Buscar

03 janeiro 2016

Estudantes de Fortaleza lideram lista de aprovados no vestibular do ITA de 2016

Foto: Agência Diário
Foto: Agência Diário
Pelo quinto ano consecutivo, os estudantes de escolas de Fortaleza lideram a lista de aprovados no Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA). Dos 140 selecionados para o ano letivo de 2016, 61  são oriundos da Capital cearense. A lista foi divulgada nesta quarta-feira (30), no site do órgão.
Mais de 12,5 mil candidatos participaram da seleção para o próximo ano, que teve a nota de corte elevada de 63,7 para 66,3. Os estudantes cearenses foram aprovados para os cursos de Eletrônica, Civil-Aeronáutica, Mecânica-Aeronáutica, Computação, Aeronáutica, Aeroespacial.
No ranking das as cidades que mais aprovaram aparece Fortaleza com 61, São José dos Campos (SP), sede do Instituto com 39 alunos e o Rio de Janeiro (RJ), com oito, no total.
Fonte: VERDINHA

UFC ofertará mais de 6 mil vagas do Sisu 2016; inscrições começam em janeiro

Foto: Natinho Rodrigues/ Diário do Nordeste.
Foto: Natinho Rodrigues/ Diário do Nordeste.
As inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferta vagas para o ensino superior, iniciam dia 11 de janeiro e seguem até o dia 14, no site do Ministério da Educação (MEC). Na edição 2016 do Sisu, a Universidade Federal do Ceará (UFC) ofertará6.288 vagas em 107 cursos de graduação presencial nos campi em Fortaleza, Sobral, Quixadá, Russas e Crateús.
Para se candidatar, o estudante deve ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2015 e não ter zerado a redação. É possível escolher até duas opções de cursos e, se for o caso, a modalidade de cota. São selecionados os estudantes mais bem classificados dentro do número de vagas ofertadas para cada curso, turno, grau, sede e modalidade de concorrência.
As notas individuais do exame serão divulgadas pelo MEC no dia 8 de janeiro. O resultado da Chamada Regular será liberado no dia 18 de janeiro. Os candidatos selecionados deverão se matricular nos dias 22, 25 e 26 de janeiro. Após a Chamada Regular, o estudante poderá manifestar interesse em compor a Lista de Espera, unicamente para sua primeira opção de curso, entre os dias 18 e 29 de janeiro.
Fonte: Ceará

Boleto para pagamento de IPVA não será enviado pelos Correios; confira mudanças

Foto: Rádio Verdes Mares
Foto: Rádio Verdes Mares
Em 2016, o boleto de pagamento do Imposto sobre a Circulação de Veículos Automotores (IPVA) não será enviado pelos Correios, conforme alerta a Secretaria da Fazenda. A partir deste ano, proprietários dos veículos em todo o país terão que imprimir o documento viainternet, através do site da Sefaz ou em alguma unidade de atendimento. Os boletos estarão disponíveis a partir da próxima segunda-feira (4).
Para quem optar por realizar o pagamento de forma integral, com o benefício do desconto de 5%, terá o prazo até o dia 29 de janeiro. Os proprietários que efetuarem o pagamento em parcelas terão que desembolsar valores iguais ou superiores a R$ 50 no dias 23/223/3,25/4 e 23/5.
Outra mudança anunciada para 2016 é a redução média de 4,01%, em relação a 2015, no valor do IPVA. A previsão é de que, este ano, cerca de 2.118.445 veículos sejam taxados com uma arrecadação deR$ 719 milhões. Desse valor, metade será destinado para o tesouro nacional e os outros 50% para os municípios cearenses.
Fonte: VERDINHA

Desgaste de Lula deixa PT em alerta para 2016

270213_14lula_0_40_4288_2807
A diretoria do Instituto Lula postergou para o início de 2016 a reunião de planejamento das atividades para o ano que se inicia. Desde que o instituto foi criado, em 2011, essa reunião é realizada no fim do ano anterior. Em 2015, isso não foi possível segundo auxiliares do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, porque a agenda do petista em dezembro foi quase totalmente tomada por medidas defensivas. O episódio ilustra como foi 2015 para Lula, ano em que mais foi alvo de desgaste desde que deixou o Palácio do Planalto.

Depois de ajudar a reeleger sua sucessora, Dilma Rousseff, em uma disputa apertada contra o tucano Aécio Neves, em 2014, o ex-presidente que deixou o governo com o maior índice de aprovação já registrado no Brasil – 87%, segundo o CNI/Ibope – viu seu capital político escorrer pelas mãos em meio a fracassos na economia, erros na condução política do governo, o derretimento político do PT, manifestações nas ruas, ameaça de impeachment de Dilma, investigações envolvendo integrantes de sua família, amigos e o próprio instituto.
Em 20 de junho, durante encontro com líderes religiosos, em São Paulo, o próprio Lula resumiu a situação, com uma de suas tradicionais metáforas: “Dilma está no volume morto, o PT está abaixo do volume morto, eu estou no volume morto”.
Pesquisas mostram que, para o eleitorado, as boas lembranças do governo Lula estão cada vez mais distantes. Segundo o Datafolha, em dezembro de 2010, 71% consideravam o petista o maior presidente da história do Brasil. Em novembro de 2015, essa taxa era de 39%.
‘Padre Cícero’. Dirigentes petistas admitem, reservadamente, que os acontecimentos de 2015 precipitaram um processo de desmitificação de Lula. Em 2009, pouco antes de deixar o governo de Minas para se candidatar ao Senado, Aécio dizia em conversas reservadas que nunca enfrentaria Lula nas urnas porque o petista havia alcançado a condição de mito em algumas regiões do País, principalmente no Nordeste, onde, segundo o mineiro, o ex-presidente havia obtido o mesmo status de Padre Cícero. Hoje, conforme pesquisas, o tucano bateria o petista nas urnas com 31% das intenções de votos, ante 22% do adversário.
Segundo auxiliares próximos de Lula, o fracasso de Dilma na área econômica e as contradições entre o discurso de campanha da presidente e a prática são suas maiores preocupações. Em conversas recentes, ele teria manifestado incômodo com o impacto da economia nos programas sociais. A um interlocutor, expressou o temor de que o País “volte atrás dez anos” e forças de esquerda tenham de “começar tudo outra vez”.
Por isso, estaria concentrando seus esforços em ajudar Dilma a recompor sua base política (na sociedade e no Congresso), afastar o risco do impeachment e retomar a rota de crescimento econômico para evitar retrocesso na área social. “É a primeira vez que ele não sabe o que fazer”, diz um petista que o acompanha há mais de três décadas.
Operações. Mas a principal causa do abalo na imagem do ex-presidente, segundo análises internas do PT, é a aproximação de investigações como Lava Jato e Zelotes a amigos e parentes do petista. Desde que o doleiro Alberto Youssef disse que Lula “tinha conhecimento” do esquema de desvios na Petrobrás, aumentou a impressão de que o cerco se fecha em torno do ex-presidente. Embora o juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, e o Ministério Público Federal afirmem que Lula não é investigado, seu nome tem sido constantemente citado em relatórios da Polícia Federal e depoimentos.
Segundo o Instituto Lula, o ex-presidente está tranquilo em relação ao aspecto jurídico das citações, mas admite que elas têm sido usadas para desgastá-lo politicamente. “É evidente que existe um processo de desconstrução da imagem do Lula”, disse o jornalista Celso Marcondes, um dos diretores do instituto. “É evidente que existe um processo de desconstrução da imagem do Lula”.
Fonte: Ceará Agora

Grupo doador de campanha de Temer recebe benefício de aliado em porto

temer-e-cunha
Graças a uma emenda parlamentar incluída pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na nova Lei de Portos, um dos principais doadores de campanha do vice-presidente Michel Temer em 2014 obteve uma vantagem inédita para administrar uma área do Porto de Santos, em São Paulo.

O Grupo Libra, conglomerado de logística que tem dívida milionária com o governo federal, foi o único beneficiário dessa brecha incluída na nova legislação, que permitiu a empresas em dívida com a União renovarem contratos de concessão de terminais portuários.
A renovação nos novos termos foi garantida por um outro aliado de Temer, o deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), em seus últimos dias no comando da Secretaria Especial de Portos (SEP). A retirada do parlamentar do comando da pasta foi um dos motivos de desavença listados por Temer em carta cheia de queixas enviada à presidente Dilma Rousseff em dezembro.
Mesmo sendo candidato a vice, Temer criou em 2014 uma pessoa jurídica para receber doações eleitorais e repassá-las a candidatos a outros cargos públicos, como deputados estaduais e federais. Sua conta recebeu R$ 1 milhão de dois dos sócios do Grupo Libra, arrendatário de uma área de 100 mil m² no Porto de Santos há mais de 20 anos.
O valor doado foi dividido igualmente em nome de Ana Carolina Borges Torrealba e Rodrigo Borges Torrealba, ambos herdeiros da companhia. A empresa foi fundada há mais de meio século para investir em navegação, mas, desde os anos 1990, mudou seu foco para a exploração de terminais portuários.
O contrato foi assinado em 1998, quando o grupo ganhou uma concorrência aberta pela empresa federal Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) para operar uma das áreas de mais fácil acesso rodoviário do terminal. A proposta do Libra era irrecusável: ofereceu pagar dez vezes mais pela área do que o aluguel previsto no preço de referência. Por causa do alto valor a segunda colocada na disputa entrou com recurso para anular a concorrência, afirmando que a proposta da Libra era inexequível, mas a alegação não foi aceita pela Codesp e o contrato foi assinado.
Entretanto, poucos meses depois, a vencedora passou a contestar as faturas de cobrança alegando que recebeu área menor que o prometido, que havia concorrência não prevista e que não haviam sido feitas as obras necessárias para obtenção da produtividade esperada. Começou aí uma longa batalha judicial entre governo e Libra que se arrastou por mais de uma década, e o valor integral previsto na licitação jamais foi pago pelo grupo. A dívida acumulada até 2008, segundo a Agência Nacional de Transportes Aquaviários, era de R$ 544 milhões – o que representa quase R$ 850 milhões em valores atuais.
Emenda
A situação só foi mudar quando, em 2013, a gestão Dilma enviou ao Congresso uma medida provisória que previa novas regras para a gestão de portos no País. Uma das principais novidades era a possibilidade de se renovar contratos de concessão de terminais em troca da promessa de novos investimentos.
O texto original da medida provisória, porém, vedava esse benefício a empresas inadimplentes. Mas, durante o processo de aprovação na Câmara, uma emenda apresentada por Cunha – e depois regulamentada pela presidente – permitiu a adesão de devedoras caso elas aceitassem decidir sobre a dívida antiga em um processo de arbitragem, em vez de na Justiça comum.
Com base nessa emenda, a adesão à arbitragem foi publicada no Diário Oficial no dia 3 de setembro. Por meio desse ato, o governo extinguia todas as ações na Justiça contra o Grupo Libra e as duas partes concordaram em aceitar a decisão de um árbitro eleito por acordo comum, que tem prazo de quatro anos para decidir quem deve quanto a quem.
Nesse mesmo dia, foi publicada a renovação do contrato por mais 20 anos em condições excepcionais para o Libra, que teria de pagar um aluguel ainda menor do que o negociado em 1998. Em contrapartida, a empresa se comprometeu a investir R$ 750 milhões. Esse foi o único caso em que a exceção sugerida por Eduardo Cunha foi usada em todas as seis renovações de contrato em terminais portuários feitas após a lei.
Aliados
Nos dois períodos em questão, os responsáveis pelas decisões eram aliados de Temer e ambos foram citados pelo próprio vice-presidente como seus indicados em reclamações na carta recente escrita para Dilma. Em 1998, quando a Codesp era vinculada ao Ministério dos Transportes, o chefe da pasta era o ex-deputado Eliseu Padilha. O ex-ministro do governo Fernando Henrique Cardoso voltou à Esplanada dos Ministérios na gestão Dilma no comando da Aviação Civil, posto do qual se demitiu recentemente por causa de “desfeitas” da presidente, segundo afirmou Temer na carta.
Já a renovação do contrato se deu na gestão de Edinho Araújo na Secretaria de Portos, cujo desligamento do cargo no começo de outubro foi usado por Temer como exemplo da “falta de preocupação” da presidente em “eliminar do governo” um ministro a ele “ligado”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Fonte: Ceará Agora

Homem é morto e corpo é queimado na Caucaia

rabecao
Populares encontraram um corpo carbonizado na Caucaia e chamaram a Polícia. O caso aconteceu na manhã deste sábado (2). Agentes da  Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa foram ao local quando verificaram o ocorrido e iniciaram as diligências em busca as causas e dos autores do assassinato.

As primeiras informações dão conta que o homem teria levado um tiro a queima-roupa na cabeça e depois seu corpo foi queimado pelos autores do crime; O corpo foi encontrado logo no início da manhã na Taquara, município de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Até o presente momento a Polícia não revelou o andamento das investigações, mas já tem nomes de suspeitos.
Fonte: Ceará Agora

Sete pessoas morrem em acidente entre Van e carro em Jaguaribara

van
Sete pessoas morreram e 11 pessoas ficaram feridas gravemente em um acidente entre uma van e um carro na localidade Sítio Sabiá, no município de Jaguaribara, a 219 km de Fortaleza.

De acordo com a Polícia Militar, às 5h40, o automóvel trafegava pela BR-116, no sentido Fortaleza/Jaguaribara e o motorista do automóvel tentou fazer uma ultrapassagem quando bateu de frente com a Van. A polícia afirmou que dentro do veículo estavam três adultos e duas crianças. Todas as cinco pessoas perderam a vida.
Segundo a polícia, a van saiu do estado da Paraíba e seguia para a cidade de Limoeiro, distante 105 km, do local do acidente. A polícia não soube informar quantas pessoas estavam dentro da van. Duas mulheres idosas que estavam dentro da van morreram. Uma não resistiu aos ferimentos e faleceu na hora. A outra, conforme a polícia morreu a caminho do Hospital de Jaguaribe.
Seis pessoas feridas foram encaminhadas para o Hospital Municipal de Jaguaribe. Outras cinco em estado grave foram levadas de ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), no Bairro Centro, na capital.
Fonte: Ceará Agora

Dilma avalia opção para reajuste do Bolsa Família

1A9GoBolsa_Familia01
Após o veto da presidente Dilma Rousseff ao reajuste de ao menos 16,6% em programas sociais como o Bolsa Família na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o governo estuda como dar alguma elevação ao benefício, ainda que inferior à inflação acumulada desde o último aumento, ocorrido 20 meses atrás.

Está previsto uma elevação de R$ 1,1 bilhão no orçamento do programa em relação ao ano passado. No entanto, o governo ainda faz contas para definir como usará a verba nas ações do programa que atende 13,9 milhões de famílias. Não está definido, por exemplo, se será um aumento linear. Se isso ocorrer, o benefício básico mensal por pessoa passará dos atuais R$ 77 para cerca de R$ 80.
“Deverá ter algum reajuste, mas, por enquanto, é manter o programa tal como ele está”, disse o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE).
A LDO de 2016 foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União de 31 de dezembro, com um total de 58 vetos. Um deles é a correção do Bolsa Família correspondente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado entre maio de 2014, quando houve o último aumento do benefício, e novembro de 2015, data do último dado do IBGE. O governo rejeita a adoção de um indexador para corrigir o programa.
O orçamento previsto para o Bolsa Família passou de R$ 27,7 bilhões para R$ 28,8 bi, aumento de 3,97% entre 2015 e 2016. É justamente este R$ 1,1 bilhão que será usado para reajustar o programa, que faz um repasse médio mensal de R$ 164 por família.
Nas discussões da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2016, que sucede a LDO, o relator do texto, deputado Ricardo Barros (PP-PR), chegou a propor corte de R$ 10 bilhões no orçamento, medida que não avançou.
Críticas. Guimarães defendeu o veto ao reajuste pela inflação. “Se não vetasse, teria de cortar e o governo não vai cortar os benefícios do Bolsa Família, como queria o Congresso. É muita maldade”, afirmou.
A oposição não poupou o governo. “Em um momento de grave crise, os primeiros a sofrer são os que mais necessitam, ou seja, os beneficiários do Bolsa Família”, disse o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG).
O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE), disse que a medida “manda a conta para os mais pobres” sem que haja contrapartida do governo.
“A presidente vai aprofundar a desconfiança do segmento da população que mais confiou no PT nas eleições. Se não tivesse cometido tanta irresponsabilidade fiscal, teria evitado mais este constrangimento”, disse o líder da minoria na Câmara, Bruno Araújo (PSDB-PE). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Fonte: Ceará Agora

Festa termina com dois mortos e três baleados em Banabuiú

TiroDois homens foram mortos a tiros na madrugada deste domingo durante uma festa na cidade de Banabuiú. Outros três foram baleados e socorridos para o hospital da cidade.
As vítimas identificadas apenas como Raimundinho e Gonzaga foram mortas dentro do clube Caldeirão do Forró. A Polícia ainda não sabe o que motivou o crime. Também não há maiores informações quanto ao estado de saúde dos outros atingidos.
Fonte: Ceará Agora