Buscar

20 novembro 2015

Aracoiaba ganha Prêmio Agrinho 2015 na Categoria Redação

Na última quarta-feira (18), foi realizada no Buffet Barbaras Cambeba, em Fortaleza, solenidade Premiação do Programa Agrinho 2015, na ocasião estiveram presentes 41 municípios do estado do Ceará.
Escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental Joaquim Tomé, localizada na localidade de Lagoa Grande (Distrito Ideal), há aproximadamente 11 quilômetros da sede de Aracoiaba, foi premiada na CATEGORIA REDAÇÃO com a aluna Suellen Oliveira, tendo como professora Adriana Lima, ficando entre os 10 melhores do Estado do Ceará na Categoria Redação.
“A inspiração da garota Suellen Lima levou Aracoiaba a festa da vitória do Programa Agrinho. Aproveito o ensejo para parabenizar a aluna Suellen que conhece tão bem a nossa região e soube retratá-la com criatividade em sua redação. Agradeço ainda o apoio do Prefeito Antônio Cláudio Pinheiro e o Secretário Emílio Freitas por acreditarem em nosso trabalho. Não posso esquecer do núcleo gestor da Escola Joaquim Tomé, esses profissionais incansáveis que estão sempre nos apoiando. Vamos a mais lutas e conquistas” salientou a Professora.
O programa é a principal iniciativa de responsabilidade sócio ambiental do Sistema FAEC/SENAR – CE e  envolveu este ano alunos e escolas que se inscreveram no  concurso, nas categorias desenho e redação, para os municípios, a categoria é Município AGRINHO,  para os professores, na categoria Experiência Pedagógica.
Na cerimônia foram entregues 80 prêmios para os 10 primeiros lugares das cinco categorias do concurso, entre motocicleta, bicicleta, televisores, computadores, DVDs, aparelhos de som, câmara digital (relação  dos ganhadores).
O presidente do Sistema FAEC/ SENAR – CE, Flavio Saboya, iniciou seu discurso de abertura do evento parabenizando todos os secretários de educação, os coordenadores municipais e professores, maiores responsáveis por fazer o AGRINHO acontecer, em cada sala de aula e, finalmente, aos alunos e alunas, razão da existência  do AGRINHO.  “Sem eles nós não estaríamos aqui”. Segundo o dirigente, em sua 13ª edição, o Programa AGRINHO, apresentou e trabalhou o tema  “Viver Bem no Semiárido”, com o qual o SENAR pretende incutir nas crianças  uma nova visão e a compreensão da nossa região, mostrando as nossas potencialidades e as nossas limitações, porém, sempre na perspectiva otimista, como foi o nosso grande Guimarães  Duque,que  já no seu tempo estudou, pesquisou e desenvolveu um conjunto de procedimentos técnicos capazes de propiciar boas safras, perversa o meio ambiente, tornando viável a exploração do semiárido nordestino.
Segundo Saboya, hoje a população do campo é constituída em sua maioria, de pessoas com mais de 50 anos. Como se costuma dizer, o campo está ficando velho, os jovens, em sua maioria, sonha, com as cidades por não enxergarem melhores perspectivas no campo, Compete-nos então, investir maciçamente nas crianças, preparando-as para serem os agentes transformadores da atual realidade.
Para o secretário de Meio Ambiente, Artur Bruno, o AGRINHO é um belo exemplo de programa de educação ambiental, importante para garantir a sustentabilidade do campo, e a FAEC e o SENAR dão uma grande contribuição para a formação desses jovens, na preservação dos recursos naturais, inclui-se na preservação dos nossos rios,programa que a SEMA deve participar . Já o secretário Dedé Teixeira, acha que o AGRINHO incentiva os professores e a meninada a pensar um novo conceito da propriedade rural. Hoje, o mundo rural é um mundo competitivo e o SENAR tem um papel importante neste aspecto, ao promover a educação. Segundo últimas pesquisas, saímos de 80% para 17 % da pobreza rural. Evaldo Bringel, disse que o AGRINHO tem duas  grandes virtudes, a inclusão do jovem no meio rural e a promoção da educação.
O subsecretário de Ciência e Tecnologia, Francisco Carvalho acha que  “nós acreditamos na nossa incompetência, quando as adversidades climáticas  deveriam ser vista como oportunidade”. Para  ele, essa ação do AGRINHO é fundamental, pois começa levando uma nova mensagem para os nossos jovens.
Neste ano concorreram cerca de 1.800 trabalhos, entre redações, desenhos e experiências pedagógicas,  Na opinião do superintendente do SENAR – CE, Paulo Hélder Braga! Presente no evento, a escolha deste tema reflete a preocupação do SENAR com o futuro do campo. “Esse programa é referência em todo Brasil, não é a toa que ele foi adotado em 18 estados”, observou.
Os trabalhos de desenho chamam a atenção pela sua originalidade, revelando toda a criatividade dos alunos e a vontade de permanecer no campo.
Esta é a 13ª  edição do Agrinho, ao longo dos anos, o programa foi sendo aperfeiçoado para trabalhar em sala de aula temas como saúde e segurança e meio ambiente. O programa conta com um material didático exclusivo, voltado ao desenvolvimento de uma educação crítica e criativa, que desenvolve a autonomia e a capacidade de professores e alunos assumirem-se como pesquisadores e produtores de novos conhecimentos.
Segundo a coordenadora do Programa de Promoção Social do SENAR, assistente social  Kely Cláudio, as avaliações foram  feitas durante o  mês outubro, por uma comissão constituída por profissionais de vários órgãos entre eles, da Secretaria de Educação do Estado, Semace, Secretaria do Meio Ambiente, BNB, Instituto Tortuga, Banco do Brasil e SEBRAE-Ce. O concurso teve  como tema este ano “Viver Bem no Semiárido”.

O QUE É O AGRINHO
O Agrinho é um programa educativo que prioriza a criança e o jovem, transformando-os, pela educação, em agentes de melhoria das condições sociais e econômicas da família e da comunidade onde vivem. Tem sua execução a cargo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR, que é uma Entidade de Direito Privado, sem fins lucrativos, criada pela Lei 8.315 de 23/12/1991 com a missão de desenvolver ações de Formação Profissional Rural e atividades de Promoção Social, voltadas para o homem e a mulher do campo, contribuindo para a sua profissionalização e sua integração na sociedade, para o pleno exercício da cidadania.

Nenhum comentário:

Postar um comentário