Buscar

09 novembro 2015

Mulheres são agredidas e ameaçadas de morte em Quixadá e Quixeramobim

Violência-contra-a-mulher
A violência contra as mulheres ainda é uma triste realidade em nossa sociedade. Homens que deveriam ser os amparos fundamentais, as sombras para descanso, o braço que sustenta e que acalenta suas companheiras, são com assustadora frequência identificados como agressores.

Neste sábado, 07, o 9ª Batalhão de Polícia Militar registrou dois casos – um emQuixadá e outro em Quixeramobim -, de violações à Lei Maria da Penha. Mulheres foram agredidas e ameaçadas de morte no Sertão Central.
Em Quixadá, a PM tomou conhecimento do caso através de uma ligação para o número 190, que dava conta de que na Travessa Mãe Sinhá, no Bairro Baviera,  uma mulher havia sido agredida e ameaçada de morte pelo próprio marido. A polícia foi ao local e comprovou a veracidade da denúncia.
O mecânico Manuel Ferreira Pereira, 27 anos, recebeu voz de prisão e foi conduzido, juntamente com sua esposa, à Delegacia Regional de Polícia Civil deste município. A esposa agredida, no entanto, desistiu de representar contra o agressor.
Já em Quixeramobim a agressão ocorreu no bairro Salviano Carlos da Silva. Uma mulher ligou para o 190 e informou que sua irmã, de 30 anos, estava sendo agredida por um indivíduo identificado como Romário Julio Dantas Medeiros. A PM foi ao local da ocorrência e constatou a veracidade dos fatos denunciados. O rapaz foi levado para a Delegacia de Polícia Civil para adoção das medidas cabíveis.
Nos dois casos, os homens foram enquadrados na Lei Maria da Penha.
Uma das principais dificuldades em relação a agressão contra as mulheres tem a ver com a própria atitude de algumas delas que, motivadas por medo, sensação de insegurança ou paixão descontrolada, não denunciam seus agressores ou, mesmo quando pedem ajuda, desistem de representar judicialmente contra eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário