Buscar

12 abril 2015

Fortaleza e Icasa duelam por um lugar na final do Estadual

Cassiano
Atacante Cassiano deverá formar dupla com Lúcio Maranhão ou Cássio diante do Icasa
FOTO: KIKO SILVA
O Fortaleza entra em campo diante do Icasa, hoje, às 16h, na Arena Castelão, pelo jogo de volta da semifinal do Campeonato Cearense, com um objetivo e três metas à vista: vencer para carimbar a vaga na decisão do Estadual e, de quebra, garantir vaga nas Copas do Nordeste e do Brasil de 2016.
Com melhor campanha e a vitória por 2 a 1 no jogo de ida, em Juazeiro do Norte, o Tricolor pode até perder um gol de diferença para avançar à final da competição, mas o desejo é conseguir o triunfo diante da torcida para manter a boa fase e chegar à terceira vitória consecutiva - além de conseguir os privilégios como finalista.
"É o jogo mais importante do semestre para nós. A gente tem que entrar muito forte e fazer um jogo intenso para criar as oportunidades e fazer o que a gente vem fazendo nas partidas em casa: jogar bem e conseguir o resultado. Essa é a nossa ideia, porque a gente sabe da importância do jogo, e como é importante o Fortaleza ter um calendário como tem hoje, que eu não tive em 2014. Eu vivi os dois momentos e sei qual é a diferença", explicou o técnico Marcelo Chamusca, que disputou apenas Estadual e Série C no ano passado.
Para armar a equipe, o comandante tricolor não conta com o meia Daniel Sobralense, que sofre com dores na panturrilha esquerda. A baixa no time abre espaço para o atacante Cassiano, que espera aproveitar a chance para entrar na briga pela titularidade.
"Fico contente com isso. Agora é tentar fazer um grande jogo para a gente conseguir a vitória para chegar à final e buscar o título", disse.
O parceiro de ataque, porém, ainda está indefinido. Durante a semana, Marcelo Chamusca testou Cássio e Lúcio Maranhão - autores dos gols da vitória no Romeirão - e ficou satisfeito com o que viu de ambos, mas admite a preferência pelo retorno do segundo à equipe devido ao estilo de jogo do Verdão.
"Pelas características do adversário e do jogo, ele (Lúcio Maranhão) se encaixa um pouco melhor do que o Cássio. Com o Cássio, a gente ganha uma força muito grande em bola parada, porque ele ataca muito bem no jogo aéreo e demonstrou isso nos últimos jogos. O Lúcio é um jogador com um pouco mais de mobilidade e velocidade, e a gente ganha um poder de "flutuação" mais qualificado. São dois jogadores que estão em um momento muito bom, o que é interessante para mim", avaliou o técnico.
Icasa vai ao ataque para conseguir o improvável

Se para o Fortaleza o jogo deste domingo vale o semestre, para o Icasa a partida representa toda a temporada. Se não bastasse a tão sonhada classificação à decisão do Campeonato Cearense, conquistar um lugar na Copa do Brasil e Copa do Nordeste em 2016, dará um fôlego nas finanças do clube, que padecem.
Só que para sair de campo com a glória, o Verdão tem uma tarefa bastante árdua. Como perdeu o jogo de ida, no Romeirão, por 2 a 1, o time precisará vencer por dois gols de diferença. E o técnico Vladimir de Jesus tem consciência da enorme dificuldade. "Nós respeitamos o Fortaleza, o time, a torcida e a sua camisa. Mas nós vamos ter de ir pra cima. Vamos tentar arrebentar. Não há outra alternativa. Somos francoatiradores, não temos outra saída, que não seja atacar desde o início para conseguirmos nosso objetivo", comentou o comandante do Verdão.
Se fosse só o placar em campo que o Icasa precisasse reverter, o objetivo já seria bem complicado, mas o elenco ainda sofre com dois meses de salários e gratificações atrasados. Apesar da crise financeira, que maltrata o clube, o empenho dos jogadores não diminuiu. "Graças a Deus é um grupo muito comprometido. São pessoas decentes e muito profissionais que vestem a camisa do Icasa, merecíamos um reconhecimento maior", lamenta o comandante do Verdão.
Para o duelo de logo mais, o Icasa terá o retorno do volante Rodrigo Vitor, que estava suspenso. No ataque, Lucas Batatinha deverá ser o terceiro homem de frente ao lado de Núbio Flávio e Diego Ceará.
Afonso Ribeiro
Colaborador
Fonte: DN

Nenhum comentário:

Postar um comentário