Buscar

11 agosto 2016

Tirica é a primeira mulher candidata a prefeita em Aratuba

Em reunião Júlio César, anuncia a substituição de seu nome para disputar eleição e lança sua esposa como candidata a prefeita, Furinga contínua na disputa como vice.
O anúncio feito na noite desta quarta-feira (10/08) pela COLIGAÇÃO MUDA ARATUBA – UNIÃO E AÇÃO, sobre a substituição da candidatura de Júlio César a prefeito, pela candidatura de Maria Auxiliadora Lima Batista (Tirica), a torna na primeira aratubense a disputar a cabeça de chapa, na historia política desse município.
O comunicado sobre mudança na chapa majoritária que pegou muita gente de surpresa aconteceu no Sitio Oriente e contou com a presença dos presidentes de partidos, candidatos a vereadores, militantes e simpatizantes, que receberam notícia em tom de aplausos. Depois de esclarecido os motivos que levou o grupo de Júlio César e Furinga a tomarem essa decisão, Júlio César enalteceu a nova composição. 
“Então amigos: teremos agora a Tirica como candidata a prefeita, uma mulher valente e honrada que, juntamente com o candidato a vice-prefeito Furinga, vai engrandecer a disputa eleitoral, qualificando o debate e mantendo acesa a chama da esperança em nosso povo. E eu, como companheiro de vida e parceiro de ideias, estarei ao lado dela em todos os momentos, contribuindo com o que estiver ao meu alcance para que este novo desafio se concretize em uma vitória, não de um grupo político, mas do povo de Aratuba”, disse Julio César.
Tirica é filha do saudoso Neemésio e Dona Consuelo Lima. É servidora pública federal, jornalista e economista, conhecida como uma mulher que tem como prioridade de vida: a família, o  trabalho, as atividades religiosas e sempre esteve ao lado da vida pública de seu esposo, o ex-prefeito Júlio Cesar Lima Batista.

ENTENDA O CASO

Após julgamento realizado pela corte do TRE-CE que decidiram por unanimidade, conhecer e, por maioria, dar parcial provimento ao recurso, impetrado pelo ex-prefeito de Aratuba Júlio Cesar Lima Batista que foi denunciado por captação ilícita de sufrágio, ou seja, compra de votos no pleito de 2012.
Esse processo contra Júlio Cesar iniciou ainda naquele ano e em decisão de primeira instancia datada de 06 de agosto de 2015 o ex-prefeito foi condenado pela juíza Margarida Costa de Moraes da zona eleitoral de mulungu ao pagamento de 5 mil reais de multa e a inelegibilidade para as eleições a se realizarem nos 8 (oito) anos subsequentes ao pleito eleitoral de 2012.
Na segunda estância a juíza, Joriza Magalhães Pinheiro, relatora do Processo, suspendeu sua inelegibilidade, porém restaram outras questões que segundo Júlio Cesar poderia ser objeto de ação de impugnação da sua candidatura e para evitar desgastes judiciais, o grupo formado pelos partidos PR, PTB, PHS, PRB, PSD, PMB, PP, PSDB e PPS resolveram então lançar Maria Auxiliadora como candidata a prefeita, mantendo Carlos Alberto Menezes (FURINGA) como vice.

Nenhum comentário:

Postar um comentário