Buscar

14 janeiro 2016

CRISE - Servidores Grevistas realizam mais uma manifestação pelas ruas de Aratuba

Os trabalhadores lotados na secretaria da educação da prefeitura municipal de Aratuba que recebem pelo FUNDEB 40% (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica) grevistas saíram mais uma vez em protesto nas ruas da cidade nesta segunda-feira (11/01) em direção ao paço municipal. São servidores lotados em todas as escolas do município e na própria secretaria da educação, entre eles estão: zeladores, merendeiras, auxiliares de serviços gerais, vigias, agente administrativo e secretária escolar. Os servidores marcharam cobrando o pagamento dos dois meses de atraso salarial da categoria que correspondem a novembro e dezembro do ano anterior. O Sindicato dos Servidores Públicos de Aratuba – Sindiara afirma não atender o motivo dos atrasos, uma vez que os recursos do FUNDEB do município comparado ao ano anterior foi cerca de 7% maior, somente nos meses de novembro e dezembro de 2015 foi recebido o montante de R$ 1.457.324,10, sendo relativo aos (40%) R$: 582.929,64, onde segundo informações da própria prefeitura a folha mensal de pessoal que recebem dessa fonte girava em torno de 220.000 mil reais, ou seja, os valores foram suficientes a grande questão é que o servidor público não foi prioridade.
A caminhada foi seguida de falas e palavras de ordem. No centro da cidade os servidores fizeram uma parada e discursos chamando a atenção da população que olhava atentamente. Para muitos servidores a situação é humilhante e de desprezo por parte da administração municipal de Aratuba. Segundo a servidora Simone Martins, auxiliar de serviços gerais, “essa é uma situação humilhante que estamos passando, não estamos atrás de favor de prefeito não, estamos atrás de um direito nosso porque nós trabalhamos e merecemos receber nosso salário, passamos o natal e o ano novo com o bolso liso, sem dinheiro, e fizemos a greve para lutar pelos nossos direitos e agradecemos o Sindicato pelo apoio”, declarou a servidora para entrevista no programa de rádio local.
Ao chegarem a prefeitura, os grevistas tomaram o paço municipal. O prefeito Ivan Neto (PDT) não se encontrava na sede do governo, segundo SEUS assessores, o mesmo encontrava-se com compromissos em Fortaleza no governo do estado. A chefe de gabinete conseguiu falar com o chefe do poder executivo que marcou uma reunião com o sindicato e o comando de greve para a terça-feira, dia 14/01, no gabinete. O presidente do Sindiara, Joerly Vítor, avalia como positiva a manifestação e que já se conseguiu a abertura do diálogo e que os movimentos irão continuar. Já se planeja um panelaço em frente a sede da prefeitura entre outros movimentos com o intuito de chamar a atenção para a solução do problema. “A situação desses servidores é preocupante, uma vez que falta de salário fere as primícias da vida humana, gera um transtorno social, econômico e psicológico para o trabalhador, suas contas se acumulam e em alguns casos pode ficar impagáveis. Sem contar no declínio da economia local, nosso comércio estar parado, o dinheiro não circula e acaba afetando a todos. Se o governo municipal afirma nas redes sociais que uma obra que se faz no município é com recursos próprios, porque não usar esse dinheiro para pagar esses servidores? Esperamos o mais rápido possível solucionarmos esse problema, estamos a disposição da gestão”, declarou o presidente.

Servidores da saúde dos níveis médio da saúde se encontram com o salário de dezembro ainda em atraso, outros como médicos, enfermeiras e dentistas dos PSF (Programa Saúde da Família) estão também com os salários de novembro e dezembro em atraso, mas não estão de greve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário