Buscar

30 setembro 2015

PMDB briga por novos cargos e nome de André desagrada Eunício

eUNÍCIO E aNDRÉ fIGUEIREDO
O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, não escondeu, segundo reportagem do Jornal Folha de São Paulo, descontentamento com a indicação do nome do deputado federal André Figueiredo, do PDT, para o Ministério das Comunicações. O foco de tensões expõe a disputa interna no PMDB por mais espaço na Esplanada dos Ministérios e, ao mesmo tempo, choques entre aliados da presidente Dilma que são adversários nos estados.

Com a decisão da presidente Dilma em contemplar outros partidos aliados, como o PDT, foi inevitável o surgimento de insatisfações de integrantes da base do Palácio do Planalto no Congresso Nacional que disputam espaços nos estados. Um exemplo desse conflito está no Ceará, onde Eunício é desafeto dos irmãos Cid e Ciro Gomes. Em 2014, Eunício perdeu a eleição no segundo turno para o atual governador Camilo Santana (PT).
Eunício enxerga em André um aliado dos irmãos Cid e Ciro Gomes. Ciro se filiou ao PDT e já aparece como pré-candidato a presidente da República. André abriu as portas do PDT para o ingresso, na noite dessa segunda-feira, de 47 prefeitos ligados aos irmãos Ferreira Gomes. A sigla ganhará, em breve, a adesão da vice-governadora Izolda Cela. Cid, também, irá se filiar ao PDT.
Coube ao comando nacional do PDT sugerir o nome de André Figueiredo para o Ministério das Comunicações. Com a entrada de André, a ser ainda oficializada pela presidente Dilma, o PDT perde o Ministério do Trabalho, ocupado por Manoel Dias.
O PMDB poderá, na reforma ministerial, ganhar mais sete ministérios. A presidente Dilma garantiu seis cargos, mas os peemedebistas querem mais um Ministério. Uma das pastas – Integração Nacional, poderá ter um nome indicado pelo líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira. 
Fonte: Ceará Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário