Buscar

12 abril 2015

ESTADO DE 'OVERTRAINING' - Cuidados para evitar excesso de exercício

Image-0-Artigo-1826264-1
É fato que a prática regular de atividade física é benéfica ao organismo. No entanto, quando há sobrecarga de exercícios e é mal orientada, o indivíduo tende a desenvolver um quadro de overtraining, ou seja, supertreinamento. O conjunto de alterações fisiológicas geradas pelo desequilíbrio entre o treinamento e o recovery (recuperação), pode ser o gatilho para desencadear esse distúrbio.
O overtraining pode se manifestar de duas formas. Como "estado" é definido pelo acúmulo de estresse no treinamento e no não treinamento e o decréscimo da capacidade de performance em curto prazo, com ou sem sintomas psicológicos e fisiológicos. A performance pode ser restaurada em poucos dias ou semanas.
Como "síndrome" é resultado do acúmulo de estresse no treinamento e no não treinamento, com decréscimo da capacidade de performance a longo prazo (com ou sem sinais psicológicos e fisiológicos). Neste caso, a performance pode levar várias semanas e até meses para voltar ao normal, explica o coordenador da Liga de Fisioterapia Esportiva da Universidade Federal do Ceará (UFC), Rodrigo Ribeiro de Oliveira.
Treinar intenso
Para o especialista em medicina esportiva, Dr. Marcus Vinicius Strozberg, o hábito de frequentar avidamente as academias e o culto ao corpo e à beleza têm provocado riscos previsíveis à saúde.
"Pessoas que antes só treinavam uma ou duas vezes por semana, hoje o fazem várias vezes e até mais de uma vez por dia, tentando acelerar o resultado". E completa: "o que vemos hoje são as academias oferecendo uma rotina de treinamento intenso, exigente, como se fosse para um esportista profissional".
Mais que prazer
Para a psicóloga Marina Souza Lobo Guzzo, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e doutora em Psicologia Social, é importante a participação de uma equipe multidisciplinar para acompanhar um programa intensa de exercícios físicos.
Segundo ela, um profissional experiente ajuda a controlar os "desejos" do atleta, direcionando-o para a correta realização das atividades, sem correr o risco de ter o ímpeto de praticar excessivamente um exercício, na busca de melhorar a performance.
"Para os praticantes amadores, isso pode começar a aparecer quando a ideia do resultado está acima do prazer da prática. A frase famosa 'No pain, no gain' é uma verdade que tem de ser relativizada", adverte a especialista.
Relaxar
Os efeitos do overtraining são potencializados com a intensidade do exercício e a dificuldade de a pessoa relaxar. Dr. Marcus Strozberg cita, ainda, outros fatores que, uma vez combinados com o treino excessivo e a falta de relaxamento, podem causar o distúrbio. É o caso, por exemplo, do déficit alimentar (não compatível com o esforço realizado), alterações hormonais ou uma elevada redução na quantidade de gordura corporal.
Fonte: DN

Nenhum comentário:

Postar um comentário