Buscar

16 março 2015

Ex-diretor da Petrobras Renato Duque volta a ser preso em nova fase da Lava Jato

Renato Duque
Duque foi preso pela primeira vez em 14 de novembro junto com executivos de grandes empreiteiras do país
FOLHAPRESS
O ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque voltou a ser preso pela Polícia Federal, nesta segunda-feira, em uma nova fase da operação Lava Jato, que investiga um esquema bilionário de corrupção na estatal, informou a defesa do ex-diretor da empresa.
Duque foi preso pela primeira vez em 14 de novembro junto com executivos de grandes empreiteiras do país, após uma série de denúncias de corrupção envolvendo grandes obras da Petrobras. Ele deixou a prisão em dezembro graças a um habeas corpus.
O ex-diretor da estatal foi preso nesta segunda em sua casa no Rio de Janeiro como parte da10ª fase da Lava Jato, deflagrada no Rio e em São Paulo, de acordo com a TV Globo.
Entre os crimes investigados na atual etapa estão associação criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, uso de documento falso e fraude em licitação, segundo a emissora.
O nome de Duque foi citado pelo ex-gerente-executivo da diretoria de Serviços da Petrobras Pedro Barusco, um dos principais operadores do esquema de corrupção na estatal, em depoimento na semana passada à CPI da Petrobras.
Barusco, que firmou um acordo de delação premiada com a Justiça, disse que o mecanismo de desvio de recursos envolvia empresas, Duque e o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.
A operação Lava Jato investiga um escândalo de corrupção em que empreiteiras teriam formadocartel para participar das licitações de obras da Petrobras e pagariam propina a funcionários da estatal e operadores que lavariam dinheiro do esquema, repassando os valores de sobrepreço das licitações a políticos e partidos.
Fonte: DN

Marina Ruy Barbosa tem número de celular divulgado na internet e reclama no Twitter

marina
Caio Duran/Agnews
Marina Ruy Barbosa acordou nessa segunda-feira, 16, com uma grande chateação. Isso porque alguém descobriu o celular da atriz  e o divulgou na internet. Na manhã de hoje, ela fez um apelo no Twitter: "Eu amo falar com vocês, amo o carinho que vocês me dão. Mas meu número está rodando por aí, e estou recebendo ligações e mensagens sem parar.  Queria pedir a compreensão de vocês".
A ruiva explicou que tem recebido centenas de mensagens, o que tem chegado a atrapalhar seu trabalho.  "Abro o telefone e tem 400, 500 notificações no WhatsApp! Muito chato! Não consigo responder mais mensagens  importantes por causa disso...", afirmou. " "Então vim aqui pra pedir a compreensão de vocês, se você é meu fã de verdade, por favor... Não fique mandando mensagem no meu celular!".
Fonte: DN

Eduardo Cunha diz que vai arquivar os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma

cunha
O presidente da Câmara disse ainda que não leu o pedido do deputado Jair Bolsonaro enviado na semana passada
Eduardo Cunha, o presidente da Câmara dos Deputados, indicou nesta segunda-feira (16) que vai arquivar os pedidos de impeachmentque chegaram à Casa contra a presidenteDilma Rousseff.
Cunha afirmou acreditar que um possível impeachment "não é a solução" e que "beira o ilegal e o inconstitucional". O presidente disse ainda que não leu o pedido enviado pelo deputado Jair Bolsonaro na semana passada. "Entendemos que temos um governo que foi legitimamente eleito e que, se aqueles que votaram neste governo se arrependeram de terem votado, isso faz parte do processo político e não é dessa forma que vai resolver", disse Cunha após participar de um encontro na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.
Acerca da resposta aos protestos dada na noite deste domingo (15) pelos ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, escalados para defender o governo, Eduardo Cunha disse que a participação dos dois foi um "desastre". "Não vi ninguém nas ruas pedir reforma política, vi pedir reforma de governo", afirmou. 
Fonte: DN

Levy Fidelix terá que pagar multa de R$ 1 milhão em danos morais

Levy Fidelix
Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, o ex-candidato à presidência da República foi irresponsável em suas declarações
DIVULGAÇÃO
Na última sexta-feira  (13), o ex-candidato à presidência da República Levy Fidelix, do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), foi condenado a pagar uma multa de R$ 1 milhão em uma ação civil pública dedanos morais movida pelo movimento Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT). A decisão foi do Tribunal de Justiça de São Paulo em primeira instância e o político pode recorrer.
Ainda na época das eleições, no dia 28 de setembro de 2014, Levy fez declarações polêmicas em um debate entre os candidatos na TV. Quando questionado sobre o motivo pelo qual muitos defensores da família não aceitam o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, ele respondeu que "dois iguais não fazem filho" e "aparelho excretor não reproduz".
Levy também teria comparado a homossexualidade à pedofilia, ao afirmar que Papa Francisco estaria promovendo ações para combater o abuso infantil, afastanto da igreja os suspeitos dessa prática.
A declaração repercutiu nas redes sociais e publicações como o jornal britânico "The Guardian" criticaram a postura do ex-candidato. Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, as declarações de Levy ultrapassaram "os limites da liberdade de expressão, incidindo em discurso de ódio”. Além disso, a sentença afirma que o então candidato agiu de forma irresponsável.
A multa  de R$ 1 milhão deve ser destinada para ações de promoção de igualdade do grupo LGBT. A definição é do Conselho Nacional de Combate à Discriminação LGBT.
Fonte: DN

Adriana Birolli encarna vilãs de cinema em ensaio e posa nua

Adriana Birolli chegou a ficar nua para posar para as lentes do fotógrafo Angelo Pastorello em um ensaio intitulado "Bandidas!". A atriz, que acabou de sair do ar com a novela "Império", encarnou vilãs de cinema. O resultado poderá ser conferido numa matéria de capa da revista "Top Magazine", que chega às bancas no final desta semana e numa exposição que terá lançamento nesta segunda, 16, em São Paulo.
Foram escolhidas quatro vilãs icônicas da história da cinema para Birolli interpretar nas fotos: Catherine Tramell, do filme "Instinto Selvagem", Alex Forrest, de "Atração fatal", Bonnie de "Bonnie e Clyde", e a vampira Miriam de "Fome de viver".
EGO NAS REDES SOCIAIS

Na entrevista à publicação, Birolli falou sobre o ensaio. "As vilãs destes filmes são frias, calculistas, cometem atos imperdoáveis. Assassinas, psicopatas e no caso da vampira, sobrenatural. Como até agora não fui escolhida para um papel assim, resolvi brincar de vilã numa tarde inesquecível em São Paulo. Foi para ter o gostinho de como seria. O que pude reparar ao rever os filmes para me preparar é que todas cometem seus crimes em nome do amor. Bonnie sai assaltando bancos e matando gente pelo amor que sente pelo Clyde, Catherine assassina suas vítimas depois que se apaixona por elas e assim por diante. Amor e morte caminhando juntos! Profundo e perigoso... Amei o resultado!"
  •  
Adriana Birolli na revista Top Magazine (Foto: Angelo Pastorello / Divulgação)Adriana Birolli na revista Top Magazine (Foto: Angelo Pastorello / Divulgação)

‘Silêncio de Dilma é sinal de covardia’, diz Aécio

O senador Aécio Neves, presidente do PSDB, lamentou que Dilma Rousseff não tenha se pronunciado neste domingo sobre os protestos que a hostilizaram nas ruas do país. “O silêncio da presidente Dilma é um sinal de covardia”, disse ele, numa entrevista que concedeu ao blog na noite passada. “Era hora de olhar no olho das pessoas e fazer um mea-culpa. Os estadistas precisam ter coragem, sobretudo nos momentos mais difíceis.”
Aécio anunciou que organiza para esta terça-feira um encontro com os líderes da oposição e dissidentes governistas. “Precisamos definir qual é a nossa agenda. Faremos isso a partir do que as pessoas estão cobrando. Se o governo não se mexe, agimos nós”, disse.
Na avaliação do senador tucano, Dilma e o PT vivem uma crise mais grave do que aquela que se seguiu à explosão do escândalo do mensalão, em 2005. “Depois de 12 anos de governos do PT, é a primeria vez que eles encontram uma oposição conectada com o sentimento das ruas. Isso é algo que eles não tinham enfrentado ainda.”
Acha que Dilma concluirá o mandato?, perguntou o repórter a certa altura. E Aécio: “É cedo para dizer. De minha parte, tenho tido muita cautela. Por isso decidi nem comparecer às manifestações. Não quis dar margem a nenhum tipo de especulação. Hoje, nossa preocupação é a de construir nesse campo da oposição uma agenda nova para o país.” Vai abaixo a conversa:
— O que achou da reação do governo às manifestações deste domingo? Achei inacreditável. Estão a anos-luz de distância do que está acontecendo no Brasil. A declaração simplista do ministro Miguel Rossetto de que só adversários do governo foram às ruas mostra um distanciamento da realidade. Eles não conseguem perceber o mau humor crescente da sociedade. É como se ele dissessem: ‘os nossos eleitores estão lá, recebendo o Bolsa Família. Está tudo bem com eles. Isso não vai acabar bem. O ministro José Eduardo Cardozo repete o mesmo discurso da campanha: ‘Ah, vamos lançar um pacote de projetos contra a corrupção’. Como se alguém ainda pudesse acreditar nisso. Fala de reforma política como se fosse uma panaceia. Vem com o discurso hipócrita de acabar com o financiamento privado de campanha.
— Por que acha o discurso hipócrita? No ano passado, na campanha eleitoral, ninguém recebeu tanto recurso como o PT. No ano anterior, 2013, em que não houve eleições, eles arrecadaram R$ 70 milhões. Nós arrecadamos R$ 2 milhões. De uma hora pra outra eles vêm dizer que isso não faz bem. Estão no poder há 12 anos. Ninguém se beneficiou tanto do financiamento privado quanto eles. Numa hora dessas, os ministros não eram as pessoas mais indicadas para falar.

Deu ruim! Wanessa vira piada após participação em protesto

Deu ruim! Wanessa vira piada após participação em protesto
Parece que a apresentação de Wanessa durante as manifestações do último domingo (15) em São Paulo não fizeram muito sucesso. Vestindo uma camisa da seleção brasileira de futebol e com listras em verde amarelo pintadas no rosto, a filha de Zezé Di Camargo subiu em um dos palanques e cantou o hino nacional brasileiro.
Na internet, a cantora virou piada por causa da música ‘Shine it on’, popularmente conhecida como ‘Xainiron’. Em poucos minutos, as fotos se espalharam e Wanessa virou meme nas redes sociais.
O ato contra a Dilma Rousseff contou com mais de 1 milhão de pessoas apenas na cidade de São Paulo, de acordo com dados da PM, no Brasil todo mais de 2 milhões de pessoas foram as ruas.
Wanessa vira meme (Foto: Reprodução)
Wanessa vira meme (Foto: Reprodução)


Leia mais: http://www.diario24horas.com.br/noticia/39248-deu-ruim-wanessa-vira-piada-apos-participacao-em-protesto#ixzz3UYfNjTwl

Famosos se juntam aos fãs em manifestação contra o governo Dilma

Famosos se juntam aos fãs em manifestação contra o governo Dilma
Aconteceram nesta domingo (15), como já anunciado anteriormente, diversas manifestações em vários estados do país com objetivo de apoiar o impeachment de Dilma Rousseff, atual presidente do Brasil. No total, cerca de 26 estados, além do Distrito Federal, tiveram protestos da população, que foi às ruas com camisas verdes ou amarelas, cartazes e rostos pintados.
Houveram ainda convocações feitas pelas redes sociais para protestos de brasileiros que vivem também na Austrália, Estados Unidos, Bolívia e Inglaterra. E entre as milhares de pessoas nas ruas, haviam também famosos mostrando sua insatisfação com o atual governo.
Márcio Garcia esteve nos protestos junto com a família toda, mas participou da "selfie" com o grupo que estava com Ellen, que incluía também as atrizes Jessika Alves e Alessandra Maestrini. Solange Couto também levou a família: o marido e o filho foram ás ruas com a atriz, que segurava um cartaz onde se lia: "Não é por um partido, é por um país."
Malvino Salvador (Foto: Instagram / Reprodução)
Ronaldo Fenômeno ironizou ao lado de Marcus Buaiz usando uma camisa com os dizeres: 'A culpa não é minha, eu votei no Aécio'. Já Wanessa, usava uma camisa da CBF e tinha listras verdes e amarelas pintadas no rosto.
Malvino Salvador, Didi Wagner, Veridiana Freitas, Ellen Jabour foram alguns dos outros famosos que foram às ruas protestar.
Nas ruas, brasileiros divididos entre os que querem o impeachment da presidente, a renúncia de Dilma e do vice, Michel Temer (PMDB), e os que estão descontentes com o rumo do país, os desvios de verbas públicas e até o reajuste da tarifa de energia elétrica.
Fonte: Ego, Globo.


Leia mais: http://www.diario24horas.com.br/noticia/39251-famosos-se-juntam-aos-fas-em-manifestacao-contra-o-governo-dilma#ixzz3UYedo7gi


Ministros minimizam protestos e população repete panelaço

Miguel-Rossetto-agenciabrasilO ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Miguel Rosseto, afirmou em entrevista coletiva neste domingo, que a grande maioria das pessoas presentes nos protestos pelo país não foram eleitores da presidente Dilma Rousseff. Ele não soube explicar como o governo chegou a essa conclusão.
A entrevista, que contou com a participação também do ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, não trouxe nada de novo. Os ministros anunciaram um pacote contra corrupção, a ser anunciado nos próximos dias e trabalhar pela reforma política, principalmente pelo fim do financiamento privado das campanhas. Os dois pontos haviam sido prometidos pela presidência Dilma nos protestos de 2013.
Durante a entrevista dos ministros aconteceram novos panelaços em algumas cidades, inclusive Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.
Os ministros, antes de responderem as perguntas dos repórteres, afirmaram que o governo respeita as manifestações e afirma que elas ocorrem devido o estado democrático que o país vive. “Estamos muito distantes de golpismo”, disse Cardozo. Rosseto, por sua vez, afirmou que o que não se admite é pedido de impeachment sem razão ou violência. “Verificamos pessoas defendendo o fechamento do Supremo Tribunal, o que é inadmissível”, revelou.
Fonte: Ceará Agora

Câmara dos Deputados compra Iphones por R$ 21,6 mil



A Câmara dos Deputados comprará oito celulares do tipo Iphone 4S para autoridades por R$ 21,6 mil. A aquisição, segundo o órgão, é necessária para dar a maior flexibilidade possível ao trabalho. 

De acordo com o edital que garantiu a compra, futuramente a Casa ainda deve comprar celulares celulares do tipo Galaxy S4 (Samsung), Optimus GE977 (LG), Xperia ZQ (Sony) e Moto X (Motorola). 

Horas extras 

Além disso, a Casa reservou o pagamento de R$ 88 mil em horas extras. Neste caso, serão pagos aos motoristas dos veículos oficiais para atender as despesas com serviços extraordinários até o fim deste mês.

Com informações Contas Abertas.

Fonte: CN7

Ministro Cid Gomes dará explicações à Câmara na quarta-feira


O ministro da Educação, Cid Gomes, vai ao Plenário da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (18), para explicar a declaração em que se referiu a deputados como "achacadores" do governo.

A convocação do ministro foi aprovada pelo Plenário da Casa, que se transformará em comissão geral para receber Cid Gomes. Se ele não for, pode sofrer processo por crime de responsabilidade.

A ida de Cid Gomes à Câmara estava prevista para a quarta-feira (11), mas ele pediu adiamento. A assessoria do ministro informou internação dele no hospital Sírio Libanês, na capital paulista, com suspeita de pneumonia. Ele teria sido internado por orientação médica.

Para o senador do Ceará e líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, a hospitalização e ausência do ministro Cid Gomes no Congresso se tratou de uma “manobra”.

Cid foi convocado pelos deputados a prestar esclarecimentos sobre a declaração de que na Casa havia "400, 300 achacadores". 


Fonte: CN7

Dilma exige que Cid Gomes peça desculpas na Câmara dos Deputados


A semana será movimentada no Palácio do Planalto após a onda de manifestações registradas no último domingo (15) em todo o país. Além do pacote anti-corrupção, anunciada pelos ministros  Luiz Eduardo Cardozo (Justiça) e Miguel Rosseto (Secretaria-Geral da Presidência), Dilma deve apressar as mudanças em seu ministério para tentar diminuir a crise política.

A saída de Pepe Vargas da Secretaria de Relações Institucionais já é dada como certa. O PMDB também deve sair fortalecido e ganhar a pasta da Integração Nacional. Mas, um dos grandes problemas é a situação do ministro da Educação Cid Gomes.

Segundo a Folha de S. Paulo (Coluna Painel) desta segunda-feira, a presidente Dilma exigiu que o cearense và à Câmara pedir desculpas por ter dito que existem entre 300 e 400 'achacadores'. O ministro ainda se recupera em casa, após os problemas de saúde registrados na semana passada, menos de 24 horas antes de se apresentar à convocação dos parlamentares.

Cid já teria dito que não iria à Câmara, mas a situação pode ter outros contornos nas próximas horas, após a chefe ter exigido que ele se retratasse. 


Fonte: CN7

26 ESTADOS E DF - Protestos contra Dilma em todo o País

Image-0-Artigo-1816325-1
O gramado em frente ao Congresso Nacional concentrou os participantes do ato na capital federal
FOTO: ABR
São Paulo/Brasília. Com demandas diversas que vão desde o combate à corrupção ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e, com menos ênfase, à intervenção militar, milhares de brasileiros foram ontem às ruas das principais cidades em todos os estados do Brasil e no Distrito Federal. Também houve manifestações de brasileiros que moram no exterior.
Os protestos levaram uma multidão às ruas das maiores cidades do país. Os manifestantes demonstraram insatisfação com Dilma e o PT, partido que governa o país desde 2003. Muitos defenderam o impeachment da presidente que foi reeleita com 54,5 milhões de votos em outubro de 2014.
Multidões
Em São Paulo, o protesto atraiu 210 mil pessoas para a avenida Paulista, segundo cálculos do Datafolha. O resultado contradiz estimativas da Polícia Militar, que falou em mais de 1 milhão de pessoas. Foi a maior manifestação política na capital paulista desde a campanha das Diretas Já, em 1984. A maioria foi às ruas vestida de verde e amarelo.
Houve protestos em pelo menos 160 cidades de todos os Estados, incluindo Brasília e 25 capitais. Na capital federal, cerca de 45 mil se concentraram na Esplanada dos Ministérios e em frente ao Congresso Nacional, que teve o espelho d´água ocupado por alguns manifestantes, segundo informações da Polícia Militar, que mobilizou um efetivo de 1,6 mil homens ontem.
Estimativas feitas pela PM nos Estados ao longo do dia, com critérios menos confiáveis que os do Datafolha, sugerem que as manifestações atraíram 1 milhão de pessoas em São Paulo e cerca de 1,7 milhão nas capitais. Os protestos têm mantido caráter pacífico.
Vestidos com as cores da bandeira brasileira, manifestantes foram às ruas reclamar principalmente da corrup- ção, em meio ao escândalo bilionário na Petrobras investigado pela operação Lava-Jato, e problemas econômicos enfrentados pelo Brasil.
Panelaço
No início da noite de ontem, o governo enfrentou novo constrangimento. Moradores de São Paulo e de outras cidades, inclusive Fortaleza, foram às janelas de seus apartamentos vaiar, gritar e bater panelas ao ver na televisão o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, destacados pela presidente para comentar as manifestações e defender o governo em entrevista coletiva.
Confira o vídeo do panelaço em Fortaleza na noite deste domingo (15) em Fortaleza:
Sempre que questionada sobre as manifestações, como o panelaço durante seu pronunciamento na TV em 8 de março, Dilma tem repetido que elas fazem parte da democracia. Em mensagem publicada no Facebook sábado, Dilma disse valorizar o fato de que as pessoas manifestam-se livremente no Brasil. "Sou a favor da democracia. Espero que amanhã (domingo), o Brasil prove a sua maturidade democrática", escreveu.
Organizados por vários grupos nas redes sociais, os protestos tiveram reduzida participação de políticos. Líderes partidários foram impedidos de discursar. O senador Aécio Neves (PSDB-MG), que perdeu para Dilma em 2014, apareceu na janela do seu apartamento no Rio e divulgou um vídeo na internet. "Não vamos nos dispersar", pediu.
Veja as imagens do protesto em Fortaleza:
Fonte: DN