Buscar

26 fevereiro 2016

PMDB, um aliado com discurso de oposição a Dilma

temer pmdbPrincipal aliado do Palácio do Planalto nos dois mandatos da presidente Dilma Rousseff, o PMDB fez, na noite desta quinta-feira, em rede nacional de televisão e rádio, um discurso de oposição, de crítica à condução da política econômica, que gera aumento de preços e desemprego. O PMDB, pelas mãos das principais lideranças nacionais, como o presidente do Senado, Renan Calheiros, vendeu a “Agenda Brasil’’, com um discurso de que o partido tem proposta e projeto para colocar o País no rumo da recuperação da economia.
Os peemedebistas definiram o projeto de retomada do crescimento como o Plano Temer 2 – uma sinalização de que, se assumir o comando político e administrativo do País, o PMDB, pelas mãos do vice- presidente Michel Temer, tem condições, como exposto pelos seus deputados federais e senadores, tem condições der reunificar e reconstruir os caminhos de desenvolvimento da economia brasileira. Mesmo integrantes que mantiveram, ao longo de três décadas uma relação de amor, carinho e fidelidade ao PT, como a senadora Marta Suplicy – pré-candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, fez um discurso áspero sobre o desastre na economia.
Marta, com os olhos voltados às eleições de 2016, fez um relato sobre o sofrimento de quem está perdendo o emprego e, em suas palavras, São Paulo – a maior capital do País, acorda hoje desempregando. Se São Paulo está nessa situação, segundo ela, imagine o restante do Brasil. Os peemedebistas condenaram, também, a má gestão e disseram que, para superar a crise, há somente um remédio popular: o voto. Com esse conteúdo, os peemedebistas pregaram o voto anti-PT nas eleições deste ano.
O programa nacional do PMDB foi aberto com a apresentadora fazendo um relato sobre a crise enfrentada na economia, falando sobre o aumento de tudo e o empobrecimento dos brasileiros. O vice-presidente Michel Temer afirmou que, em meio à crise, é possível transformar erros em virtudes.
O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, definiu que o Brasil é o partido que a sigla abraçou e disse que o País não será vencido pela crise. Eunício foi o único cearense aparecer no programa nacional do PMDB. E e, ainda, em tom de oposição., a deputada Andrea Murad definiu 2016 como um ano perdido.
Ao final do programa, Michel Temer definiu o entendimento e desejou aos brasileiros uma vida mais tranquila. Entre aliados e oposicionistas ao Palácio do Planalto, o PMDB fez um claro discurso de oposição e de quem deseja e almeja o Palácio do Planalto. Bem antes de 2018.
Fonte: Ceará Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário