Buscar

18 setembro 2015

Liderança de Pacoti Paulo Pontes “Paulinho do Ouro”, filia-se ao PRB e assume presidência do partido

Paulinho do Ouro é considerado um dos homens mais influentes de Pacoti.
O Ex-Vice-Prefeito da cidade de Pacoti, situada no Maciço de Baturité, Paulo Pontes (Paulinho do Ouro), filiou-se ao Partido Republicano Brasileiro (PRB) e assumiu a presidência do mesmo, no último dia 11 de setembro, em solenidade realizada na sede do Partido. O mesmo recebeu o convite do Secretário Estadual do PRB, o Sr. Euler Barbosa para filiar-se ao partido.
Paulinho do Ouro, popularmente conhecido fazia parte do Partido Socialista Brasileiro (PSB), ao qual foi presidente da sigla. Foi vereador, vice-prefeito e atualmente exerce a função Secretário de Planejamento e Gestão (SEPLAG), no atual governo do Prefeito Edson Leite. 

Redação Aracoiaba News

Roberto Pessoa comunica saída do PSB após a chegada de Danilo Forte


Uma das maiores lideranças de oposição no Ceará, o ex-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, está de malas prontas para deixar o PSB. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (17) em conversa por telefone com o presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira.

A decisão acontece dias após a filiação do deputado federal Danilo Forte, dissidente do PMDB, provocando crise interna no partido, e prejudicando a provável candidatura à Prefeitura de Fortaleza do deputado Heitor Férrer, que ainda não assinou oficialmente sua saída do PDT

Com a saída confirmada do PSB, Roberto Pessoa pode voltar ao PR, mas estuda convite de outros partidos como o PMDB de Eunício Oliveira. O ex-deputado Sérgio Novaes também já decidiu que não ocupará nenhum cargo na direção da legenda, mas continua filiado.

Fonte: CN7

TSE deve retomar julgamento de ação que pede cassação de Dilma na terça-feira

TSE 1
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deverá retomar, na próxima terça-feira (22), o julgamento de uma das ações que pedem a cassação de mandato da presidente Dilma Rousseff. A ministra Luciana Lóssio liberou nesta quinta­feira, 17, o processo após ter solicitado na sessão anterior vistas do mesmo.

A Corte já tem maioria favorável para abrir a ação e permitir a investigação de fatos relacionados à campanha eleitoral da presidente, como pede o PSDB. A ministra passou 20 dias com o processo. No início do ano, um pedido de impugnação do mandato da presidente e do vice Michel Temer foi rejeitado pela  ministra Maria Thereza de Assis Moura. Após recurso do PSDB, o caso foi levado ao plenário da Corte.
Já votaram pela continuidade da ação os ministros Gilmar Mendes, João Otávio de Noronha, Luiz Fux e Henrique Neves. O único voto pelo arquivamento do caso foi da ministra Maria Thereza, alvo de fortes críticas por parte de Mendes. Além do voto de Luciana Lóssio ainda resta o voto do presidente do TSE, ministro Dias Toffoli.
Os ministros deverão decidir ainda se a relatoria dos quatro processos que tramitam na corte ficarão a cargo de um só ministro. A ação que estava com Lóssio acusa a campanha petista de usar a estrutura pública na disputa eleitoral, com abuso de poder econômico, argumentando ainda que propinas oriundas do esquema de corrupção na Petrobras podem ter sido misturadas às doações oficiais.
Fonte: Ceará Agora

Lula pede a Dilma que privilegie os 'fiéis' na reforma política

FOTO: UOL
FOTO: UOL
Na primeira conversa com a presidente Dilma Rousseff após a divulgação do pacote fiscal, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu a ela que faça uma reforma ministerial mais ampla, para garantir sustentação política no Congresso e evitar o processo de impeachment. Lula disse a Dilma, na quinta-feira (17/09), que ela precisa aumentar o espaço dos aliados fiéis e diminuir os cargos dos traidores, porque somente assim conseguirá aprovar o ajuste e barrar iniciativas para afastá-la do Planalto.
Na lista dos partidos que comandam ministérios e votaram contra medidas propostas pela equipe econômica na primeira fase do ajuste estão o PR, que controla os Transportes; o PDT, no Trabalho; e o PRB, no Esporte. A avaliação é de que tudo tem de ser feito para impedir que um pedido de impeachment seja aceito na Câmara comandada por Eduardo Cunha (PMDB-RJ) porque, se isso ocorrer, será muito difícil deter sua tramitação com a pressão das ruas.
Apesar de defender mudanças na política econômica e achar que Dilma deveria ter adotado outro caminho para reequilibrar o Orçamento, Lula disse que é necessário “pôr no Ministério quem ajuda o governo no Congresso” para aprovar o quanto antes o pacote fiscal, mesmo se houver recuos estratégicos, como um prazo menor de vigência da CPMF.
Depois de se encontrar com Dilma, Lula jantou com ministros do PT e considerou a situação “gravíssima”. Na conversa, o diagnóstico foi que outra derrota de Dilma no Congresso, neste momento, pode ser fatal para ela.
“Nós precisamos nos unir. Mesmo quem não concorda com um ponto aqui, outro acolá, tem de apoiar nossa companheira”, disse Lula, segundo relato de um dos participantes do encontro. “Mas nós também precisamos dar uma notícia boa para a população. Não dá para só falar em desemprego, recessão, imposto e corte.”
Embora faça reparos ao endurecimento do ajuste, Lula garantiu que não renovará as críticas à equipe econômica nem atacará as medidas em público. Para ele, a presidente deve dar uma “chacoalhada” no governo e mudar a articulação política, inclusive a Casa Civil, além de se reaproximar do vice Michel Temer, que comanda o PMDB.
Até agora, porém, Dilma resiste a tirar Aloizio Mercadante da Casa Civil e avisou que não cederá às pressões. O nome da ministra da Agricultura, Kátia Abreu (PMDB), chegou a ser cogitado para a pasta, mas ela não tem apoio integral do PMDB. Lula também disse, ontem, que não aprovaria a troca. Na sua opinião, o mais indicado para substituir Mercadante seria Jaques Wagner, titular da Defesa.
Fonte: Ceará Agora

Ceará se destaca na Avaliação Nacional de Alfabetização

educacao_infantil
Os resultados finais da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) 2014 foram divulgados nessa quinta-feira (17/09), pelo Ministério da Educação (MEC). A partir da ANA, é possível conhecer o desempenho em Leitura, Escrita e Matemática das crianças que estavam matriculadas no 3º ano do ensino fundamenta da rede pública. De acordo com a avaliação, 85% dos alunos cearenses desenvolveram competências de leitura consideradas adequadas.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) organiza os resultados em uma escala que vai de 1 a 4 em Leitura e Matemática e até 5 em Escrita.
A maioria absoluta das crianças cearenses avaliadas já conseguia ler palavras complexas e localizar informações explícitas em textos curtos; reconhecer a finalidade de texto como convite, cartaz, receita, entre outros. Enfim, já tinham desenvolvido uma estrutura de leitura mais complexa. Os dados mostram ainda que o Ceará registra apenas 14,99% no Nível 1 na escala de Leitura, enquanto no Brasil é de 22,21% e no Nordeste é de 35,56%.
Em Matemática, o Ceará apresenta um percentual de 48,65% de crianças em uma situação adequada, levando-se em consideração os níveis 3 e 4. Nestes mesmos níveis, o Brasil está com 42,93% e o Nordeste 25,93%. Na escala de Escrita, o Ceará tem 60,95% das crianças nos Níveis 4 e 5,  considerados adequados.
PAIC
Uma das ações que influenciaram diretamente nos resultados de alfabetização das crianças cearenses foi o Programa Alfabetização na Idade Certa (PAIC). Em 2007, o Programa começou suas atividades com a meta de garantir a alfabetização dos alunos matriculados no 2º ano do Ensino Fundamental da rede pública cearense. Em 2011, para expandir as mesmas ações ao 3º, 4º e 5º anos, foi lançado o Programa Aprendizagem na Idade Certa (PAIC +5). Um avanço significativo pode ser visto desde sua implantação.
Conforme dados do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (Spaece) 2014, 84,6% dos estudantes encontram-se alfabetizados ao término do 2º ano. Em 2007, esse percentual era de apenas 39,9%. Nesse mesmo período, é possível verificar que houve uma redução de percentual de alunos não alfabetizados ao final do 2º ano. Caiu de 32,8% para 0,6%.
Em 2014, a aprendizagem dos alunos do 5º ano, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, melhorou em relação ao ano de 2008. Em Língua Portuguesa, o percentual de alunos no nível adequado subiu para 35,5%, enquanto, em 2008, o nível era de 6,8%. Em Matemática, era de 3,6% e passou para 27,1%.
Outra conquista importante é o número de municípios cearenses no Padrão Desejável em alfabetização das crianças ao final do 2º ano do Ensino Fundamental. No início do programa, apenas 14 municípios estavam no padrão Desejável em alfabetização das crianças ao final do 2º ano do Ensino Fundamental. Em 2014, esse número subiu para 173.
Quanto aos resultados do 5º ano, em 2008, nenhum município cearense apresentava média no nível adequado em Língua Portuguesa e Matemática. Em 2014, o resultado do 5º ano cresceu de forma considerável, mostrando que 34 municípios cearenses já se encontram com média no nível adequado nas duas disciplinas.
Essa melhoria nos níveis de alfabetização e dos primeiros anos do ensino fundamental alcançada no Ceará deve-se à boa combinação dos esforços de todos os municípios com o apoio estadual e a cooperação do Ministério da Educação.
grafico educação




































Fonte: Ceará Agora

Pedreiro se forma em Direito após pedalar 42 km por dia para estudar

Pedreiro realiza sonho e recebe diploma de graduação em Direito, espírito santo (Foto: Ricardo Medeiros/ A Gazeta)Mais de 40 anos e muitos desafios precisaram ser atravessados para que o pedreiro Joaquim Corsino realizasse seu sonho. Aos 63 anos de idade, vestido de beca e com chapéu de formando, ele recebeu, na noite desta quinta-feira (17), em Vitória, o seu diploma de graduação em Direito.
Quero ser delegado de polícia"
Joaquim Corsino, ex-pedreiro
Para realiza o sonho, o pedreiro Joaquim Corsino dos Santos pedalava, diariamente, entre Cariacica, onde mora, até Vitória, onde fica a faculdade de Direito em que ele estuda. A distância, cerca de 21 quilômetros entre um município e outro, não desanimou o estudante. "Quero ser delegado de polícia" disse
Nascido em Itaumirim, Minas Gerais, Joaquim chegou ao Espírito Santo aos 18 anos. Com mais de 20 concluiu um curso técnico em Administração.
Mas após não ser aprovado no vestibular de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em 1980, precisou deixar os livros para trabalhar. A partir de então, Joaquim começou a atuar como ajudante de   pedreiro e, mais tarde, como pedreiro.
Ainda assim, a vontade de estudar sempre esteve presente. Por isso, a cada parede erguida por Joaquim, parte do dinheiro ganhado era guardado. Além de construir sua casa, em Bandeirantes, Cariacica, o pedreiro juntou ao longo dos anos R$ 55 mil para os estudos.
“Eu sou um camarada que gosta das coisas honestas. Sempre quis fazer um curso de Direito para ajudar outras pessoas”, conta Joaquim, que em 2008 iniciou a graduação em uma faculdade privada. Quatro períodos foram concluídos, mas o pedreiro  teve que adiar o sonho por mais um tempo.
“Um amigo pediu R$ 4.500 emprestados e não pagou. Aí eu tive que parar a faculdade para juntar mais dinheiro para poder pagar o curso todo”, lembrou.
De Bicicleta
Em 2012, Joaquim retornou à graduação e não parou mais. Todos os dias ele fazia o trajeto de sua casa até a faculdade, em Vitória, com sua bicicleta em um percurso de 42 km.

E engana-se quem pensa que com o diploma a saga de superação de Joaquim chega ao fim. Os olhos do bacharel em Direito estão voltados para o futuro. Seu próximo objetivo é ser aprovado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Em seguida, pretende se tornar delegado. “Quando eu leio a Constituição no artigo quinto, que fala que todos têm direitos iguais, vejo que tem muita coisa boa nela e eu gostaria de contribuir para isso”.
Joaquim pedala todos os dias atrás do sonho de ser delegado (Foto:  Fernando Madeira / A Gazeta)
Com informações de Maíra Mendonça, do Jornal A Gazeta.
Fonte: G1

MEC divulga proposta de currículo único para a educação básica

Brasília- DF- Brasil- 06/04/2015- O novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, fala à imprensa após cerimônia de transmissão de cargo, no ministério (Valter Campanato/Agência Brasil)O Ministério da Educação divulgou, nesta quarta-feira,16, a proposta Base Nacional Comum. Esse documento detalha o que precisa ser ensinado aos alunos em cada etapa de ensino e disciplina. Está aberto para audiências públicas para participação de pais, educadores e toda entidades.
O texto final deve ser aprovado em junho de 2016. A proposta é que de a base comum vai padronizar 60% do currículo da educação básica, principalmente nos conteúdos de Português, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.
O restante seria formulado de acordo com as características sociais e culturais dos estados e regiões. O objetivo é que se estabeleça o que o aluno precisa saber em cada etapa.
Mas, de acordo com o MEC, a forma como as escolas vão passar o conteúdo vai ser livre. O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, destaca a necessidade de uma base para fundamentar o que vai ser ensinado nas escolas aos estudantes brasileiros. Segundo ele, a mudança vai trazer melhorias para alunos e professores.
“Os professores terão uma orientação mais clara, nós vamos poder melhorar a formação de professores, melhorar o livro didático e, no futuro, vamos poder ter um bom material didático áudiovisual também. Com a medida que isso tudo se evolui, porque é uma tarefa de anos. Mas o dia de hoje, o que ele tem de importante, é que mais de 100 especialistas entre professores em sala de aula e especialistas em ensino das mais variadas ciências e conhecimentos estão oferecendo uma grande contribuição para o país, para ser melhorado. Não é uma contribuição definitiva. Não é uma posição oficial do MEC, não é nada ainda determinado. Mas é uma base de discussão para saber o que cada aluno deve saber.” disse o Ministro da Educação.
As contribuições podem ser enviadas, pelo site: www.basenacionalcomum.mec.gov.br, a partir do próximo dia 25 de setembro até o dia 15 de dezembro deste ano.
O texto final da consulta pública vai ser enviado ao Conselho Nacional de Educação, o CNE, entre março e abril de 2016.

FAIBRA esclarece polêmica sobre cursos de extensão

Há muito se discute sobre de que maneira a Educação no Brasil, sobretudo a de ensino superior, poderia passar por algumas reformulações. Não apenas para melhorar, mas para se aumentar o acesso das pessoas à educação, e de quem por algum momento acreditou que nunca fosse chegar um dia a ter um diploma.
O Ministério da Educação (MEC), através da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, considera que a Educação de Ensino Superior compreende as seguintes modalidades: cursos sequenciais, de extensão (os cursos livres), de graduação (bacharelado, licenciatura e tecnológico) e de pós-graduação (mestrado, doutorado).
Há algum tempo diversas instituições surgiram oferecendo cursos que contribuíram para a qualificação do profissional brasileiro e aumentaram suas possibilidades de empregabilidade. O que na prática levou as empresas a evoluírem e diminuiu a tensão entre Instituições de Ensino Superior e mercado de trabalho.
No Piauí uma delas destaca-se por adotar um modelo totalmente inovador no quesito cursos livres. A Faculdade Integrada do Brasil (FAIBRA) passou a ser uma das instituições que mais cresceu e despertou interesse de novos alunos.
Print do site oficial do Ministério da Educação. Endereço: http://emec.mec.gov.br/emec/consulta-cadastro/detalhamento/d96957f455f6405d14c6542552b0f6eb/MjM4NA==
Credenciada pelo MEC para o oferecimento do curso de pedagogia, dentro do escopo da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), está completamente regular e apta a oferecer cursos de extensão, seja na modalidade de cursos de curta duração, seja através de um Programa de Educação Continuada, chamada PROEC. 
O PROEC - INOVAÇÃO E INCLUSÃO
O Programa de Educação Continuada – PROEC -  inovou a forma de oferta do ensino superior. Idealizado por avaliadores do MEC, Vera Lúcia Andrade Bahiense, o programa abriu um canal de comunicação com a sociedade e realizou uma finalidade da educação da educação superior que é promover a extensão aberta à participação da população (Art43, Inciso – VII)

O modelo foi criado pela professora Vera Lúcia Andrade Bahiense, mais conhecida como Vera Bahiense. Graduada em Letras pela Universidade da Região de Joinville - UNIVILLE, ela é Mestre e Doutora em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUCSP, licenciada do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE, e foi mantenedora da AECB, associação que mantém a FAIBRA em 2014. 
Ex-mantenedora da FAIBRA, que é consultora do MEC, é criadora do PROEC-Programa de Educação Continuada 
A professora Vera Bahiense tem respaldo, pois é consultora do MEC/INEP desde 2004, onde faz avaliação de cursos de várias instituições de Ensino Superior no Brasil. O PROEC tornou-se referência para outras instituições do País. Ressalta-se que o Programa de Educação Continuada teve grande impacto sobre o aperfeiçoamento profissional e desenvolvimento regional. Haja vista que, os conteúdos dos cursos de extensão foram pensados em estreita relação as atividades práticas da educação. Além do mais, prefeituras que investem em educação continuada tem bons resultados no índice de desenvolvimento da educação básica (IDEB).
Avaliador institucional do INEP, Prof Dr. Fernando Luiz Andrade Bahiense
O professor Doutor Fernando Luiz Andrade Bahiense diz que referente ao programa denominado “Proec” (Programa de Educação Continuada),  na modalidade da extensão acadêmica, emitiu parecer como consultor educacional pela empresa da qual é sócio, Isenior Consultoria Educacional Ltda, tendo analisado e concordado com as bases legais do programa, na forma dos artigos 43 e 44 da LDB. "Enfatizo que não sou avaliador (funcionário do INEP)", diz. Graduado em Matemática pela Universidade da Região de Joinville (1986), especialista em Administração (1990), mestrado em Educação pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (1994) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2002). Atualmente é professor titular da Universidade da Região de Joinville, Professor da Faculdade Integrada do Brasil, avaliador de cursos. Tem larga experiência nas áreas de avaliação da educação superior. 
OS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS E SUA LEGALIDADE
A autoridade máxima em educação, o MEC, em suas visitas in loco avaliou que os programas estão de acordo com a legislação vigente. Referendado nos relatórios de avaliação institucional externa, as ações da IES são periodicamente analisadas e os dados da avaliação subsidiam os atos regulatórios.

Recentemente a instituição realizou um Fórum de Educação Ambiental para seus alunos e lotou um dos auditórios. Fruto da qualidade no ensino oferecido e acima de tudo a confiança dos alunos na metodologia repassada.
QUEM ESTAVA A FRENTE DA FAIBRA
É importante lembrar que quem estava a frente da FAIBRA na época de sua implantação, em 2011, era Jonas Garcia Dias. Representante legal da FAIBRA no período de 13/05/2011 a 08/08/2013 na condição de Presidente da mantenedora as ações de extensão tiveram seu primeiro grande impulso. E durante a gestão de Leonel Pavanello Filho, outro representante legal da FAIBRA noperíodo de 08/08/2013 a 18/02/2014 na condição de também presidente da mantenedora as políticas institucionais continuaram a ser implementadas de acordo com seu plano de desenvolvimento institucional.

