Buscar

10 maio 2016

Maranhão recua e revoga anulação de impeachment

MARANHÃODiante da possibilidade de ser expulso de seu partido, o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), recuou no final da noite dessa segunda-feira, 09, e revogou sua decisão de anular as sessões que definiram o seguimento do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. A reviravolta está publicada no Diário Oficial da Casa desta terça-feira, 10.
Aliados do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), divulgaram duas versões do documento, uma delas endereçada ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). A veracidade dos documentos foi confirmada pela Câmara e pela assessoria de Maranhão.
Mais cedo, Renan já havia decidido ignorar a decisão de Maranhão e confirmou para amanhã, quarta-feira, 11, a votação do processo em plenário. Maranhão não foi localizado na madrugada desta terça-feira, 10, para justificar sua mudança de postura. Ao final da tarde dessa segunda, o presidente interino da Câmara Federal fez um breve pronunciamento para justificar sua decisão de anular as sessões.
“Nossa decisão foi com base na Constituição, com base no nosso regimento, para que nós possamos corrigir em tempo vícios que certamente poderão ser insanáveis no futuro”, afirmou Maranhão para justificar a anulação. “Nós não estamos e nem estaremos, em momento algum, brincando de fazer democracia”, disse horas antes do recuo.
O vai e vem de Maranhão provocou tumulto na agenda política e econômica do País, ganhou o noticiário internacional e deixou consequências para o sucessor de Eduardo Cunha (PMDB) no comando da Câmara Federal: o PP decide, nesta terça-feira, em Brasília, a expulsão de Maranhão dos quadros da sigla
revogaçao
revogação2
Fonte: Ceará Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário