Buscar

29 abril 2016

Confira o festival de ofertas do Supermercado São Francisco em Aracoiaba e Antônio Diogo


Funcionária de hospital erra e aplica insulina em vez de vacina contra gripe

Vacinação h1n1 vacina  (Foto: Osnei Restio/Prefeitura Nova Odessa/Divulgação)Cerca de 50 servidores do Hospital Municipal de Maringá, no norte do Paraná, receberam doses de insulina no lugar de vacina contra o vírus H1N1 após a enfermeira confudir as ampolas, nesta quinta-feira (28), segundo a prefeitura.
Várias pessoas vacinadas foram internadas com reações, ainda segundo a administração municipal.
A insulina é um hormônio usado no tratamento de diabetes. A Secretaria Municipal de Saúde informou que, aplicada indevidamente, pode causar sonolência, fraqueza, taquicardia e tremores.
Ainda de acordo com a prefeitura, a falha foi identificada pela própria servidora logo após a aplicação. A enfermeira está grávida e também aplicou insulina nela própria por engano.


Funcionários em observação
Os 50 funcionários estão sendo atendidos por médicos do próprio hospital e devem permanecer em observação até as 21h. Esse é o prazo para a manifestação das reações adversas. A prefeitura classificou o fato como um acidente de trabalho e, por isso, a Diretoria de Saúde Ocupacional está acompanhando o caso.

A administração municipal diz que a servidora afirmou que se confundiu com as embalagens, que são parecidas. Um processo administrativo será aberto para investigar as responsabilidades.

Fonte: G1

Dilma quer anunciar 'bondades' no Dia do Trabalho

dilmaDiante da possibilidade de ser afastada do cargo no próximo mês, a presidente Dilma Rousseff pediu à equipe econômica estudar medidas, classificadas por assessores de “pacote de bondades”, para serem anunciadas no Dia do Trabalho, dia 1º de Maio.
Entre elas, a petista pediu que sua equipe avalie a viabilidade de reajustar a tabela do Imposto de Renda na Fonte, que não foi corrigida neste ano, e também de conceder um aumento para os benefícios do Bolsa Família.
O objetivo é fazer um aceno efetivo à base social da legenda e um contraponto ao vice-presidente Michel Temer, que pretende fazer um pente-fino em programas sociais como o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida.
A petista passou a avaliar um aumento dos pagamentos do Bolsa Família, como antecipou o Painel, depois de ser informada que a medida faz parte dos planos do vice-presidente caso ele assuma o Palácio do Planalto.
O jornal Folha de São Paulo apurou, porém, que a equipe econômica considera difícil realizar um reajuste da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física neste momento.
Em relação ao Bolsa Família, havia no orçamento R$ 1 bilhão reservado para o reajuste do benefício, mas que acabou sendo remanejado para outras áreas diante dos cortes de despesas efetuados neste ano.
O secretário do Tesouro Nacional, Otávio Ladeira ponderou que, sem a revisão da meta fiscal para 2016, não há espaço para promover novos gastos.
“Esse assunto [reajuste do Bolsa Família] poderá ficar para quando a nova meta [fiscal] for aprovada”, disse.
O governo federal enfrenta uma das piores crises fiscais da história recente. Apenas nos três primeiros meses do ano, o rombo já alcança R$ 18 bilhões, mesmo com a receita extra de R$ 11 bilhões oriunda da venda de hidrelétricas no final de 2015.
Para evitar um novo panelaço, a presidente não pretende fazer pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão no Dia do Trabalho.
Ela deve gravar um vídeo que será divulgado em redes sociais e está sendo aconselhada a adotar um discurso no qual defenderá as conquistas das gestões petistas e criticará eventuais retrocessos em um possível governo peemedebista.
A petista tem sido pressionada ainda a participar de ato na capital paulista da CUT (Central Única dos Trabalhadores) na companhia de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva.
Com informações da Folha de São Paulo.
Fonte: Ceará Agora

MPCE ingressa com Ação de Improbidade Administrativa contra prefeito de Saboeiro

saboeiroO Ministério Público do Estado do Ceará, através do promotor de Justiça Herbet Gonçalves Santos, propôs nesta quinta-feira (28/04) uma Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa combinada com pedido de tutela de urgência contra o prefeito de Saboeiro, Marcondes Herbster Ferraz, em razão de abandono do Conselho Tutelar.
O MPCE requer a condenação do prefeito em razão da prática de ato de improbidade administrativa, previsto no artigo 11, “caput” (violação aos princípios da Administração Pública) da Lei 8429/92, com as seguintes sanções: perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos.
“O prefeito municipal deixou de agir (negligência) – omissão dolosa e incúria com a coisa pública – violando os princípios da legalidade, moralidade e eficiência em afronta ao interesse público meta a ser intransigentemente perseguida pelo administrador responsável”, informa o promotor.
Em setembro de 2010, o MPCE abriu Procedimento Administrativo tendo como objetivo o funcionamento adequado do Conselho Tutelar, mirando a aquisição de melhores condições de trabalho aos conselheiros. Mesmo com Recomendações feitas à Prefeitura de Saboeiro, nenhuma solicitação foi atendida. Em abril deste ano, o Ministério Público realizou inspeção na unidade do Conselho Tutelar, a partir de novo Procedimento Administrativo com o objetivo de verificar a estrutura da unidade. Nessa inspeção, foram constatadas irregularidades como ausência de impressora, de telefone fixo, de acesso à internet e de veículo automotor. O Conselho tampouco recebeu o “kit” de equipamento da Secretaria de Direitos Humanos. No ano passado, o órgão ficou quatro meses sem fornecimento de água.
Segundo Herbet Santos, o Conselho Tutelar não possui infraestrutura adequada, não permitindo um atendimento digno, de acordo com a realidade do Município. “Em decorrência da precariedade de estrutura, o Conselho Tutelar tem muitas dificuldades de realizar os relatórios sociais a pedido do Ministério Público e Poder Judiciário, o que causa um enorme prejuízo às demandas judiciais e extrajudiciais”, detalha.
A Ação Civil Pública pede que a Justiça determine que o Município de Saboeiro realize melhorias no Conselho Tutelar, dando espaço adequado para a sede, custeio com mobiliário permanente, aquisição de veículo, impressora, internet, computadores, linha de telefonia fixa, entre outros materiais e produtos.
Fonte: Ceará Agora

Servidores reivindicam pagamento de salários atrasados em Mulungu

mulunguOs servidores municipais da área da Educação de Mulungu realizaram manifestação na manhã desta quinta-feira (28/04), pelas ruas da cidade reivindicando o pagamento de metade do salário referente ao mês de dezembro de 2015.
No início deste ano a categoria começou o ano letivo de forma tardia, devido o atraso do mês em questão, o sindicato e a prefeitura firmaram um acordo para que fosse iniciado o ano letivo para os alunos da cidade de Mulungu.
No acordo ficou acertado o pagamento de 50% do salário no mês de fevereiro e a outra metade no mês de março. As partes em acordo iniciaram as atividades, mas o compromisso da segunda parcela não foi honrado. Agora o sindicato dos servidores da educação decretou a greve dos servidores, paralisando as atividades em todas as escolas da rede municipal nesta quinta feira (28).
mulungu2
Os servidores realizaram uma manifestação na principal rua da cidade, todos vestidos de preto, fazendo discursos fortes exigindo mais respeito com a categoria. Solidários a causa os funcionários da área da saúde e alguns de outras categorias também fizeram parte do manifesto.
E a situação pode ser agravada ainda mais, em entrevista a vice- presidente do sindicato dos servidores de Mulungu, Luzanira Martins, afirmou que na próxima semana todas as categorias realizarão mais uma paralisação reivindicando o pagamento do salário do mês de março, caso o pagamento não seja efetuado, haja vista que o mês de abril já se encerra neste sábado.
Com informações de Neto Rodrigues.
Fonte: Ceará Agora

TSE determina PT a devolver R$ 7 milhões aos cofres públicos

Bandeira-do-PTO Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou nessa quinta-feira, 28, que o PT devolva R$ 7 milhões aos cofres públicos por causa de irregularidades no uso do Fundo Partidário referente ao ano de 2010. Além disso, a Corte determina a aplicação de 7,5% sobre o valor recebido do fundo naquele ano para a criação e manutenção de programas de promoção e difusão da participação política de mulheres.
Entre os problemas considerados estão a ausência de contratos com a Agência Pepper, empresa de comunicação investigada na Operação Acrônimo suspeita de receber recursos ilegais em campanhas do PT. Além disso, há problemas com a Focal Comunicação, atualmente investigada pelo TSE nas ações que pedem a cassação da presidente Dilma Rousseff, e o Banco Rural, implicado no escândalo do mensalão.
O partido declarou em 2010 que repassou ao banco R$ 1,3 milhão para a quitação de dívidas antigas. Em 2012, no entanto, no julgamento do mensalão, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou que os contratos entre a instituição financeira e o PT eram fraudulentos, e serviam para garantir o pagamento da base aliada no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
“Para a Corte Suprema, o negócio jurídico firmado entre a agremiação e a instituição financeira nada mais eram do que simulações”, declarou o ministro Luiz Fux, relator da prestação de contas do PT no TSE. A decisão de Fux tem valor de um despacho colegiado, como decidiram os ministros da Corte na última sessão plenária, já que o prazo para o julgamento acabaria no próximo sábado, 30 de abril.
Já as irregularidades com a Agência Pepper somam R$ 425 mil. Segundo o parecer da assessoria técnica da Corte Eleitoral, o partido não conseguiu comprovar as despesas relativas à consultoria e desenvolvimento de ações na internet e produção de material para distribuição e divulgação interna das ações do partido que teriam sido prestadas pela empresa.
Os serviços prestados pela Focal, cujos repasses somam R$ 1,6 milhões, também não foram devidamente declarados. No entanto, as despesas foram custeadas com recursos próprios do partido e não foram somadas ao valor a ser devolvido. A empresa foi a segunda maior fornecedora da campanha da presidente Dilma Rousseff em 2014, e um de seus sócios é uma pessoa que, até o ano anterior, dizia ser motorista.
A assessoria técnica da Corte Eleitoral apontou 57 irregularidades na prestação de contas apresentada pela legenda e sugeriu que o valor a ser devolvido para o erário fosse calculado em R$ 8,7 milhões. Dezessete problemas, no entanto, foram afastados pelo Ministério Público Eleitoral, o que reduziu a quantia em mais de R$ 1 milhão.
A defesa do partido afirmou que vai recorrer da decisão e alega que o TSE não cumpriu o prazo dado para a legenda se manifestar, o que contamina o devido processo legal e ampla defesa.
Outros partidos. PP e PSC, que também esperavam decisão sobre suas prestações referentes a 2010, foram punidos em decisão monocrática de Fux nesta quinta. O PP deverá devolver R$1,2 milhão, e o PSC, R$ 115 mil. Todos os valores devem ser devolvidos a partir do ano que vem. Ainda cabe recurso das decisões.
Na última terça-feira, o TSE condenou o PSDB a devolver R$ 1,1 milhão ao erário, considerando a prestação de contas referente a 2010 aprovadas com ressalvas. Outras sete legendas tiveram as contas também aprovadas com ressalvas – PC do B, PSB, PSDC, PV, PRP, PTN e PMDB. O PSB devolverá R$ 107 mil ao erário; o PV, R$ 177 mil, e o PSDC, R$ 14 mil. Os demais não sofreram sanções porque as irregularidades somavam a valor menor do que os 7% da quantia declarada.
Outros três partidos, o PRTB, o PMN e o PDT, tiveram as contas desaprovadas. O PMN deverá devolver R$ 1,3 milhão e ficará oito meses sem receber os repasses do fundo partidário. O PDT terá dois meses de repasses suspensos em 2017; já o PRTB deverá devolver ao fundo partidário a quantia de R$ 238 mil.
Fonte: Ceará Agora

28 abril 2016

Neto do Pai João quer redução de carga horária para servidores responsáveis por pessoas com deficiência.

O presidente do legislativo aratubense, Neto do Pai João, apresentou ao plenário requerimento de sua autoria com minuta de Projeto de Lei de Indicação que dispõe sobre a redução da carga horária de trabalho de servidor público municipal que seja responsável legal e cuide diretamente de pessoas com deficiência.
Para o legislador não se trata de oferecer benefício, mas sim condições mínimas para que os pais possam dar aos filhos ou outras pessoas de sua responsabilidade condições de fazer um tratamento eficaz. “Muitas vezes esse responsável não tem condições financeiras para contratar um profissional que acompanhe a pessoa com deficiência aos tratamentos necessários”, defendeu.
O vereador explica que o servidor que atende os requisitos legais, terá o direito assegurado em 25% (vinte e cinco por cento) da sua carga horária de trabalho, sem prejuízo na remuneração.
Neto garantiu que o projeto ampara diretamente o paciente com deficiência. Ainda de acordo com o autor o tratamento médico, psicológico, fisioterápico do paciente tem resultados bem melhores se forem acompanhados de perto por seus familiares. “Com a redução da carga horária o servidor poderá dar mais atenção aos filhos, conjugues com deficiência e o setor público não sofrerá prejuízos, pois são poucos os servidores que necessitam desta redução”, destacou.
Segundo Neto do Pai João, no Estado do Ceará já existem algumas cidades que este tipo de Lei já está em vigor, e os cofres públicos não sofrem nem um tipo de prejuízo em consequência das reduções de carga horária.
O requerimento do parlamentar foi aprovado por unanimidade e agora segue juntamente com a minuta de indicação do PL para apreciação do Poder Executivo. 

Buracos na BR 020 causa acidente com vítima fatal em Tauá

FOTO: BLOG DO WILRISMARNessa terça-feira (26/04) por volta do meio dia mais um acidente com vítima fatal foi registrado pela polícia na BR 020 em Tauá. O acidente ocorreu em uma ponte que liga dois bairros do município. De acordo com informações o motorista perdeu o controle do veículo devido os buracos e a situação precária da rodovia. A vítima trata-se do senhor Antônio Abdoral funcionário da prefeitura do município. O nosso correspondente Alverne Lacerda tem os maiores detalhes sobre este acidente.

Fonte: Ceará Agora

Ministro da Saúde entrega carta de demissão para Jaques Wagner

Marcelo CastroO ministro da Saúde, Marcelo Castro, entregou nesta quarta-feira 27, no Palácio do Planalto, a sua carta de demissão. “Minha situação estava muito delicada”, disse ele à reportagem, após lembrar que ficou “muito vulnerável e desprotegido, depois de todos os ministros do PMDB terem deixado seus cargos e da Câmara só restava eu”.
Na verdade, Castro é o quinto dos seis ministros do PMDB a entregar o cargo. Ainda resta a ministra da Agricultura, a senadora Kátia Abreu. A exoneração de Castro, “a pedido” será publicada no Diário Oficial desta quinta-feira, 28. Castro declarou ainda que “não tenha a menor dúvida de que apoiarei o governo dele (Michel Temer), que é o presidente do meu partido, com quem tenho muito boa relação”.
Marcelo Castro disse que não entregou a sua carta de demissão pessoalmente à presidente Dilma porque ela estava reunida, exatamente, com Kátia Abreu, discutindo o plano safra que será lançado na semana que vem. O emissário foi o ministro-chefe do Gabinete Pessoal da Presidente da República, Jaques Wagner, com que Castro já havia conversado na noite de terça-feira.
O encontro ocorreu pouco antes das 20 horas, e Jaques Wagner estava reunido com o ministro-chefe da Advocacia Geral da União, José Eduardo Cardozo. Os dois ajudaram a explicar a presidente Dilma sua situação. “Os dois argumentaram com a presidente as minhas razões”, contou o ministro.
Depois de lembrar que precisava deixar o cargo, após conversar com o líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), e apresentar o seu “desconforto” com a situação, Marcelo Castro justificou que era necessário sair porque é uma pessoa de partido. “Não tenha a menor dúvida (de que apoiarei o governo Temer)”. Eu sou presidente regional do PMDB no Piauí.
Sou fundador do partido e não tenho a menor pretensão de sair do meu partido. Eu fui indicado ministro pela bancada do PMDB, não pedi a ninguém e não tenho nenhuma divergência ou conflito com o PMDB”. Marcelo Castro lembrou ainda que Temer “sempre respeitou a sua posição, o que me dava uma certa gratificação”. E emendou: “ele (Temer) nunca me perguntou nada. Nunca conversei com ele sobre a situação. Ele compreende que eu não poderia ter outro comportamento a não ser o que tive”. Com a saída de Marcelo Castro, o secretário executivo da pasta, Agenor Álvares, assume o posto interinamente. Agora, serão seis os ministros interinos no governo.
Fonte: Ceará Agora

27 abril 2016

Shalom lança Halleluya 2016 em Fortaleza

13087518_984516168291769_6368242391933329248_n
Com participação especial da banda Missionário Shalom, a Comunidade Católica Shalom lançou na noite desta segunda-feira (25), em Fortaleza, o Festival Halleluya 2016. A festa que nunca acaba completa 20 anos e acontece de 20 a 24 de julho no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), com entrada gratuita.
Na comemoração do 20º aniversário, o Jubileu da Misericórdia foi a fonte inspiradora para a nova identidade visual do festival: um mar de misericórdia, onde se vive uma experiência de alegria e de amor. O single “Medley Mar”, do no Missionário Shalom, veio providencialmente “cantar” essa ideia. “Vou mergulhar nesse mar / O mais profundo eu vou / Se perguntarem onde estou / diga que vivo no oceano do Amor”, diz a canção do DVD da banda lançado em janeiro.
Fotos Aéreas Sábado Fernando Maia (2)
“Vamos ser um mar de misericórdia, nesse Halleluya”, diz a missionária Gabriella Dias, que coordena o setor do Shalom responsável mais diretamente pelas ações de evangelização. Ela motiva os membros da Comunidade e da Obra Shalom a serem divulgadores do evento, capazes de levar as águas desse mar a todos os lugares da capital cearense.
São muitas as novidades para esse ano. Além de novas atrações no palco principal, a arena de 80 mil m² estará mais leve e organizada para melhor circulação, com três grandes lanchonetes e arena cultural alargada. Haverá a “Balada Halleluya” e o lounge com food truck e mesas para quem desejar assistir aos shows em ambiente reservado.
O Halleluya Fortaleza é o maior evento da Comunidade Católica Shalom. É verdadeiramente uma grande rede de pesca que resgata muitas vidas para Deus. Em vista da solidariedade para com os que sofrem o flagelo da dependência química, o Halleluya trará a “Campanha Vida Quero Mais”. Haverá também um espaço especifico para doação de sangue e cadastro de medula óssea, em parceria com o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Estado do Ceará. A coleta de alimentos não-perecíveis será feita mais uma vez neste ano.
“É um trabalho de formiguinha”, afirma padre Silvio Scopel, responsável pelo Shalom na capital cearense. “Mas é em vista da salvação da humanidade”, conclui.
Confira as atrações:
13094205_1074760865917731_6400844088881233395_n
Fonte: SHALOM

Prefeito Antônio Cláudio recebe Selo Prefeito Empreendedor

Foto: Jorge Luiz / Reprodução Facebook
Em solenidade realizada no edifício-sede do SEBRAE, em Fortaleza, o prefeito de Aracoiaba Antônio Cláudio, recebeu o Selo Prefeito Empreendedor, uma iniciativa do Sistema SEBRAE que tem como objetivo principal reconhecer e divulgar o trabalho das prefeituras municipais que tenham implantado projetos com resultados comprovados, ainda que parciais, de estímulo ao surgimento e desenvolvimento dos pequenos negócios e da modernização da gestão pública, contribuindo de forma efetiva para o desenvolvimento econômico e social do município.
É com imensa satisfação que recebemos do SEBRAE o Selo de Prefeito Empreendedor, por termos apresentado um projeto importante que trouxe visibilidade e valorização para o desenvolvimento econômico de Aracoiaba”, concluiu o prefeito.
Foto: Jorge Luiz / Reprodução Facebook
Para o superintendente do SEBRAE Ceará, Joaquim Cartaxo, a premiação é uma forma da instituição homenagear os gestores municipais pela implementação de ações voltadas para o apoio às micro e pequenas empresas. “Todos os vencedores apresentaram resultados comprovados de estímulo ao surgimento e ao desenvolvimento dos pequenos negócios, contribuindo de forma efetiva para o desenvolvimento econômico, ambiental e social de seus municípios”.
Criado em 2001, o Prêmio SEBRAE Prefeito Empreendedor é um instrumento destinado a incentivar o desenvolvimento econômico dos pequenos negócios, identificando, avaliando, valorizando e disseminando as ações realizadas pelos municípios e que geraram impacto positivo para o empreendedorismo local.

O PRÊMIO
Foto: Jorge Luiz / Reprodução Facebook
A IX Edição do Prêmio SEBRAE Prefeito Empreendedor será concedido a prefeitos municipais de todo o Brasil e a administradores regionais do Distrito Federal (DF) e de Fernando de Noronha (PE).
Serão premiados gestores que tenham implantado projetos com resultados comprovados, ainda que parciais, de estímulo ao surgimento e ao desenvolvimento de pequenos negócios e à modernização da gestão pública, contribuindo de forma efetiva para o desenvolvimento econômico e social do município.
Os projetos podem ter como foco empresas formais ou em processo de formalização, individuais ou organizadas em consórcios e associações, de qualquer setor e localizadas em áreas urbanas e rurais.

CATEGORIAS
·        Melhor Projeto
·        Implementação e Institucionalização da Lei Geral
·        Compras Governamentais de Pequenos Negócios
·        Desburocratização e Formalização (ARACOIABA)
·        Pequenos Negócios no Campo
·        Inovação e Sustentabilidade
·        Municípios Integrantes do G100
·        Inclusão Produtiva com Segurança Sanitária

Gasolina fica 0,37% mais barata; etanol recua 0,12%

São Paulo/Fortaleza. Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros caíram em 18 estados e no Distrito Federal, subiram em seis outros e ficaram estáveis no Pará. No Ceará, o valor médio do litro do etanol apresentou um leve recuo de 0,12%, passando de R$ 3,303 (entre os dias 10 e 16 de abril) para R$ 3,299 (entre os dias 17 e 23 de abril). O preço mínimo saiu de R$ 3,199 para R$ 2,970, e o máximo permaneceu em R$ 3,610, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Já o preço médio da gasolina caiu 0,37% no Estado, passando de R$ 3,963 para R$ 3,948. O preço mínimo foi de R$ 3,820 para R$ 3,720, e o máximo ficou estável (R$ 4,259).
A ANP não trouxe variação do preço do etanol para o Amapá e mostra pouca mudança em relação à semana anterior, quando também havia sido registrada queda em 18 estados, alta em seis e no Distrito Federal e estabilidade no Acre. Não foi informada variação no Amapá.
No período de um mês, os preços só caíram em nove Estados. Já em 15 outros e no Distrito Federal foi registrada alta. Também não há dados para verificar a situação do Amapá no período em questão. Em São Paulo, principal estado produtor e consumidor, a cotação caiu 3,91% na semana, para R$ 2,505 o litro. Enquanto no período de um mês, acumulou uma desvalorização de 8,64%. 
Na semana, a maior alta ocorreu em Alagoas (2,24%) e o maior recuo, em São Paulo (3,91%). No mês, o etanol subiu mais no Rio Grande do Norte (6,01%) e recuou mais em São Paulo (8,64%). No Ceará, em abril, o valor do litro praticamente se manteve, com uma pequena queda de 0,15%. 
No Brasil, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 1,979 o litro, em São Paulo, e o máximo foi de R$ 4,296 o litro, no Rio Grande do Sul. Na média, o menor preço foi de R$ 2,505 o litro, em São Paulo. O maior foi registrado no Rio Grande do Sul, a R$ 3,709 por litro.
O etanol permaneceu em desvantagem ante a gasolina em todos os estados do País nesta semana. Os dados são da ANP, compilados pelo AE-Taxas. Segundo o levantamento, o biocombustível tem a menor vantagem no Rio Grande do Sul, onde o preço equivale a 94,38% do valor da gasolina na bomba - a relação é favorável ao etanol quando está abaixo de 70%. 
Em São Paulo, a gasolina tem cotação média de R$ 3,536 o litro, enquanto o etanol hidratado, de R$ 2,505 o litro.

Fonte: DN

Em depoimento, Fernando Baiano confirma pagamento de propina a Cunha

fernando baiano
Em depoimento no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, confirmou o repasse de dinheiro oriundo do esquema de propina na Petrobras ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Baiano disse que os pagamentos eram feitos em espécie e que os repasses ocorreram em 2011 e 2012.

“Houve reunião de Júlio Camargo [empresário] com Cunha para tratar diretamente desses valores, no dia 18 de setembro de 2011, no Leblon onde ficou acertado o pagamento de US$ 5 milhões. Pessoalmente entreguei R$ 4 milhões para Cunha”, disse aos deputados do conselho.
Baiano é apontado na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, como operador de recursos para o PMDB no esquema de pagamento de propina em negócios irregulares envolvendo a Petrobras. Baiano confirmou aos deputados as informações iniciais prestadas por outros delatores do esquema, o doleiro Alberto Youssef e o empresário Júlio Camargo. De acordo com Camargo, Cunha cobrou o pagamento a Baiano de subornos atrasados no valor de US$ 15 milhões, para viabilizar a contratação de dois navios-sondas do estaleiro Samsung, representado no Brasil por Camargo.
Questionado pelo deputado Marcos Rogério (DEM-RO), relator do processo contra Cunha, se tinha conhecimento de repasse de propina a Cunha em contas no exterior, Baiano disse não ter conhecimento de que houvesse repasse de dinheiro para contas no exterior. Segundo Fernando Baiano, os valores eram entregues pelo doleiro Alberto Youssef e depois ele levava a quantia para Cunha. “A pessoa que recebia a propina era um funcionário do escritório de Cunha no Rio de Janeiro, chamada Altair”, acrescentou.
Durante o depoimento, o lobista disse que conheceu Cunha em 2009, em um café da manhã, em um hotel. Posteriormente, o deputado questionou Baiano sobre a possibilidade de doação para campanha eleitoral. Baiano disse que as empresas não doavam para campanha, mas que Cunha disse que poderia ajudá-lo a cobrar uma dívida de US$ 16 milhões de Júlio Camargo pela intermediação de contratos de navios- sonda com a Petrobras. “E eu sinalizei que se ele me ajudasse na cobrança dessa dívida eu poderia ajudar na campanha”, disse o lobista, que afirmou que se encontrava com Cunha nos finais de semana no escritório do deputado no Rio de Janeiro.
Cunha
Cunha nega as acusações. O advogado do peemedebista, Marcelo Nobre, contestou as declarações de Fernando Baiano a respeito do pagamento de propina, alegando que as acusações não tem a ver com o processo em tramitação no Conselho de Ética, que apura se o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, quebrou o decoro parlamentar ao afirmar não ter contas no exterior. Documentos do Ministério Público da Suíça revelaram a existência de contas ligadas a Cunha naquele país. O presidente da Câmara nega ser dono das contas, que, segundo ele, são administradas por trustes e afirma ser o “usufrutuário” dos ativos mantidos no exterior.
Para a defesa de Cunha, o depoimento de Baiano não pode ser usado no processo no colegiado. “Não podemos admitir que discutamos aqui a imputação de vantagem indevida se sequer tivemos condição de apresentar a defesa nesse sentido e essa imputação não foi aceita nesse conselho”, criticou o advogado de Cunha, Marcelo Nobre.
Na semana passada, o vice-presidente da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), determinou que o foco da apuração no colegiado fique somente sobre a suspeita de que Cunha teria contas bancárias secretas no exterior e de que teria mentido sobre a existência delas em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. “Não foi ele quem limitou, foi este conselho, foi o próprio colegiado quando decidiu excluir do processo as questões relativas a vantagens indevidas”, defendeu.
Para o deputado Julio Delgado (PSB-MG), o depoimento de Baiano deixa claro que Cunha mentiu na CPI da Petrobras ao dizer que Fernando Baiano nunca foi a casa dele. “Já estive na casa dele [Cunha]”, disse Baiano ao ser questionado pelo deputado. Delgado também criticou a estratégia da defesa de Cunha de querer limitar as investigações. “O campeão da Lava Jato é o Eduardo Cunha. É o que tem mais processos na Lava Jato”, disse o deputado.
Fonte: Ceará Agora

26 abril 2016

Cachê de Wesley Safadão despenca com crise, garante colunista

Em alguns casos, o cachê de Safadão chegou a cair em até 75% | Foto: DivulgaçãoNem mesmo Wesley Safadão, que vive um dos melhores anos da carreira, conseguiu se desvencilhar da crise política e econômica ao qual o Brasil vive. Segundo o colunista Ricardo Feltrin, do portal UOL, o cachê do forrozeiro chegou a cair em até R$ 600 mil.
O colunista credita a queda nas receitas dos cantores brasileiros à baixa receita de órgãos federais, estaduais e municipais para organizar eventos. De acordo com Feltrin, há artistas nacionais que têm até 65% do faturamento anual em eventos públicos, o que representa um grande impacto nos cachês.
E Wesley Safadão foi um dos ídolos nacionais mais afetados. A coluna do Uol apurou, junto a empresários artísticos de São Paulo, que o cachê do cantor cearense chegou a despencar em até 75% para alguns eventos.
Em outubro de 2015, por exemplo, Safadão cobrava entre R$ 500 mil e R$ 800 mil por uma apresentação. Agora, no entanto, o astro fecha eventos por até R$ 200 mil, o que não deixa de o credenciar entre os artistas mais bem pagos do Brasil.
Grandes nomes do sertanejo também foram afetados, como Jorge e MateusVitor e Léo e Gusttavo Lima. Confira abaixo a lista dos principais artistas que tiveram os cachês rebaixados, conforme o colunista:
Wesley Safadão: R$ 500 mil a R$ 800 mil – agora R$ 200 mil
Jorge & Mateus: R$ 400 mil – agora R$ 320 mil
Ivete Sangalo: R$ 350 mil – agora R$ 250 mil
Claudia Leitte: R$ 300 mil – agora R$ 175 mil
Gusttavo Lima: R$ 320 mil – agora R$ 220 mil
Fernando e Sorocaba: R$ 250 mil a 300 mil – agora R$ 150 mil
Victor & Léo: R$ 240 mil a R$ 280 mil – agora R$ 110 mil
Luan Santana: R$ 200 mil – agora R$ 160 mil
Paula Fernandes: R$ 150 mil – agora R$ 120 mil
Anitta: R$ 80 mil – agora R$ 40 mil
Nando Reis: R$ 65 mil – agora R$ 35 mil
Naldo Beni: R$ 30 mil – agora R$ 6 mil

Fonte: Som do Fole

Divulgar horários e locais de blitze em redes sociais pode virar crime

Captura de Tela (149)
O Detran do Rio Grande do Sul encaminhou para a Câmara dos Deputados um projeto de lei que criminaliza a divulgação de locais de blitzes policiais. Autoridades afirmam que essas informações são usadas por bandidos para fugir da polícia.

Caso uma lei deste tipo seja sancionada, muitos usuários do WhatsApp, por exemplo, terão que rever seus comportamentos. Em vários grupos movimentados de Quixadá e de outros municípios da região é comum que alguns membros divulguem a localização de blitzes policiais.
Nos grupos do Monólitos Post, que contam com um vasto número de mambros, as regras para participar não são muitas, mas uma delas inclui a proibição de divulgar localização de blitzes. Alguns apontam isto como limitação da liberdade de expressão, mas ao menos por enquanto preferimos evitar esse tipo de divulgação. É claro que o debate sobre o assunto está aberto.
Para assistir matéria sobre este tema veiculada no Fantástico, noticioso da Rede Globo, clique AQUI.

Produtor rural aposta 10 vacas paridas que Dilma fica no Governo

dilmaA bolsa de aposta está aberta em várias partes do Brasil com o cenário de discussão do impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado. Uma das mais inusitadas apostas surge na Região do Inhamuns, onde um produtor rural, que é advogado, quer apostar 10 vacas paridas como a presidente Dilma não perderá o mandato. O correspondente do Jornal Alerta Geral, na Região dos Inhamuns, Alverne Lacerda, narra a tentativa de aposta do produtor rural que, para muitos, não encontrará dificuldades para fechar a aposta.

Fonte: Ceará Agora

Dilma já admite defender convocação de novas eleições

cover-3693A presidente Dilma Rousseff admite, nos bastidores, a possibilidade de defender a proposta que prevê a convocação de eleições presidenciais para encurtar em dois anos o seu mandato, mas ainda avalia o melhor momento de assumir a estratégia. Ministros próximos a Dilma dizem que isso já é “fato consumado” porque ela não terá governabilidade com o País dividido, mesmo se não sofrer impeachment no julgamento final do Senado.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu-se nesta segunda-feira, 25, com Dilma e tratou do assunto. Pela primeira vez desde que teve a nomeação suspensa para a Casa Civil, há 41 dias, Lula foi ao Palácio do Planalto. À noite, jantou com Dilma e com ministros, no Alvorada. Para Lula, porém, a hora é de concentrar esforços no movimento de resistência ao impeachment.
A ideia de novas eleições conta com o apoio da maioria do PT e até do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que há anos trava disputa com o vice-presidente Michel Temer sobre os rumos do PMDB. Até recentemente, Dilma resistia a aceitar a abreviação do seu mandato, mas, segundo auxiliares, começou a perceber que precisa fazer um gesto de “pacificação”. Ela descarta a renúncia, mas acha que a proposta de eleições diretas pode ser uma contraofensiva ao que chama de “golpe”.
Em conversas reservadas, ministros do PT argumentam que o plano, por si só, tem o condão de pôr Temer contra a parede. Além disso tudo será feito para atrair o PSDB do senador Aécio Neves (MG), que quer vetar a participação de integrantes de seu partido em eventual governo Temer.
Apesar de manter o discurso oficial de que é possível virar o jogo do impeachment, senadores do PT e de partidos da base aliada do governo dão como certa a aprovação do afastamento de Dilma na primeira votação, no plenário do Senado, prevista agora para 15 de maio. Se este cenário for confirmado, a presidente será obrigada a se afastar por até 180 dias.
PEC
Pelo cronograma traçado em gabinetes do Palácio do Planalto, o envio da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) ao Congresso, sugerindo eleições presidenciais em outubro – mês das disputas pelas Prefeituras -, ocorreria justamente nesse período. A PEC precisa ser votada em dois turnos em cada Casa do Congresso e só é aprovada se obtiver três quintos dos votos dos deputados (308) e dos senadores (49).
“Vou lutar até que eleições diretas sejam realizadas, se eu for afastada do cargo, uma situação hipotética, que eu não acredito. Eu acredito que é desconfortável afastar uma pessoa inocente. Eu sou vítima de uma conspiração”, afirmou Dilma, em entrevista ao Wall Street Journal.
Para Lula, se a presidente for mesmo afastada, a chance de ela retornar ao Planalto é remota. Mesmo assim, a estratégia consiste em infernizar a vida de Temer durante o provável “exílio” de Dilma, para expor as “fragilidades” do peemedebista e montar uma espécie de “governo paralelo”, em oposição ao novo ocupante do Planalto.
A ordem é resistir até o julgamento final no Senado – que pode ocorrer em setembro -, entremeando a defesa política com recursos ao Supremo Tribunal Federal. “Se Temer assumir, ele não dura três meses no cargo porque não aceitaremos isso. Haverá protestos em todo o País”, insistiu o senador Lindbergh Farias (PT-RJ). “Nós não imaginamos que o PT queira exercitar a sua capacidade de fazer oposição fora da luta política convencional” provocou o ex-ministro Eliseu Padilha (PMDB), aliado de Temer.
De qualquer forma, o PT também já prepara uma narrativa para disputar a eleição presidencial de 2018. Embora seja alvo da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, e esteja na mira do Ministério Público, Lula ainda é o único nome do PT com potencial para concorrer à sucessão de Dilma.
Nas fileiras do partido há quem diga que, com a crise se agravando a cada dia, o impeachment da presidente pode representar a “salvação” de Lula. O raciocínio é que, se isso não ocorrer, ela continuará “sangrando” até 2018. Se sair antes, porém, o PT poderá usar o discurso do “golpe” e de que teve uma presidente “apeada do poder”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Fonte: Estadão Conteúdo
Fonte: Ceará Agora

Neto do Pai João participa de inauguração do abastecimento de água das localidades de Videl e Barriguda

A cerimônia de inauguração do abastecimento de água ocorreu na noite do último sábado (23), a obra vai beneficiar a população das comunidades de Videl e Barriguda (Região Sertão). O evento contou com a presença do prefeito, Ivan Neto, dos secretários municipais, do vereador Ivanir Bernardo, do presidente da Câmara, Neto do Pai João, além de outras autoridades e da população local.
Ivan Neto disse que essa é a primeira etapa de abastecimento do sertão, região Marés. A obra foi construída com recursos próprios. “Mesmo com todas as dificuldades que o país, estados e municípios passam, venho fazendo de tudo para que a nossa Aratuba se desenvolva e é nas comunidades que vejo uma maior necessidade de nossas ações, por isso a minha preocupação em levar para elas principalmente a água e nas principais vias, o melhor em estradas que é o asfalto”, acrescentou.
O presidente da Câmara, Neto do Pai João, parabenizou a comunidade pela conquista e o prefeito Ivan Neto pelo esforço em atender a demanda das comunidades e reafirmou que o parlamento sempre irá acompanhar o desenvolvimento de Aratuba. “Estamos ali na Câmara para aprovar os projetos em favor do nosso município”, comentou Neto. ··.

Senado elege comissão que vai analisar processo de impeachment contra Dilma

1015257-25042016-capa-img_8362-O plenário do Senado elegeu nesta segunda-feira (25) os 21 titulares e 21 suplentes da comissão especial que vai examinar o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. A instalação oficial do colegiado, com a eleição do presidente, do vice e do relator, acontece nesta terça-feira (26),às 10h. O senador Raimundo Lira é o indicado pelo PMDB para presidir a comissão do impeachment no Senado.
A comissão elege, nesta terça-feira, o presidente e o relator. Segundo o Regimento Interno do Senado, caberá ao presidente da comissão indicar o relator.
Após a instalação da comissão, começa a contar o prazo de dez dias úteis para que o relator apresente o parecer sobre a admissibilidade da abertura do processo. O parecer precisa ser votado pelos integrantes do colegiado e a aprovação se dá por maioria simples.
Qualquer que seja o resultado da votação na comissão, a decisão final cabe ao plenário do Senado, que é soberano. No plenário, o parecer da comissão será lido e, após 48 horas, votado nominalmente pelos senadores. Para ser aprovado é necessária a metade mais um dos votos dos senadores presentes, desde que votem pelo menos 41 dos 81 senadores. Por exemplo, se 75 senadores estiverem presentes, serão necessários 38 votos para o processo de impeachment ser aceito na Casa.
São esses os membros eleitos da comissão:
PMDB – 5 vagas
Raimundo Lira (PMDB-PB)
Indicado pelo PMDB para presidir a Comissão do Impeachment no Senado, Raimundo Lira está na sua segunda legislatura como senador. Ele já havia ocupado o cargo entre os anos de 1987 e 1994. À época, ele foi eleito pelo PMDB. Mas em 1989, foi para o PRN (partido no qual Fernando Collor se elegeria presidente). Em 1994, tentou a reeleição pelo PFL e perdeu. Depois deste período, ficou afastado da política. Em 2010, ele entrou como suplente de Vital do Rêgo Filho. Lira assumiu a cadeira no Senado após Vital ir para o TCU em 2014.
Rose de Freitas (PMDB-ES)
Mineira de nascimento, Rose de Freitas está no Senado representando o estado do Espírito Santo desde 2015 (eleita). Antes, ela havia sido eleita para diversas outros cargos. Em 1982, foi deputada estadual pelo PMDB. Em 1986, virou deputada federal. No meio do mandato, foi para o PSDB. Se reelegeu em 1990 e perdeu as eleições estaduais em 1994. Rose acabou voltando à Câmara dos Deputados como suplente em 1998 e como titular em 2002. Em 2006, ela voltou ao PMDB e conseguiu se reeleger em 2006 e 2010.
Simone Tebet (PMDB-MS)
Simone é filha do ex-presidente do Senado Ramez Tebet (que morreu em 2006). Com 46 anos, ela está na primeira legislatura como senadora, mas tem um currículo longo no Mato Grosso do Sul. Foi eleita deputada estadual em 2002, prefeita de Três Lagoas (MS) em 2004 e 2008 e vice-governadora do estado em 2010.
Dário Berger (PMDB-SC)
Convocado para a comissão de última hora, na vaga de José Maranhão (PMDB-PB), Dário Berger foi ex-prefeito das cidades de São José (1997-2004) e Florianópolis (2005-2012). Antes de integrar o PMDB, ela era do PFL. Além de político (desde 1989), Berger é administrador de empresas.
Waldemir Moka (PMDB-MS)
Senador desde 2011 pelo Mato Grosso do Sul, Waldemir Moka começou a carreira política em 1983 quando foi vereador em Campo Grande. Depois, foi eleito deputado estadual por três mandatos. Em 1999, se elegeu deputado federal e foi reeleito por duas vezes. Todas as eleições de Moka foi representando o PMDB. Além de político, ele é médico.
Bloco Parlamentar da Oposição (PSDB-DEM-PV) – 4 vagas
Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP)
Um dos nomes mais forte do PSDB atualmente, Aloysio Nunes lutou contra a ditadura militar e chegou a ser exilado do país por participar de movimentos contrários ao regime. Depois de ser filiado ao PCB, ele ajudou a fundar o PMDB e entrou no PSDB em 1997. Foi ministro do governo Fernando Henrique Cardoso. É senador desde 2007 e em 2014 foi vice de Aécio Neves na disputa da Presidência da República.
Antonio Anastasia (PSDB-MG)
Ex-governador de Minas, Antonio Anastasia trabalhou por mais de dez anos na administração pública do estado e do governo federal antes de entrar para a política. A primeira eleição foi como vice da chapa de Aécio Neves (também senador por Minas Gerais) em 2006. Com a saída de Aécio para concorrer ao Senado, Anastasia assumiu o governo. Em 2010, ele foi reeleito. Ficou como governador até 2014, quando se elegeu senador.
Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
Filho do ex-governador Ronaldo Cunha Lima, Cássio tem uma extensa carreira política na Paraíba. Além da eleição para o Senado, em 2014, ele já acumulou três eleições para prefeito de Campina Grande e duas eleições para governador. Na última vez que foi governador, ele acabou cassado por irregularidades nas eleições. Cunha Lima começou a carreira política no PMDB. Em 2001, ele foi para o PSDB, partido que está até hoje.
Ronaldo Caiado (DEM-GO)
Senador desde 2015 (eleito em 2014), Caiado teve a primeira aparição política como candidato à Presidência da República. Ele concorreu ao cargo em 1989, quando ficou em 10º lugar. No ano seguinte, foi eleito deputado estadual. Ele ficou no cargo por cinco legislaturas. Caiado é um dos líderes da bancada ruralista no Congresso. Em seu site oficial, há a informação de que ele foi o criador oficial da bancada.
Bloco de Apoio ao Governo (PT-PDT) – 4 vagas
Gleisi Hoffmann (PT-PR)
Senadora pelo Paraná desde 2011, Gleisi Hoffman se filiou ao PT em 1989. Durante alguns anos, trabalhou na administração pública no Paraná (inclusive na Hidrelétrica Itaipu) e no Mato Grosso do Sul. Em 2006, tentou eleição para o Senado, mas perdeu. Em 2008, tentou a disputa pela prefeitura de Curitiba, mas também foi derrotada. Em 2011, Gleisi assumiu como ministra-chefe da Casa Civil, cargo que ficou até 2014. Ela é uma das investigadas na Operação Lava Jato, da Polícia Federal.
Lindbergh Farias (PT-RJ)
Senador desde 2011, Lindberg Farias já havia ocupado os cargos de prefeito de Nova Iguaçu e deputado federal pelo Rio de Janeiro. O senador, que foi um dos símbolos do movimento dos caras-pintadas, foi filiado ao PCdoB e ao PSTU antes de entrar no PT em 2011. Lindberg também é investigado na Operação Lava Jato.
José Pimentel (PT-CE)
Bancário aposentado, Pimentel é senador desde 2011, José Pimentel havia sido, por quatro oportunidades, deputado federal pelo Ceará. Em 2008, ele assumiu o Ministério da Previdência Social do governo Lula. Pimentel ficou por dois anos no cargo. Atualmente, ele é líder do governo no Congresso Nacional.
Telmário Mota (PDT-RR)
Autodenominado o “senador do povo”, Telmário Mota tem uma carreira política relativamente curta. Antes de ser senador, o único cargo político que havia ocupado foi o de vereador de Boa Vista (RR), entre 2007 e 2010. Em 2008, ele tentou ser eleito prefeito da cidade cidade, mas perdeu. Em 2011, foi derrotado nas eleições para o Senado. Telmário foi bancário e é formado em economia.
Bloco Parlamentar Socialismo e Democracia (PSB-PPS-PCDOB-REDE) – 3 vagas
Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE)
Foi eleito deputado estadual em 1982. Em 1986 e 1990, elegeu-se deputado federal. Em 1992, chegou à prefeitura de Petrolina, que voltou a ocupar após vencer os pleitos de 2000 e 2004. Em 2007, assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco no governo de Eduardo Campos. A partir de 2011, foi ministro da Integração Nacional, no primeiro mandato de Dilma Rousseff, até outubro de 2013. Assumiu a vaga no Senado de Jarbas Vasconcelos, após ser eleito em 2015. O senador é um dos investigados na Operação Lava Jato.
Romário (PSB-RJ)
Romário é um dos senadores mais conhecido na atualidade. Antes de ocupar a cadeira no Congresso, ele foi campeão mundial pela Seleção Brasileira de futebol em 1994 e melhor jogador do mundo. A mudança dos campos para a política veio em 2011, quando foi eleito deputado federal. Ele ocupa o cargo de senador desde 2015. Dentro do Congresso, preside a CPI do Futebol.
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)
É filiada ao PCdoB desde 1980. Foi vereadora em Manaus entre 1989 e 1999 e deputada federal por três mandatos consecutivos — de 1999 a 2011, quando elegeu-se ao Senado. Ocupa a função de primeira procuradora especial da Mulher no Senado. É líder do PCdoB e titular de 13 comissões e conselhos na Casa.
Bloco Parlamentar Democracia Progressista (PP-PSD) – 3 vagas
Ana Amélia (PP-RS)
Foi eleita pelo Rio Grande do Sul em 2010, com 3,4 milhões de votos. É titular de sete comissões — entre as quais estão a Comissão Permanente Mista de Combate à Violência contra a Mulher; a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária e a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. É , ainda, suplente de outras três. Exerce a função de vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte e integra a Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul. Em 2014, concorreu ao governo gaúcho.
José Medeiros (PSD-MT)
José Medeiros assumiu cadeira no Senado por ser primeiro suplente de Pedro Taques, empossado governador de Mato Grosso em 2015. Chegou a ser candidato a deputado federal pelo PPS em 2010, mas acabou desistindo para compor a suplência de Pedro Taques na disputa pelo Senado. Antes de assumir a cadeira na Casa, Medeiros foi presidente do PPS em Rondonópolis (MT). Em março de 2016, filiou-se ao PSD.
Gladson Cameli (PP-AC)
Em sua carreira política, já foi filiado ao PFL e ao PPS. Em 2006, no PP, foi eleito deputado federal, sendo reeleito quatro anos depois. Conquistu a vaga de senador com 58,37% dos votos válidos e assumiu a vaga de Anibal Diniz. É investigado na Operação Lava Jato da Polícia Federal.
Bloco Moderador (PTB-PR-PSC-PRB-PTC) – 2 vagas
Wellington Fagundes (PR-MT)
Fagundes foi,por seis mandatos, deputado federal antes de ser eleito senador. No último pleito, em 2014, Wellington Fagundes foi eleito senador da República, com 646.344 votos e assumiu a vaga de Jayme Campos. É vice-líder do Governo, líder do PR no Senado, presidente da Comissão Senado do Futuro (CSF) – e presidente da Frente Parlamentar de Logística de Transportes e Armazenagem (Frenlog).
Zezé Perrella (PTB-MG)
José Perrella de Oliveira Costa é empresário e chegou ao Senado em 2011, após a morte do titular do mandato, Itamar Franco. Sua vida pública está ligada à presidência do Cruzeiro Esporte Clube, exercida de 1995 a 2002 e de 2009 a 2011. Foi eleito deputado federal em 1998 pelo PFL e deputado estadual em 2006 pelo PDT. Desde março de 2016, está no Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).
Fonte: Ceará Agora