Buscar

09 outubro 2014

Carlomano Marques chuta o pau da barraca contra Eunício Oliveira


Olha só a correspondência que o deputado estadual Carlomano Marques (PMDB) mandou para o presidente regional do PMDB, senador Eunício Oliveira, com cópias para os parlamentares da legenda e que repassou para este Blog:
Amigos(as) parlamentares, quero dar-lhes ciência dos caminhos e veredas em que está caminhando a política de nossa terra:
Sr. Eunício Oliveira,
Registro a minha indignação com a sua atitude burlesca, tonta e mofina. Quero de plano deixar claro que não aceito o ridículo e muito menos ser tratado como fantoche. Espanco para longe a sua admoestação.  Não faço pajelança nem me encaixo no tipo de curva que o Sr. Pretende. Não sou cortesã.  Não sou seu empregado e muito menos seu meirinho. Não faço parte do seu circo. Nunca beijei o nó da peia e, fique certo, nunca beijarei. Não esperava uma atitude tão traiçoeira; nem sua,  e menos do seu blog de aluguel. Não me escravizo à lama da sua urbanidade. Há um delito de opinião. Nestes momentos é que o homem de caráter recorre a si mesmo. Seu movimento é de ação; sua tática é de guerra, mesmo sabendo-se  em desvantagem: avançar sempre; recuar jamais!
Ser grande é sustentar uma grande disputa, com chance quase zero de vitória. É a velha estratégia: quem tem mais, perde mais!  A dificuldade atrai o homem de caráter na mesma proporção que a facilidade atrai os frágeis. Na guerra existem príncipios,  mas poucos;  no seu exercício político não consigo identificar nenhum.  O cidetismo o cegou: cego cegado pela cegueira dos cegos. Olha, mas não vê; vê, mas não enxerga; enxerga, mas não decodifica.
Não encontro no senhor  nenhum traço de respeito aos seus liderados. Não quero seu dinheiro nem preciso dele. Do senhor  basta-me a distância. A única melancolia é descobri-lo um pobre homem rico. Apresenta-se como ouro, mas é pirita.  Parece linho, mas é chita. Parece um forte, mas é fraco. Dizem que o Sol é um bom detergente,  mas a criolina da atitude é mais eficaz.
Deixo, para reflexão,  um verso de Jáder de Carvalho: “Na minha terra o cangaceiro é leal e valente: jura que vai matar e mata. Jura que morre por alguém e morre. Se o homem é bom – eu o respeito. Se gosta de mim, morro por ele. Se, porque é forte,  entender de humilhar-me, aí, sertão. …”
CARLOMANO MARQUES
Deputado Estadual-PMDB.
DETALHE – Resta saber o porquê de tal rebeldia de Carlomano contra seu então amigo Eunício Oliveira.

Outubro Rosa é na D'Crédito Promotora - Confira

TSE desmente que Época tenha pago a esquisitíssima pesquisa “Paraná”

No fim da tarde de quarta-feira (8), a revista Época divulgou em seu portal na internet que contratou “A primeira pesquisa sobre o segundo turno” com um tal “Instituto Paraná”. O resultado dessa pesquisa surpreendeu não só petistas mas também tucanos ao mostrar Aécio Neves disparado à frente de Dilma Rousseff (54% a 46%).
Abaixo, a chamada na home do portal de Época
Pelo inusitado dos números, o Blog procurou a campanha de Dilma Rousseff. Perguntou se o PT já dispunha de trackings ou pesquisas internas sobre o segundo turno, ao que foi informado de que o partido começa a fazer suas sondagens a partir desta quinta-feira (9).
Em seguida, a pergunta foi sobre a confiabilidade da pesquisa. Abaixo, a resposta:
Picaretagem. Dê uma olhada no site do TSE. [A pesquisa] nem está registrada no TSE como uma pesquisa comprada pela Época. No registro da pesquisa perante o TSE (BR 01064 e 01065), não consta a revista Época nem tampouco a Editora Globo como contratantes, ao contrário do afirmado pela própria Época em sua página
O Blog acolheu a sugestão da fonte e foi ao site do TSE pesquisar. Abaixo, a reprodução da página de registro de pesquisas do TSE que mostra os números de registro da pesquisa “Paraná”.
Como se vê, a pesquisa custou R$ 62 mil e o contratante é o próprio “Instituto Paraná”.
Pelo que se entende da lei, quando o TSE pergunta a quem registra uma pesquisa eleitoral quem foi que pagou por ela, espera que lhe digam a verdade. Ora, se a revista Época diz que pagou, mas o site do TSE diz que não pagou, só há duas hipóteses: ou mente a revista ou mente o Tribunal.
Enquanto sobrevém esse fato estranho, surgem outros. O blogueiro parananese Esmael de Moraes divulga que o dono do “Instituto Paraná” é alguém chamado Murilo Hidalgo. A partir da informação de Esmael, o blogueiroMiguel do Rosário vai “fuçar” e descobre que o mesmo Hidalgo “já está nomeado para integrar o novo governo de Beto Richa” e que “deverá dirigir a Celepar, companhia de TI do estado do Paraná”.
Para fechar o círculo de estranhezas, o Blog tentou acessar o site do tal “Instituto Paraná” e o resultado você confere abaixo.


Como se vê, não abre página alguma ao digitar o endereço http://www.paranapesquisas.com.br/
A primeira tentativa de acesso foi por volta das 19 horas de quarta-feira (8). Foi tentado o acesso por mais QUATRO computadores diferentes e por dois celulares, e nada. Esperou-se mais SETE horas para tentar acessar o site, e nada.
Nesta quinta-feira (9), deve ser divulgada pesquisa Datafolha registrada no dia 4 deste mês, com campo nos dias 8 e 9. Abaixo, o registro da pesquisa.


Diante da volatilidade nas eleições de 2014, não se descarta a possibilidade de a pesquisa mostrar alguma coisa parecida, mas que a pesquisa “Paraná é “esquisita”, não há dúvida. Além de todo o exposto, Dilma aparece com menos votos no segundo turno do que teve no primeiro.
Seja como for, na tarde desta quinta o PT já terá seu primeiro tracking no segundo turno. Provavelmente, sairá antes do Datafolha. Ou este Blog ou algum outro certamente terão os números para confrontar com as pesquisas “Paraná” e Datafolha.
Independentemente da pesquisa Datafolha e do tracking do PT, entre outros, sobressai uma pergunta – e não é sobre a ligação do dono do “Instituto Paraná” com o PSDB: por que Época disse que pagou essa pesquisa, se não pagou? Será que a revista e o instituto não sabem que fazer esse tipo de coisa constitui crime eleitoral?

Dilma defende nordestinos após mensagens ofensivas na internet

Dilma defende nordestinos após mensagens ofensivas na internet

Para presidente, quem fala mal 'não sabe quem é o povo nordestino'.
Dilma comentou ainda possível apoio de Marina a Aécio nas eleições.


Dilma em coletiva de imprensa em Teresina (Foto: Gilcilene Araújo/G1)A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, durante entrevista coletiva em Teresina (PI) (Foto: Gilcilene Araújo/G1)
A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta quarta-feira (8) os nordestinos após internautas publicarem em redes sociais mensagens ofensivas contra a população do Nordeste, em razão da quantidade de votos dados à candidata do PT à Presidência. Durante ato em Teresina (PI), a presidente afirmou que existe uma visão "elitista" que prejudica o Nordeste.

"As pessoas que falam mal do Nordeste não conhecem a região. Dizem que aqui as pessoas são desinstruídas. Nunca estiveram aqui, não sabem que o povo nordestino é mais compreensivo e desconhecem a revolução que aconteceu no Nordeste. Vocês têm que superar esta visão porque o Nordeste cresceu muito nos últimos 12 anos", disse a presidente.

Denúncias fizeram com que o Ministério Público Federal do Ceará (MPF-CE) instaurasse procedimento administrativo parainvestigar as mensagens ofensivaspostadas por internautas após o resultado das eleições. De acordo com o MPF-CE, qualquer pessoa pode registrar denúncias.
Os comentários xenofóbicos publicados no Facebook, Twitter e no Tumblr - ferramenta de blog e rede social - associavam os votos de Dilma no Nordeste aos programas sociais, à pobreza e à ignorância dos nordestinos. "Dilma só ganha voto por povo burro do Nordeste", diz um dos posts questionados. Para o MP, os comentários estão caracterizados na Lei n.º 7.716/89, que trata do crime de discriminação ou preconceito de procedência nacional.

Programas do governo
Em Teresina, a presidente saiu em defesa de programas do governo, como o Minha Casa, Minha Vida, Bolsa Família e Mais Médicos. Dilma questionou o fato de adversários na disputa eleitoral prometerem manter os programas desenvolvidos em seu mandato e durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A candidata prometeu ampliar o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e voltou a defender a reforma política. Além disso, afirmou que irá propor mudança na Constituição para que a segurança dos estados passe ser "atribuição" do governo federal.

"É muito engraçado. Meus adversários afirmaram que vão fazer melhor o Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida. Por que não fizeram antes? É a minha pergunta. Por que quando puderam, fizeram o Bolsa Família mirradinho? Eles eram contra o subsidio que demos aos beneficiados do Minha Casa, Minha Vida", argumentou.

Marina Silva
Dilma comentou ainda sobre possível apoio de Marina Silva ao candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves. Questionada sobre o assunto, a presidente afirmou que a democracia é um exercício no qual as pessoas apoiam aqueles com quem mais se identificam.

"Eu acho que isso é muito melhor do que processos ditatoriais onde as pessoas não conversam e não discutem", concluiu.
Fonte: G1

Vítima de preconceito, Miss Brasil cearense pede união ao povo do Brasil

Do UOL, em São Paulo
  • Lucas Ismael/Band
    Melissa Gurgel foi alvo de comentários preconceituosos por ser do Ceará
    Melissa Gurgel foi alvo de comentários preconceituosos por ser do Ceará
Eleita a nova Miss Brasil em setembro, a cearense Melissa Gurgel diz ter ficado triste com os comentários preconceituosos que sofreu em redes sociais durante a disputa do concurso e pediu união entre o povo brasileiro.
"Não estava nem acompanhando as redes sociais por conta da correria, mas familiares me contaram. Enfim, lamentei muito. Porque [é] um país onde há várias culturas, várias etnias... Se a gente quer ser visto lá fora, temos que ser um país unido. O próprio povo tendo preconceito contra nós", desabafou durante entrevista ao "Hoje em Dia", da TV Record, nesta quarta-feira (8).
Comentários preconceituosos no Twitter contra Melissa levaram a Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE) a entrar comrepresentação e notícia-crime junto ao Ministério Público Federal contra internautas. Na rede social, há várias críticas ao sotaque dos cearenses: "Miss Ceará bonita até abrir a boca e vir aquele sotaquezinho sofrível" e "Lembrem de deixar a TV no mudo quando a miss Ceará for dar a palestra dela no miss Brasil do ano que vem".
Segundo a OAB-CE, foi pedida a identificação dos autores e, caso seja constatado crime de injúria, o autor da mensagem pode ser condenado por período de um a três anos.

Pesquisa falsa para presidente circula nas redes sociais

Circula na internet e no Facebook uma suposta pesquisa do instituto Vox Populi sobre as intenções de voto no segundo turno da disputa presidencial que apresenta o candidato do PSDB, Aécio Neves, com 51% contra 43% da candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT). O Vox Populi confirmou ao Diário do Poder que não divulgou nenhuma pesquisa presidencial após a votação do último dia 5.
Eleitores devem ficar atentos para detalhes obrigatórios na divulgação de pesquisa eleitoral como margem de erro, número de entrevistados e, principalmente, o registro junto aos órgãos eleitorais.
De acordo com a assessoria do Vox Populi, o instituto registrou sua primeira pesquisa para o segundo turno no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ontem (7) e as entrevistas serão realizadas nos dias 11 e 12 de outubro. Confira abaixo os detalhes do registro da pesquisa verdadeira.
Pesquisa Vox

Abertura da Festa de São Francisco reúne milhares de fieis em Canindé

festa
A tradicional Festa de São Francisco teve início nesta quinta-feira (9), em Canindé. Milhares de fieis madrugaram para assistir ao levantamento das bandeiras de São Francisco, Santa Clara e das pastorais da Região Sertão Central
Após o momento, foi a vez de receber os peregrinos que vieram de romaria até a chegada na praça principal, em frente a Igreja Matriz. A primeira missa do dia, realizada às 4h, foi um dos momentos mais marcantes da abertura das festividades, reunindo milhares de fieis em nome da fé ao padroeiro. 
A expectativa é que cerca de 1,5 milhão de romeiros de outros municípios cearenses e dos demais Estados do Nordeste participem dos 10 dias de evento. A festa é considerada a maior romaria franscisca da América Latina e a segunda maior do mundo 
Fonte: Diário

Cantor Luciano detona Tiririca e filho defende o pai


Na terça-feira, o cantor Luciano Camargocriticou a reeleição do humorista e deputado federal Tiririca, que foi o segundo mais votado em São Paulo. Em seu perfil do Instagram, publicou uma imagem em que o cearense aparece com a frase "1.351.592 votos. Agora temos o número exato de retardados em São Paulo".  Vale destacar que, segundo o site do Tribunal Superior Eleitoral, Tiririca teve 1.016.796 votos.
Em seguida, Tirullipa, filho do político, republicou a imagem em seu perfil na rede social e criticou a atitude do sertanejo. Na legenda, escreveu: "Vocês viram o que o cantor Luciano da dupla zézé de Camargo e Luciano escreveu sobre o meu pai? O que vocês acharam disso? É ou não é uma declaração preconceituosa? Isso é democracia gente e todos nós temos direito de se candidatarmos e de sermos eleitos sim, independente da profissão e do grau de escolaridade, será que meu pai e o povo que votaram nele não tem esse direito? Me desculpe@camargoluciano mais você foi muito infeliz na sua postagem chamando o povo e o meu pai de "Retardado" não respeitando nem as pessoas que sofrem de distúrbios mentais! Eu só peço a Deus que você repense e nunca mais faça isso com ninguém, pois somos seres humanos e merecemos respeito!".

Tirullipa
O irmão de Zezé di Camargo logo se arrependeu: "Queridos @tiririca2222, @tirullipa e todos q se sentiram ofendidos com o meu post. Realmente, fui infeliz por não entender um político que faz palhaçada em sua campanha, tirando sarro do que já está crítico e vergonhoso. Porém, não justifica a minha atitude e falta de respeito, ao usar uma foto montagem que estava rolando nas redes e fazer um comentário desnecessário. Achei engraçado e não pensei que atingiria a tantas pessoas. Fiz uma grande besteira. Mil desculpas a cada um de vocês".
Fonte: Diário

Camilo e Izolda voltam à Quixeramobim e realizam nova carreata na cidade

DIÁRIO DO CANDIDATO
Camilo e Izolda voltam à Quixeramobim e realizam nova carreata na cidade

Os candidatos ao governo do Estado pela coligação "Para o Ceará seguir mudando", Camilo Santana (governador) e Izolda Cela (vice-governadora), voltaram ao município de Quixeramobim, no Sertão Central, nesta quarta-feira (08), para agradecer aos moradores pela vitória, no município, no primeiro turno das eleições. A comitiva participou ainda de uma nova carreata pela cidade, que levou às ruas mais de 700 carros e mil motos, percorrendo uma distância de 13 quilômetros.

A aposentada Rita Oliveira, de 69 anos, mostrou apoio ao candidato. "Se alguém tinha dúvida em votar nesta chapa, já não tem mais. Camilo mostrou que é querido pelo povo e, certamente, irá governar nosso Estado", afirmou.

Já o pedreiro Raimundo Nonato Lima, de 43 anos, falou que ficou feliz com o reconhecimento dos candidatos. "Fiquei feliz de ver o Camilo e a Izolda novamente. Esse carinho mostra a humildade deles e o respeito com quem votou neles", disse.

Camilo e Izolda conversaram ainda com os moradores e  pediram o apoio da população nestes últimos 18 dias de campanha. A atividade contou com a presença do prefeito do município, Cirilo Pimenta, do vice-prefeito, Tarso Borges, de deputados, deputados eleitos e lideranças políticas de região.

Fonte: assessoria da coligação "Para o Ceará seguir mudando".


Fonte: http://cearanews7.com.br/ver-noticia.asp?cod=20967

Programa do PT lança o “Quero Dilma em Brasília e Camilo no Ceará”

foto camilo santana
O primeiro programa de Camilo Santana para o segundo turno, no rádio, mostrou uma série de estratégias que deverão dar rumo à campanha no segundo turno. Apesar de destacar algumas propostas, Camilo agradeceu votos recebidos no primeiro turno, investiu no voto dos indecisos e lançou o “Quero Dilma em Brasília e Camilo no Ceará”.
O candidato também usou o apelo da campanha Dilma, sobre quem tem mais experiência para conduzir os programas e os projetos do Ceará.
Fonte: O POVO

Horário de verão começa no dia 19 de outubro

horario de verao
O horário de verão deste ano começará no próximo dia (19/10), e irá até 22 de fevereiro de 2015. Dez estados, além do Distrito Federal, vão adiantar os relógios em uma hora.
A medida vale para 11 estados da federação, das regiões Sul, Centro-Oeste e Sudeste: Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Distrito Federal.
O horário de verão começa no terceiro domingo do mês de outubro, neste ano, uma semana antes do segundo turno das eleições, e é mantido até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte. Caso a data de término coincida com o domingo de carnaval, o prazo é prorrogado em uma semana.

Nelson Martins destaca ações de convivência com a seca

Nelson MartinsDiante das últimas secas que têm castigado muitas cidades do País, e não apenas as cearenses ou nordestinas, o governo trabalha para amenizar o sofrimento daqueles que sofrem com os efeitos de uma mais difíceis crises hídricas da história. Durante pronunciamento na Assembleia Legislativa, o Deputado Nelson Martins (PT), falou sobre as ações do Governo do Estado do Ceará para garantir a convivência com a seca.
Nelson Martins falou sobre as obras de adutoras, cisternas e sistemas de abastecimento d’água que vão universalizar o acesso à água em todo o Ceará. Ouça trecho do pronunciamento clicando no player abaixo:

Instituto Paraná: Aécio 54% x Dilma 46% dos votos válidos

aeciodilmaEm pesquisa divulgada nesta quarta-feira pela Revista ÉPOCA, realizada pelo instituto Paraná mostra o candidato do PSDB a presidência da República com nove pontos percentuais à frente da petista Dilma Rousseff. Pelo levantamento, Aécio Neves com 49% das intenções de voto contra 41% de Dilma. Os eleitores que não sabem em quem votar ou não responderam somam 10%. Em votos válidos, Aécio tem 54%, e Dilma, 46%. Na pesquisa espontânea, em que não são apresentados os candidatos, Aécio tem 45%, e Dilma, 39%.
O instituto Paraná Pesquisas entrevistou, entre a segunda-feira (6) e esta quarta-feira (8), 2.080 eleitores. Foram feitas entrevistas pessoais com eleitores maiores de 16 anos em 19 Estados e 152 municípios.
A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral, sob o número BR 01065/2014. O nível de confiança da pesquisa é de 95%, com uma margem de erro de 2,2% para mais ou para menos. Isso significa que a probabilidade de a realidade corresponder ao resultado dentro da margem de erro é de 95%. Se a eleição fosse hoje, a votação de Aécio variaria, portanto, de 52% a 56%; e a de Dilma, de 44% a 48% dos votos válidos.
A pesquisa também avaliou a rejeição dos candidatos. Dilma Rousseff é rejeitada por 41%. Outros 32% afirmaram que não votariam em Aécio “de jeito nenhum”.
No quesito escolaridade, Dilma é a preferida dos eleitores com apenas o ensino fundamental. Ela tem 46% das intenções, ante 45% de Aécio. Entre os eleitores com ensino superior completo, Aécio lidera com 55% das intenções, e Dilma apresenta 34%. Aécio também está na frente no eleitorado feminino, com 50% das intenções de voto, ante 40% de Dilma. Entre os homens, Aécio tem 47% das preferências, para 43% de Dilma.
A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral, sob o número BR 01065/2014 e 2.080 eleitores em 152 municípios do dia 6 ao dia 8 de outubro.

PSOL anuncia neutralidade no segundo turno, mas desaconselha voto em Aécio

SEGUNDO TURNO
PSOL anuncia neutralidade no segundo turno, mas desaconselha voto em Aécio

Por maioria absoluta de votos [15 a 2], a Executiva do PSOL decidiu liberar seus filiados e não apoiar qualquer candidatura no segundo turno das eleições presidenciais.

Mesmo sem declarar apoio à candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, o partido vai recomendar aos militantes que não votem no candidato do PSDB, Aécio Neves. "Não é cabível qualquer apoio de nossos filiados à sua candidatura", diz documento do PSOL sobre o tucano.

“O partido não está se posicionando em favor de nenhuma candidatura, mas é contra a de Aécio”, afirmou Luciana Genro, que disputou a Presidência da República pelo PSOL e ficou em quarto lugar, com mais de 1,6 milhão de votos. Em entrevista na tarde de hoje (8), Luciana disse que não é uma posição totalmente neutra, porque, embora não se alinhe a qualquer dessas opções, nega o voto em Aécio.

A ex-deputada gaúcha acrescentou que, em respeito à posição do partido, não vai declarar de que forma pretende votar no segundo turno: se em Dilma, branco ou nulo. Segundo Luciana, os militantes e eleitores do PSOL deverão votar nulo ou em Dilma, mas o partido não se manifestará. "Isso será decisão de cada um." Para ela, o PSOL não tem nada em comum com Aécio Neves, "que representa um retrocesso". Por isso, considera a neutralidade necessária.

Segundo o presidente do partido, Luiz Araújo, o PT não fez contato com o PSOL para pedir ou negociar apoio para o segundo turno. “Faz tempo que não conversamos com o PT”, disse Araújo, na entrevista. De acordo com Luciana Genro, o PSOL pretende continuar na oposição aos dois partidos e não pretende abrir negociação com o PT.

Sobre a possibilidade de voltar a disputar a Presidência da República, em 2018, a ex-deputada disse que está à disposição do partido para qualquer missão. "Vou continuar a minha atividade política e, se for chamada em 2018 para ser candidata à Presidência, assumirei essa tarefa com muita alegria”, afirmou.


Fonte: Agência Brasil.

Fonte: http://www.cearanews7.com.br/ver-noticia.asp?cod=20952

TCM faz pesquisa sobre situação de lixões no interior do Ceará

ATERRO SANITÁRIO
TCM faz pesquisa sobre situação de lixões no interior do Ceará

Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) está fazendo levantamento sobre o sistema de disposição final de resíduos sólidos no Ceará, os chamados lixões. O Tribunal enviou ofício circular aos 184 municípios tratando dessa questão, solicitando informações detalhadas que deverão oferecer um panorama atualizado sobre o acondicionamento do lixo produzido. Além disso, disponibilizou um canal que poderá ser utilizado em caso de dúvidas no preenchimento do formulário de pesquisa.

O objetivo é verificar o tipo de destinação final de resíduos sólidos em cada município, além de informar-se sobre a situação desses depósitos a céu aberto, e, com isso, verificar o atendimento à Lei 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). O trabalho é inovador e pretende servir de instrumento preventivo à proliferação de doenças e desgaste do solo por conta das impurezas, pois, além de mostrar o cenário atual, o trabalho também permitirá ver a situação das condições dos aterros existentes. Os dados podem auxiliar na busca de soluções e alternativas na preservação do meio ambiente.

