Buscar

28 abril 2016

Neto do Pai João quer redução de carga horária para servidores responsáveis por pessoas com deficiência.

O presidente do legislativo aratubense, Neto do Pai João, apresentou ao plenário requerimento de sua autoria com minuta de Projeto de Lei de Indicação que dispõe sobre a redução da carga horária de trabalho de servidor público municipal que seja responsável legal e cuide diretamente de pessoas com deficiência.
Para o legislador não se trata de oferecer benefício, mas sim condições mínimas para que os pais possam dar aos filhos ou outras pessoas de sua responsabilidade condições de fazer um tratamento eficaz. “Muitas vezes esse responsável não tem condições financeiras para contratar um profissional que acompanhe a pessoa com deficiência aos tratamentos necessários”, defendeu.
O vereador explica que o servidor que atende os requisitos legais, terá o direito assegurado em 25% (vinte e cinco por cento) da sua carga horária de trabalho, sem prejuízo na remuneração.
Neto garantiu que o projeto ampara diretamente o paciente com deficiência. Ainda de acordo com o autor o tratamento médico, psicológico, fisioterápico do paciente tem resultados bem melhores se forem acompanhados de perto por seus familiares. “Com a redução da carga horária o servidor poderá dar mais atenção aos filhos, conjugues com deficiência e o setor público não sofrerá prejuízos, pois são poucos os servidores que necessitam desta redução”, destacou.
Segundo Neto do Pai João, no Estado do Ceará já existem algumas cidades que este tipo de Lei já está em vigor, e os cofres públicos não sofrem nem um tipo de prejuízo em consequência das reduções de carga horária.
O requerimento do parlamentar foi aprovado por unanimidade e agora segue juntamente com a minuta de indicação do PL para apreciação do Poder Executivo. 

Buracos na BR 020 causa acidente com vítima fatal em Tauá

FOTO: BLOG DO WILRISMARNessa terça-feira (26/04) por volta do meio dia mais um acidente com vítima fatal foi registrado pela polícia na BR 020 em Tauá. O acidente ocorreu em uma ponte que liga dois bairros do município. De acordo com informações o motorista perdeu o controle do veículo devido os buracos e a situação precária da rodovia. A vítima trata-se do senhor Antônio Abdoral funcionário da prefeitura do município. O nosso correspondente Alverne Lacerda tem os maiores detalhes sobre este acidente.

Fonte: Ceará Agora

Ministro da Saúde entrega carta de demissão para Jaques Wagner

Marcelo CastroO ministro da Saúde, Marcelo Castro, entregou nesta quarta-feira 27, no Palácio do Planalto, a sua carta de demissão. “Minha situação estava muito delicada”, disse ele à reportagem, após lembrar que ficou “muito vulnerável e desprotegido, depois de todos os ministros do PMDB terem deixado seus cargos e da Câmara só restava eu”.
Na verdade, Castro é o quinto dos seis ministros do PMDB a entregar o cargo. Ainda resta a ministra da Agricultura, a senadora Kátia Abreu. A exoneração de Castro, “a pedido” será publicada no Diário Oficial desta quinta-feira, 28. Castro declarou ainda que “não tenha a menor dúvida de que apoiarei o governo dele (Michel Temer), que é o presidente do meu partido, com quem tenho muito boa relação”.
Marcelo Castro disse que não entregou a sua carta de demissão pessoalmente à presidente Dilma porque ela estava reunida, exatamente, com Kátia Abreu, discutindo o plano safra que será lançado na semana que vem. O emissário foi o ministro-chefe do Gabinete Pessoal da Presidente da República, Jaques Wagner, com que Castro já havia conversado na noite de terça-feira.
O encontro ocorreu pouco antes das 20 horas, e Jaques Wagner estava reunido com o ministro-chefe da Advocacia Geral da União, José Eduardo Cardozo. Os dois ajudaram a explicar a presidente Dilma sua situação. “Os dois argumentaram com a presidente as minhas razões”, contou o ministro.
Depois de lembrar que precisava deixar o cargo, após conversar com o líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), e apresentar o seu “desconforto” com a situação, Marcelo Castro justificou que era necessário sair porque é uma pessoa de partido. “Não tenha a menor dúvida (de que apoiarei o governo Temer)”. Eu sou presidente regional do PMDB no Piauí.
Sou fundador do partido e não tenho a menor pretensão de sair do meu partido. Eu fui indicado ministro pela bancada do PMDB, não pedi a ninguém e não tenho nenhuma divergência ou conflito com o PMDB”. Marcelo Castro lembrou ainda que Temer “sempre respeitou a sua posição, o que me dava uma certa gratificação”. E emendou: “ele (Temer) nunca me perguntou nada. Nunca conversei com ele sobre a situação. Ele compreende que eu não poderia ter outro comportamento a não ser o que tive”. Com a saída de Marcelo Castro, o secretário executivo da pasta, Agenor Álvares, assume o posto interinamente. Agora, serão seis os ministros interinos no governo.
Fonte: Ceará Agora