Buscar

14 outubro 2014

Justiça Eleitoral pede a Cid garantias de combate ao crime eleitoral no Estado

SEGURANÇA NO PLEITO
Justiça Eleitoral pede a Cid garantias de combate ao crime eleitoral no Estado

Por recomendação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e atendendo a manifestação do Ministério Público Eleitoral, sobre a necessidade de reforço policial no Estado durante o dia de votação para o segundo turno das eleições, a presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, desembargadora Maria Iracema Vale, encaminhou um ofício ao governador Cid Gomes (PROS) requisitando garantias do cumprimento da lei e da ordem durante o próximo pleito apenas com a presença das forças de segurança locais.

O documento foi recebido pelo Gabinete do Governador nesta terça-feira (14). Até o momento, não houve nenhuma resposta oficial apresentada por Cid, que, durante entrevista à imprensa, denunciou, mais uma vez, a influência de uma “milícia”, em operação dentro da Secretaria da Segurança Pública (SSPDS), sobre a atuação da Polícia Militar no combate a crimes eleitorais no último 5 de outubro. Para o governador, no dia da votação, a polícia atuou com abuso de poder contra vários aliados do candidato indicado por ele – Camilo Santana (PT), que foram detidos por acusações de compra de votos e campanha de boca de urna.

Agentes da Polícia Militar, por outro lado, alegaram uma suposta ação orquestrada pelo Governo para dificultar os trabalhos de patrulhamento no dia de votação, impedindo inclusive a circulação de viaturas em áreas próximas a zonas eleitorais, impossibilitando diversas prisões em flagrante.

Mais emTropas federais poderão reforçar a segurança das eleições no Ceará

Para o procurador Rômulo Conrado, do Ministério Público Eleitoral do Ceará, existe o risco de que a força policial do Estado seja impedida de realizar efetivamente os seus trabalhos no próximo 26 de outubro. Tendo em vista a falta de garantias sobre a lisura e a segurança do pleito, o procurador requisitou a presença de tropas federais na Região Metropolitana de Fortaleza, incluindo os municípios de Caucaia, Maracanaú, Maranguape e Pacatuba, além da capital cearense.

Coordenadores de Eunício, prefeito e presidente da Câmara do Crato rompem politicamente

Coordenadores de Eunício, prefeito e presidente da Câmara do Crato rompem politicamente

O desentendimento entre os dois teria ocorrido após o prefeito ter denunciado o vereador por crime eleitoral no 1º turno das eleições deste ano
O presidente da Câmara Municipal do Crato, Luís Carlos Saraiva (PSL), anunciou nesta terça-feira, 14,rompimento político com o prefeito do Município, Ronaldo Gomes de Mattos (PMDB). O desentendimento entre os dois teria ocorrido após o prefeito ter denunciado o vereador por crime eleitoral no 1º turno das eleições deste ano. Os dois são coordenadores da campanha de Eunício Oliveira (PMDB) na região.

De acordo com a denúncia, Luís Carlos teria sido flagrado em fotografias distribuindo vales de combustível para eleitores. O presidente, no entanto, nega envolvimento. Em resposta, o prefeito disse nesta terça não ter “nada contra” o vereador e desafiou qualquer pessoa a apresentar um documento que comprove ter sido ele o autor da denúncia eleitoral.
A relação entre os dois já estava estremecida desde o último mês de maio. Isso porque, segundo O POVO apurou, ambos disputam o “reconhecimento” da coordenação política da campanha de Eunício no Crato e região do Cariri.

O estremecimento entre os dois líderes pode inclusive ser uma das causas do mal desempenho do peemedebista no Crato. Mesmo com apoio do prefeito e do presidente da Câmara, Eunício possuiu apenas 24,3% dos votos do Município, contra 72,6% de Camilo Santana (PT).


Klebber Toledo está à procura de novo amor

klebber
Após dois meses, Klebber Toledo parece ter superado o fim do namoro com Marina Ruy Barbosa Foto: TV Globo
Kleber Toledo
Kleber Toledo posou para a Glamour de outubro
FOTO: DIVULGAÇÃO / GLAMOUR
As fãs de Klebber Toledo podem comemorar! Em entrevista à Glamour de outubro, depois do término do relacionamento com Marina Ruy Barbosa, o galã disse que está, sim, à procura de um novo amor. "Por favor, meus amores, podem ter esperança! Sou um cara totalmente do bem, atleta e superdedicado. Anotou?".
Ele também não se esquivou de falar sobre o fim do namoro com a atriz, inclusive sobre o boatos de que tinha vontade de casar com ela. "Não é verdade! Inventam cada coisa! Difícil é viver quando não se está certo do que se quer. Tivemos uma história ótima, que teve começo, meio e fim".
No ar em "Império" como Leonardo, par romântico de Cláudio (José Mayer), Klebber ainda contou que pegou dicas com outro ator global para encarar o novo personagem. "Foi oMarcelo Serrado me ajudou com o Léo. Como ele fez o Crô, outra criação do Aguinaldo Silva, disse: ‘Confia e vai com o coração. Tô obedecendo!".
Fonte: Diário

Neymar faz quatro gols, dá show e Brasil goleia Japão

Neymar Japão
A seleção brasileira goleou o Japão por 4 a 0, nesta terça-feira (14), em Cingapura. Neymar foi o grande nome do jogo, fez os quatro gols da partida e completou 4 vitórias em quatro confrontos contra a seleção nipônica. O triunfo contra o Japão fecha os 100% de aproveitamento de Dunga, no retorno ao comando da seleção brasileira. Antes, o Brasil havia vencido as seleções de Equador, Colômbia e Argentina, sem nenhum gol sofrido.
O Brasil conseguiu superar a péssima qualidade do gramado em Cingapura, que foi compensada pelos organizadores do amistoso com muita areia, o que segurava o ritmo do jogo e dificultava a troca de passes das duas equipes.
 
O jogo
 
Dunga promoveu somente uma mudança na equipe titular em relação ao time que entrou em campo na vitória sobre a Argentina em Pequim. Com uma lesão muscular na coxa, David Luiz deu lugar ao zagueiro Gil, do Corinthians, que pela primeira vez foi titular da seleção brasileira. O Japão começou a partida sem suas maiores estrelas. Kagawa apresentou sintomas de concussão após um choque em amistoso contra a Jamaica na semana passada e sequer viajou a Cingapura. Já o meia Honda entrou no jogo somente após o intervalo. 
 
A má qualidade do gramado dificultava as trocas de passes. Mesmo assim, o Brasil se impôs desde o início da partida. Aos 16min,Neymar cobrou falta com categoria na junção das duas traves. Um minuto depois, o camisa 10 recebeu bom lançamento de Diego Tardelli, driblou o goleiro Kawashima e tocou para o gol.
 
No intervalo o técnico Dunga colocou em campo o lateral Mário Fernandes e os meias Éverton Ribeiro e Phillipe Coutinho. E foi de Phillipe Coutinho a assistência para o segundo gol brasileiro. O jogador do Liverpool deixou Neymar na cara do gol para marcar.
 
O Japão ofereceu muitos espaços na segunda etapa, quando o Brasil passou a investir em jogadas de contra-ataque puxadas por Éverton Ribeiro e Phillipe Coutinho, e formou sua goleada. Aos 31min, Kaká cabeceou uma bola na trave em sua primeira participação na partida. Na sobra, Phillipe Coutinho chutou, o goleiro Kawashima fez a defesa e Neymar marcou no rebote.
 
quarto gol do Brasil e o quarto de Neymar veio logo depois, aos 35min. Robinho e Kaká fizeram uma boa trama na área japonesa. O meia dominou e cruzou na cabeça do camisa 10, que subiu e testou com liberdade para o fundo do gol.
 
Próximos amistosos
 
O Brasil volta a atuar daqui um mês, quando terá dois amistosos em novembro. No dia 12, joga em Istambul, contra a Turquia, e no dia 18 encara a Áustria, em Viena. A convocação será feita já na próxima semana.
 
Ficha técnica
 
BRASIL
Jefferson; Danilo (Mário Fernandes), Miranda, Gil e Filipe Luís; Luiz Gustavo (Souza), Elias (Kaká), Oscar (Philippe Coutinho) e Willian (Everton Ribeiro); Neymar e Diego Tardelli (Robinho). Técnico: Dunga
 
JAPÃO
Kawashima; Sakai, Shiotani e Ota; Morishige, Morioka (Honda), Shibasaki (Suzuki), Tanaka (Hosogai) e Taguchi; Okazaki e Kobayashi (Muto). Técnico: Javier Aguirre
 
Estádio: Estádio Nacional de Cingapura
Juiz: Ahmad A'Qashah (CIN)
Gols: Neymar, aos 17min do primeiro tempo, e aos 2min, 31min e 35min do segundo tempo.
Público: 51.577

Fonte: Diário

Camilo reúne 120 prefeitos e recebe apoio de Ministro de Dilma

O candidato da Coligação ‘Para o Ceará seguir Mudando’ ao Governo do Estado, Camilo Santana, reuniu, na noite dessa segunda-feira (13/10), no Marina Park Hotel, em Fortaleza, mais de 120 prefeitos, deputados estaduais e federais, ex-prefeitos e vereadores para fortalecer as ações de campanha no segundo turno da eleição. Camilo, ao lado da candidata a vice-governadora Izolda Cela, do Governador Cid Gomes e do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, recebeu, ainda, o apoio oficial do ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, que veio ao Ceará como emissário da presidente Dilma Rousseff. Dilma recebeu, no primeiro turno, 67% dos votos dos cearenses, daí manter o vínculo direto com a candidatura de Camilo Santana e o grupo liderado pelo Governador Cid Gomes.
A coordenação da campanha da Coligação ‘Para o Ceará seguir Mudando’ definiu o encontro, em Fortaleza, como a maior mobilização de lideranças políticas municipais em apoio à candidatura de Camilo Santana. Grupos políticos dos 184 municípios estiveram presentes na reunião. O ministro da Previdência, Carlos Eduardo Gabas, reafirmou o apoio da presidenta Dilma e do ex-presidente Lula à candidatura de Camilo. “Para nós, do Governo Federal, está muito claro que o próximo governador do Ceará está aqui do meu lado e se chama Camilo Santana. Quero lembrar ainda que ele é o governador do PT e tem o mesmo 13 da presidenta Dilma”, informou. Ele pediu ainda que os cearenses ajudassem a reeleição de Dilma. “Aqui no Ceará a presidenta Dilma é reconhecida e as urnas mostram isso, mas precisamos ampliar e dar mais essa vitória no segundo turno”, afirmou.
O Governador Cid Gomes reafirmou, para os participantes, a importância da eleição de Camilo Santana e prometeu ainda mais mobilização nessa reta final da campanha do segundo turno. “Minha intenção e meu dever é trabalhar para que o Camilo vença
em Fortaleza. Vou andar em cada bairro desta cidade, para conversar com o povo e garantir uma linda vitória para o Camilo”, afirmou o governador Cid Gomes. O secretário Ciro Gomes convocou que todos os presentes trabalhassem para a eleição de Camilo e Izolda, neste segundo turno. “Nós temos uma tarefa até as eleições, que é mostrar o nosso povo, da Capital, da Região Metropolitana e do Interior, as propostas que nossa chapa representa”, disse.
Para o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, Camilo está cercado de gente competente. “Essa equipe que está aqui reunida é a melhor que o Estado tem. Portanto, vamos com entusiasmos e força, para o bem do Ceará e do Brasil, eleger Dilma lá e Camilo cá”, disse. O deputado federal mais votado do Ceará, Moroni Torgan, também participou do encontro e acredita na candidatura de Camilo Santana e Izolda Cela. “Eu tenho andado pelo Interior do Ceará e tenho visto o trabalho de Cid Gomes, que não pode parar. Por isso, estamos junto com o Camilo e Izolda. Vamos levar esta eleição, não tenho dúvida disso”, ressaltou.

Dilma diz que ajudará Lula a voltar em 2018

posse-dilma-rousseff-20100101-30-size-598Poucos dias após o presidente do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, lançar o nome do ex-presidente Lula para o próximo pleito, a presidente Dilma Rousseff afirmou, nesta segunda-feira, que ajudará “com certeza” Lula a voltar ao Palácio do Planalto, em 2018, se assim for seu desejo. “Isso foi dito pelo Rui Falcão (presidente do PT). O presidente Lula não me disse isso, mas se depender de mim, pode ter certeza, eu ajudo”, afirmou Dilma, ao ser questionada em entrevista coletiva.
A declaração de Falcão foi dada no momento em que Dilma teve uma votação abaixo do esperado pelo partido no primeiro turno. Perguntado se estava lançando o nome de Lula para 2018, Falcão afirmou que essa é a sua opinião e de “boa parte” das lideranças do partido, mas disse não saber se o ex-presidente vai querer.

Lula avisa que faz questão de eleger Camilo no Ceará

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará, a partir da próxima quinta-feira, uma série de visitas aos estados para fortalecer o palanque da candidata à reeleição Dilma Rousseff. Lula, de acordo com reportagem do Jornal de Brasília, com conteúdo da Agência Estado, quer eleger governadores do PT e o Ceará é citado entre as prioridades da agenda do ex-presidente.
A reportagem revela, nesta segunda-feira, que ‘’Lula mandou avisar aos aliados que faz questão de eleger os governadores em cinco locais onde, na visão dele, o PT foi rejeitado: Rio Grande do Norte, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pará e Goiás’’.
O ex-presidente disse que vai se empenhar pessoalmente nesses estados. A reportagem não fala sobre a visita do ex-presidente Lula ao Ceará, mas antecipa que, nesta semana, ele visitará os Estados do Acre e Pernambuco.
No Ceará, o PT enfrenta, no segundo turno, o PMDB, que integra a base aliada do Governo Dilma no Congresso Nacional. O PMDB, porém, se aliou aos adversários de Dilma e, com ajuda de alguns petistas, como os militantes que seguem orientação da ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, ajudou a eleger o tucano Tasso Jereissati ao Senado, considerado inimigo histórico do PT.
Tasso tenta convencer Eunício a votar no candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, Aécio Neves. Dentro do PMDB, alguns dirigentes e correligionários do peemedebista defendem a tese de Tasso, mas outros setores preferem que o candidato do PMDB ao Governo do Estado conduza a campanha no segundo turno com vínculos com Dilma e Lula e, também, com Aécio Neves. Um dos elos é o PSDB, que, ao lado do  PPS e do DEM, trabalha para eleger Eunício e ampliar a votação de Aécio Neves no Ceará.
Abaixo íntegra da matéria publicada no Estadão:
Lula fará ‘giro’ por Estados onde PT foi ‘desprezado’
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai começar na próxima quinta-feira (16) um “giro” pelos Estados onde pretende turbinar seus aliados que disputam o segundo turno. Lula revelou que teria gosto pessoal em derrotar quem “desprezou” o PT nestas eleições. O primeiro da lista será o Acre e, na sequência, o petista programa uma incursão em Pernambuco.
No Estado controlado pelo PSB, Lula pretende levar a candidata à reeleição Dilma Rousseff na próxima semana. A proposta é promover agendas separadas e potencializar Dilma na última semana antes do segundo turno.Lula mandou avisar aos aliados que faz questão de eleger os governadores em cinco locais onde, na visão dele, o PT foi rejeitado: Rio Grande do Norte, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pará e Goiás. O ex-presidente disse que vai se empenhar pessoalmente nestes locais.
Fonte: Estadao Conteudo

Vox Populi mostra empate técnico com vantagem de Dilma sobre Aécio

PESQUISA ELEITORAL
Vox Populi mostra empate técnico com vantagem de Dilma sobre Aécio
Segundo levantamento, presidente tem 45% das intenções de voto contra 44% de Aécio.

Pesquisa Vox Populi divulgada nesta segunda-feira (13) mostrou empate técnico na disputa do segundo turno da eleição presidencial entre Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT, e o candidato do PSDB, Aécio Neves, com vantagem numérica para a presidente.

Segundo o levantamento realizado no sábado e domingo, Dilma tem 45 por cento das intenções de voto contra 44 por cento de Aécio. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

Os eleitores que planejam votar em branco ou nulo somam 5 por cento, e os indecisos outros 5 por cento.

Considerando apenas os votos válidos (que excluem os brancos, nulos e indecisos), a presidente tem 51 por cento e o tucano soma 49 por cento.

As pesquisas mais acompanhadas pelos analistas, Datafolha e Ibope, divulgaram na quinta-feira passada levantamentos que mostravam empate técnico, mas com vantagem numérica para Aécio. Pelo eleitorado total, o placar favorável ao tucano era de 46 a 44 por cento; pelos votos válidos era de 51 a 49 por cento. A margem de erro das duas pesquisas é de 2 pontos percentuais.

No levantamento divulgado nesta segunda-feira, o Vox Populi ouviu 2.000 eleitores em 147 municípios.

* Com informações da Reuters


Fonte: http://www.cearanews7.com.br/ver-noticia.asp?cod=21078

Contra apoio a Aécio, sete membros da Rede renunciam

Eleições 2014

Contra apoio a Aécio, sete membros da Rede renunciam

Porta-voz estadual da Rede, Alexandre Zeitune, minimizou o movimento de dissidência: "É um grupo extremamente pequeno"

Marina Silva anuncia apoio ao candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), no segundo turno das eleições
Marina Silva anuncia apoio ao candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), no segundo turno das eleições  (Marcos Alves/Agência o Globo)
Em oposição ao apoio declarado pela ex-ministra Marina Silva (PSB) ao candidato do PSDB, Aécio Neves, sete integrantes da Rede Sustentabilidade renunciaram nesta segunda-feira a suas funções na executiva paulista do grupo político. São eles Valfredo Pires, Gérson Moura, Washington Carvalho, Emílio Franco Jr., Marcelo Pilon, Renato Ribeiro e Marcelo Saes.
O grupo divulgou um manifesto no qual anunciou a decisão de pedir o afastamento, motivado pelo gesto de Marina e pela recomendação da direção nacional da Rede, de sugerir voto branco, nulo ou em Aécio. Na carta, eles alegam que "qualquer um dos candidatos finalistas à Presidência da República reforça os argumentos daqueles que acusam a Rede de ser mais do mesmo, de ser só uma nova roupagem para a velha e corrupta política que tanto nos dispusemos a combater".
O porta-voz estadual da Rede, Alexandre Zeitune, minimizou o movimento de dissidência. "É um grupo extremamente pequeno, que não queria construir apoio ao Aécio. Mas isso é natural, nós já tivemos baixa quando não fomos legalizados", disse, ao lembrar que houve integrantes que deixaram o partido no ano passado, quando da parceria de Marina Silva com Eduardo Campos (PSB). "A maioria em São Paulo aplaudiu o posicionamento nacional (de incentivar voto nulo ou em Aécio) e o posicionamento de Marina (de apoiar Aécio) foi exatamente o que as pessoas esperavam", argumentou.
(Com Estadão Conteúdo)
Fonte: VEJA

Aécio e Marina preparam encontro para propaganda na TV

Aécio e Marina preparam encontro para propaganda na TV

A ex-senadora espera um contato direto do candidato. E já decidiu que não vai participar de comícios e subir no palanque de Aécio

Marina Silva anuncia apoio ao candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), no segundo turno das eleições
Marina Silva anuncia apoio ao candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), no segundo turno das eleições   (Zanone Fraissat/Folhapress)
Após conquistar o apoio formal de Marina Silva (PSB) a sua candidatura no segundo turno da disputa presidencial, Aécio Neves (PSDB) tenta agora agendar um encontro com a ex-ministra. A intenção do tucano é potencializar a adesão da candidata, que ficou em terceiro ligar na disputa do primeiro turno, produzindo imagens para o horário eleitoral na TV. Marina aceita fazer uma gravação para o palanque eletrônico do tucano, mas espera um contato direto do candidato. Depois pretende se recolher. A ex-ministra já decidiu que não vai participar de comícios e subir no palanque de Aécio.
A intenção da campanha tucana é promover um encontro em algum lugar simbólico. Como faltam poucos dias para a eleição e o tempo é considerado escasso - principalmente por causa dos quatro debates na TV previstos até o fim do 2° turno -, o plano é pragmático: captar as imagem de Marina e Aécio juntos e utilizá-las no horário eleitoral. A expectativa é que o tucano e a ex-senadora se encontrem nesta quarta-feira.
'Futuro' - Nesta segunda-feira, em Curitiba, Aécio disse que é possível que os dois se encontrem ainda esta semana. Depois de afirmar que a aliança com Marina não era apenas eleitoral, mas para "o futuro", o tucano fez questão de observar que a declaração não significa que haverá uma participação da ex-ministra em seu eventual governo. "A forma como a Marina veio honra a boa política brasileira. Não pediu absolutamente nada, não insinuou absolutamente nada em relação a cargos. Estamos fazendo algo muito maior", disse o candidato. O tucano afirmou ainda que, caso ficasse fora da disputa do 2º turno, não tem dúvidas de que estaria ao lado de Marina.
No domingo, Marina convocou uma entrevista coletiva e leu uma carta escrita de próprio punho em que anunciou o apoio ao tucano. Com o aval da ex-ministra, Aécio enviou equipe de áudio e vídeo para registrar o acontecimento. As imagens têm sido amplamente divulgadas no horário eleitoral e também nas redes sociais.
No pronunciamento, Marina afirmou que a decisão teve como base a carta de compromissos anunciada pelo tucano no sábado e que "a alternância de poder fará bem ao Brasil". "Votarei em Aécio e o apoiarei, votando nesses compromissos, dando um crédito de confiança à sinceridade de propósitos do candidato e de seu partido e, principalmente, entregando à sociedade brasileira a tarefa de exigir que sejam cumpridos." Antes da declaração de Marina, o candidato do PSDB já havia recebido o apoio do PSB - que abrigou a ex-ministra após a Justiça Eleitoral negar registro à Rede Sustentabilidade, partido que ela tentava criar - e da família do ex-governador Eduardo Campos.
Rede - Além de Marina, dois importantes nomes da Rede, o ambientalista João Paulo Capobianco e o engenheiro Bazileu Margarido, coordenadores do programa de governo da ex-ministra, também declararam apoio a Aécio Neves. "Eu já havia decidido, mesmo antes de Marina, que iria apoiar a urgente e necessária alternância de poder. Já havia comunicado ao grupo na semana passada que não poderia conviver com neutralidade nesse momento de crise profunda que ameaça a democracia brasileira", disse Capobianco. "Minha decisão é a decisão de Marina", completou Bazileu.
Já Pedro Ivo, outro dirigente da Rede, afirmou que manterá a neutralidade. "A Rede orientou o voto nulo, branco ou em Aécio Neves. Eu me manterei neutro. Vou votar nulo", disse. Após o anúncio de apoio, integrantes do PSB deverão realizar nesta semana reuniões com tucanos nos Estados para tentarem organizar uma agenda de atos políticos em favor de Aécio. "Não é um processo que se faz no estalar dos dedos, mas vai ser feita uma mobilização para que cada membro procure os coordenadores do PSDB nos Estados", afirmou o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB).
(Com Estadão Conteúdo)
Fonte: VEJA

Dilma e Aécio fazem hoje o 1º debate do segundo turno

Dilma e Aécio fazem hoje o 1º debate do segundo turno

Evento se dá em momento quente da campanha, marcado por depoimentos dos envolvidos no petrolão e pela 'guerra' em torno do cardápio dos brasileiros

A presidente Dilma Rousseff (PT) e o candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves
A presidente Dilma Rousseff (PT) e o candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves ( Evaristo Sa/Nelson Almeida/AFP)
A presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) e o candidato do PSDB ao Planalto se enfrentam nesta terça-feira no primeiro debate do segundo turno. Promovido pela Rede Bandeirantes, o encontro é também o primeiro desde que pesquisas de intenção de voto apontaram o tucano numericamente à frente da petista na preferência do eleitorado. O programa terá cinco blocos – quatro deles, de enfrentamento direto entre os concorrentes. O último será reservado às considerações dos candidatos. A transmissão do debate começa às 22h145.

A campanha de Aécio aposta no desempenho do presidenciável nos confrontos contra Dilma na TV para alavancar ainda mais sua candidatura. Além do debate desta noite, os candidatos se encontram na quinta-feira à tarde, em evento promovido por SBT, UOL e Rádio Jovem Pan, e no domingo, no debate da Record. A Rede Globo promoverá seu debate na sexta-feira anterior à eleição, dia 24.
Também desde a semana passada, o PSDB explora em sua propaganda eleitoral frase infeliz do secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, sugerindo alternativas para fugir da alta de alguns preços: trocar carne por ovos ou frango.O debate desta terça se dá em meio a um momento quente da campanha: na semana passada, depoimentos do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef, investigados pela Operação Lava Jato da Polícia Federal, desnudaram o esquema de corrupção na estatal. Costa informou à Justiça que o PT ficava com o maior porcentual do dinheiro da propina. Acuada, Dilma passou a atacar a reputação do tucano, que já prometeu: nenhum ataque ficará sem resposta. Petistas voltaram sua artilharia ainda contra o juiz federal responsável pela investigação de lavagem de dinheiro no âmbito da qual a dupla foi ouvida - e sobre a qual não há segredo de Justiça, ao contrário dos acordos de delação premiada firmados na Lava Jato.
Fonte: VEJA