Buscar

15 novembro 2016

Vereador consegue emendas para o município de Aratuba

Antes mesmo de começar o trabalho legislativo, Valtembergue Viana de Freitas, o VAL DO CIMAR (PRB), não tem medido esforços na tentativa de alavancar recursos para o município. 
Na manhã desta sexta-feira (11), Val do Cimar acompanhado do Presidente do PRB de Aratuba, Joerly Vitor e de seu assessor João Paulo Freitas, esteve reunido com o Deputado Federal Ronaldo Martins solicitando a liberação de recursos para o desenvolvimento da cidade. Segundo o Vereador, as parcerias serão a sua ferramenta de trabalho para levar recursos e benfeitorias a todo o município de Aratuba.
Segundo informou Joerly Vitor, o encontro rendeu uma UTI MÓVEL, a liberação de recursos para recuperação de calçamentos e construção de sistemas simplificado para abastecimento de água. “Aqui também estou com muito prazer representando o Vereador Tota Barbosa e os Suplentes de Vereador Adriano Oliveira e Remir Medeiros, todos do PRB que por motivos de força maior não puderam comparecer a reunião”, disse Joerly. 
Segundo Val do Cimar, o Deputado Federal virá em meados de janeiro de 2017 em Aratuba para oficializar as emendas já asseguradas. 
"Fico muito feliz em poder contar com o apoio do meu amigo Joerly e de todos que querem o desenvolvimento de Aratuba, nossa meta prioritária é ajudar nossa Prefeita Tirica a governar com excelência e oferecer qualidade de vida para o nosso povo que tanto clamou por mudança. E sem essas parcerias, seria praticamente impossível um município pequeno como Aratuba reconstruir sua história e devolver a dignidade para seus munícipes. Não mediremos esforços para melhorar a cada dia a qualidade de vida de nossa população. Acredito que com a parceria entre os Poderes Executivo e Legislativo, a Prefeita Tirica fará a melhor administração que a nossa cidade já teve", finaliza o Vereador.

VAL DO CIMAR foi eleito com 679 votos válidos nas eleições de 2016, reafirma seu compromisso firmado com o município e disse que a Prefeita Tirica pode contar com seu apoio e seu trabalho no exercício do seu mandato.

Preço mínimo da gasolina cai para R$ 3,64 na Capital

dsaOs consumidores que abastecem nos postos da Avenida Silas Munguba, no bairro Serrinha, notaram mudanças nos preços dos combustíveis na última semana. No posto Passaré, por exemplo, o litro da gasolina, que custava R$ 3,69, passou a ser vendido a R$ 3,64.
Entretanto, a queda não está atribuída à redução no preço dos combustíveis repassados às refinarias anunciada na terça-feira (8) pela Petrobras, segundo a gestão do posto, onde o diesel custava, na tarde de ontem (14) R$ 3,19 e o etanol R$ 3,05. 
O combustível também estava mais barato no posto Guararapes, localizado na mesma Avenida. Lá, a mudança ocorreu há aproximadamente cinco dias. A gasolina estava custando R$ 3,67 o litro e baixou cerca de R$ 0,03, para R$ 3,64. Já o diesel teve uma redução um pouco maior: R$ 0,10, passando de R$ 3,17 para R$ 3,07 o litro. 
Além desses postos, outros três estabelecimentos foram visitados pela equipe de reportagem, nas Avenidas Pontes Vieira e Barão de Studart. Não houve redução nos preços em nenhum deles. Ainda assim, os menores valores para o etanol e diesel foram encontrados no Posto Bela Vista, no cruzamento entre a Avenida Barão de Studart e a Rua Júlio Siqueira, no bairro Joaquim Távora.
O etanol estava custando R$ 2,99 o litro, enquanto o diesel aditivado era vendido a R$ 3,06 (o posto não trabalha com diesel comum). A gasolina estava a R$ 3,67. Estes valores são os mesmos encontrados nos dois últimos levantamentos feitos pela reportagem, nos dias 11 e 9 deste mês. Na última semana, a Petrobras anunciou a segunda queda no preço dos combustíveis repassados às refinarias em menos de um mês. Caso a queda, de 10,4% no valor do diesel e de 3,1% no da gasolina for repassada integralmente até chegar ao consumidor, ele pode sentir um alívio de 6,6% ou R$ 0,20 centavos a menos no diesel e de 1,3% na gasolina, ou R$ 0,05 a menos por litro. Em um dos postos, a reclamação foi de que os novos valores ainda não começaram a ser repassados às distribuidoras. 

ANP 

Os valores vistos nos postos da Avenida Silas Munguba estão abaixo do preço mínimo registrado no último levantamento semanal da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Segundo a pesquisa, que compreende os dias 6 e 12 de novembro, o menor valor para a gasolina foi de R$ 3,65. O maior valor chegou a R$ 3,99. Já o menor preço para o etanol foi de R$ 2,95, enquanto o mais caro foi de R$ 3,29. Para o diesel, o litro mais barato foi visto custando R$ 3,06 e o mais caro foi encontrado a R$ 3,29.  

Incerteza 

O analista de sistemas Gladstone Castro diz que havia sentido, há cerca de 15 dias, redução no preço da gasolina - para R$ 3,69 nos postos que aceitam cartão e R$ 3,67 à vista. Agora, ele diz que aguarda por uma nova diminuição com as mudanças da Petrobras. "Eu ouvi falar que reduziram os preços na refinaria, mas a gente fica aguardando e o repasse e não chega. Então, ficamos naquela ansiedade de não saber se é melhor abastecer agora ou esperar para depois". 

Fonte: DN

Policiais civis encerram greve

Image-0-Artigo-2159866-1Policiais civis decidiram, ontem, encerrar a greve da categoria, que já durava 18 dias. A decisão ocorreu em assembleia que se estendeu por cerca de duas horas e foi realizada ao lado do Palácio da Abolição, no acampamento onde parte dos grevistas estava desde o dia 19 de outubro. As barracas e cadeiras foram retiradas da Avenida Barão de Studart pelo Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Ceará (Sinpol-CE). 
De acordo com o presidente do Sinpol-CE, Lucas Oliveira, a categoria decidiu encerrar a greve para tentar avançar nas negociações com o Governo do Estado. "A população estava sofrendo com a paralisação e o governo se mostrou intransigente e não abriu diálogo. Também havia a determinação judicial pelo fim da greve. Esperamos que agora com o fim do movimento as negociações avancem e a categoria consiga as melhorias pelas quais estamos lutando"
Os policiais civis já haviam entrado em greve em setembro e retornaram às atividades depois que o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) decretou a ilegalidade da paralisação e fixou multa para os diretores do Sindicato e demais policiais civis que continuassem sem trabalhar. Diante da decisão judicial, o movimento foi encerrado. 
No entanto, no dia 27 de outubro, em nova assembleia, inspetores e escrivães decidiram parar novamente. Um dia depois, a Justiça entendeu que a greve era a mesma e aumentou o valor da multa para os grevistas. Mesmo com a nova liminar, a categoria decidiu manter a paralisação e o acampamento no entorno do Palácio da Abolição. 
A administração da Polícia Civil denunciou os policiais em greve à Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) para apurar supostas transgressões disciplinares. 

Fonte: DN

MPF questiona Justiça por manter nota da prova de Redação do Enem

O Ministério Público Federal (MPF) questiona a decisão da Justiça que mantém válida a nota da Redação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano. O procurador da República Oscar Costa Filho ingressou com recurso no Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5), em Recife, pedindo a anulação da sentença. A solicitação foi encaminhada na última sexta-feira, 11.
LEIA TAMBÉM

O argumento do procurador, autor do recurso, é que a ação civil pública apreciada pela 4ª Vara da Justiça Federal no Ceará deveria ter sido remetida para a 8ª Vara, onde já tramitava pedido anterior do MPF relacionado ao Enem 2016. Para Oscar, o juiz José Vidal da Silva, que indeferiu o pedido de anulação da prova de Redação na última quarta-feira, 9, não tinha competência para apreciar a segunda ação. Segundo ele, “processos conexos” devem ser julgados juntos. “A lei diz que tem que ser mandado para o mesmo 
juiz”, reforça.

 
Batalha judicial
O procurador da República no Ceará já entrou com duas ações civis públicas na Justiça Federal relativas ao Enem em um intervalo de cinco dias.
Na primeira, Oscar Costa Filho pediu a suspensão do exame por “quebra da igualdade da aplicação”. Com a justificativa de que locais de prova estavam ocupados, o Ministério da Educação (MEC) decidiu dividir a aplicação do teste em dois períodos distintos, o que “quebra a isonomia do teste”, na avaliação do MPF.
Na segunda, o procurador pede o cancelamento da prova de Redação, sob a suspeita de que o tema tenha sido vazado. Um dos indícios estaria na prisão do ex-secretário de Alto Santo, Antônio Diego Lima Rodrigues, que estava com o texto pronto antes do início da prova. O procurador cita ainda a repetição do tema da Redação, que teria sido usado de maneira similar em uma prova falsa que circulou na Internet no ano passado.
Procurado, o MEC se limitou a dizer que o assunto é tratado pela Advocacia Geral da União (AGU). O órgão responsável pela defesa do caso diz que “já prepara a manifestação que apresentará em juízo”.
Ainda não há prazo para o recurso ser julgado no TRF-5. Por telefone, a instituição informou que o material já está com o desembargador federal convocado Ivan Lira de Carvalho.
Para entender
Dia 2/11. Ministério Público Federal no Ceará (MPF) protocola ação civil pública pedindo a suspensão do Enem 2016. O argumento era que a isonomia da prova é ferida com o adiamento da aplicação do exame para parte dos candidatos.
Dia 3/11. Justiça Federal do Ceará decide pela manutenção das provas no calendário previsto.
Dia 4/11. MPF entra com recurso. O procurador Oscar Costa Filho argumenta que não foi analisado o pedido alternativo, que previa a realização da prova e só depois o julgamento sobre a validade da nota da Redação.
Dia 7/11. Em nova ação civil pública, o procurador pede a nulidade da prova da Redação do Enem. O pedido ocorre após o ex-secretário da Saúde de Alto Santo ter tido, supostamente, acesso ao conteúdo da prova, como revelou operação da Polícia Federal. Outro argumento é de que o tema deste ano já teria sido divulgado em prova falsa em 2015.
Dia 9/11. Justiça desconsidera anular a prova de Redação. A 4ª Vara da Justiça Federal no Ceará contrapôs o argumento do MPF que diz que o tema da prova repetia o assunto da prova falsa.
Dia 11/11. Em recurso, o procurador Oscar Costa Filho pede a anulação da decisão da Justiça. Ele diz que o mérito deveria ter sido julgado na 8ª Vara, que já vinha acompanhando o caso, e não na 4ª Vara, de onde partiu a sentença.
Fonte: O POVO

Superlua leva centenas de pessoas aos espigões

Esta segunda se vestiu de domingo na Praia de Iracema. Centenas de pessoas se reuniram para assistir ao espetáculo da Superlua nos espigões. O movimento iniciou às 17h30. “Onde será que ela vai aparecer?”. Mirando o horizonte entre os prédios, no rumo do Mucuripe, todos se prepararam para ver o satélite, que prometia chegar bem perto da Terra. Casais enamorados, amigos, crianças, fotógrafos muito bem posicionados… Vinte minutos depois, a Lua não decepcionou: veio enorme, alaranjada, exibindo suas crateras. Ronaldo Cabral, 28, chegou mais cedo na expectativa de garantir o melhor clique. “Já vim outras três vezes, mas estão dizendo que essa lua é ainda maior que as outras. Todas as vezes é muito bonito e vale a pena fotografar”, considera o dentista. 
De acordo com a Nasa, nosso satélite chegaria 356.509 quilômetros da superfície terrestre, ou seja, 27.891 quilômetros mais perto do que o normal. O que deixou a Lua maior e muito mais brilhante do que o habitual, por a Terra estar mais próxima do Sol nesta época do ano. Ainda de acordo com a Nasa, mesmo esta segunda-feira tendo o ponto mais próximo, o fenômeno ainda poderá ser visto durante alguns dias. 

Quando a primeira parte arredondada começou a surgir atrás do moinho, assustou Caê, 7. Ao lado do amigo, Kanyn, 6, comparou: “Olha aquilo, parece uma amendoin gigante!”, riu-se. Os outros espectadores, deslumbrados, quebraram o protocolo e já aplaudiram no início. No espigão da Rui Barbosa, os olhares de contemplação dividiam-se entre o céu e tela de câmeras e smartphones. “Foi lindo.  O que mais chamou a minha atenção foi o brilho no mar”, afirmou Karina Miranda, 21, que esteve no local acompanhada de amigos. 
Embora Superluas sejam algo comum – ocorrendo geralmente a cada 14 meses –, o fenômeno desta segunda-feira não se repetirá até 2034. Foi o gosto pela astronomia que fez com que Raquel Cavalcante, 22, se preparasse um mês antes para ir ao local. Soube pela rede social e marcou na agenda. “Em 2034 estarei aqui de novo!”, garante. (Eduarda Talicy)
FONTE: O POVO