Buscar

24 julho 2015

Advogado acusado injustamente por roubo nas Lojas Americanas em Quixadá será indenizado com R$ 2 mil

1926664_10203378333117835_89216124_nAs Lojas Americanas em Quixadá terão que pagar indenização de R$ 2.000,00 ao advogado Renato Moreira Abrantes por tê-lo exposto a situação vexatória. A decisão é da juíza Ana Célia Pinho Carneiro, que responde pelo Juizado Civil e Criminal deste município do Sertão Central.
No início da tarde da quarta-feira, 19 de março de 2014, Renato passou pelo que classificou como ‘enorme constrangimento’ ao ser ‘tratado como ladrão’ nas dependências da LOJAS AMERICANAS, em Quixadá. Ao sair da unidade após fazer compras, o cliente foi surpreendido por um aviso sonoro do sistema anti-furto.
“Só deu tempo eu abaixar a cabeça, quando chegou o vigia da loja, impedindo minha saída e dizendo que era o livro. Ora, qual livro? Não tinha comprado livro nenhum (muito menos furtado). Naturalmente, todos os que estavam no hall de entrada da loja voltaram-se para mim, como que a procurar o “ladrão” que tinha sido pego subtraindo algo escondido nas roupas. Voltei ao caixa que me tinha atendido e fui obrigado a retirar todos os produtos das sacolas, até que o funcionário encontrou o dispositivo que aciona o aviso sonoro esquecido num dos produtos”, explicou, na época, o advogado.
Na fundamentação de sua decisão, a magistrada afirma: “Verifico que ficou demonstrado que com a reapresentação das mercadorias pelo autor ao funcionário da reclamada, constatou-se que havia um dispositivo magnético afixado em um dos produtos, os quais já haviam sido devidamente pagos pelo reclamante, no momento em que o mesmo foi abordado ao tentar sair daquele recinto, porém o autor se sentiu lesado moralmente com a abordagem feita pelo funcionário da promovida”.
Para a juíza, houve negligência dos funcionários da loja. As Americanas ainda alegaram que o valor estipulado pela juíza era muito alto, mas não obteve êxito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário