há pouco para o deputado Marcelo Freixo, presidente de direitos humanos da Alerj, que também considerou essa decisão absurda. Não é questão de descumprir uma ordem judicial, todas as ordens judiciais estão sendo cumpridas, é uma questão de que a justiça não pode ser desproporcional. Transferir um paciente pra um lugar onde ele não tem condições de ser atendido, isso é uma desumanidade”, afirmou a deputada Clarissa Garotinho, filha do ex-governador, que protagonizou uma cena de desespero ao ver o pai deixando o Hospital, enquanto chorava, afirmando que ele “não é bandido”.
A também ex-governadora Rosinha Garotinho, esposa de Garotinho, alegou que não houve nenhum benefício no tratamento dispensado a ele.“A regalia que disseram que eu estava tendo no hospital é dizer que eu estava dormindo dentro do CTI. As minhas testemunhas têm que ser os agentes federais que estavam lá dentro do CTI com ele. Eu passei a noite numa sala, quem estava dentro do CTI com ele eram os agentes federais. Então pergunte pra eles. Eu não dormi no CTI, eu só fiquei lá no hospital como todo mundo. Até mesmo porque ele é uma pessoa pública, ele estava em um quarto mais reservado pruma pessoa que precisa de mais privacidade”, disse ela.
A Secretaria Municipal de Saúde negou que tenha concedido privilégios a Garotinho durante seu tempo de internação e afirmou que a sala que ficou destinada à família dele foi designada dessa forma para não atrapalhar o funcionamento do hospital.Imagens veiculadas pelo "Jornal das Dez", da GloboNews, mostram o momento em que Garotinho é levado de maca para uma ambulância e se debate, parecendo estar bastante alterado.
Anthony Garotinho é transferido de hospital para presídio em Bangu no Rio (Foto: Alexandre Cassiano/Agência O Globo)Preso pela Polícia Federal na quarta-feira (16) sob a acusação de usar programas sociais para comprar votos, Garotinho estava internado no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro da cidade, por ter se sentido mal após ser preso.
Nesta quinta-feira, o juiz responsável pela prisão do político, Glaucemir de Oliveira, de Campos, Norte Fluminense, determinou sua transferência para Gericinó.
Exame marcado para segunda-feira
Garotinho foi levado para Gericinó apenas algumas horas depois de a Secretaria Municipal de Saúde do Rio informar que ele permaneceria internado no Souza Aguiar até segunda-feira (21), para fazer exame de cateterismo que investigaria se há obstrução em alguma artéria coronariana.
Após ser preso, o ex-governador se queixou de dores no peito e alteração na pressão arterial e em batimentos cardíacos. Ao ser submetido a um ecocardiograma de esforço, realizado na manhã desta quinta, ele se queixou de dor intensa, que sugere um quadro de angina, levando os médicos a recomendar o cateterismo, agendado para o Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (IECAC).
Garotinho chegou a pedir transferência para o Hospital da Unimed, na Barra da Tijuca, onde recebe tratamento cardíaco, mas não conseguiu. Segundo a SMS, a prefeitura deu autorização para a transferência, mas a Polícia Federal negou o pedido.

Fonte: G1

VLT colide com veículo em cruzamento da avenida Francisco Sá

Colisão entre VLT e carroUm acidente envolvendo um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) com uma picape aconteceu na avenida Francisco Sá com Tenente Lisboa, no bairro Carlito Pamplona (Regional I). A colisão ocorreu no inicio da tarde desta quinta-feira, 17.
Agentes da Autarquia de Trânsito e Cidadania de Fortaleza (AMC) e do Metrô de Fortaleza (Metrofor) foram ao local para averiguar as causas do acidente. A colisão causou apenas danos materiais. Segundo a assessoria da AMC, a picape avançou a cancela, que avisava a passagem do VLT. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada ao local para retirar o veículo, que ficou preso ao trem. 

No CE, presos queimam colchões e fazem rebelião na cadeia de Aracoiaba

15036194_721779851308517_7012211002995596599_n
Rebelião ocorreu às 17 horas desta quinta-feira. Ninguém ficou ferido. Onze detentos foram transferidos para um presídio na Região Metropolitana
Presos da cadeia pública de Aracoiaba, no Maciço de Baturité fizeram no fim da tarde desta quinta-feira (17) uma rebelião. De acordo com a Polícia Militar, os internos colocaram fogo nos colchões, quebraram os cadeados das celas e em seguida ficaram no pátio interno do presídio.
Reforços de policiais da PM e da Força Tática de Apoio (FTA) foram ao local e conseguiram controlar a confusão por volta das 22 horas. O Corpo de Bombeiros também compareceu e controlou as chamas provocadas pela queima dos colchões. Ninguém ficou ferido.
Após o tumulto controlado, onze detentos que participaram da rebelião foram transferidos para oum presídio na Região Metropolitana de Fortaleza.

Fonte: Do G1 CE