Buscar

17 julho 2016

Maternidade de Quixadá é condenada a pagar indenização de R$ 100 mil por morte de feto

Quixadá. O juiz auxiliar da 1ª vara da Comarca deste Município, Adriano Ribeiro Furtado, condenou o Hospital e Maternidade Jesus Maria e José (HMJMJ) a pagar uma indenização de R$ 100 mil por danos morais uma mulher que alega ter perdido o bebê por má prestação de serviço da unidade. O caso aconteceu em 2014 e foi julgado agora.
Conforme o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), a mulher se aproximava dos nove meses de gestação e teria pedido ao médico que marcasse um parto cesareana. Nos autos a mulher alega já havia passado por problemas em outras duas gestações devido a sua obesidade e temia passar por novas complicações mas o médico teria dito que só marcaria a cirurgia quando ela entrasse em trabalho de parto.
No dia 27 de dezembro de 2013 ela chegou com fortes dores na maternidade, pediu para ficar internada mas teve o pedido recusado pela Unidade. Ela voltou com dores à Maternidade no dia 1º de 2014 e durante uma ultrassonografia, o médico não ouviu os batimentos do bebê e percebeu que a criança estava morta. A mulher entrou com uma ação na justiça por danos morais. O HMJMJ alegou não existir embasamento fático e legal e disse que a paciente recebeu tratamento necessário e disse que os procedimentos tomados seguem os protocolos de rotina.
Ao julgar o processo, o magistrado condenou a unidade de saúde a pagar R$ 100 mil por danos morais. De acordo com o juiz, ficou provado nos autos a culpa do hospital, por constar registro de que a paciente foi atendida diversas vezes reclamando de dores. “É verdade que ela, sem sucesso, pediu para se internar para realizara cesárea, diante do seu histórico de duas anteriores”.
Fonte: DN

Nenhum comentário:

Postar um comentário