Buscar

08 maio 2015

Justiça decreta a prisão e Cristiane Renata se entrega

Image-0-Artigo-1849231-1
Segundo o advogado Paulo Quezado, a cliente dele, Cristiane Renata Coelho, vai se entregar à Justiça hoje. Caberá à juíza Daniela Lima da Rocha, da 3ª Vara do Júri, definir o local onde Cristiane ficará recolhida
FOTO: KID JÚNIOR
Cristiane Renata Coelho vai se entregar à Justiça hoje. A ex-esposa do subtenente do Exército Brasileiro (EB), Francilewdo Bezerra Severino, teve a prisão decretada pela Justiça na última terça-feira (5). A ré, que passou a morar em Recife após a morte do filho mais velho, chegou ontem à noite em Fortaleza.
A mulher foi indiciada pela morte do filho, o menino autista Lewdo Ricardo Coelho Severino, de nove anos. A criança foi assassinada em 10 de novembro do ano passado.
Na ocasião, o menino ingeriu o agrotóxico proibido utilizado para matar ratos conhecido como "chumbinho" misturado com sorvete, na casa onde a família morava, no bairro Dias Macêdo, em Fortaleza.
Na mesma ocasião, o subtenente também ingeriu o veneno e foi internado em estado de coma. Francilewdo foi apontado pela mulher como autor dos crimes e chegou a ser preso em flagrante, mesmo estando na UTI do Hospital Geral de Fortaleza. À época, Cristiane dizia ter sido agredida pelo marido. De acordo com o advogado de Cristiane, Paulo Quezado, a mulher tem buscado colaborar com a Justiça. Conforme Quezado, serão aguardados os 10 dias de prazo legal para apresentar a defesa preliminar. "Em um primeiro momento, não entraremos com liminar ou pedido de liberdade", informou.
No último dia 30, a ré esteve em Fortaleza e se apresentou à Justiça. Naquela ocasião, ela ainda não havia sido citada no processo e, desta forma, ainda figurava como suspeita dos crimes.
O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), ingressou com denúncia contra Cristiane somente na última segunda-feira (4). O documento teve autoria do promotor de Justiça Humberto Ibiapina.
Cumprimento
Na manhã de ontem, o delegado que presidiu o inquérito policial que investigou os crimes, Wilder Brito Sobreira, que é também titular do 16º DP (Dias Macêdo), esteve no escritório do advogado Paulo Quezado.
O delegado afirmou que deu conhecimento a Quezado acerca do mandado de prisão preventiva, expedido pela juíza Daniela Lima da Rocha, que responde pela 3ª Vara do Júri de Fortaleza. Naquele momento, Cristiane ainda estava em Recife e, só então, teve início a preparação para o retorno dela a Fortaleza. Caberá à juíza Daniela Lima da Rocha definir o local onde Cristiane ficará recolhida.
A reportagem apurou que a Delegacia de Capturas e Polinter (Decap) está passando por reformas e não poderá abrigar a ré. Uma das opções é o presídio feminino Auri Moura Costa, em Aquiraz, na Região Metropolitana. A juíza já determinou a quebra de sigilo dos perfis sociais na rede social Facebook e de e-mails do casal, relativo ao período de julho de 2013 a janeiro de 2015. A magistrada entendeu que "o interesse público deve se sobrepor à proteção constitucional do sigilo individual, para aferição de possível coautoria delitiva", na justificativa do pedido.
Trama
De vítima de agressão a ré no processo, a ex-esposa do subtenente do Exército será presa quase seis meses após a morte do garoto e a tentativa de assassinato do marido. Ela responde por homicídio triplamente qualificado e tentativa de homicídio triplamente qualificada.
De lá para cá, o casal trocou diversas acusações, seja por intermédio da imprensa, seja nos dois reencontros marcados pela Polícia na casa onde viviam.
Cristiane, nas vezes em que se pronunciou, acusou o subtenente de naquela noite tê-la agredido utilizando um cinto e a feito tomar remédio de tarja preta com vinho para dormir.
Francilewdo, por sua vez, sustentou que teria retornado do supermercado com algumas compras que a então esposa pediu, deitado em uma rede para assistir TV, e então, não lembrar de nada. Quando acordou do coma, sete dias após os fatos, foi informado que o filho mais velho estava morto e ele preso, suspeito do crime.
Em 24 de abril, o subtenente do Exército ganhou na Justiça a guarda do filho mais novo do casal. A criança fora levada por Cristiane para Recife, onde vivia com a família da mãe, desde a morte de Lewdo Ricardo.
Na noite de 28 de abril, Francilewdo desembarcou no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, acompanhado do advogado Walmir Medeiros, trazendo o menino de Recife.
Envenenamento
10 de novembro
Lewdo Ricardo é morto envenenado; Francilewdo, em estado de coma, é preso em flagrante pelo crime
22 de dezembro
Subtenente e ex-esposa se encontram pela primeira vez em acareação, no 16º DP (Dias Macêdo)
15 de abril
Delegado Wilder Brito Sobreira, presidente do inquérito, conclui que a mulher executou os crimes
24 de abril
16ª vara da Família de Fortaleza concede a guarda do filho mais novo do casal ao subtenente do Exército
4 de maio
Ministério Público ingressa com denúncia contra a mulher
Levi de Freitas
Repórter
Fonte: DN

Nenhum comentário:

Postar um comentário