Buscar

24 julho 2015

Música e pista de skate atraem jovens ao Halelluya

Com público que a organização estimou em 140 mil pessoas, o segundo dia do Festival Halleluya teve música, esportes radicais e louvor. O festival, que segue até domingo, tem hoje apresentação do padre Fábio de Melo
Acompanhando em um coro suave, de braços estendidos, e celulares nas mãos a postos para fazer selfies ou gravar o momento, um aglomerado de jovens assistia ao show da banda Lírios do Vale, a primeira a se apresentar no segundo dia do Festival Halleluya. “A música é uma forma de me conectar com Deus, de ouvir e ser ouvida.
E é também o jeito certo de mostrar que a fé católica pode se renovar e ser plural”, define a estudante Letícia Brasil, 18, explicando sua preferência pelo Palco Central, um dos oito espaços temáticos do festival católico e o que concentra boa parte do público.
Com 53 mil metros quadrados (m²), o que equivale a cerca de seis campos de futebol, o Halleluya traz, para o padre Sílvio Scopel, organizador do evento, “muitas opções de adoração e fé para vários públicos”. Música e dança estão presentes em quase todos os espaços, a maioria ocupados por jovens. Mas é o Espaço da Misericórdia um dos mais citados quando a pergunta é a preferência de quem vai ao festival.
Há os que balbuciam rezas e o que, de joelhos, cantam baixinho algum hino. Mais silencioso que a maioria dos espaços, é no da Misericórdia que acontecem duas missas, minicursos católicos e dez horas de adoração ininterruptas, e onde dez sacerdotes recebem as confissões de quem desejar. “É o espaço em que eu sinto mais marcante a presença de Deus. A confissão é o momento em que reconhecemos o pecado e decidimos mudar. É uma reconciliação com Deus”, explica Wanessa Rodrigues, 25, universitária.
Membro do fã-clube da banda Rosas de Saron, a estudante Paula Ayesca Alcântara, 15, entende o espaço como um refúgio. “Vim ver o show do Rosas, mas enquanto não começa, gosto de ficar aqui pela paz que o lugar me traz”, comenta.
Espaços
Pela primeira vez no Halleluya, a estudante Ceres Oliveira, 12, aproveitava o evento para andar de skate no Halleluya Adventure, que, há seis anos, leva uma pista de skate e BMX (bicicleta) para dentro do festival. “Acaba atraindo muito o jovem”, acredita. Enquanto a turma de skatistas compete nas rampas, músicas em ritmo de rock falam sobre o amor de Deus.
Pagode e forró também são ouvidos no Festival de Artes. O espaço tem, além da mostra competitiva de bandas, um cinema gratuito com filmes como Divergente, Jogos Vorazes e Malévola. “Acredito que quanto mais se consiga atrair o público jovem, melhor. Fazemos isso através do rock e utilizamos nossa música para evangelizar”, opina William Carvalho, 31, baixista da Tautobios, que se apresentou no espaço.
Serviço
Festival Halleluya
Atrações: Irmã Kelly Patrícia, Davidson Silva, Adriana Arydes, Aline Brasil e padre Fábio de Melo
Onde: Condomínio Espiritual Uirapuru (avenida Alberto Craveiro, 2222, Castelão)
Horário: a partir das 18 horas
Informações: 3295 4583
Entrada franca

Fonte: O POVO

Nenhum comentário:

Postar um comentário