Buscar

18 março 2015

Cid Gomes abandona audiência e pede demissão do Ministério da Educação

O ex-governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), apresentou à presidente Dilma o pedido de demissão do cargo de Ministro da Educação nesta quarta, 18.
 Cid solicitou o abandono do cargo logo após se retirar da sessão geral da Câmara dos Deputados sobre esclarecimentos às acusações de "achaque" por parte de parlamentares ao Governo dilmista.
 "A minha declaração na câmara, é obvio que cria dificuldades para a base do governo. Portanto, eu não quis criar nenhum constrangimento. Pedi demissão em caráter irrevogável".
 A demissão de Cid foi proferida no Plenário da Câmara pelo presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "Comunico à Casa o comunicado que recebi do chefe da Casa Civil comunicando a demissão do ministro da Educação, Cid Gomes", disse Cunha. Durante discurso, Cid chegou a apontar o dedo ao presidente da Câmara acusando-o de ser um dos "achacadores".

Câmara e Eduardo Cunha vão processar Cid Gomes

cid sibáO presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou após o abandono do Ministro Cid Gomes do plenário da Casa, onde foi dar explicações sobre ter chamado os parlamentares de achacadores, que a Câmara e ele próprio vão processar o ministro por suas declarações. Cid se retirou do plenário após ser acusado pelo deputado Sérgio Zveiter  (PSD-RJ) de fazer “palhaçada”.
Eduardo Cunha disse que a Casa não perderia mais tempo com alguém que fez graves acusações a parlamentares e foi à casa confirmar o que disse e ainda tentou nominar achacadores. Ele se referiu ao momento que Cid apontou para ele ao repetir o que falara a estudantes na Universidade Federal do Pará.
O clima foi tenso, com deputados irados com a presença do Ministro. Alguns afirmaram que ele estava agindo de forma premeditada para sair como herói que afrontou os achacadores da Câmara dos Deputados. Cid, durante vários discursos sorriu, mas ao ser chamado de “palhaço” pelo deputado Zveiter, pediu respeito e teve seu microfone cortado pelo presidente da âmara. Cid então se retirou do plenário sob as vaias da maioria dos depurados
Fonte: Ceará Agora

Líder do PSC chama Cid de achacador por gastos no CE

andre mouraO líder do PSC na Câmara Federal, André Moura (SE), retribuiu os adjetivos do Ministro da Educação, Cid Gomes, e o tachou de achacador por ter iniciado a construção de um aquário por R$ 300 milhões na Praia de Iracema, em Fortaleza, gastar R$ 650 mil em um show da cantora Ivete Sangalo, durante a inauguração do Hospital Regional, na cidade de Sobral, usar recursos públicos para uma viagem internacional com familiares e construir uma estrada, também, em Sobral, para beneficiar um terreno de propriedade do ministro.
André Moura chamou o ministro Cid Gomes de ‘’desqualificado, mal educado e sem moral para cargo de Ministro de Estado’’. Cid, que acompanhou as acusações com um sorriso, ganhou, ainda, a alcunha de irônico e cínico. O discurso de André Moura foi entendido como uma orientação do líder do PMDB no Senado e ferrenho adversário de Cid Gomes, Eunício Oliveira.
Nessa mesma linha de discurso, também, estava o deputado federal Cabo Sabino, do PR. Cid, segundo o Cabo Sabino, não só mentiu, como, na condição de Governador do Ceará, caloteou os policiais. Disse que Cid Gomes não era digno de subir à Tribuna do Plenário, mas estava ali como o empregadinho da mãe – referência a presidente Dilma Rousseff.
Sabino lembrou, ainda, que, na condição de governador, Cid mandou para a Assembleia Legislativa o projeto de lei 14.130 que disciplinava a escala dos policiais militares e bombeiros. A medida que, de acordo com a lei, entraria em vigência em 180 dias, continua na gaveta.
Cabo Sabino ainda ironizou a postura adotada pelo então Governador Cid Gomes que agiu, em 2011, como ‘’Gatinho’’ fechado dentro de uma sala no Palácio do Governo, amedrontado por uma categoria que ele, Cid, açoitou. As declarações de Sabino, também, foram ignoradas pelo Ministro da Educação.
Fonte: Ceará Agora

Cid Gomes pede demissão após discutir com deputados na Câmara

O ministro da Educação, Cid Gomes , pediu demissão à presidente Dilma Rousseff, que aceitou.
O pedido ocorreu logo depois de o ministro participar na Câmara dos Deputados de sessão em que declarou que deputados “oportunistas” devem sair do governo.
"A minha declaração na Câmara, é obvio que cria dificuldades para a base do governo. Portanto, eu não quis criar nenhum constrangimento. Pedi demissão em carater irrevogavel", declarou o ministro.
Do plenário, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, chegou a anunciar a demissão antes mesmo de ter sido oficializada. "Comunico à Casa o comunicado que recebi do chefe da Casa Civil comunicando a demissão do ministro da Educação, Cid Gomes", anunciou Cunha no plenário.
Depois, a Presidência da República divulgou a seguinte nota oficial:
NOTA OFICIAL

O ministro da Educação, Cid Gomes, entregou nesta quarta-feira, 18 de março, seu pedido de demissão à presidenta Dilma Rousseff. Ela agradeceu a dedicação dele à frente da pasta.

Secretaria de Imprensa
Secretaria de Comunicação Social
Presidência da República
Fonte: G1

Tribunal de Justiça mantém afastado prefeito do município de Baturité


Foto: Segundo informações o Prefeito de Baturité, João Bosco Pinto Saraiva é afastado por 180 dias.
http://ultimahoraaracoiaba.blogspot.com.br/

O Tribunal de Justiça do Ceará realizou sessão das câmaras criminais e julgou Agravo de Instrumento que inventava o retorno do prefeito afastado do município de Baturité, Bosco Saraiva, o 'Bosco Cigano'. 

Por unanimidade (5 votos a 0), os desembargadores decidiram pela manutenção da decisão da Desembargadora Adelineide Viana, que decretou afastamento por 180 dias, prorrogável por igual período, do prefeito investigado.

Enquanto isso, a Câmara dos Vereadores de Baturité instalou quatro CPIs (Comissão Parlamentar de Inquérito), porém, encontra muita dificuldades, pois o prefeito afastado cria subterfúgios para receber as notificações.

Com a intenção de ouví-lo nessa sexta-feira, a Câmara divulgou a intimação nas emissoras de rádio locais. 

Cid Gomes não é mais ministro da Educação


O ministro da Educação, Cid Gomes foi demitido em reunião no Palácio do Planalto, após ter abandonado a comissão geral convocada pela Câmara. O agora ex-ministro foi direto ao Palácio do Planalto,  depois de ter sido chamado de “palhaço” pelo deputado Sergio Zveiter (PSD-RJ). Cid ficou 77 dias à frente da pasta. 
 
Após participar de audiência por mais de duas horas, e ver seus amigos, correligionários e apoiadores expulsos do plenário e da galeria, Cid perdeu a paciência ao ouvir ofensas dirigidas a ele por deputados, sem que lhe fosse dado o direito de defesa, já que o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cortou seu microfone. 
 
A notícia a respeito da demissão de Cid Gomes foi anunciada por Eduardo Cunha, no plenário da casa, após ligação do ministro-chefe da Casa Civil, Aloízio Mercadante. 

Fonte: DN

Ministro Cid Gomes presta depoimento na Câmara sobre declaração polêmica

cid gomes
O ministro da Educação, Cid Gomes, também disse que os parlamentares da base do governo que não votam de acordo com a orientação do Planalto devem “largar o osso” e ir para a oposição
DIVULGAÇÃO / CÂMARA DOS DEPUTADOS
Atualizada às 17h45
Na tarde desta quarta-feira (18), o Ministro da Educação, Cid Gomes, compareceu, mesmo licenciado, a uma audiência no plenário da Câmara dos Deputados para prestar esclarecimentos acerca de declarações dadas por ele em Belém, no último dia 27, de que a Casa possui de 300 a 400 parlamentares que "achacam" o governo.
Após ser chamado pelo presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, Cid Gomes teve tempo de fala de 30 minutos e começou relembrando sua trajetória política no Ceará, ressaltando ter sido reeleito em primeiro turno quando disputou as eleições pela segunda vez para o cargo de Governador do Estado.
A fala de Cid versou principalmente sobre suas ações como Ministro e sobre a importância da educação para o País. Sobre o objeto da convocação, Cid afirmou que a polêmica declaração em que chama depuados de "achacadores'' não foi feita em local público e que por isso não é motivo de proselitismo.
"Eu não tenho mais idade, eu não tenho o direito de negar a esse tanto tempo de vida pública. Eu não tenho como negar aquilo que falei em um ambiente reservado ", disse Cid. O ministro pediu desculpas aos parlamentares, mas afirmou que a fala não reflete uma posição pública como ministro. "Me perdoem, eu não tenho nenhum problema em pedir perdão para aqueles que não se comportam desta forma", disse Cid.
O ministro da Educação, Cid Gomes, também disse que os parlamentares da base do governo que não votam de acordo com a orientação do Planalto devem “largar o osso” e ir para a oposição. “Partidos de oposição têm o dever de fazer oposição. Partidos de situação têm o dever de ser situação ou então larguem o osso, saiam do governo”, afirmou.
O ex-governador do Ceará ainda afirmou que teria muito mais prazer de estar na Câmara para falar de programas que já estão sendo implementados pelo Ministério da Educação. Comentando sobre um encontro com estudantes que indagaram sobre os cortes no orçamento para a educação, Cid Gomes afirmou que "só se pode falar em corte quando se tem um orçamento votado", o que ainda não existia.
As declarações do ministro Cid Gomes geraram protestos em plenário. O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), afirmou que o ministro “perdeu a condição de exercer o cargo”. “Cobraremos ao governo que diga se permite e orienta os ministros a desrespeitar o Parlamento. Não reconheço a autoridade de vossa excelência para criticar o Parlamento”, declarou. Bruno Araújo (PSDB) disse que pensava que hoje seria uma dia para discutir a vida real do brasileiro e pressionou perguntando “cadê a voz do partido que comanda o País para defender o Ministro da Educação?”. 
O líder da Minoria, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), disse há pouco que a presidente Dilma Rousseff precisa esclarecer sua opinião em relação à base aliada do governo na Câmara, depois da fala do ministro da Educação, Cid Gomes. “Com a palavra, a partir de agora, a presidente da República sobre o que pensa da sua relação com a sua base, que foi acusada pelo ministro da Educação, e com Parlamento brasileiro”, declarou.
 
Após fala dos deputados, Cid Gomes teve 10 minutos cedidos por Eduardo Cunha para esclarecimentos. O ministro manteu o tom de acusação contra os parlamentares, mas disse que tem "cosideração e respeito" pela Casa. "Há 400, ou 300 deputados para os quais quanto pior melhor. [...] Achacar é criar difoculdade para obter facilidade", afirmou Cid. Sobre ter chamado os deputados de 'achacadores', ele ainda completou: "eu me sinto livre a emitir opinião". 
 
Após ser chamado de 'palhaço' pelo líder do PSD, Sérgio Szveiter, Cid Gomes deixou o Plenário Ulysses Guimarães. 
 
Inicialmente, a audiência com o ministro estava marcada para o dia 11, porém Cid não compareceu por problemas de saúde. Ele foi internado no dia 10 de fevereiro com quadro de febre, associada a dor muscular, cefaleia intensa, tosse e calafrios. 

Fonte: DN

Polícia Federal deflagra operação em Juazeiro do Norte e Aurora

A Polícia Federal (PF) cumpre, na manhã desta quarta-feira (18), 11 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão nos municípios de Juazeiro do Norte e Aurora. A operação, denominada “Crio1”, realizada com o apoio do Ministério Público Federal (MPF), tem o objetivo de desbaratar uma organização responsável por fraudar licitações e desviar recursos federais.
Segundo informações da PF, a investigação leva a crer que o grupo teria desviado recursos provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A investigação do MPF teve início em outubro de 2013, a partir de denúncia do vereador Cláudio Luz (PT).
Na denúncia o vereador apontava supostas irregularidades na contratação de empresa especializada em serviços de manutenção em ar-condicionado. A denúncia chegou a ser levada à Câmara, através de pedido para abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), mas acabou sendo derrubado pela maioria dos vereadores.
Segundo apurou a investigação do MPF, faziam parte da organização, profissionais liberais, empresários e contadores, além de uma possível participação de servidores públicos. O grupo é acusado, ainda, de fazer aplicação indevida de verbas públicas e de lavagem de dinheiro.

Cerca de 45 agentes da PF participaram da operação que, ainda, está em andamento na cidade de Aurora. Em Juazeiro do Norte, os agentes não conseguiram cumprir o mandado de prisão, pois o alvo apreendeu fuga. Segundo informações, a equipe continua em diligência para efetuar a prisão.
Fonte: CN7

Facebook permitirá envio de dinheiro para amigos

Dinheiro no messenger
Em conversas do Messenger estará presente o ícone de cifrão ($) e clicando nele o usuário irá digitar a quantia que deseja transferir
REPRODUÇÃO/FACEBOOK
A partir de agora, o Messenger, aplicativo de mensagens da rede social Facebook, ganhará uma ferramenta para permitir a transferência de dinheiro entre os usuários. O anúncio foi feito nesta terça-feira (17) e a função deve ser lançada nos próximos meses nos Estados Unidos. A versão será disponibilizada para os sistemas Android e iOS, além dos computadores.
O envio de dinheiro será possível através de um ícone de cifrão ($), que ficará junto aos outros botões de foto, vídeo, etc. O usuário poderá cadastrar um cartão de débito e digitar a quantia que deseja enviar. 
Quem recebe a quantia também deve inserir o número de seu cartão de débito. Mecanismos como um número PIN serão usados para a autenticação. Já no iOS, poderá se usar o TouchID, um leitor de impressão digital que deve confirmar a identidade do usuário.
Segundo o gerente de produto do Facebook, Steve Davis, a intenção é transformar o Messenger em um aplicativo "mais útil, espressivo e agradável" e não construir um negócio de pagamentos.
Em relação ao envio de dinheiro entre usuários, a empresa afirma a tranferência é feita na hora, mas pode demorar de um a três dias para aparecer na conta-corrente. Por enquanto, não há previsão de quando a função funcionará em outros países.
Fonte: DN

SOLIDARIEDADE DE CEARENSES - Cid confirma presença no plenário da Câmara

Image-0-Artigo-1817428-1
Cid Gomes foi aconselhado por correligionários a levar por escrito os seus esclarecimentos e ter calma para responder às indagações
FOTO: AGÊNCIA BRASIL
O ministro da Educação, Cid Gomes (PROS), disse em Fortaleza a correligionários que vai hoje à Câmara dos Deputados, atendendo a convocação da Casa, para dar explicações sobre suas declarações, recentemente na Universidade Federal do Pará, que existem entre 400 e 300 deputados federais "achacadores". Oficialmente, o ministro está de licença para tratamento de saúde desde terça-feira da semana passada, quando esteve hospitalizado em São Paulo e em repouso na Capital cearense a partir do último sábado até ontem.
O governador Camilo Santana (PT), o presidente da Assembleia, deputado José Albuquerque (PROS), o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PROS) e um grupo de aproximadamente dez deputados estaduais vão estar em Brasília, hoje, para prestigiar o ex-governador.
Cid deveria ter comparecido à Câmara na quarta-feira da semana passada. Adoeceu na terça e pediu adiamento da convocação. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) chegou a duvidar da enfermidade e criou uma comissão de deputados, três médicos, para confirmarem a hospitalização de Cid em São Paulo e o prontuário médico. A nova data da convocação foi marcada para hoje.
Expectativa
Reservadamente, Cid conversou sobre a convocação. Foi aconselhado a escrever os seus esclarecimentos e ter calma para responder as indagações que serão feitas pelos deputados. Há expectativa dos aliados quanto ao desdobramento da audiência e as reações de Cid. Ele e os amigos sabem que poderá haver hostilidade da parte de parlamentares ligados ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha.
Cid não fez referência nominal a qualquer deputado federal nas declarações prestadas em Belém, mas em outras oportunidades, no Ceará, ele fez várias críticas ao comportamento político do deputado Cunha, ainda quando ele era líder do PMDB e disputava a presidência da Câmara dos Deputados.
A presidente Dilma Rousseff (PT), segundo pessoas próximas a Cid, não tratou do assunto com o ministro da Educação. Isso, segundo avaliações de alguns, pode influenciar no comportamento dele durante a audiência. O Ministério, parece não estar sendo motivo de preocupação de Cid com o que acontecerá hoje.
O ex-governador do Ceará, enquanto for ministro, terá obrigação de atender a convocação da Câmara dos Deputados, sob pena de cometer Crime de Responsabilidade. Pode até haver um novo adiamento hoje, se ele não se sentir em condições de saúde para comparecer, mas uma nova data será marcada e ele, permanecendo ministro, terá que comparecer.
A comitiva cearense solidária ao ex-governador, a partir do governador Camilo Santana, pretende estar no plenário da Câmara nesta tarde juntamente com os parlamentares federais governistas do Ceará, além de outros deputados amigos de Cid integrantes de partidos da base de apoio da presidente Dilma.
Todos defendem que ele peça desculpas pelas expressões mais fortes proferidas contra a maioria da Câmara Federal e o assunto fique encerrado sem grandes sequelas para o ministro.
Fonte: DN

Vereadores de Aracoiaba confirmam apoio a Hérberlh Mota para presidente da UVC

Vereadores de Aracoiaba confirmam apoio a Hérberlh Mota para presidente da UVC.

A candidatura do Vereador Hérberlh Mota (Baturité) à presidência da União de Vereadores e Câmaras do Ceará (UVC), através da chapa “A UVC é dos Vereadores”, tem ganhado, cada vez mais, apoio e força junto à categoria. Em sessão, na manhã desta quarta-feira, 18, Hérberlh recebeu a adesão à sua campanha dos Vereadores da Câmara de Aracoiaba.
Na ocasião, o candidato a presidente da UVC Hérberlh Mota, recebeu o apoio de todo o parlamento Aracoiabense, que deseja uma entidade ainda mais independente, feita por Vereadores e para Vereadores.
“Estou votando e trabalhando para o Hérberlh e a chapa A UVC é dos Vereadores, porque acredito no trabalho dele. Assim como foi iniciado pelo, hoje, deputado Audic Mota, o Hérberlh vai fortalecer e priorizar a nossa categoria. Além de trazer crescimento para nossa UVC,” destacou o Vereador Rogério Alexandre.

Estiveram presentes os Vereadores de Aracoiaba: Wellington Nonato, José Arcanjo (Zelão), Sidney Guedes (Dr. Cid), Francisco Castelo Branco (Tico), Antonio Liocélio, Estelita Freitas, Francisco Gadelha, Rogério Alexandre, Walmick Bernardino, José Wilson, Selma Maria. No total, a Câmara conta com 11 parlamentares que, segundo o Vereador Wellington Nonato, presidente da câmara todos votam na chapa “A UVC é dos Vereadores.”

 
 
 
 
Publicação: Aracoiaba News

ROMARIA DAS ÁGUAS: A fé em defesa da natureza nos cem anos da Seca do 15


No período de 13 a 22 de março de 2015 acontecerá em Aracoiaba a 12ª Semana das Águas. A iniciativa é fruto da Campanha da Fraternidade de 2004 que tratava do tema da água. Com mais de uma década de caminhada, a Semana das Águas é um grito em defesa da natureza, especialmente de rio Aracoiaba que sofre com a poluição causada pelo lançamento de esgoto sem tratamento diretamente em seu leito.
Nestes tempos de seca e crise hídrica até na Região Sudeste do Brasil, o movimento da Semana das Águas é fundamental para sensibilizar, seja o poder público, seja a população em geral, sobre a importância de se preservar a água tão necessária à nossa vida.
O encerramento da Semana das Águas será no dia 22 de março com a Romaria das Águas na comunidade de Lagoinha - Aracoiaba. Na ocasião serão lembradas as histórias das mortes por fome e sede de três jovens durante a seca de 1915 em Aracoiaba. Segundo se conta duas das jovens vinham viajando e com muita sede, uma desmaiou no caminho. A que ainda tinha um pouco de força, seguiu em busca de água e comida. Chegou na beira do Rio Choró, numa cacimba e bebeu tanta água que não aguentou se levantar e morreu ali mesmo. A outra ficou esperando e morreu também. Uma terceira jovem, de nome Raimunda, vinha com um grupo de retirantes em busca da Serra Verde em Baturité. Não aguentando a fome e a sede, morreu e foi enterrada na localidade de Tabuleirinho, próximo à comunidade Várzea da Abelha.

Além de ser um momento de conscientização sobre a importância de se cuidar da água, o evento será também uma importante experiência de fé e devoção. Por isso convidamos todos os católicos de Aracoiaba para essa Romaria. No dia 22 de março na comunidade de Lagoinha a caminhada começará às 7h da manhã e a Santa Missa às 8:30h. Vamos fazer este sacrifício de súplica e agradecimento a Deus para que nunca mais ninguém morra de fome ou sede em Aracoiaba.


Gisele Bündchen posa sem roupa para campanha da Chanel

Gisele Bündchen posa sem roupa para campanha da Chanel
Após a notícia de que estava prestes a se aposentar das passarelas, Gisele Bündchen deixou o clima tenso de lado e tirou a roupa para posar em nova campanha publicitária para a Chanel nº5, e deixou diversos fãs de queixo caído, com a sua beleza escultural, ainda exibindo excelente forma, aos 34 anos de idade e com dois filhos.
Gisele Bündchen posa de topless para o Chanel Nº5
Mãe de Benjamin e Vivian, a modelo brasileira apareceu segurando um frasco de perfume, com os braços cobrindo os seios, e com parte da barriga à mostra. Conforme anunciado, sobre sua aposentadoria, seu último desfile será pela grife Colcci durante o evento de moda "São Paulo Fashion Week", no próximo mês.
E mesmo anunciando que deixara de desfilar, Gisele não ficará parada. Morando nos EUA com o marido e os filhos, a loura deve continuar viajando o mundo como "Embaixadora da Boa Vontade" da ONU.
Em entrevista ao "Mais Você", Gisele já admitiu que ainda sente um frio na barriga ao entrar na passarela, mesmo com toda a experiência na carreira. "Faz 20 anos que trabalho com isso, mas ainda fico nervosa antes de desfilar. Sempre faço o sinal da cruz, peço luz, proteção. Não tem segredo na hora de andar. Costumo ver uma luz no final da passarela e focar", explicou.


Leia mais: http://www.diario24horas.com.br/noticia/39302-gisele-bundchen-posa-sem-roupa-para-campanha-da-chanel#ixzz3UjjBxUl9

Aprovado seguro desemprego para empregados domésticos

Após quase dois anos em discussão, o projeto que disciplina direitos trabalhistas para os empregados domésticos voltou a andar no Congresso Nacional. Os deputados federais aprovaram o seguro desemprego para essa categoria profissional e rejeitaram, ao mesmo tempo, proposta que reduzia para 8% o recolhimento dos empregadores ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS). Com isso, fica mantida a alíquota de 12%.
O projeto do seguro desemprego, para os empregados domésticos, foi aprovado por 254 votos a favor e 160 contra. Os deputados apoiaram o projeto que assegura o seguro desemprego aos empregados domésticos da mesma forma que é garantido para os demais trabalhadores: um cálculo feito de acordo com a remuneração do empregado, o que beneficia quem ganha mais de um salário mínimo.
De acordo com o texto aprovado, o prazo do recebimento do benefício varia em geral de três a cinco meses, mas pode ser prorrogado pelo Conselho Deliberativo de Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Antes da aprovação, os parlamentares discutiram dois projetos: um, de autoria da deputada federal Benedita da Silva (PT), e o outro, da bancada do PSOL.
O Palácio do Planalto defendeu o texto elaborado pela deputada Benedita da Silva, que havia limitado a um salário mínimo o seguro-desemprego para as domésticas demitidas sem justa causa – tornado obrigatório pela regulamentação -, por um período máximo de três meses. A bancada do PSOL, no entanto, apresentou uma emenda propondo a supressão dessas limitações. Os dois projetos, que tratam do seguro desemprego e da alíquota do INSS, voltarão a ser apreciados pelo Senado.
Fonte: Ceará Agora

Datafolha mostra que 62% desaprovam governo da presidente Dilma Rousseff

O governo da presidente Dilma Rousseff é avaliado positivamente por 13% dos entrevistados, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (18). O índice de eleitores que avaliaram o governo da petista como "ruim" ou "péssimo" é de 62%.
A última pesquisa divulgada pelo instituto, em 7 de fevereiro de 2015, apontava que Dilma tinha avaliação positiva de 23% dos entrevistados. À época, outros 44% disseram que o governo da presidente era "ruim" ou "péssimo".
O resultado da pesquisa de avaliação do governo de Dilma feita neste mês é:
- Ótimo/bom: 13%
- Regular: 24%
- Ruim/péssimo: 62%
De acordo com o Datafolha, esta é a mais alta taxa de reprovação de um presidente da República desde setembro de 1992, véspera do impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello. Na ocasião, pouco antes de ser afastado do Palácio do Planalto, a reprovação de Collor era de 68%, destacou o instituto de pesquisa.
Por outro lado, a taxa de aprovação ao governo Dilma bateu o ponto mais baixo desde o início de seu primeiro mandato, em janeiro de 2011. Os eleitores que classificaram a administração da petista como "ótimo" ou "bom" somou 13%.
Na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, recordou o Datafolha, a pior taxa de aprovação foi de 28%, em dezembro de 2005, registrado pouco depois da cassação do mandato do ex-chefe da Casa Civil José Dirceu. O ex-ministro perdeu o mandato devido à suspeita de seu envolvimento no esquema do mensalão do PT.
A pesquisa entrevistou 2.842 eleitores logo após as manifestações do último domingo (15) que levaram milhares de pessoas às ruas do país para protestar contra Dilma e pedir o fim da corrupção no país. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
Nota do governo
Ao questionar os eleitores sobre a avaliação do governo, o Datafolha também costuma pedir para os entrevistados atribuírem uma nota de 0 a 10 ao presidente da República objeto do levantamento.
Segundo o instituto, a nota média de Dilma é de 3,7, a mais baixa desde que a petista assumiu o comando do país, em 2011. Na última pesquisa do Datafolha, em fevereiro, a nota média da petista era de 4,8.
No primeiro mandato da presidente, observou o Datafolha, a nota mais baixa atribuída a Dilma foi registrada em pesquisas realizadas entre junho e julho de 2014. Na ocasião, a nota média do governo era de 5,6.
Avaliação do Congresso
A pesquisa Datafolha mostra ainda que 9% dos entrevistados consideram "bom" ou "ótimo" odesempenho de senadores e deputados no Congresso. Outros 50% acreditam que a atuação dos parlamentares é "ruim" ou "péssima".
Fonte: G1

Cid Gomes poderá deixar Ministério da Educação

A presidente Dilma Rousseff estuda a saída de Cid Gomes da pasta da Educação, segundo informação divulgada pelo jornal Folha de São Paulo nesta terça-feira (17). De acordo com a publicação, Dilma prepara uma reforma ministerial, em virtude da crise política e protestos ocorridos em todo o país. 
A saída de Cid foi aconselhada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula e outros integrantes do governo temem que o ministro possa complicar ainda mais a relação entre a presidência e o Congresso.
A possível demissão do ex-governador do Ceará ocorre por conta de uma declaração concedida por Cid anteriormente. Em uma palestra para universitários, o titular da pasta da Educação declarou que existem deputados “achacadores” no Congresso Federal. A declaração causou polêmica e os deputados exigem a presença do político na Câmara para conceder explicações. 
Com a saída de Cid Gomes, o atual ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, poderia assumir o cargo. Mercadante foi ministro da Educação na primeira gestão de Dilma Rousseff. Segundo a publicação da Folha, a presidente não está convencida que precisa retirar Aloizio do Planalto. 
Cid prestará esclarecimentos 
A assessoria do MEC informou que Cid Gomes irá à Câmara Federal para prestar esclarecimentos sobre a declaração concedida em uma palestra. O ministro será escutado nesta quarta-feira (18). 
Segundo uma publicação no Diário Oficial da União, o ministro está afastado para um tratamento de saúde no período de 10 até 21 de março. 
Fonte: CNEWS

Vereadores participam de audiência pública sobre implantação da Universidade Federal da Ibiapaba


Na tarde desta sexta, 13, o Vereador Hérberlh Mota de Baturite e candidato a presidente da União dos Vereadores e Câmaras do Ceará (UVC) participou da audiência pública, que teve como tema a implantação da Universidade Federal da Ibiapaba. O debate foi promovido pelas comissões da Juventude (CJUV) e de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (CCTES) da Casa.
Hérberlh acompanhou os Vereadores Valdemiro e Neudo Jr. de Guaraciaba do Norte, além do Vereador Mariano de Tianguá. Na audiência, foi definido que será encaminhada ao Ministério da Educação (MEC) uma proposta com um estudo sobre a viabilidade técnica e acadêmica para a instalação de uma universidade na região.‪#‎AUVCédosVereadores‬ ‪#‎HérberlhPresidente‬ ‪#‎EleiçõesUVC‬

Fonte: Hérberlh Mota - Presidente UVC 2015

Agricultores debatem pauta de reivindicações em Canindé

Image-0-Artigo-1817135-1
O encontro reuniu cerca de 300 trabalhadores rurais do Sertão Central. Mas houve pouca representação entre os órgãos públicos convidados
FOTO: ANTONIO CARLOS ALVES
Canindé. Ao invés de sementes e arados, faixas e microfones para lutar por seus direitos. Cerca de 300 trabalhadores rurais participaram da manifestação em frente ao prédio da Prefeitura de Canindé.
Coordenados pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Agricultores e Agricultores dos Sertões de Canindé, Movimento dos Sem Terra, Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Estado do Ceará (Fetraece), os trabalhadores foram recebidos pelos prefeitos de Canindé, Celso Crisóstomo, e de Madalena, Eurivando Vieira, e o superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Roberto Gomes.
Foram convidados também os prefeitos de Itatira, Boa Viagem, Paramoti, Caridade, além dos representantes do Instituto de Desenvolvimento Agrário do Ceará (Idace), Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Secretaria de Obras Hidráulicas (Sohidra), Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), Banco do Nordeste (BNB), Instituto Federal do Ceará (IFCE), e também os deputados estaduais Moisés Brás e Elmano de Freitas.
Dessas autoridades e órgãos federais e estaduais, ninguém compareceu para ouvir as reivindicações dos trabalhadores. Os principais pleitos dos participantes são o funcionamento permanente do Posto da Conab nos Sertões de Canindé, com a venda de milho e outros produtos, liberação para o cadastro de 600 novos agricultores e subsídio no custo do produto. Perfuração de novos poços em locais que apresentarem vazões inferiores a 600 litros, contratação de geólogos, instalação dos poços que foram perfurados com vazão acima de 500 litros por hora e uma perfuratriz para o Território da Cidadania.
Máquinas
Outro ponto de reivindicação é a prioridade das máquinas do Programa de Aceleração ao Crescimento (PAC) para a construção de pequenos barreiros, barragens subterrâneas e outras tecnologias como forma de alternativa para a convivência com as adversidades do Semiárido.
Continuidade do crédito emergencial, via Banco do Nordeste, com valores entre R$ 12.000,00 e 15.000,00 do governo federal e R$ 3.000,00 do governo estadual. Ampliação do Programa Brasil sem Miséria, assistência técnica, pelos órgãos do Estado e Município, sendo de responsabilidade das secretarias municipais e Ematerce.
Eles pediram também concurso público para Ematerce a médio e longo prazo, fim das bolsas terceirizadas, e elaboração de um plano de assistência técnica rural, valorização do Programa Nacional de Assistência Técnica Rural para os assentamentos (PNATER) e Programa Nacional de Assistência Técnica no Campo (Pronatec).
Integram a agenda de pleitos dos agricultores a liberação, por parte da SDA, de ações de convivência com o Semiárido para a juventude e as mulheres, como mandalas, medidores sazonais, sisteminha da Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias (Embrapa).
Na pauta, assuntos como educação no campo, titularização das terras, ações para mulheres, políticas públicas no campo, combate aos crimes ambientais nas áreas do Território, programa de Habitação Rural, Saúde no campo, melhorais nas rodovias que ligam as sedes dos municípios até as regiões onde moram os trabalhadores e desapropriação de áreas produtivas. Desse conteúdo, pouca coisa foi encaminhada, por conta da falta das autoridades que respondem pelas entidades convidadas.
O prefeito de Madalena, Eurivando Vieira, disse que maioria das reivindicações precisa do aval dos governos Federal e Estadual. Ela cita, como exemplo, a perfuração de poços. "Em Madalena, o governo do Estado perfurou muitos, mas não instalou o encanamento, o que ajudaria as famílias nesse momento é o funcionamento pleno desses equipamentos", disse. Eurivando lembrou que a Prefeitura, com recursos próprios, perfurou dois poços no Rio Barrigas, que estão mantendo o abastecimento de 8 mil moradores na sede. A vazão dos dois juntos soma 62 mil litros por hora.
"Nosso município é pobre e precisa de ajuda nesse momento. Tudo o que pode ser feito nós estamos fazendo", lamentou Eurivando. Já o prefeito de Canindé, Celso Crisóstomo, disse que uma comissão das entidades presentes ao encontro será formada para apresentar as demandas na próxima segunda-feira, na reunião do Comitê da Seca, que acontece em Fortaleza.
"Vamos intermediar esse encontro porque Canindé sozinho não poder arcar com todos esses pedidos e, com a parceria firmada entre os três poderes federal, estadual e municipal, se torna mais fácil de encontrarmos uma solução para os fatos", salientou Celso.
Em seu pronunciamento, o superintendente do Incra, Roberto Gomes, afirmou que a instituição pode reformar, construir barragens e açudes, sempre em parceria com as prefeituras. "Quatro açudes, no Município de Canindé, se encontram em análise para serem recuperados. Guarani Bom Lugar, Cacimba de Dentro, Logradouro Ubiraçu e Grossos. Os técnicos já visitaram os locais e agora é apenas tempo", explicou Roberto.
Lamento
O coordenador regional do Sertão Central da Fetraece, José Militão, lamentou que, em Choró Limão, um cartório cobra R$ 570 para liberar o registro do título da terra e, em Madalena, esse mesmo documento custa R$ 500. Para ele, isso é um absurdo. Em relação à situação dos assentados acampados na Fazenda Jurema e Xinuaquê, em Canindé, Roberto disse que as cestas básicas serão liberadas, mas ele está impedido de realizar licitação para compras de lonas para acampamentos, porque, se fizer, corre o risco de responder por crime de improbidade administrativa. Quanto às casas rurais, todos os projetos foram encaminhados, agora depende apenas da liberação da Caixa Econômica Federal (CEF).
Os agricultores também apresentaram uma pauta ao governo do Estado que denuncia a falta de segurança pública no campo. Agora mesmo uma assentada da área de Piramar no município de Paramoti está sendo ameaçada de morte por não ter condições de realizar todas as demandas solicitadas.
Antonio Carlos Alves
Colaborador
Fonte: DN

EDUCAÇÃO - Augusto Cury apresenta metodologia

Image-0-Artigo-1817696-1
O psiquiatra, cientista e escritor Augusto Cury falou sobre o programa Escola da Inteligência, resultado de pesquisa de 15 anos
FOTO: TUNO VIEIRA
O psiquiatra, cientista e escritor Augusto Cury esteve, na noite de ontem, em Fortaleza, apresentando a profissionais da educação de escolas públicas e particulares a metodologia e os resultados alcançados com o programa Escola da Inteligência, além de abordar o tema da inteligência socioemocional.
Segundo Cury, o programa é resultado de uma pesquisa de 15 anos e contempla o desenvolvimento das funções não-cognitivas nos estudantes, ou seja, qualidades como pensar antes de reagir, expor as ideias, se colocar no lugar do outro, proteger as emoções, aumentar o limiar para frustrações e filtrar estímulos estressantes.
O especialista considera que tais pontos são tão ou mais importantes que as funções cognitivas, como memória, raciocínio e pensamento. Entretanto, estas últimas são, geralmente, as mais trabalhadas nas escolas.
"O fato é que, infelizmente, as nossas crianças estão desenvolvendo a síndrome do pensamento acelerado. Uma criança de 7 anos de idade tem mais informações que um imperador romano tinha no auge de Roma. O excesso de informação, e o uso de celular, games, internet fazem com que um fenômeno inconsciente, chamado registro automático de memória, sature o córtex cerebral e estimule a construção de pensamentos numa velocidade nunca antes vista. Grande parte da população é acometida por essa síndrome cujos sintomas são acordar cansado, dores de cabeça, dores musculares, sofrimento por antecipação, mente agitada, déficit de concentração, déficit de memória e assim por diante", explica Cury.
Sociedade doente
Augusto Cury apresenta ainda dados alarmantes sobre a saúde psíquica da humanidade que, segundo ele, está adoecendo rápida e coletivamente. "De 60% a 80% dos jovens apresentam sintomas de timidez e insegurança. Oitenta por cento dos executivos são despedidos não por falta de habilidades técnicas, mas de habilidades socioemocionais. Uma em cada duas pessoas, cedo ou tarde, desenvolveráum transtorno psiquiátrico, como depressão, transtorno de pânico, bulimia, anorexia e vigorexia, ou seja, exagerar na academia para compensar o complexo de inferioridade. A situação é muito grave e o problema é que as escolas não estão trabalhando ferramentas preventivas", comenta.
Augusto Cury é, atualmente, um dos autores brasileiros mais lidos da atualidade, tendo sido publicado em mais de 60 países. Seu último livro, "Petrus Logus - O Guardião do Tempo", foi a primeira incursão do autor em literatura infantojuvenil. Em abril, deve lançar mais um título, chamado "Ansiedade para Crianças e Jovens - Como enfrentar o mal do século".
Fonte: DN

Proposta do PMDB apoia financiamento privado

Image-0-Artigo-1817472-1
Temer disse que o Congresso é o "senhor absoluto" da reforma política e que acredita na votação do assunto ainda neste ano
FOTO: AGÊNCIA BRASIL
Brasília. O PMDB apresentou, ontem, um conjunto de propostas do partido para a reforma política, entre elas, o fim da reeleição e a manutenção do financiamento privado de campanhas, desde que limitado a um candidato por cargo.
As propostas foram elaboradas pela Fundação Ulysses Guimarães - instituição de pesquisas e estudos do PMDB - e entregues pelo presidente da entidade, Moreira Franco, ao presidente do partido e vice-presidente da República, Michel Temer.
O documento, de oito páginas, também sugere a adoção do voto distrital puro, o chamado distritão, com a eleição dos candidatos com mais votos; o fim das coligações nas eleições proporcionais; mandatos de cinco anos para deputados, vereadores e chefes do Executivo (federal, estadual e municipal) e de dez anos para senadores.
Ao receber o documento, Temer disse que o Congresso Nacional é o "senhor absoluto" da reforma política e que acredita na votação do assunto ainda neste ano. "Temos a obrigação de não falhar neste momento, precisamente no instante em que o PMDB ocupa a presidência do Senado e da Câmara. O País confia muito que agora a reforma política vai".
Negociação
O próximo passo, segundo Moreira Franco, será o começo da negociação com outros partidos no Congresso para levar as propostas adiante. "(A reforma política) passa a ser um fato a partir das articulações que Temer fará para, junto das lideranças da Câmara e do Senado, encaminhar as propostas que estamos fazendo", disse.
Moreira Franco avaliou que a manutenção do financiamento privado de campanha com limitação para que cada empresa opte por apenas um candidato por cargo vai dar transparência à doação. "A contribuição terá de ser feita ao partido para esse candidato, e será fixado um teto para a contribuição tanto para empresa, quanto para o cidadão, para que o sistema tenha transparência absoluta".
A proposta peemedebista prevê ainda o fim da reeleição, com extensão dos mandatos de quatro para cinco anos. O período de transição já começaria nas eleições de 2016, para que em 2022 todos os cargos sejam disputados ao mesmo tempo".
O PMDB defende também a chamada cláusula de desempenho, que impede o funcionamento parlamentar de partido que não alcançar 5% dos votos em pelo menos um terço dos estados. A medida chegou a ser aprovada em 1995, mas foi declarada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal, que a considerou prejudicial aos pequenos partidos.
Falta de protagonismo
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), considerou ontem que a estagnação nas discussões em torno da reforma política ocorreu por falta de um "protagonismo" da presidente Dilma Rousseff e do PT no debate das propostas.
"Eu acho que, a partir do momento em que a presidente está dizendo que agora vai ter o protagonismo dela e do PT, eu acho que a reforma tem uma chance maior de sair porque nós votamos uma reforma há 12 anos no Senado Federal e ela não andou. E não andou exatamente porque faltaram nesses momentos esses protagonismos que estão sendo anunciados agora. Acho que agora nós vamos seguir em frente", afirmou Renan Calheiros.
Dever do Legislativo
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse ontem que cabe ao Congresso a definição sobre o financiamento privado de campanha eleitoral. Já há, no Tribunal, maioria formada pela proibição do financiamento de campanhas políticas por empresas, mas o julgamento está parado há quase um ano por um pedido de vista de Mendes.
"Isso é matéria do Congresso por excelência. Alguém já imaginou o Supremo definindo qual vai ser o sistema eleitoral: se vai ser um sistema misto, se vai ser um sistema majoritário? A partir daí é que se define como é que vai ser financiamento", disse o ministro Gilmar Mendes.
Fonte: DN