Buscar

16 fevereiro 2016

Confirmado caso autóctone de chikungunya

Ceará confirma os dois primeiros casos de febre chikungunya transmitida pelo Aedes aegypti que tiveram origem no Estado. As infecções ocorreram na Capital e no município de São Gonçalo do Amarante, a 67km de Fortaleza. 
Neste ano, foram registrados outros quatro casos, mas com origem em outras regiões do País. As informações são do boletim epidemiológico divulgado na noite de ontem pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).
Desde 2014, já são 17 ocorrências do vírus no Estado, mas somente dois têm infecção autóctone. A maioria das pessoas detectadas com a doença foi infectada em outros estados. 
O paciente com suspeita de febre chikungunya autóctone em Fortaleza é morador do entorno do Campo do América, no bairro Meireles. Em 2015, dois casos da doença foram confirmados na Capital em pacientes que viajaram para a República Dominicana.
Outros três casos foram confirmados em Aracati (dois pacientes), Juazeiro do Norte, Aracoiaba e Brejo Santo. 
Dengue
Foram registrados 992 casos prováveis de dengue no Ceará neste ano, sendo 280 confirmados. O número é três vezes menor que o verificado no mesmo período do ano passado, no qual foram contabilizados 2912 casos suspeitos. As informações também constam em boletim epidemiológico divulgado pela Sesa.
De acordo com a pasta, confirmaram-se casos em 18 das 22 Coordenadorias Regionais de Saúde (CRES) e em 39 dos 184 municípios cearenses.
Em 2016, foram notificados sete casos de formas graves da doença, sendo quatro confirmados. Permanecem em investigação três casos de dengue grave que evoluíram para óbito, ocorridos nos municípios do Crato, Fortim e Maracanaú.
Ações de combate

Segundo o gerente da célula de Vigilância Ambiental e de Riscos da Secretaria Municipal da Saúde, Nélio Moraes, uma ação de combate ao mosquito Aedes aegypti - transmissor da dengue, zika e chikungunya - foi realizada ainda ontem no Centro de Fortaleza. 


“Estamos utilizando máquinas costais que contêm depósitos de partículas de produtos químicos. As máquinas emitem gotículas que ficam em suspensão no ar de 30 a 40 minutos para eliminar os mosquitos”, explica.
Além disso, hoje, no Dia Nacional de Mobilização Zika Zero, haverá ação também no Centro. Ao todo, 220 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica irão às ruas orientar a população sobre o combate aos criadouros do mosquito transmissor. No Ceará, serão 3 mil militares.
Na tarde de ontem, 11, o projeto de lei que autoriza a entrada forçada de agentes sanitários em residências particulares foi aprovado pela Assembleia Legislativa.
O texto, votado pelos deputados, prevê também multa e uso de força policial para a ação dos agentes. (colaborou Amanda Araújo)
Saiba mais
O Ministério da Saúde definiu que devem ser consideradas como casos suspeitos todas as pessoas que apresentarem febre de início súbito maior de 38,5ºC e artralgia (dor articular) ou artrite intensa com início agudo e que tenham histórico recente de viagem às áreas nas quais o vírus circula de forma contínua. O paciente infectado apresenta febre repentina e dores nas articulações – principal diferença da dengue. Os outros sintomas são dor de cabeça, dor muscular, náusea e manchas avermelhadas na pele.
Fonte: O POVO

Nenhum comentário:

Postar um comentário