Buscar

06 fevereiro 2015

Ferreira Aragão afirma que Cid Gomes caiu em emboscada no caso da Refinaria


A desistência da Petrobras em construir a Refinaria Premium II no Ceará continua em pauta na Assembleia Legislativa. O deputado Carlos Matos (PSDB) repercutiu a nota da executiva estadual do PSDB, que repudia a atitude da estatal.

Em aparte, o deputado Ferreira Aragão (PDT) destacou existir mais de 10 mil obras paradas no Brasil. "O gestor tem uma grande responsabilidade, principalmente um presidente. Não concretizar obras é iludir o povo. Nesse caso, o ex-governador Cid Gomes caiu em uma emboscada quando confiou em governantes que não têm palavra", ressaltou.

Já o deputado Elmano de Freitas (PT) afirmou que a nota do PSDB se esqueceu de citar que o senador Tasso Jereissati anunciou um metrô para o Estado, o qual nunca foi concluído. “A nota do PSDB esqueceu ainda que, além do metrô, Tasso prometeu uma refinaria que também nunca saiu”, apontou.


Fonte: CN7

Petrobras confirma Bendine e Monteiro e anuncia novos diretores interinos


A Petrobras informa que a reunião do conselho de administração nesta sexta-feira, 06, aprovou, por maioria, a eleição de Aldemir Bendine para o cargo de presidente em substituição a Graça Foster. Ela também se desliga do conselho de administração, para o qual Bendine foi eleito novo membro. A eleição é válida até a próxima Assembleia Geral de Acionistas.

Nesta tarde, o Banco do Brasil enviou comunicado ao mercado sobre a renúncia de Bendine do cargo de presidente, assim como a de Ivan de Souza Monteiro, que era vice-presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores do banco, eleito agora diretor financeiro e de Relacionamento com Investidores da Petrobras em substituição a Almir Guilherme Barbassa.

A estatal informa ainda que os novos diretores foram eleitos também por maioria e para exercerem interinamente suas funções.

São eles:

Solange da Silva Guedes em Exploração e Produção. Ela é atualmente gerente executiva de Exploração e Produção Corporativa e substitui José Miranda Formigli Filho.

Em Abastecimento assume Jorge Celestino Ramos, antes gerente executivo de Logística da área, no lugar de José Carlos Cosenza.

A diretoria de Gás e Energia ficará com o atual gerente executivo da área Hugo Repsold Júnior, em substituição a José Alcides Santoro Martins.

Para 
substituir José Antônio de Figueiredo como diretor de Engenharia, Tecnologia e Materiais entra o atual gerente executivo de Engenharia para Empreendimentos Submarinos, Roberto Moro.

"A Petrobras agradece à Presidente e Conselheira Graça Foster e aos Diretores Almir Barbassa, José Formigli, José Cosenza, José Alcides Santoro e José Antônio de Figueiredo pela competência técnica, o profissionalismo e a dedicação no exercício desses cargos", encerra o fato relevante.

* Com informações da Agência Estado 

Fonte: CN7

Conta de luz para indústrias no Ceará terá aumento de 44,12%


Sede da COELCE, em Fortaleza. 
A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta sexta-feira para audiência pública as regras para a quarta revisão ordinária de tarifas da distribuidora Coelce (CE). A proposta é de um aumento de 19,50% para os consumidores de baixa tensão (residências) e de 44,12% alta tensão (indústrias). No ano da revisão, que acontece a cada quatro anos, ela substitui o reajuste anual. O aumento vai ser concedido no dia 22 de abril.

Também serão incluídos na revisão ordinária os indicadores de qualidade exigidos para a empresa para o período de 2016 a 2019. A distribuidora de energia do grupo Endesa, que atende 3,2 milhões de consumidores em 184 municípios do Ceará.

Na revisão ordinária da Coelce será incluído o aumento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) que ficou em R$ 23,21 bilhões.

A consulta pública será entre 12 deste mês até 13 de março deste ano, com uma audiência pública em Fortaleza no dia 6 de março.

Como a Aneel ainda não conseguiu concluir todas as novas regras de cálculo da quarta revisão ordinária de tarifas, vai aplicar as regras da terceira do 3º ciclo de revisão tarifária.

A revisão tarifária está prevista no contrato de concessão assinado pelas empresas e tem por objetivo obter o equilíbrio das tarifas com a base na remuneração dos investimentos das empresas.

* Com informações do O Globo


Fonte: CN7

Capitão Wagner quer saber como governador Camilo recebeu as contas de Cid


O deputado Capital Wagner (PR) apresentou requerimento solicitando, junto ao novo secretário de Planejamento e Gestão do Estado (Seplag), Hugo Figueiredo, a atual situação patrimonial, econômica e fiscal do Governo do Estado.

“No requerimento, estamos solicitando dados do relatório de gestão fiscal, para sabermos como o governador Camilo Santana recebeu as contas do Estado da gestão de Cid Gomes. Queremos analisar o motivo dos cortes de gastos adotados pelo novo governador, a situação dos servidores efetivos, cargos comissionados e terceirizados, entre outros pontos”, salientou Capitão Wagner.

Em pronunciamento na sessão desta sexta-feira (6) da Assembleia Legislativa, o parlamentar ressaltou que as informações são importantes para que a fiscalização e a cobrança ao Executivo sejam feitas de maneira responsável.


Fonte: CN7

Prefeitura de Barbalha anuncia cancelamento de Carnaval no município


Antônio de Luna, secretário de Turismo e Cultura de Barbalha. 
A Prefeitura de Barbalha, por meio da Secretaria da Cultura do município, confirmou, nesta sexta-feira (06), que não apoiará financeiramente nenhuma comemoração referente ao carnaval deste ano.

De acordo com uma nota publicada no site oficial da gestão, a restrição atende a recomendação do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que orientou a suspensão do financiamento das comemorações por prefeituras que decretaram situação de emergência, ou estado de calamidade em virtude da estiagem.


Fonte: CN7

Ministro Cid Gomes quer Enem online ainda neste ano


O ministro da Educação, Cid Gomes, quer o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) online em funcionamento ainda em 2015. Segundo ele, a consulta pública sobre o novo formato da prova, que funciona como vestibular para grande parte das universidades públicas e privadas do País, será aberta em março.

“Eu dei um prazo de dois anos, mas quero que neste ano a gente já consiga fazer um Enem online”, disse o ministro nesta quinta-feira, 5. A ideia de Gomes é criar um grande banco virtual de questões da prova, com acesso livre para consultas e estudos.

No momento da prova, feita em salas credenciadas pelo MEC, seriam sorteadas perguntas para cada candidato. Como o teste é de múltipla escolha, o resultado sairia instantaneamente.

Para tornar a ideia realidade, de acordo com Gomes, é necessário aumentar o banco nacional de questões do Enem. O ideal, diz ele, seriam 8 mil questões para cada uma das quatro grandes áreas (Ciências Humanas, Ciências Naturais, Linguagens e Matemática) - 32 mil no total. Gomes não informou quantos itens tem o atual banco do MEC, mas disse que o número está bem longe da meta pretendida.

Outra ideia do ministro é que os candidatos possam escolher o tema da redação em uma lista de quatro ou cinco propostas. Atualmente, o tema é único para praticamente todos os participantes - quem está privado de liberdade escreve sobre outro assunto.

Transformações. Com o Enem online, o MEC pretende reduzir esforços e gastos com a logística de aplicação do teste, além de diminuir as possibilidades de fraudes. Em 2014, o exame foi aplicado simultaneamente para 6,2 milhões de candidatos em todo o Brasil.

O Enem online ainda atende a uma demanda antiga, de mais de uma edição da prova por ano. O novo formato é inspirado no SAT, exame similar ao Enem aplicado nos Estados Unidos.

Segundo Gomes, o novo banco de itens também faz parte da construção do currículo único para a educação básica. “Essa discussão do banco de quesitos para o Enem está umbilicalmente ligada à Base Nacional Comum, que tem prazo para ser terminada no fim do ano que vem”, apontou.

* Com informações do Estadão.


Fonte: CN7

Prefeitura de Aracoiaba disponibiliza Contracheque Online para servidores públicos municipais



Para garantir a comodidade do servidor público municipal, e tendo como princípio a eficiência pública, a Prefeitura de Aracoiaba, através da Secretaria de Planejamento e Gestão – SEPLAG, em conjunto com a ASPEC Informatica, implantou o sistema de Contracheque Online com código de autenticação.
Através da página do município, disponibilizado no site institucional do Governo Municipal, http://www.aracoiaba.ce.gov.br/, o servidor poderá ter acesso ao seu contracheque de forma segura e rápida. No primeiro acesso, o servidor precisa apenas digitar o seu CPF e a senha (3 primeiros números do CPF e os dois últimos).
Para o prefeito Antônio Claudio, o Contracheque Online é uma iniciativa moderna e consciente que soma a tantas outras conquistas da gestão municipal para o servidor. “Buscamos constantemente atender as expectativas dos servidores, com pagamentos em dia e maior flexibilidade nas informações trabalhistas. Contracheque Online é uma forma de agregar a sustentabilidade e a eficiência em todas as ações que realizamos”, ressaltou.
O acesso é realizado de maneira individual. Para acessar o sistema, o servidor entra no site http://www.aracoiaba.ce.gov.br/ e clica no serviço contracheque online. Digita seu CPF e senha (3 primeiros números do CPF e os dois últimos. Após fazer o login o servidor poderá alterar sua senha. A ferramenta visa facilitar o acesso ao contracheque de forma ágil e segura. E para garantir a segurança e privacidade, a senha de acesso pode ser trocada através da página do contracheque. Crie a senha que desejar e memorize-a. Ela será necessária nos próximos acessos.

Assessoria de Comunicação


Fonte: Prefeitura de Aracoiaba

Ceará confirma 27 casos de sarampo em 2015

Contra sarampoA Secretaria de Saúde do Ceará já registrou neste ano 27 novos casos de sarampo.  Os casos foram registrados em 12 municípios, incluindo Fortaleza. A  Secretaria está investigando outros 51 casos suspeitos. Desde dezembro de 2013, já foram registrado 718 casos da doença em todo o Estado.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde alertaram as autoridades cearenses, que  o estado pode tirar das Américas o status de área livre do vírus do sarampo caso a doença não seja contida. A vacina tríplice viral pode ser encontrada em todos os postos da capital e do interior.
Fonte: Ceará Agora

MEC reajusta valores repassados à educação infantil


O Ministério da Educação (MEC) divulgou hoje (5) os valores que serão repassados em 2015 para manutenção de unidades públicas de educação infantil que ficaram fora do censo escolar e que, por isso, ainda não podem, legalmente, receber os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Os valores estão definidos em portaria publicada no Diário Oficial da União. O valor anual a ser repassado a municípios e ao Distrito Federal passa a ser R$ 2.971,24 por aluno de creche pública, em período integral; R$ 2.285,57 por aluno de creche pública, em período parcial; R$ 2.971,24 por aluno de pré-escola pública, em período integral, e R$ 2.285,57 por aluno de pré-escola pública, em período parcial.

Antes de abril de 2013, até que as escolas fossem incluídas no censo, tinham de usar recursos próprios para manutenção de novas turmas. A iniciativa é consequência do lançamento do Programa Brasil Carinhoso, parte do Plano Brasil sem Miséria, que beneficia famílias com crianças até 6 anos.

Segundo o MEC, com o repasse, os municípios e o Distrito Federal terão condições de iniciar as atividades com recursos recebidos diretamente do governo federal para pagar salários e atender a outras despesas, até que passem a ser contemplados pelo Fundeb.

Com informações da Agência Brasil.

Fonte: CN7

Ligações de telefone fixo para móvel ficarão mais baratas


As ligações locais e interurbanas feitas de telefone fixo para móvel ficarão mais baratas para o usuário. A queda será consequência da redução dos valores de referência para tarifas de remuneração de redes móveis determinada pela Anatel, conforme decisão tomada hoje pelo seu Conselho Diretor.


A  redução é consequência do Plano Geral de Metas de Competição da Anatel, aprovado pela Resolução n° 600, de 8 de novembro de 2012, e abrange chamadas da telefonia fixa para celular, sejam ligações locais ou de longa distância, originadas nas redes das concessionárias da telefonia fixa (Oi, Telefônica, CTBC, Embratel e Sercomtel) e destinadas às operadoras móveis.


Com as mudanças, o valor das ligações feitas de telefone fixo para móvel em que os DDDs são iguais (exemplo: telefones com o DDD 21) cairá 22%, em média. Neste tipo de chamada, a tarifa homologada para a Oi, no Rio de Janeiro, por exemplo, cairá de R$ 0,36 por minuto para R$ 0,28. No caso de São Paulo, também no caso de chamadas fixo-móvel com o mesmo DDD, o valor da tarifa da Telefônica cairá de R$ 0,35 por minuto para R$ 0,27 por minuto.


Nas chamadas de fixo para móvel em que os DDDs dos telefones de origem e de destino da ligação têm apenas o primeiro dígito igual (exemplo: DDDs 61 e 62), haverá queda de 14%, em média. A título de exemplo, o valor homologado da Oi da tarifa de conexão para esse tipo de chamada cairá de R$ 0,80 por minuto para R$ 0,69 por minuto.


Nas ligações, em que os primeiros dígitos dos DDDs do telefone fixo e do telefone móvel são diferentes (exemplo: DDDs 31 e 41), a redução será de 12%, em média. O valor homologado dessa tarifa no caso da Vivo/Telefônica, por exemplo, cairá dos atuais R$ 0,93 por minuto para R$ 0,82 por minuto.


Fonte: CN7

Mortes por AVC crescem 11% depois do Carnaval

Image-0-Artigo-1793271-1
O motivo do aumento seria o abuso de bebidas alcoólicas durante o período carnavalesco, de acordo com neurologista
FOTO: WALESKA SANTIAGO
Estudo realizado pelo Comitê Estadual de Atenção à Doença Cerebrovascular detectou que, nos primeiros 30 dias após o Carnaval, ocorre um aumento de 11% no número de mortes por Acidente Vascular Cerebral (AVC) entre os jovens. A pesquisa será apresentada em maio próximo, em Viena, na Áustria, durante o Congresso Europeu de AVC. O estudo foi realizado através da análise de todos os atestados de óbitos de maiores de 18 anos, entre os anos de 2009 a 2013, período em que ocorreram 226.993 mortes, sendo 23.974 por AVC.
O aumento foi verificado em comparação às mortes ocorridas no período imediatamente após o Carnaval e os óbitos registrados em outras épocas do ano. De acordo com o presidente do Comitê Estadual de Atenção à Doença Cerebrovascular e chefe da unidade de AVC do Hospital Geral de Fortaleza, neurologista João José de Carvalho, os fatores de risco se agravam durante o período momino por conta dos abusos cometidos pelos jovens.
Para o neurologista, como não ocorre variação significativa de mortes em relação à população em geral nos óbitos por sexo, evidencia-se o agravamento dos fatores de risco para o AVC entre jovens em função dos abusos praticados no Carnaval, especialmente das bebidas alcoólicas. Pesquisas já demonstraram que pessoas que consomem álcool em excesso têm maior chance de sofrer um AVC.
Mortalidade
Conforme a Secretaria Estadual da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), o AVC é a principal causa de morte em Fortaleza, no Ceará e no Brasil. Por ano, cerca de 16 mil cearenses são acometidos pela doença e aproximadamente 5 mil morrem. A estimativa, ainda segundo a Sesa, é que a cada meia hora um cearense sofre um AVC e a cada duas horas um cearense morre pela doença.
Alguns fatores de riscos não podem ser modificados, tais como a idade, a raça, a constituição genética e o sexo. Entretanto, outros podem ser diagnosticados e tratados, são eles, hipertensão arterial (pressão alta), a diabetes mellitus, as doenças cardíacas, a enxaqueca, o uso de anticoncepcionais hormonais, a ingestão de bebidas alcoólicas, o fumo, o sedentarismo e a obesidade. A adequação dos hábitos de vida diária são essenciais para a prevenção do AVC.
O acidente vascular cerebral ocorre subitamente em qualquer idade ou sexo. Também conhecido como derrame, ele se dá quando há um entupimento ou o rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro, provocando a paralisia da área que ficou sem a circulação sanguínea adequada.
Saiba mais
Sintomas do AVC
1. Diminuição ou perda súbita da força na face, braço ou perna de um lado do corpo
2. Alteração súbita da sensibilidade com formigamento na face, braço ou perna de um lado do corpo
3. Perda súbita de visão num olho ou nos dois olhos
4. Alteração aguda da fala, incluindo dificuldade para articular, expressar ou para compreender a linguagem
5. Dor de cabeça súbita e intensa sem causa aparente
6. Instabilidade, vertigem súbita intensa e desequilíbrio associado a náuseas ou vômitos
Fonte: DN

ENERGIA - Aumento nas bandeiras pode subir mais de 80%

Image-0-Artigo-1793232-1
Além de sinalizar sobre o custo de geração de energia, o sistema significa uma cobrança extra na conta de luz quando a energia está mais cara
FOTO: TUNO VIEIRA
Brasília. Para evitar que os reajustes tarifários nas contas de luz fiquem próximos a 60% em 2015, o governo decidiu passar parte dos custos da energia para o sistema de bandeiras tarifárias, cobradas dos consumidores desde janeiro deste ano em meses de forte estiagem. Mas, como a seca no País é duradoura, essa medida deve aumentar em quase R$ 9 o valor final das faturas médias das residências brasileiras já em março.
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai propor hoje que o valor da bandeira vermelha suba dos atuais R$ 3 para R$ 5,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos no mês, uma alta de mais de 83%. Para a bandeira amarela, a cobrança adicional deverá subir de R$ 1,50 para R$ 2,50 por 100 kWh.
O governo também vai rever a reprogramação de sua tabela de preços cobrados do consumidor comercial e industrial nos horários de pico. Atualmente, as regras estabelecem como horário de pico de consumo de energia o período entre 18h e 22h. Na realidade, esse pico de consumo tem se antecipado para a tarde, entre as 14h e as 19h.
"Na realidade, estamos pagando no horário errado", disse ontem o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga. Nas contas dele, a mudança do horário pode gerar uma carga extra de 8 mil megawatts (MW).
Nos horários de pico, indústria e comércio pagam mais caro pela energia consumida. Por isso, vinham utilizando geradores e outros meios de autoprodução de energia para reduzir seus gastos com conta de luz. É justamente esse movimento que o governo pretende captar para o início da tarde, quando o consumo efetivo do País tem batido recordes. A mudança depende de uma regulamentação da Aneel.
Dentro da realidade
O diretor da Aneel e relator da mudança, Tiago de Barros Correia, disse que o novo sistema das bandeiras tarifárias vai permitir um "sinal de preço" mais aderente à realidade das condições de oferta de energia. Ele explicou que, nesse momento, as distribuidoras necessitam de um reforço de caixa para cobrir o custo adicional de geração por conta do acionamento das térmicas. "Quando enfrentamos períodos de seca, a geração hidrelétrica é substituída pela termelétrica, que é mais cara", ressaltou.
Com a mudança, uma conta de R$ 65,20, que hoje sobe para R$ 70,09 na bandeira vermelha, chegará a R$ 74,15 com o novo aumento, quase R$ 9 a mais. Na bandeira amarela, essa mesma conta de R$ 65,20 subiria hoje para R$ 67,65 considerando o preço atual, mas chegará a R$ 69,27 com a alteração.
Esses valores consideram que o consumo médio do brasileiro é de 163 kWh por residência, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), e que a tarifa média do consumidor residencial, segundo a Aneel, é de R$ 400 por megawatt-hora (Mwh).
Além disso, o aumento do valor das bandeiras vai impactar as receitas mensais das empresas de distribuição. Em um mês de bandeira vermelha, o valor adicional pago pela população, que atualmente é de R$ 800 milhões, saltará para R$ 1,46 bilhão. Na amarela, a cobrança extra passa de R$ 400 milhões para R$ 666 milhões. Por outro lado, o reajuste das bandeiras deve aliviar parte do aumento previsto pelo governo por meio do reajuste anual ordinário e da revisão extraordinária das tarifas.
Alta na tarifa pode levar inflação a superar os 7%
São Paulo. A proposta da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de elevar em mais de 80% o preço da tarifa de energia bandeira vermelha, além das altas previstas em contratos para as distribuidoras, à decisão do governo de cortar recursos para programas sociais do setor e a transferência para as tarifas dos custos da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), pode levar a alta dos preços administrados à casa dos 12%, e a inflação para acima de 7%,em 2015, segundo economistas.
De acordo com os profissionais, calcular o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) não está sendo tarefa fácil, dada a chuva de informações do setor elétrico que surgem a cada dia. No entanto, são unânimes em afirmar que o consumidor brasileiro terá de conviver com o sistema de bandeira tarifária vermelha durante todo o ano de 2015, com uma tarifa mais cara entre 40% e 50%.
A Aneel propõe que as tarifas da bandeira vermelha subam para R$ 5,50 a cada 100 kWh. Para a bandeira amarela, a cobrança adicional deverá subir de R$ 1,50 para R$ 2,50 a cada 100 kWh. A proposta será apresentada hoje, em reunião extraordinária da diretoria da agência.
Para o economista Marcelo Castello Branco, da Saga Investimentos, a projeção do IPCA fechado de 2015, se a proposta de ajuste da Aneel for aprovada, sai de 7,4% para 7,6%, com a energia subindo cerca de 50% e não mais 40% como antes.
Comércio e indústria
Por causa da mudança do horário de pico do consumo de energia elétrica no País, o governo estuda mudar a regra atual que encarece a conta de luz para comércio e indústria no fim da tarde. A ideia é que essa tarifa diferenciada seja aplicada durante a tarde. Até hoje, a indústria e o comércio, que são grandes consumidores de energia, tinham de lidar com preço diferenciado quando faziam uso de energia durante o horário de pico, que, em geral, ia das 18h às 21h.
Crise deve estender horário  de verão
Brasília. O Ministério de Minas e Energia informou ontem que, para economizar energia, o governo estuda ampliar o período do horário de verão este ano, que terminaria no dia 22 deste mês. Por causa da mudança do horário de pico do consumo de energia elétrica no País, o governo também estuda mudar a regra atual, que encarece a conta de luz para comércio e indústria no fim da tarde. A ideia é que essa tarifa diferenciada passe a ser aplicada entre 14h e 19h, e não mais entre 18h e 21h.
De acordo com o ministro Eduardo Braga (Minas e Energia) o tema está sendo estudado há três semanas pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), EPE (Empresa de Pesquisa Energética) e pela Secretaria de Energia do ministério.
Caso seja aprovada, a medida deve acabar forçando o grande consumidor de energia a usar geração própria (de seus geradores ou pequenas de usinas) durante a tarde.
O governo estima que a medida libere cerca de 8.000 megawatts de energia durante a tarde, contribuindo para desafogar o setor, que enfrenta gargalos principalmente devido ao baixo nível de chuvas, que impede as usinas hidrelétricas de operarem conforme suas capacidades.
Leilão A-5 tem térmica do CE
A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) cadastrou 91 novos projetos de energia elétrica para o Leilão A-5 2015, marcado para o dia 30 de abril deste ano. Dos 91 empreendimentos, um está previsto para o Ceará - uma térmica a gás natural com oferta de 369 megawatts (MW). Ao todo, os empreendimentos somam oferta de 19.826 MW e ainda passarão pelo processo de habilitação.
O Leilão A-5 prevê a entrega de energia elétrica ao Sistema Interligado Nacional (SIN) a partir de 2020. A maior participação em volume de energia foi registrada pelas térmicas a gás natural, no total 31 projetos, com oferta de 15.439 MW.
Segundo a EPE, o grande número de usinas a gás natural inscritas no A-5 2015 está ligada à tendência de retorno dessa fonte aos leilões - já observada nos leilões do ano passado. Entre as fontes fósseis, ressalta a empresa, o gás natural é o menos poluente, o que contribui para manter a matriz brasileira limpa.
Foram inscritas ainda sete hidrelétricas, com total de 649 MW; 27 Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH), com 477 MW; 22 termelétricas a biomassa, somando 1.161 MW e quatro termelétricas a carvão, com 2.100 MW. Entre as usinas hidrelétricas inscritas, apenas a de Itaocara, no Rio de Janeiro, já possui licença ambiental, o que garante a sua presença no leilão.
d
Fonte: DN

Cearense pode ter dois reajustes de água

Image-0-Artigo-1793227-1
Para Arce, a situação do Ceará é bem melhor que a de São Paulo. Ele diz também que ainda é cedo para falar em tarifaço ou sobrepreço
FOTO: BRUNO GOMES
Em meio à seca que assola o Estado, principalmente, os municípios do Interior cearense, e diante da necessidade de se buscar estratégias de promoção de um consumo racional e consciente dos recursos hídricos, a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce) está realizando estudos econométricos de novos preços das tarifas de água, sob vários cenários. Sobretaxas poderão vir a ser aplicadas, caso a situação de colapso se efetive e a população, notadamente da Capital, continue a desperdiçar água.
Solicitado pelo Conselho Diretor da Arce, conforme apurou o Diário do Nordeste, o estudo foi confirmado pelo assessor Econômico-Tarifário, da Agência Reguladora, o economista Mário Monteiro. "Preço também é um mecanismo de racionalização, assim como a própria supressão do consumo", declara Monteiro, explicando que os estudos ainda estão em fase preliminar.
Tarifaço
Conforme explica, o estudo irá analisar vários cenários, para apontamento de alguns modelos, que poderão subsidiar o governo do Estado, caso decida, no futuro próximo, adotar alguma política de controle de consumo ou de racionamento de água. Monteiro evita falar em tarifação de recursos hídricos, medida semelhante à que vem sendo adotada pelas concessionárias do setor elétrico e pela Sabesp (Superintendência de Abastecimento de Água de São Paulo, na capital paulista.
"A nossa situação (hídrica) não é a mesma de São Paulo. Aqui é melhor", pondera o assessor da Arce, para quem ainda é cedo falar em tarifaço ou sobrepreço na conta de água do consumidor cearense.
A mesma posição tem a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece). "Sobretaxa ou racionamento ainda não são iniciativas da Cagece, neste momento", respondeu, na tarde de ontem, a Companhia, por meio da Assessoria de Imprensa. "Todas a discussões sobre a estiagem, sobre as ações de combate à seca e racionamento (de água) vêm sendo tratadas de forma colegiada (por várias secretarias e órgãos de governo)", explicou a a assessoria da Cagece.
Dois reajustes
Ambos, Cagece e Arce, confirmam também que as tratativas para definição do novo modelo de tarifação dos serviços de fornecimento de água e de esgotamento sanitário prestados pela Cagece, em 150 municípios cearenses, estão em fase final. Em Fortaleza, quem regula os serviços da Cagece é a Asfor. A perspectiva é que o novo modelo esteja concluído em julho, embora estivesse previsto para março.
"O trabalho - iniciado em março de 2014 - está perto do fim. Estamos no terço final", garante o economista, confirmando que, com isso, o cearense poderá ter dois reajustes de água neste ano. Um em abril próximo, com base de correção apenas no IPCA do período de março de 2014 a fevereiro de 2015, - nos mesmos moldes dos últimos dois anos -, e outro em julho, quando a Cagece terá que aplicar a nova metodologia de cálculo das tarifas.
Nova fórmula
A nova forma de cálculo da contas de água e esgoto passará a reconhecer os ativos atualizados da empresa e a incluir critérios de eficiência e qualidade, dentre outros parâmetros de aferição que, certamente, interferirão nos cálculos dos futuros reajustes de preços dos produtos e serviços prestados à população.
Monteiro informa que aguarda apenas a Cagece lançar os novos parâmetros em sua contabilidade, para que o novo modelo seja oficialmente finalizado pela empresa Quantum Brasil, contratada pela Arce para realização dos trabalhos. Ele explica ainda, que a nova metodologia passará a ser utilizada pela Cagece, daqui pra frente, o que pode alterar a "data base" de referência dos reajustes das tarifas, de abril para julho de cada ano. "Isso ainda vai ser definido", disse.
Carlos Eugênio
Repórter
Fonte: DN

Unilab corta auxílios financeiros de alunos e gera revolta; Universidade diz que houve ajustes gerenciais

Foto: Arquivo Pessoal
Alunos da Unilab fizeram manifestação na terça-feira (3), contra os cortes do auxílio. Foto: Arquivo Pessoal
A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), localizada em Redenção, no Ceará, fez alguns cortes nos auxílios financeiros dado aos estudantes da universidade. De acordo com os alunos, a bolsa foi reduzida para o valor de R$ 530.
Em nota, o membro do Centro Acadêmico da Unilab, Kaio Lemos, informou que, com o corte, fica impossível se manter na cidade, tendo em vista que não há empregos para estudantes brasileiros e estrangeiros no local. “Ressaltamos que o custo de vida em Redenção é altíssimo, os aluguéis são muito caros, a especulação do setor imobiliário elevou os preços dos aluguéis para valores que vão de 400,00 a 1.200,00 reais, além dos custos com alimentação, transporte, xerox e outras atividades acadêmicas”, informa o trecho do comunicado enviado a redação web da Rádio Verdes Mares.
Dependendo da situação do estudante, a Unilab oferece o auxílio, que pode ser de moradia, alimentação, transporte e social, por meio do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES). O dinheiro ajuda os universitários a se manterem na cidade, já que muitos são de outros países e de outros estados brasileiros.
Kaio explica que o auxílio foi cortado após o lançamento da Programa Bolsa Permanência (PBP), que é do Governo Federal e que destina-se apenas para os alunos do curso de Humanidades da Unilab, único que enquadra-se nas exigências estabelecidas pelo programa. Muitos alunos, que recebiam R$ 930, vão receber, no máximo, R$530, com os novos ajustes da universidade.
“A universidade quer retirar o nosso auxílio por conta dessa Bolsa Permanente, mas não tem nada a ver. Essa bolsa é verba federal e não pode substituir o auxílio. Além disso, esse programa é novo e ainda está cheio de falhas. A Bolsa Permanente pode atrasar até dois meses e existe a possibilidade de ela nem mais existir. E aí, nós vamos ficar como?”, afirma o estudante.
Na última terça-feira (3), houve uma manifestação no campus da Liberdade, em Redenção, contra os cortes nos auxílios. Ainda de acordo com os estudantes, pode haver uma grande evasão na universidade em decorrência da situação dos alunos.
Foto: Viviane Pinheiro/ Diário do Nordeste
Foto: Viviane Pinheiro/ Diário do Nordeste
Unilab afirma que não houve cortes no auxílio
Em nota, a Universidade informou que “não houve cortes dos auxílios e sim ajustes gerenciais dos recursos financeiros recebidos na Unilab e destinados à assistência estudantil”.
A entidade explicou que cada estudante contemplado com os recursos do PNAES pode receber até R$ 530,00 e disse que a PBP possui um papel secundário porque é limitado para estudantes de cursos com carga horária média igual ou superior a 5 horas. No total, 361 estudantesbrasileiros e estrangeiros da Unilab recebem R$ 400,00 mensais por meio deste programa.
A nota diz ainda que, em setembro de 2014, a Gestão Superior da Universidade começou a ampliar o cadastramento dos estudantes no PBP, e anunciou que os alunos não poderiam acumular, a partir de janeiro de 2015, o PBP com o PNAES, que soma R$ 930.
De acordo com a Unilab, o ajuste é para distribuir o auxílio de maneira igualitária entre os estudantes. “A Gestão Superior da Unilab entende que não seria adequado, do ponto de vista da equidade, da justiça social e do bom uso do dinheiro público, que estudantes com o mesmo perfil de vulnerabilidade socioeconômica recebam, alguns até R$ 930,00 (PBP acumulado com os auxílios do PNAES) e outros não recebam nada. É oportuno salientar que nenhum estudante cadastrado no PBP receberá menos do que recebia do PNAES”.
Fonte: VERDINHA

O finado Orkut é ressuscitado pelo Orkuti, rede social brasileira

Página inicial do Orkuti - Foto reprodução
Página inicial do Orkuti, você pode se cadastrar usando sua conta do Facebook ou do GooglePlus- Foto reprodução
Quem aí lembra das frases: “Leio, respondo e apago”, “o Orkut vai mudar de cor”, “só adiciono com scrap” e “não adicione este depoimento” sabe muito bem como era a vida social digital usando scraps, comunidades e depoimentos no finado Orkut.
Fora do ar desde setembro de 2014, o Orkut serviu de inspiração para uma rede social que já tem 150mil usuários e mais de 7 mil comunidades, o Orkuti.
Criado pelo brasileiro Alex Becher, o Orkuti (com “i”) traz layout e algumas funcionalidades do finado, como as comunidades, trocar os temas de fundo dos perfis, escrever scraps, participar de joguinhos online (lembra da Colheita ou Fazenda Feliz?), deixar depoimentos nos perfis de amigos e saber quem visitou seu perfil.
Perfil do usuário no Orkuti - Foto Reprodução
Perfil do usuário no Orkuti. Voltei ao ano de 2008 – Foto Reprodução
Mas o Orkuti tem suas diferenças, como o recurso de páginas de notificações (que mostra interações com seus amigos) e não possuir, ainda, publicidade.
“O Orkuti surgiu após o anuncio do Google de tirar o Orkut do ar. Uma brilhante ideia surgiu, de recriar a rede social que iniciou uma nova era para os relacionamentos de pessoas viainternet, mantendo a essência nostálgica daquele ambiente onde as pessoas podiam em sua simplicidade interagirem”, é o que diz uma descrição inicial na própria rede.
Uma das comunidades que participo no Orkuti -Foto Reprodução
Uma das comunidades que participo no Orkuti -Foto Reprodução
Vale lembrar aqui que o Orkut foi a primeira rede social de muitos brasileiros. Lembro que eu odiava ter que escrever, apenas por educação, um depoimento de volta pra quem me escrevia um; e também, eu admito, internet: matei meu Buddy Poke.
Fonte: VERDINHA