Jonas Garcia foi o mantenedor que implementou o programa junto com a Diretora Geral da época, Vera Bahiense / Já Leonel Pavanello Filho era o outro representante legal da FAIBRA 
NOVA GESTÃO FAZ INVESTIMENTOS
Jessyca Lages assumiu a presidência da mantenedora em outubro de 2014 e, como representante legal diante do cenário de impasse entre o Ministério da Educação (MEC) e o Ministério Público Federal (MPF), resolveu suspender as ofertas dos programas de extensão e qualquer outro programa institucional. A queda de braços pode ser observada na resposta do MEC ao MPF de que o mesmo deveria seguir as instruções do Decreto n° 5.773/2006 que atribui as Secretarias de Regulação e Supervisão a competência sobre o assunto:

"Em tempo, a propósito de a demanda dessa Procuradoria mencionar notícia de possíveis irregularidades da FAIBRA, importa considerar que, conforme disciplinamento constante do CAPÍTULO III do Decreto n° 5.773/2006, identificadas irregularidades e deficiências no funcionamento de determinada instituição de ensino superior, o Ministério da Educação determinará, observados o contraditório e a ampla defesa, ações de supervisão. Pela praxe, a instituição envolvida é notificada a se manifestar e, conforme o caso, o competente processo administrativo de supervisão é instaurado, podendo aquele resultar em aplicação de penalidades no âmbito administrativo, sem prejuízo dos efeitos da legislação civil e penal.'OFÍCIO PRDC/PR/PA/N° 3661/2012-C'", assim pronunciou-se o MEC ao MPF.
Durante sua gestão, Jéssyca Lages recepcionou pela FAIBRA comissões do INEP para autorização dos Cursos de Administração e Teologia, onde logrou êxito em ambas as comissões. Buscou fortalecer as ações no âmbito da graduação com a promoção de ações voltadas para a melhoria da formação profissional.
Incentivou a oferta de cursos de pós-graduação, inaugurou a nova Sede na Rua São Pedro e aderiu ao programa federal PROUNI comconcessão de bolsas de estudo chegando até 50% de desconto. Aderiu também ao programa Educa Mais Brasil estimulando dessa forma o acesso à graduação, e a possibilidade do tão desejado sonho de uma formação profissional.
A falta de consenso sobre as extensões e formas de fazer extensão e sua relação com a graduação geram intensos debates. A Constituição Federal de 1988 prevê em art.207 o: “[...] ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.” Está marcado para outubro de 2015, em Brasília, mais especificamente nos dias 16 e 17 de outubro, o Congresso Brasileiro sobre direito à Educação, através da Extensão Universitária.
Fórum de Educação Ambiental realizado pela FAIBRA: alunos aprovam o modelo adotado
SOBRE A POLÊMICA NO ESTADO DO PARÁ
No estado do Pará, onde a FAIBRA começou a atuar devido o crescimento do seu modelo de ensino, o Ministério Público Federal (MPF-PA) solicitou que a FAIBRA não veiculasse qualquer anúncio de divulgação dos seus cursos de extensão. A faculdade, no entanto, informou que  o PROEC é um programa que opera de acordo com os princípios constitucionais. Informa a assessoria jurídica da instituição procurada pela reportagem: “Nós operamos no sentido de ampliar o acesso da população à educação. A LDB não regulamenta os cursos de extensão. Em assim sendo, os cursos de extensão oferecidos pela FAIBRA são plenamente legais.No caso do Pará, a FAIBRA assinou TAC com o Ministério Público daquele estado, comprometendo-se a não ofertar cursos de graduação fora de sua base geográfica, o que vem sendo cumprido à risca”.


No caso da Ação Civil Pública, que é da época em que a professora Vera Bahiense coordenava (ano de 2013), a assessoria jurídica diz que a atual gestão da FAIBRA ainda não foi citada para apresentar sua defesa. “A faculdade aguardará o envio da citação para poder se manifestar nos autos. A FAIBRA acredita, entretanto, que não praticou qualquer ilegalidade, e que seu modelo de educação inclusiva está adequado ao que demanda a Constituição”, enfatiza esclarecimento partindo da assessoria jurídica. Devido a grande popularização dos programas institucionais, e em especial, dos Cursos de Extensão, a FAIBRA vem investigando caso a caso, incluindo a utilização indevida de sua imagem. A assessoria jurídica da Faculdade ressalta que só oferece extensão na área da Pedagogia. A FAIBRA vem tomando as medidas judiciais cabíveis contra qualquer irregularidade sem conhecimento da instituição. No caso de dúvidas, entre em contato pelo e-mail institucional: ouvidoria@faibra.edu.br Em seu site e em sua página no Facebook, a FAIBRA tem demonstrado transparência sobre o modelo de educação adotado. Em demonstração de alunos através de suas redes sociais, não são poucos os que estão satisfeitos com o sonho do diploma na mão. 
Postagem da instituição no Facebook mostra como a Faibra tem atendido seus alunos, satisfeitos com a formação no curso de Pedagogia

NOTA DE ESCLARECIMENTO
O professor Dr. Fernando Luiz Andrade Bahiense encaminhou o seguinte esclarecimento: "Referente reportagem vinculada na data de 17/08/2015, venho a presença de Vossa Senhoria esclarecer que jamais fui idealizador de qualquer programa  acadêmico vinculado a Faibra. Referente ao programa denominado “Proec” (Programa de Educação Continuada),  na modalidade da extensão acadêmica, emiti parecer como consultor educacional pela empresa da qual sou sócio, Isenior Consultoria Educacional Ltda, tendo analisado e concordado com as bases legais do programa, na forma dos artigos 43 e 44 da LDB. Enfatizo que não sou avaliador (funcionário do INEP), e sim, avaliador ad hoc e que nesta condição jamais atuei na FAIBRA. Solicito, outrossim, que seja feita a retificação do que hora está publicado, além da inclusão de nota explicativa vinculado a esta matéria".

Fonte: O OLHO

Vídeo - FMB na FIO Maciço 2015




TV Maciço - FMB na FIO Maciço 2015


Confira a FMB (Faculdade do maciço de Baturité) na FIO Maciço 2015 realizada pelo SEBRAE de 10 a 12 de Setembro na Praça Santa Luzia em Baturité_CE.

Gerente da loja Macavi de Russas é executado a bala

11999039_1016021825104354_5111172476080347127_nO gerente da loja Macavi do município de Russas, Sr. Hostiano, foi executado a bala nesta quinta-feira, 17. Segundo informações da polícia, o crime ocorreu na Travessa Vicente Veloso. A vítima pilotava sua moto quando foi abordada por homens em outra motocicleta que deflagraram pelo menos quatro tiros. O óbito foi imediato. A polícia militar realiza diligências na tentativa de capturar os atiradores. A motivação para o homicídio ainda é desconhecida.

STF diz ser inconstitucional doações de empresas para campanhas eleitorais

stf
O Supremo Tribunal Federal (STF) declarou inconstitucional o financiamento de campanhas políticas por empresas e empresários. A decisão foi tomada por oito votos contra três. O projeto, aprovado pela Câmara dos Deputados estava na mesa da Presidente Dilma Rousseff a espera de sua aprovação ou veto. O projeto permitia doações até R$ 20 milhões.

Com a inconstitucionalidade, a presidente deverá vetar o projeto. O presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, a decisão “valerá daqui para frente e valerá para as eleições de 2016 e 2018”. Votaram pela inconstitucionalidade os ministros Luiz Fux, Luís Roberto Barroso, Dias Toffoli, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Marco Aurélio Mello, Ricardo Lewandowski e o ex­ministro Joaquim Barbosa (que foi substituído pelo ministro Edson Fachin). Já os ministros Teori Zavascki, Gilmar Mendes e Celso de Mello, decano da Corte, votaram pela constitucionalidade das doações de empresas.
Apesar da decisão do STF, com base na legislação atual, há possibilidade da matéria voltar a ser avaliada pelo Congresso. Está em tramitação no Legislativo uma proposta de Emenda à Constituição (PEC) que pode acrescentar a doação empresarial na Constituição Federal. Ou seja, se aprovada, a PEC poderia “constitucionalizar” novamente as doações de pessoas jurídicas.
Fonte: Ceará Agora

Menino de cinco anos morre ao cair do 26º andar de edifício em São Paulo

Menino de cinco anos morre ao cair do 26º andar de edifício em São Paulo Twitter/ReproduçãoUm menino de cinco anos morreu ao cair do 26º andar de um edifício, na noite desta quarta-feira, no município de Taboão da Serra, em São Paulo. Segundo a polícia, Gustavo caiu pela janela do banheiro, por volta da meia-noite.
Ao portal G1, moradores do condomínio Pitangueiras afirmaram ter ouvido gritos e depois um grande barulho. Quando foram ver o que tinha acontecido, se depararam com o corpo no chão e o enrolaram com mantas, para que outras crianças não vissem a cena.

— Eu estava assistindo o jogo, tinha acabado de terminar o jogo, fui para a sacada tomar um vento, vi o movimento, daqui a pouco eu escuto uma gritaria e um silêncio. De repente, eu vejo o corpo caindo e espatifando no chão — disse o vizinho Reinaldo Costa Júnior à rádio CBN.

A mãe de Gustavo, Juliana Souza Storto, 33 anos, contou à polícia que deixou o menino sozinho em casa, dormindo, e foi buscar o namorado em uma estação de trem. Quando retornou, viu as luzes acesas e duas cadeiras dentro do box do banheiro. Depois, olhou pela janela e avistou o corpo do filho no chão. 

Ela ainda garantiu que mensagens trocadas pelo WhatsApp com o namorado, que não é o pai de Gustavo, podem provar que ela não estava em casa no momento da queda do filho. Na conversa, ela teria combinado o local de encontro com o rapaz. Os celulares de ambos foram apreendidos e serão analisado pela perícia.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Taboão da Serra, que aguarda as imagens das câmeras de segurança do condomínio para analisar os vídeos. A perícia diz que inicialmente está trabalhando com a hipótese de acidente.


Extintor em carro de passeio não será mais obrigatório

extintores
O uso de extintor de incêndio em automóveis passará a ser facultativo no Brasil, conforme decisão tomada hoje (17) pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). A mudança na legislação envolve utilitários, camionetas, caminhonetes e triciclos de cabine fechada. Porém, o equipamento permanece obrigatório para todos os veículos usados comercialmente para transporte de passageiros, caminhões, caminhão-trator, micro-ônibus e ônibus, além de veículos destinados ao transporte de produtos inflamáveis, líquidos e gasosos.

Segundo informações do Ministério das Cidades, a obrigatoriedade do uso do extintor estava em vigor desde 1970. De acordo com a pasta, a decisão pelo uso opcional do equipamento foi tomada após encontros com representantes dos fabricantes de extintores, do Corpo de Bombeiros e da indústria automobilística.
“Estudos e pesquisas realizadas pelo Denatran [Departamento Nacional de Trânsito] constataram que as inovações tecnológicas introduzidas nos veículos resultaram em maior segurança contra incêndio”, diz o ministério, ao destacar o corte automático de combustível em caso de colisão, a localização do tanque de combustível fora da cabine de passageiros e a flamabilidade de materiais e revestimentos.
Ainda de acordo com a pasta, dados da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva mostram que, dos 2 milhões de sinistros em veículos cobertos por seguros, 800 tiveram incêndio como causa. Desse total, apenas 24, o equivalente a 3% dos casos, informaram que usaram o extintor.
O governo também ressaltou que o uso obrigatório do extintor em automóveis é mais comum em países da América do Sul, como Uruguai, Argentina e Chile. “Nos Estados Unidos e na maioria das nações europeias, não existe a obrigatoriedade, pois as autoridades consideram que a falta de treinamento e o despreparo dos motoristas para o manuseio do extintor geram mais risco de danos à pessoa do que o próprio incêndio”, ressaltou o ministério.
Autoridades de trânsito vão continuar a fiscalizar o uso de extintores de incêndio nos veículos em que seu uso é obrigatório. A punição para quem não estiver com o equipamento ou para quem estiver com o equipamento com validade vencida inclui multa no valor de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira de habilitação.
Fonte: Ceará Agora

Norte e Nordeste registram piores resultados na avaliação de alfabetização

Janine
Os dados da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), divulgados nesta sexta-feira (17) pelo Ministério da Educação, mostram que as regiões Norte e Nordeste têm os piores resultados. As áreas avaliadas foram leitura, escrita e matemática nas provas aplicadas a estudantes do 3º ano do ensino fundamental de escolas públicas.

Na escrita, a distancia é maior. Apenas 3,72% dos estudantes do Nordeste e 4,12% do Norte alcançaram o melhor nível da avaliação. No Sul e Sudeste, o registro de alunos nesse patamar foi, respectivamente, de 32,55% e 36,13%. Para a escrita alcançar o melhor nível de avaliação, os estudantes precisam ter capacidade de escrever palavras com diferentes estruturas silábicas e um texto corretamente e com coerência.
Na avaliação de matemática, 11,76% e 13% dos alunos estiveram no patamar mais alto nas regiões Norte e Nordeste, enquanto nas regiões Sul e Sudeste 32,55% e 36,13% dos alunos alcançaram, respectivamene, esses níveis de avaliação. Esses estudantes são capazes, por exemplo, de resolver cálculos mais complexos.
A diferença entre as regiões se repete na avaliação de leitura. Enquanto 4,84% e 5,52% dos alunos do Norte e do Nordeste obtiveram o nível máximo na avaliação, nas regiões Sul e Sudeste 13,88% e 16,75% atingiram o mesmo resultado. Na leitura, entre as habilidades exigidas no nível máximo estão reconhecer referentes de pronomes possessivos e advérbios.
Segundo o ministro da Educação, Renato Janine, o único nível inadequado é o um.”Os níveis dois, três e quatro são adequados. O nível um é francamente inadequado. Ele sequer lê uma palavra”, informou o ministro.
O Centro-Oeste ficou com 7,49% dos estudantes no melhor patamar na avaliação de escrita, 10,47% na de leitura e 24,52% em matemática. Esta é a segunda vez que o exame é aplicado nacionalmente. Os dados da avaliação anterior foram divulgados apenas para as escolas.
O gerente de Conteúdo do movimento Todos Pela Educação, Ricardo Falzetta, acrescentou que, apesar dos números preocupantes das regiões Norte e Nordeste, quando analisados os estados é possível notar bons resultados. Em entrevista à Agência Brasil, Faizetta afirmou que a análise de cada região mostra bons caminhos no Ceará e Acre.
Fonte: Ceará Agora

Agentes de Saúde denunciam não pagamento do piso por municípios

comissao audic mota
O deputado estadual Audic Mota (PMDB) reuniu, em audiência pública, os Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias do Ceará para discutir e denunciar o descumprimento da Portaria 1024 do Governo Federal, que trata da instituição do pagamento do piso salarial da categoria, da transferência de recursos e da implantação do plano de cargos e carreiras das classes.
Municípios não têm cumprido o que define a forma de repasse dos recursos da Assistência Financeira Complementar (AFC) da União. As verbas são destinadas ao pagamento do piso salarial e a concessão de incentivo financeiro no fortalecimento de políticas dos agentes comunitários de saúde (ACS). Mas, hoje, há inúmeros problemas com a suspensão desses incentivos e muitos agentes já perdem mais de R$ 500 em seus salários. Representantes das classes de diversos municípios estão receosos, ainda, quanto à implantação do plano de cargos e carreiras.
Para Audic Mota, é prioritário que se ouça as reivindicações e haja urgente melhoria das condições de trabalho. “Sobretudo, é preciso planejar uma ação por vez para que os direitos sejam de fato garantido”, alertou o parlamentar.
Ele é autor de uma emenda que impossibilita o repasse de recursos para municípios que descumprem a lei. “É algo que assegura os direitos aos agentes. O município tem obrigação de pagar os valores corretos”.
A categoria conta com o legislativo para fazer esta cobrança. Até porque a Assembleia Legislativa aprovou, neste ano, a lei que institui o piso salarial dos agentes de saúde do Ceará.
A audiência pública foi realizada pela Comissão de Seguridade Social e Saúde da Assembleia na tarde desta terça-feira 15, com representantes do Governo do Estado, Procuradoria Geral do Estado, Conselho e Sindicato dos Agentes e Associação dos Municípios (APRECE). Uma comissão sera formada com o objetivo de pensar soluções para a situação dos agentes.
Na avaliação do presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Sanitaristas no Ceará (Sinasce), Cláudio Sousa, há falta de comunicação entre os conselhos nacional e estadual de Saúde. “Na medida em que o Conselho Nacional pactua e o estadual diz que foi pego de surpresa, há uma falta de entendimento”, comentou.
Ainda de acordo com o sindicalista, os prefeitos estavam mal acostumados na aplicação dos recursos antes da portaria. “Antes usavam a verba como queriam, assim é fácil fazer cortesia com o chapéu alheio”, criticou.
Ao final da reunião ficou acertado que os encaminhamentos serão levados para a Secretaria da Saúde do Estado e representantes dos municípios, para que sejam tomadas as devidas providências.Audic Mota reúne agentes de saúde que denunciam descumprimento da lei do piso nos municípios
O deputado estadual Audic Mota (PMDB) reuniu, em audiência pública, os Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias do Ceará para discutir e denunciar o descumprimento da Portaria 1024 do Governo Federal, que trata da instituição do pagamento do piso salarial da categoria, da transferência de recursos e da implantação do plano de cargos e carreiras das classes.
Municípios não têm cumprido o que define a forma de repasse dos recursos da Assistência Financeira Complementar (AFC) da União. As verbas são destinadas ao pagamento do piso salarial e a concessão de incentivo financeiro no fortalecimento de políticas dos agentes comunitários de saúde (ACS). Mas, hoje, há inúmeros problemas com a suspensão desses incentivos e muitos agentes já perdem mais de R$ 500 em seus salários. Representantes das classes de diversos municípios estão receosos, ainda, quanto à implantação do plano de cargos e carreiras.
Para Audic Mota, é prioritário que se ouça as reivindicações e haja urgente melhoria das condições de trabalho. “Sobretudo, é preciso planejar uma ação por vez para que os direitos sejam de fato garantido”, alertou o parlamentar.
Ele é autor de uma emenda que impossibilita o repasse de recursos para municípios que descumprem a lei. “É algo que assegura os direitos aos agentes. O município tem obrigação de pagar os valores corretos”.
A categoria conta com o legislativo para fazer esta cobrança. Até porque a Assembleia Legislativa aprovou, neste ano, a lei que institui o piso salarial dos agentes de saúde do Ceará.
A audiência pública foi realizada pela Comissão de Seguridade Social e Saúde da Assembleia na tarde desta terça-feira 15, com representantes do Governo do Estado, Procuradoria Geral do Estado, Conselho e Sindicato dos Agentes e Associação dos Municípios (APRECE). Uma comissão sera formada com o objetivo de pensar soluções para a situação dos agentes.
Na avaliação do presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Sanitaristas no Ceará (Sinasce), Cláudio Sousa, há falta de comunicação entre os conselhos nacional e estadual de Saúde. “Na medida em que o Conselho Nacional pactua e o estadual diz que foi pego de surpresa, há uma falta de entendimento”, comentou.
Ainda de acordo com o sindicalista, os prefeitos estavam mal acostumados na aplicação dos recursos antes da portaria. “Antes usavam a verba como queriam, assim é fácil fazer cortesia com o chapéu alheio”, criticou.
Ao final da reunião ficou acertado que os encaminhamentos serão levados para a Secretaria da Saúde do Estado e representantes dos municípios, para que sejam tomadas as devidas providências.

Fonte: Ceará Agora