Buscar

11 janeiro 2015

Escola Domingo Sávio de Baturité prorroga matrículas - confira

Nasce terceiro filho do ministro Cid Gomes

Nome do novo filho de Cid é Pedro
Atual ministro da Educação, Cid Gomes anunciou, na tarde deste domingo (11), o nascimento do seu terceiro filho. Em suapágina no Facebook, o ex-governador do Ceará comemorou o nascimento de Pedro, que aconteceu na noite do último sábado (10) no Hospital e Maternidade Gastroclínica, localizado no bairro Aldeota, em Fortaleza.
"Nasceu ontem, às 20:00, o Pedro, meu terceiro filho. Graças a Deus com muita vitalidade!", comemou Cid Gomes. Na foto publicada, o ex-governador, que aparece acompanhado da esposa, Maria Célia, posa com o filho no colo. Além de Pedro, o casal já tem outros dois filhos: Rodrigo, de 17 anos, e Matheus, de 7.
Até a tarde deste domingo (11), a esposa de Cid permanecia internada na maternidade. 
Fonte: DN

Prefeito de Canindé envia Projeto à Câmara para escapar da CPI e de possível afastamento pela Justiça.

canindé prefeitoUm verdadeiro ato maquiavélico. É como está sendo apontado por vereadores de oposição o Projeto de Lei 001/2015 de autoria do Prefeito Municipal de Canindé Francisco Celso Crisóstomo Secundino enviado no entardecer desta sexta-feira (9) à Câmara Municipal do município.
Em síntese o Projeto altera a Lei nº 1772/2002 que disciplina o uso dos recursos da Contribuição da Iluminação Pública (CIP) e pretende estender a utilização dos recursos da para pagar as faturas de consumo de energia elétrica dos prédios públicos municipais ou locados, mediante contrato administrativo, e ainda, a restituição dos valores retirados da arrecadação da CIP no período de 2010 a 2014 mediante parcelamento a ser disciplinado, mediante Decreto.

Privados de liberdade do Ceará e Pernambuco terão provas reaplicadas

Serão aplicadas nos dias 15 e 16 de janeiro, as provas do Enem 2014 para 1.674 pessoas privadas de liberdade

Divulgação/ USP Imagens  
O Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) reaplicará, nos dias 15 e 16 de janeiro, as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014 para 1.674 pessoas privadas de liberdade nos estados de Pernambuco e Ceará.

Todos eles farão as provas do primeiro dia e 1.662 farão as provas aplicadas no segundo dia.

Os cartões de resposta e as provas de redação desses participantes estavam dentro do caminhão dos Correios que foi roubado na cidade do Rio de Janeiro em 16 de dezembro. A Polícia Federal investiga o caso.

A aplicação do exame ocorrerá em 45 unidades prisionais, em 23 cidades. Uma força-tarefa criada para a aplicação e a correção dos testes permitirá que os resultados sejam divulgados em tempo para que, caso seja de interesse do participante, ele se inscreva no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

A inscrição desses participantes no Sisu deve ser feita pelo coordenador pedagógico da unidade prisional onde o detento se encontra.

Fonte: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Fonte: http://www.cearanews7.com.br/ver-noticia.asp?cod=23732

Seca deixa 907 municípios em situação de emergência ou calamidade no país

Reportagem da Folha de S. Paulo deste domingo (11) retrata a situação de calamidade e emergência em 907 municípios brasileiros devido à seca. A escassez de água que preocupa São Paulo, atinge também Minas Gerais, Espírito Santo e os nove Estados da região Nordeste. São 93 cidades em racionamento e 3,9 milhões de pessoas afetadas.

Em São Paulo, que vive a maior seca em 84 anos, não foi decretado racionamento, mas a pressão da água tem sido reduzida á noite e, nesta semana, foi aprovada uma sobretaxa na conta de água para quem aumentar o consumo.

Previsão para os próximos meses também preocupa

Se a situação está ruim, as previsões não são otimistas para os próximos meses. Metereologista do Instituto Mineiro de Gestão das Águas, Adelmo Correia, diz que a situação é 'preocupante'. Dezembro e janeiro são os meses de chuva mais intensa, mas choveu abaixo da média histórica até agora: 65% do previsto em dezembro e, até agora, só 9% em janeiro.




Fonte: http://www.cearanews7.com.br/ver-noticia.asp?cod=23744

"O Rei do Gado" volta ao ar nesta segunda

Image-1-Artigo-1774576-1
Antonio Fagundes como Antônio Mezenga, avô do latifundiário, Bruno Mezenga, vivido por ele na segunda fase
Image-0-Artigo-1774576-1
Patrícia Pillar se tornou boia-fria para representar o momento social
Primeira novela a abordar questões como o conflito dos sem terra e a reforma agrária, "O rei do gado" foi escolhida para a ocupar o "Vale a pena ver de novo" quando a Globo comemora seus 50 anos. O folhetim de Benedito Ruy Barbosa, exibido originalmente em 1996, volta ao ar amanhã, após "Cobras & lagartos".
"Fico feliz que a novela continue sendo exemplo de um bom momento da dramaturgia brasileira. Uma boa obra do passado pode se tornar um conteúdo datado. Talvez a atualidade de "O rei do gado" resida no fato de o Brasil não ter resolvido muitas dessas questões que a novela apresentava", destaca Luiz Fernando Carvalho, diretor-geral do folhetim, que já foi reprisado no "Vale a pena ver de novo" (1999) e no "Viva" (2011).
O diretor ressalta que tinha vontade de representar o momento social brasileiro da época. Tanto que Luana, boia-fria vivida por Patrícia Pillar, acabou ganhando um perfil diferente do previsto. "Luana seria uma andarilha. Quando eu li aquilo, imediatamente propus ao Benedito, um autor com forte ligação com o social, que a ligássemos ao Movimento dos Sem Terra", relata.
A partir da mudança de perfil, a caracterização da personagem foi reformulada. "Escondi ela por trás do cabelo, fiz uma maquiagem que a deixasse maltratada pelo sol. E coloquei a Patrícia para morar e trabalhar numa comunidade de cortadores de cana no interior de São Paulo por 15 dias. Ela passaria a representar uma ideologia".
Movimento Sem Terra
Na trama, em peregrinação com o MST, Luana invade as terras do latifundiário Bruno Mezenga (Antonio Fagundes). Encantado com a beleza da moça, o rei do gado acaba empregando a boia-fria em uma de suas fazendas. "No primeiro olhar, ele já sabia que ia se apaixonar por aquela mulher, o que é um conflito, pois ele era um latifundiário, e ela, uma sem-terra", comenta Fagundes.

OAB realiza última etapa do XV Exame de Ordem

Prova
Da fase final do XV Exame da OAB constam prova prático-profissional e quatro questões discursivas, no formato de situações-problema
FOTO: ARQUIVO
Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) realiza, neste domingo, 11, às 13h (horário de Brasília), a segunda etapa do XV Exame de Ordem unificado, em todo o País. Farão essa prova os candidatos aprovados na fase inicial do XV Exame e aqueles que solicitaram reaproveitamento da primeira etapa do XIV Exame. No total, mais de 70 mil candidatos estão aptos para esse teste.
Da fase final do XV Exame da OAB constam prova prático-profissional e quatro questões discursivas, no formato de situações-problema. Essa fase é de caráter eliminatório e o candidato, no ato da inscrição, já escolheu a áreas do direito: administrativo, civil, constitucional, empresarial, penal, do trabalho ou tributário, bem como o seu correspondente direito processual.
Quem está habilitado para esse exame da OAB
Do Exame de Ordem Unificado da OAB participa o bacharel em direito, mesmo que pendente da colação de grau, graduado em instituição regularmente credenciada, bem como os estudantes de último ano do curso de direito ou dos dois últimos semestres. A aprovação é requisito necessário para a inscrição nos quadros da OAB como advogado. O resultado preliminar dessa segunda etapa do XV Exame de Ordem da OAB será divulgado no dia 3/02. E o resultado final, depois da apreciação dos recursos, no dia 24/02.  
Fonte: DN

Dilma não terá vida fácil no Congresso Nacional

Dilma
Segundo mandato: presidente terá que ter jogo de cintura para superar o descontentamento do PMDB - seu maior aliado, o fortalecimento da oposição e um ano de arrocho fiscal com a expectativa de baixo crescimento econômico
FOTO: REUTERS
Brasília. O primeiro ano do novo mandato da presidente Dilma Rousseff já começou e não será nada fácil. O Governo já enfrenta um cenário complicado no Congresso, com descontentamento no maior partido da base, o PMDB, e um fortalecimento da oposição após a eleição do ano passado, tendo como pano de fundo a necessidade de arrocho fiscal e expectativa de baixo crescimento econômico.
Como se não bastasse, o Executivo terá de negociar com uma base pulverizada em um número maior de partidos. Além disso, corre o risco de ter na presidência da Câmara um deputado com histórico de embates com o Governo, e terá ainda de enfrentar as investigações de um dos maiores escândalos de corrupção da história recente.
Isso tudo em um ano em que o Congresso será crucial para chancelar as medidas de ajuste econômico que o Executivo pretende promover justamente para colocar as contas públicas em ordem, além de ter a prerrogativa de dar curso a reformas como a política e a simplificação das alíquotas interestaduais do ICMS, entre outras medidas, como a lei orçamentária de 2015.
"O relacionamento do Parlamento com o Governo não vai ser fácil", avaliou o cientista político Carlos Melo, do Insper.

Oposições trabalham o enfrentamento de 2016

heitor
Heitor Férrer tem o respaldo do PDT para ser candidato a prefeito, mas o partido, hoje aliado do Governo, não apoia candidato da oposição
FOTO: BRUNO GOMES
Está muito distante! Daqui até lá, como diziam os políticos de ontem, "ainda vai passar muita água por debaixo da ponte". Mas, o certo é que já tem político cuidando da próxima disputa municipal, em 2016, em Fortaleza, independentemente de promessas de acordos feitos na disputa estadual do ano passado quando vários líderes partidários se uniram em torno da postulação do senador Eunício Oliveira (PMDB) ao Governo do Estado contra o candidato de Cid Gomes (PROS), por fim eleito, o hoje governador Camilo Santana (PT).
Os acertos feitos por representantes do PMDB, PSDB e PR, eram de manter a união contra o adversário comum, Cid Gomes. Dessa forma, todos teriam um objetivo único que seria derrotar Roberto Cláudio (PROS), o atual prefeito, na pretensão deste de ter um segundo mandato consecutivo.
Os três partidos, ao contrário de um candidato único, apresentariam cada um o seu nome, admitindo duas ou três outras postulações, no campo oposicionista, representando o PDT, o PSOL e a corrente do PT da ex-prefeita Luizianne Lins.
Receber apoio
Dessa forma, seriam candidatos Eunício Oliveira, Capitão Wagner, Heitor Férrer, Renato Roseno e a própria Luizianne, ficando ainda o PSDB, dependendo da realidade daquele momento, com chance de também ter um nome próprio ou se aliar a Eunício. Assim, entendem eles, o segundo turno da disputa estaria viabilizado e, qualquer deles, exceção de Roseno, teria o apoio dos demais para enfrentar Roberto Cláudio.
Heitor, é bom registrar, tem o apoio do PDT para disputar, mas não o tem para levar o partido a fechar com outro oposicionista. Pode, sim, receber apoio no caso de ir ao segundo turno. O PDT está no esquema governista, e Cid ainda é o líder da situação.
A ex-prefeita Luizianne Lins saiu enfraquecida, eleitoralmente, do último pleito. Foi eleita deputada federal, mas sua votação ficou muito aquém do previsto, até mesmo pelos seus mais próximos. E mais, viu dispersarem alguns dos seus liderados, dentre eles o ainda deputado federal Eudes Xavier, o vereador Guilherme Sampaio e outros.
Filiações
Mas, como não se queda facilmente, nos bastidores, trabalha para continuar comandando o diretório municipal da agremiação e, sozinha, já conseguiu filiar próximo de cinco mil eleitores, para não ser surpreendida pelos adversários na própria agremiação. Esses novos filiados estarão aptos a votar na próxima plenária que definirá se o partido terá ou não candidato próprio à Prefeitura da Capital.
Sabe Luizianne do compromisso, sobretudo moral, do governador Camilo Santana com a reeleição de Roberto Cláudio. Camilo, presume-se, tudo deverá fazer, dentro do PT, com a força que a caneta governamental lhe confere, para retribuir o esforço feito pelo atual prefeito, para ele chegar à chefia do Executivo estadual, mesmo tendo sido surpreendido com a votação de Fortaleza, majoritariamente favorável ao seu concorrente. Ademais, Roberto Cláudio é o candidato de Cid, primeiro patrocinador da eleição de Camilo Santana.
Luizianne quer repetir o momento rebelde de 2004, quando enfrentou e derrotou, dentro do PT, o todo poderoso da época, José Dirceu, no início do primeiro Governo Lula, um dos defensores do apoio do PT ao nome de Inácio Arruda, que já naquela época queria ser prefeito de Fortaleza. E é por isso que ela trabalha para continuar mantendo o controle do diretório municipal, a menos seja nocauteada por uma decisão casuística da direção nacional, sonho dos seus adversários na década passada que acabou não acontecendo.
Sobrevivência
Ela, como Eunício Oliveira, estão certos de ter o apoio da maioria do eleitorado fortalezense. Ambos querem ganhar a Prefeitura, principalmente para reduzir a força política do ex-aliado deles, Cid Gomes, hoje o principal adversário de ambos, e também por uma questão de sobrevivência política.
Com o mandato de deputada federal, sem perspectiva de ter um trabalho capaz de destacá-la como excelente parlamentar, Luizianne não oferece elementos, agora, para permitir que se lhe diferencie da ex-prefeita Maria Luiza Fontenele, quanto a futuras pretensões eleitorais.
Por seu turno, o senador Eunício Oliveira, cujo mandato termina em 2018, hoje não oferece elementos a motivar raciocínio favorável à sua reeleição, embora na época estejam em jogo duas vagas, no caso a dele e a do senador José Pimentel (PT).
Cid Gomes, apoiando a reeleição de Camilo Santana, quer para si uma das duas cadeiras de senador, e, por certo, ajudará a eleger o segundo, excluindo os nomes de Eunício e Pimentel, ajudados em 2010. Assim, disputar a Prefeitura de Fortaleza, no próximo ano, mesmo perdendo, será benéfica ao senador peemedebista para se credenciar como uma verdadeira força política no Estado do Ceará.
Edison Silva
Editor de Política
Fonte: DN

Universitária Amanda Cruz é condenada por mortes em acidente

Image-0-Artigo-1776021-1
A estudante confirmou, à época da tragédia, ter passado a noite anterior ao acidente em uma festa, ingerindo bebida alcoólica
FOTO: NATINHO RODRIGUES
Image-1-Artigo-1776021-1
Acidente aconteceu em 17 de março de 2012, em Fortaleza; na ocasião do sinistro, populares quiseram linchar a estudante
FOTOS: VIVIANE PINHEIRO/AGÊNCIA DIÁRIO
Image-2-Artigo-1776021-1
Vítimas eram um homem, uma adolescente grávida e uma criança de um ano e sete meses, filha da jovem gestante; clima no local foi de comoção
Image-0-Artigo-1776065-1
Em outubro do ano passado, Amanda Cruz perdeu o controle de outro veículo e colidiu frontalmente contra uma caminhonete; a jovem permanece internada
Image-0-Artigo-1776107-1
Amanda esteve presa por mais de 90 dias e, por possuir endereço fixo, obteve direito a responder ao processo em liberdade
FOTO: REPRODUÇÃO/TV VERDES MARES
Quase três anos após atropelar e matar três pessoas, sendo uma adolescente grávida e uma criança de um ano, a estudante universitária Amanda Cruz da Silva foi condenada pela Justiça a 9 anos de prisão em regime semiaberto.
Segundo os autos, no dia 17 de março de 2012, por volta do meio-dia, Amanda perdeu o controle do carro que guiava. O acidente aconteceu na Avenida Paulino Rocha, nas proximidades do condomínio residencial Bariloche, bairro Cajazeiras, em Fortaleza. O veículo subiu o meio-fio e atropelou já na calçada as vítimas José Flávio Bezerra, 56 anos, além da adolescente Marcilene Silva Maia, 17, e a criança Ana Rafaela da Silva Maia, de 1 ano e 7 meses. Ana Rafaele era filha de Marcilene, que estava grávida de cinco meses. O veículo só parou quando derrubou o muro de um condomínio.
O carro, um Chevrolet Corsa de placas KIW-6226, pertencia a um amigo de Amanda. Antes de atropelar as três pessoas, o automóvel desgovernado ainda atingiu um poste. Amanda disse, à época, que tentou desviar de um buraco e colidiu em uma moto antes do acidente. Com a estudante, no veículo, estava ainda um amigo, que relatou à Polícia que a condutora utilizava o cinto de segurança, guiava no limite de velocidade permitido e não executava manobras de risco.
Álcool
Ao depor perante a Polícia, logo após o acidente, a estudante contou que tinha passado a noite anterior em uma festa e havia consumido bebidas alcoólicas. Amanda contou também que era usuária de medicamentos controlados e que estes não poderiam se associar a álcool.
O exame toxicológico a que a ré foi submetida posteriormente deu 'negativo', assim como os testes que mediram o teor de álcool existente em seu sangue no momento do acidente. No entanto, ela disse em seu depoimento que tinha ingerido vodca e cerveja na festa em que esteve até às seis horas. Depois teria ido pra casa, dormido até às dez horas e saído novamente para uma outra festa.
À época do fato, o hoje diretor da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Ricardo Romagnoli, estava de plantão no 30º DP (São Cristóvão). Naquela ocasião, o delegado entendeu que, ao dirigir depois de ter ingerido bebidas alcoólicas e passado a noite acordada, Amanda estaria assumindo o risco de fazer vítimas e, por isso, a jovem foi autuada por triplo homicídio.
Presa em flagrante, Amanda foi levada para a Delegacia de Capturas e Polinter dois dias depois. Em seguida, teve a prisão preventiva decretada sendo recolhida ao Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa, em Aquiraz. No dia 15 de julho de 2012, recebeu a liberdade, após ter habeas corpus negado, cinco dias antes.
Já em outubro de 2014, a universitária se envolveu em novo acidente de trânsito. Isto, para a acusação, agravou o problema para a ré.
"A culpabilidade merece reprovação em seu grau máximo pela conjunção dos três elementos caracterizadores da negligência. Os motivos e circunstâncias do crime demonstram que havia indicação para que ela não conduzisse veículo naquelas condições de sono e torpor, havia local adequado para que continuasse descansando e indução para que fosse de táxi (o carro que conduzia não lhe pertencia). A ré demonstrou ser pessoa com senso de responsabilidade reduzido, pouca disciplina para se portar na condução de veículo automotor em via pública, se reconhece portadora de doença grave e, mesmo assim, insiste em dirigir, colocando toda a sociedade em risco. O resguardo da ordem viária, pretendido pela norma de trânsito, precisa de medida enérgica contra pessoas como a ré que mesmo sendo acusada em ação penal de triplo homicídio insiste em aventurar-se no trânsito com a lucidez alterada", versam os autos.
Pena
Além dos nove anos em regime semiaberto, Amanda também foi apenada com a proibição de obter permissão ou habilitação para dirigir pelos próximos cinco anos. A estudante também deverá arcar com o pagamento de R$ 4 mil para cada vítima, além de R$ 2 mil por lesão corporal e outros R$ 2 mil pelas despesas do muro derrubado.
Jovem envolvida em segunda colisão grave
No ano passado, Amanda Cruz da Silva voltou a protagonizar outro grave acidente de trânsito, estando ela guiando novamente um veículo automotor.
Era o fim da tarde de 10 de outubro. Amanda Cruz guiava um automóvel de marca Peugeot e seguia para a faculdade, onde cursava, à época, o quinto semestre de Direito.
Na alça do viaduto da BR-116, no km 3, bairro Aerolândia, em Fortaleza, Amanda perdeu o controle do veículo, que avançou a outra faixa da rodovia, colidindo frontalmente contra um Volkswagen, modelo Amarok, pertencente à Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece).
Naquela ocasião, não havia nenhum impedimento legal para Amanda dirigir. Seis dias depois, porém, a ré teve a Carteira de Habilitação suspensa pelo período de um ano, conforme decisão da Vara Única de Trânsito de Fortaleza.
Internada
Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou na ocasião do acidente, Amanda ficou presa às ferragens, mas foi resgatada ainda com vida, sendo encaminhada imediatamente ao Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza.

Homicídio a bala no município de Mulungu.


No inicio na madrugada deste domingo por volta 00:25hs em Mulungu próximo a vila Cornélio dois rapazes de acordo com informações são do distrito de Lameirão os mesmos iam para casa quando foram surpreendidos e alvejados Carlos Luiz Cruz Silva sobreviveu foi encaminhado para Aracoiaba levou dois tiros um nas costas e um nas costelas esta consciente foi caminhando ate a ambulância, já o outro levou um tiro na cabeça e morreu no hospital local aguardando identificação, quanto aos autores se evadiram sem deixar pistas. 
Neste momento se encontram fazendo os procedimentos destacamento de Mulungu e de Guaramiranga.

Fonte: