Buscar

16 novembro 2016

Moradores e vereador denunciam desmonte em Aiuaba

O presidente da Câmara Municipal de Aiuaba, Bento Feitosa (PSD), afirma que ocorre desmonte administrativo na prefeitura na Cidade. Segundo ele, rival político do atual prefeito Airton Araújo (PMDB), há salários e obras atrasadas há pelo menos dois meses no município. O prefeito não respondeu às diversas tentativas de contato do O POVO.
“É uma verdadeira sucataria de obras paradas. Nós temos várias obras de sistemas de abastecimento de água que estão paradas, além de creches, ginásios, quadras esportivas e outras obras estruturantes que estão inacabadas”, declara Bento.
A moradora da zona rural Neusa Lima conta que o filho está sem ir a escola por falta de transporte escolar. O estudante mora a 18 quilômetros do colégio. “Nós estamos se organizando para irmos ao Ministério Público para denunciar essa situação de descaso. Nossos filhos estão sendo prejudicados porque estão deixando de cumprir o ano letivo”, diz.
Ela conta ainda que já havia queixas de falta de merenda escolar e má infraestrutura da escola em seu sítio Lagoa dos Vieiras.
O funcionário público municipal José Denildo afirma que há falta de pagamento de terceirizados, como motoristas escolares. Por isso, eles teriam paralisado os serviços. Denildo bateu fotos de obras paradas e veículos em más condições. Ele pede que haja investigação e visita do TCM para apurar as supostas irregularidades.
Também na oposição a Airton, o vereador Totonho Batista não confirmou a possibilidade de desmonte. “Fiquei sabendo apenas pela mídia. Procure o presidente da Câmara que ele está por dentro disso”, disse.
Neste ano, foi eleito Ramilson Moraes, do PSD, oposição ao prefeito. Ele derrotou o candidato Adalberto Feitosa, da situação. O prefeito Airton Araújo chegou a ser preso em 2014 por denúncia de corrupção em ações como fraude em licitações. Um revólver calibre 38 e R$ 7 mil em espécie foram encontrados na casa dele. O prefeito não soube explicar a origem do dinheiro.
Na época, a vice Germana Rafaela Araújo assumiu a gestão temporariamente.
De acordo com o Ministério Público, os desmontes se configuram quando os pagamentos deixam de ser feitos propositalmente pela administração, mesmo que haja dinheiro em caixa.
No Ceará, 23 prefeituras já foram denunciadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios por indícios de desmonte e agora estão sendo investigadas pelo Ministério Público. Entre elas Canindé, Itapiúna, Limoeiro do Norte, Paramoti, Quixadá e Redenção. Ainda não se sabe quantos desses casos serão considerados criminosos depois da conclusão das investigações. (Colaborou Amaury Alencar)
NÚMEROS
23
prefeituras
no Ceará apresentam indícios de desmonte, segundo o TCM.
Fonte: O POVO

Nenhum comentário:

Postar um comentário