Buscar

16 novembro 2015

Mais três terroristas de Paris são identificados; belga seria mentor

PARIS — Autoridades francesas identificaram nesta segunda-feira o belga Abdelhamid Abaaoud, atualmente na Síria, como o suspeito de ordenar os ataques em Paris na sexta-feira, segundo fontes próximas às investigações. Além dele, dois novos terroristas envolvidos nos atentados foram identificados. Um deles era o cidadão sírio Ahmad Al Mohammad, de 25 anos, que se explodiu no Stade de France, e o outro era um dos atiradores do Bataclan, o francês Samy Amimour, que nasceu no subúrbio de Drancy.
Segundo informações da Procuradoria, Mohammad chegou à Europa há um pouco mais de um mês junto com um grupo de refugiados. As pistas sobre ele surgiram depois que foi encontrado um passaporte ao lado de seu corpo. A autenticidade do documento ainda precisa ser comprovada, mas a Procuradoria indicou que existe uma compatibilidade entre as impressões digitais do suicida com as tomadas durante um controle na Grécia em outubro.
O segundo terrorista foi identificado como Samy Amimour, que nasceu em 1987 em Paris e vivia no subúrbio de Drancy. Ele já era conhecido pelas autoridades antiterroristas e foi indiciado em 19 de outubro de 2012 por tentar viajar ao Iêmen. O francês havia sido colocado sob controle judicial, mas após violar a ordem no fim de 2013, a polícia emitiu um mandado de captura internacional contra ele. Três pessoas de sua família foram detidas e são interrogadas.
O segundo terrorista foi identificado como Samy Amimour, que nasceu em 1987 em Paris e vivia no subúrbio de Drancy. Ele já era conhecido pelas autoridades antiterroristas e foi indiciado em 19 de outubro de 2012 por tentar viajar ao Iêmen. O francês havia sido colocado sob controle judicial, mas após violar a ordem no fim de 2013, a polícia emitiu um mandado de captura internacional contra ele. Três pessoas de sua família foram detidas e são interrogadas.

BUSCAS POLICIAIS
A polícia francesa realizou vasculhou durante a noite casas de supostos militantes islâmicos, com 168 buscas em cidade de todo o país. Uma das operações ocorreu no subúrbio parisiense de Bobigny. Em Lyon, cinco pessoas foram presas e armas foram apreendidas, incluindo um lançador de granadas, coletes, várias pistolas e um fuzil de assalto Kalashnikov.
— Estamos usando o panorama legal do estado de emergência para interrogar pessoas que são parte do movimento radical jihadista... e todos aqueles que advogam ódio à república — disse Valls.

Fonte: O GLOBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário