Buscar

15 setembro 2015

Salários atrasados da prefeitura de Quixadá começam a gerar despejos, desespero e fome

Quixadá-Centro-Administrativo-2014Que todos os trabalhadores tem direito a receberem salários, disto ninguém tem dúvidas. Em Quixadá, porém, a administração pública municipal já desafia esta certeza.
Há mais de setenta dias sem receberem seus proventos, homens, mulheres e crianças que dependem deste dinheiro para adquirirem o básico já sofrem os efeitos da falta de recursos.
Monólitos Post recebeu muitos pedidos de ajuda no último final de semana. Servidores que pedem para não ser identificados por medo de represálias pedem que a imprensa tome nota do tema e que exponha suas demandas.
Alguns relatam despejos por falta de dinheiro para pagar aluguel; outros citam o desespero de pais e mães que saem nos pequenos comércios dos bairros periféricos tentando abrir uma conta para adquirirem produtos alimentícios e, em geral, recebendo um não; o pior de tudo, porém, é a fome. Sem recursos, as famílias começam a racionar alimentos até os limites. Uma realidade que desafia a administração pública.
Segundo a prefeitura, a diminuição dos repasses federais tem afetado profundamente as contas. Vereadores apontam, em contraponto, para a existência de assessorias de dezenas de milhares de reais por mês. Outros denunciam o planejamento de festas caras que se tornam injustificáveis diante da crise.
Hoje, 14 de setembro, ainda não há dinheiro referente a julho na conta de muitos servidores. A prefeitura não expediu nenhuma nota esclarecendo a questão ou dando alguma previsão para o pagamento. Vereadores e Ministério Público sofrem pressão da opinião pública para agirem em defesa dos interesses dos trabalhadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário