Buscar

23 outubro 2015

Reforma da previdência tem que preservar direitos, diz Cunha

aposentados
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, afirmou nesta quinta-feira (22) que uma possível reforma da Previdência só deverá ser aprovada no Congresso Nacional se propuser mudanças nas regras de aposentadoria para quem está entrando no mercado de trabalho, e não para os que estão mais próximos de se aposentar.

“Poderá passar se você mostrar que vai fazer para os novos, para quem está começando; nesse caso, será viável. Se você disser que vai mudar o direito adquirido para quem estiver mais perto de se aposentar, será mais difícil”, disse Cunha.
O governo estuda enviar ao Congresso uma proposta para estabelecer a idade mínima de aposentadoria em 60 anos para mulheres e 65 anos para homens. O Brasil é um dos poucos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sem idade mínima. Atualmente, a idade média de aposentadoria no País é de 57,5 anos, segundo dados da instituição.
“O governo poderia dar um primeiro passo propondo a mudança da regra para aqueles que estão iniciando agora. Isso já seria um avanço; parece pouco, mas é muito”, afirmou Cunha. De acordo com ele, o deficit da Previdência é agravado não só pela aposentadoria antes dos 60 anos, mas também pelo aumento da expectativa de vida.
Afastamento
Eduardo Cunha afirmou que não é possível levar a sério a iniciativa, tomada nesta quinta-feira pelo deputado Silvio Costa (PSC-PE), de entrar na Procuradoria-Geral da República com um pedido para que ele se afaste da Presidência da Casa. Costa alega que Cunha estaria usando o cargo para retardar investigações contra ele. “Não dá para levar a sério. Não vi nem conheço a alegação dele”, disse o presidente.
Agência Câmara
Fonte: Ceará Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário