Buscar

01 novembro 2015

Adultos não sabem matemática Básica

matematica
A matemática não é desafio só para quem está na escola. Pesquisa realizada em 25 cidades brasileiras com adultos de mais de 25 anos mostra que a maioria não sabe fazer operações matemáticas simples: 75% não sabem médias simples, 63% não conseguem responder a perguntas sobre porcentuais e 75% não entendem frações, entre outros resultados dramáticos.

Em avaliações similares em países ricos, o resultado é em média quatro vezes melhor. O estudo ainda aborda a rejeição que o tema provoca. A matéria mais detestada foi matemática, com 43% das respostas. A memória que os adultos têm do assunto é até pior: 65% dizem não ter tido facilidade com a disciplina na escola.
Segundo o coordenador do estudo, Flavio Comim, docente da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e professor visitante de Cambridge, no Reino Unido, os dados reafirmam os diagnósticos de que o ensino de matemática tem falhas. “Essas deficiências acarretam impactos econômicos e sociais”, diz ele. “Uma sociedade que sabe pouco de matemática é pouco competitiva, como mostra a comparação internacional. Também mexe muito com a sobrevivência das pessoas, porque define o que você compra, se fará um financiamento”, afirma. Outro resultado do levantamento indica que 69% não sabem fazer contas com taxas de juros.
O estudo foi encomendado pelo Instituto Círculo da Matemática do Brasil, iniciativa da TIM, e 2.632 pessoas foram ouvidas, com idade média de pouco mais de 40 anos. A amostra não foi organizada por renda, mas pelo número médio de anos de estudo, que ficou em torno de 8,3 anos de escolaridade.
Perfis
Há diferenças quando se olha para quem estudou mais ou menos. Enquanto 28% dos adultos com mais de 15 anos de estudo não sabem fazer regra de três, o índice é de 71% entre quem tem até 8 anos de escola.
No geral, 60% das pessoas tinham matemática entre as disciplinas que não gostavam na escola. Para Katia Stocco Smole, diretora do grupo Mathema, de formação e pesquisa em ensino de matemática, o dado não surpreende, “mas incomoda bastante”. “As pessoas não gostam porque nunca fez sentido para elas. A escola não ensinou a entender o sentido desses conceitos básicos. Quando aprendem, gostam.”
Segundo dados do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) de 2013, apenas 9,3% dos jovens terminam o ensino médio com o nível adequado na disciplina. Além das falhas na escola, a visão das crianças acaba também influenciada pela ojeriza dos adultos. “Tem um efeito intergeracional e essa aversão vai passando de pai para filho”, diz Flavio Comim.
O representante de vendas Bruno Singer, de 36 anos, diz usar com certa facilidade os conceitos básicos da matemática no trabalho, mas recorre à calculadora nas tarefas mais complexas. “Tenho a impressão de que muito do que estudei na escola eu não uso no dia a dia”, diz ele, formado em Administração. O estudo mostra que 89% das pessoas dizem que nem sequer usam a matemática no dia a dia.
Para o também vendedor Bruno Costa, de 28, a tecnologia ajuda. “No trabalho, as projeções chegam prontas. Mas tem de saber fazer a leitura daquilo”, diz.
Trauma. Ao saber do tema da conversa, a enfermeira Simone Pavani de 48 anos, já titubeia. “Sempre foi a disciplina que tive de me esforçar mais. Às vezes estou fazendo uma compra e tem um desconto de 10%. Fico me perguntando ‘será que foi isso mesmo?’” comenta, rindo. “No trabalho me viro bem, mas percebo colegas mais novos com dificuldades.”
Coordenador-geral da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), Claudio Landim diz perceber uma lacuna na formação dos professores, mas é mais otimista com as novas gerações. “Nós vivemos em um mundo cada vez mais tecnológico e a matemática está por trás dos programas, do aplicativo de celular. Isso tem despertado interesse cada vez maior”, diz Landim, que é diretor adjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa). “Há uma melhora, mas não será da noite para o dia.”
Fonte: Ceará Agora

Coelce corta energia de prefeituras por falta de pagamento

nota encaminhada aos veículos de comunicação no início da noite desta sexta-feira, 30, a Companhia Energética do Ceará (Coelce), informa o corte de energia em 10 unidades administrativas das prefeituras de Baturité, Pacajus, Capistrano e Mulungu.
De acordo com a Companhia o corte ocorreu por falta de pagamento de faturas por parte dos municípios. A empresa afirma ter tomado a decisão após tentar “negociar o débito em várias ocasiões”.
Fonte: Ceará Agora

Faculdade do Maciço de Baturité realizou ações em comemoração ao Dia das Crianças

“Hoje tem marmelada? Tem sim, senhor! Hoje tem palhaçada? Tem sim, senhor! Também tem bondade, solidariedade, amor ao próximo e responsabilidade social”. Foram com estes dizeres que a Faculdade do Maciço de Baturité (FMB), promoveu na sede da instituição o Dia das Crianças.
Uma ação em alusão ao dia das crianças movimentou à tarde do último sábado (31/10) na Faculdade do Maciço de Baturité. Dezenas de crianças das localidades de Baturité e do Maciço aproveitaram os doces, brinquedos, brincadeiras e lanches ofertados
A ação foi coordenada pelo diretor Geral da faculdade, Edílson Castro, professores, funcionários e alunos e teve como propósito estimular nos universitários o desejo de ajudar o próximo e se envolver em causas sociais que podem melhorar o mundo.
Além do lanche e brinquedos, quem esteve na festa também teve a oportunidade de participar de diversas atividades proporcionadas pelos universitários da instituição. “A infância é uma fase tão bonita e que passa tão rápido que temos que aproveitar. A ação foi organizada pela FMB e é um momento muito importante para unir cada vez mais a comunidade”, destacou o Diretor Geral Edilson Castro.
“Entendemos que impactar pessoas não se restringe a discursos em um pequeno espaço de sala de aula. Entendemos que educação se faz no convívio social e que impactar o mundo se dar através de ações. Entendemos que uma Faculdade tem uma grande responsabilidade com a sua comunidade e que é necessário causar nesta uma sensação de pertença. Foi com esses entendimentos que a FMB proporcionou nesta tarde para mais de mil crianças, uma tarde recreativa, com oficinas, distribuição de brinquedos, lanchinhos, carinho e muita diversão”, destacou o jovem Alysson Castro.
“Fazer festa para adultos é contagiante, mas, estar em parceria para ver cada criança presente feliz, não há palavras, é muita emoção, uma festa que ficará marcada na vida de cada uma delas e especialmente na minha vida”, destacou o universitário Flávio Silva.
 

 
Fotos: Flávio Silva
Redação Aracoiaba News

Prefeitura de Aracoiaba realiza ações especiais para o Dia de Finados

A Prefeitura de Aracoiaba, por meio das Secretarias de Infraestrutura, Meio Ambiente e Urbanismo estão intensificando neste mês de outubro o trabalho de limpeza dos cemitérios do Distrito de Ideal, Lagoa Verde e da Sede do município. Visando aumentar o número de visitantes ao cemitério no Dia de Finados, servidores públicos da secretária vêm realizando um trabalho intensivo.
De acordo com o secretário, Nazareno Bezerra, estão sendo realizadas obras de poda de árvores, capinação, pintura, limpeza em geral do cemitério e revitalização da iluminação nas áreas externas e internas. Vale salientar que o cemitério situado na localidade de Lagoa Verde, foi realizado a contratação de um gerador que irá funcionar durante este período.
 “Temos que garantir um maior conforto para as famílias enlutadas e para aquelas que utilizam o cemitério como momento de meditação pela perca dos seus entes queridos”, disse Nazareno.
A expectativa é de que no feriado de finados Aracoiaba receba visitantes de todos os lugares, que passam para visitar o cemitério público do município, bem como os jazigos de seus familiares.

No município, existe um cemitério na zona urbana, e dois na zona rural, localizados no Distrito de Ideal e na comunidade de Lagoa Verde.