Buscar

07 dezembro 2015

Servidores públicos de Aratuba promovem manifestação pelas ruas da cidade

Cartazes, faixas e palavras de ordem marcaram o intenso movimento dos funcionários cobrando do poder público municipal a regularização de seus salários atrasados.

Foi um dia histórico para diversas categorias dos servidores públicos de níveis básico e médio do município de Aratuba. Foi a primeira vez na história que os trabalhadores de outras categorias (exceção magistério) realizaram um ato público por direitos trabalhistas. Organizado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Aratuba – SINDIARA o movimento deu início às 9h, do dia 24/11, saindo da sede sindical, percorrendo as ruas principais da cidade até a concentração no paço da prefeitura Municipal de Aratuba, onde os manifestantes esperavam um diálogo com o prefeito municipal Ivan Neto (PDT).

Cartazes, faixas e palavras de ordem marcaram o intenso movimento dos funcionários cobrando do poder público municipal a regularização de seus salários, ora atrasado. “Vieram servidores de todas as regiões do município, isso é muito bom, pois mostra a insatisfação dos trabalhadores para com a situação e a força do nosso sindicato quando os convoca para a luta”, afirmou o vice-presidente Bernardo. A prefeitura de Aratuba até a presente data não quitou os vencimentos de cerca de 500 trabalhadores das mais diversas secretarias, inclusive dos técnicos/administrativos da educação que recebem pela quota do Fundeb 40%. Os salários vem constantemente sendo pagos em mês e/ou meses posterior, causando enorme prejuízo aos servidores e a economia local.

Quando chegaram a sede do poder executivo, os servidores foram recebidos no paço pela chefe de gabinete e ex-presidente do Sindiara, secretários da educação, administração/finanças, assistência social, cultura, obras, saúde e a procuradora geral do município. Na oportunidade o presidente do sindicato Joerly Vítor relatou aos membros do executivo que os servidores presentes estavam ali num movimento ordeiro, pacífico e justo, pois a grande questão era o fato do atraso salarial do mês de outubro e a falta de informação e diálogo da gestão com o sindicato. O presidente ainda disse que a instituição sempre estará de portas abertas para receber os representantes da gestão municipal para tratar dos assuntos pertinentes aos trabalhadores.

A chefe de gabinete Isabel Fernandes iniciou informando aos presentes que o prefeito Ivan não estava no município, o motivo pelo qual o mesmo não poderia participar da reunião. Continou falando da situação financeira pela qual passa o país e que o município de Aratuba sofre suas consequencias. O presidente Joerly por sua vez afirmou que o governo municipal não se pode usar a “crise” para desculpas e rebateu dizendo que os recursos do FPM e FUNDEB no ano de 2015 cresceram cerca de 7%. O secretário da educação professor Francisco Barroso disse que o motivo pelo qual o salário dos servidores que recebem pelos 40% do FUNDEB não ter sido efetuado, se deve por falta de dinheiro, o que causou revolta e insatisfação aos servidores. Na oportunidade funcionários do Tope mostraram ao secretário Francisco os repasses do FUNDEB que tinha sido efetuado entre o final do mês de outubro até a presente data contrariando as afirmações do secretário.

O sindicato repreendeu a gestão para que não fique querendo humilhar os servidores ao afirmar que o pagamento do salário mínimo provocou atraso de salários, uma vez que o sindicato cumpriu o que era promessa de campanha do prefeito Ivan Neto, pois tal situação não servirá de curral eleitoral e que os atrasos do salário de servidores vem ocorrendo desde os anos de 2013, 2014 e abril de 2015, e a decisão do salário mínimo é de junho deste ano.

No decorrer da reunião, a procuradora do município Ana Pessoa afirmou que o movimento era legítimo, portanto, não poderia ser dado falta no ponto de trabalho dos participantes e comprometeu-se de manter uma mesa de negociação com o sindicato. Ao final, a chefe de gabinete afirmou que conforme a receita do dia 30 se pagaria os atrasados. A administração “povo feliz” parece não entender a situação das famílias de centenas de trabalhadores do município que vivem exclusivamente do salário que recebem da prefeitura, pois muitos relataram que ainda não passaram necessidades devido a ajuda de amigos e outros familiares. O Sindicato continua convicto de suas afirmações que os recursos não diminuíram e são suficientes para pagar o salário de todos em dias, basta compromisso e boa vontade do prefeito Ivan Neto e de sua equipe.

Os servidores voltaram para a sede sindical e deliberaram que vão aguardar conforme foi dito pela gestão o pagamento do próximo dia 30/11, e que as determinações posteriores serão feitas conforme o prognóstico referente ao pagamento dos meses posteriores: novembro, dezembro e 13º salário. “Avalio como positiva nossa ação nessa manhã, pois os gestores viram e sentiram dos trabalhadores a insatisfação de estarem com seus salários atrasados, e com certeza essa atitude servirá para encorajar outros, e quem sabe a administração reavaliar suas posturas e tentar resolver os problemas do povo de Aratuba”, finalizou o presidente.
Fonte: SINDIARA

Nenhum comentário:

Postar um comentário