Conforme a Lei, os resíduos sólidos devem ter uma disposição final adequada e as áreas dos lixões e aterros controlados precisam ser desativadas, isoladas e recuperadas ambientalmente. O TCM, com essa iniciativa, participa do esforço de orientação aos municípios cearenses também nesse aspecto, propondo medidas para solucionar problemas que venham a ser verificados.

* Com informações do TCM

Fonte: http://www.cearanews7.com.br/ver-noticia.asp?cod=20948

Aécio Neves recebe apoio de Eduardo Jorge e Pastor Everaldo

RTICULAÇÕES
Aécio Neves recebe apoio de Eduardo Jorge e Pastor Everaldo

O candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB) recebeu hoje (8), oficialmente, o apoio dos ex-candidatos Pastor Everaldo (PSC) e Eduardo Jorge (PV) para o segundo turno da corrida presidencial. Ambos estiveram em um evento do candidato do PSDB com seus aliados políticos nesta quarta-feira, em Brasília. Também estiveram presentes governadores eleitos no último domingo (5), como Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e Paulo Hartung, do PMDB do Espírito Santo, partido aliado aos tucanos no estado. Nesta quarta-feira, tanto o PSC quanto o PV anunciaram apoio à candidatura de Aécio Neves.

Eduardo Jorge destacou que sua decisão e de seu partido, o PV, de apoiar Aécio Neves, vem da comparação entre os programas de governo. A questão do desenvolvimento sustentável foi, segundo ele, uma questão central. Jorge ressaltou ainda que não pediu nada em troca do apoio. “Não estamos pedindo nada ao candidato. Estamos pedindo apenas que ele ponha o Brasil no rumo do desenvolvimento sustentável”, ressaltou.

Pastor Everaldo, por sua vez, falou sobre um governo de Aécio voltado aos pobres. Everaldo disse que Aécio “representa a verdadeira mudança que o país está precisando”. Ele destacou o compromisso do candidato tucano em manter o Bolsa Família, e encerrou dizendo: “Conte comigo, Aécio”.

Em conversa com jornlistas, Aécio Neves disse que se for eleito, no próximo dia 26, fará um governo voltado para as camadas mais pobres da sociedade. “Eu serei o presidente de todos os brasileiros, e principalmente daqueles que mais precisam da ação do Estado. Serei o presidente dos brasileiros mais pobres. Serei o presidente de todos”, enfatizou.

Aécio disse ainda esperar que a campanha pelo segundo turno das eleições seja pautada na apresentação de ideias para melhorar o país. “Eu não trato um adversário como um inimigo a ser batido de qualquer forma. Eu estou numa campanha política, e não em uma guerra. Quero apresentar propostas. Quero convidar a senhora presidente da República a fazer uma campanha de alto nível, onde ela possa dizer o que pensa em relação ao Brasil, onde ela tenha a oportunidade de dizer de que forma vai fazer a economia crescer, como controlar a inflação”.

O candidato do PSDB manteve o discurso paciente sobre a possibilidade de receber o apoio de Marina Silva, terceira colocada no primeiro turno. “Agradeço a todos eles [partidos que já oficializaram apoio], eu os quero nesta caminhada agora, e vamos aguardar que os outros candidatos e partidos tenham seu tempo para tomar a sua decisão”, concluiu.

* Com informações da Agência Brasil


Fonte: http://www.cearanews7.com.br/ver-noticia.asp?cod=20958

Aliados se dividem e Marina encontra resistências ao apoio a Aécio

Eleições 2014

Aliados se dividem e Marina encontra resistências ao apoio a Aécio

Ex-senadora já sinalizou que não ficará neutra. E opção deve ser pelo nome do PSDB. Mas PSB e Rede ainda não chegaram a consenso sobre o futuro

Talita Fernandes
Marina Silva faz discurso após resultado do primeiro turno
Marina Silva faz discurso após resultado do primeiro turno (Ricardo Matsukawa/VEJA)
A executiva nacional do PSB se reúne nesta quarta-feira em Brasília para definir os rumos do partido neste segundo turno. A tendência é que a sigla pela qual Marina Silva disputou a Presidência da República se mantenha dividida entre os que preferem apoiar o tucano Aécio Neves e a presidente Dilma Rousseff (PT). Esta não é, porém, a única indefinição na base da ex-senadora. Além da divisão no PSB, Marina tem de lidar com as divergências em seu grupo político, a Rede Sustentabilidade: embora o "quase partido" dê sinais apoio a Aécio, ainda há resistência interna sobre aderir à candidatura do tucano. Marina já deu sinais de que deve apoiar o candidato do PSDB – e não se manter neutra, como quando disputou a Presidência da República pelo PV, em 2010. Sua decisão oficial, porém, só será conhecida na quinta-feira. Também nesta quarta os demais partidos da coligação que apoiou sua candidatura definirão seu futuro. Até agora, apenas o PPS declarou apoio formal a Aécio.
Membros da executiva do PSB consultados pelo site de VEJA acreditam que a opção do partido nesta quarta deve ser pela “neutralidade”, abrindo espaço para que cada um dos membros defina quem apoia. Essa possibilidade foi indicada pelo próprio presidente do PSB, Roberto Amaral, em visita a Marina na segunda. Walter Feldman, um dos aliados mais próximos à ex-senadora, relatou o teor da conversa. “Amaral disse que a tendência é de não ter unidade de apoio a um ou outro candidato, o que talvez leve o partido a liberar seus membros para decisão individual. Mas, isto não está claro”, afirmou.
A tendência é de que nomes do PSB das regiões Sul e Sudeste votem pelo apoio a Aécio. Outra ala do partido que optará pelo tucano é a de Pernambuco, Estado de Eduardo Campos, ex-cabeça de chapa do partido na disputa pelo Planalto, morto em acidente aéreo em 13 de agosto. O PSB de Pernambuco elegeu o maior número de deputados federais do partido, oito no total. Foi também onde a sigla emplacou o governador mais bem votado do país, Paulo Câmara, eleito em primeiro turno com acachapantes 68% dos votos. O Estado elegeu ainda Fernando Bezerra Coelho ao Senado e foi um dos dois únicos em que Marina venceu a disputa presidencial, além do Acre, terra natal da ex-senadora.
Divergências - Há, contudo, focos de resistência ao apoio a Aécio nos Estados da Paraíba e do Amapá, onde dois candidatos do PSB disputam o segundo turno. No caso da Paraíba, o candidato à reeleição, Ricardo Coutinho, concorre com o tucano Cássio Cunha Lima. O PT tenta fazer uma ofensiva no Estado para formar uma aliança com o PSB. Nesta quarta, a presidente Dilma tem agendadas duas agendas na Paraíba: uma na capital João Pessoa e outra em Campina Grande, as duas principais cidades do Estado. A presença da petista é vista como uma tentativa de "marcar território". No Amapá, Camilo Capiberibe concorre à reeleição contra Waldez Góes (PDT). O pessebista está na mesma coligação que o PT no Estado, e tende a votar a favor de uma aliança com Dilma. Tanto Coutinho quanto Capiberibe são membros da executiva nacional, da qual também faz parte João Capiberibe, pai de Camilo. O presidente nacional da sigla, Roberto Amaral, também é visto como um entrave ao apoio a Aécio, devido ao seu alinhamento histórico com o PT.
Na segunda-feira, uma reunião em Recife referendou o apoio ao PSDB, partido com o qual o PSB está coligado no Estado. A decisão teve o aval de Renata Campos, viúva de Eduardo. No dia seguinte, Marina recebeu em São Paulo a visita de nomes importantes do PSB pernambucano, como o governador João Lyra Neto, o presidente estadual da sigla, Sileno Guedes, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, além dos eleitos Câmara e Bezerra Coelho. Durante o encontro, eles trataram do apoio a Aécio Neves, que ligou para os pessebistas na segunda-feira.
Rede - Marina encontra resistências também entre os membros da Rede Sustentabilidade, partido idealizado por ela que não conseguiu se registrar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na noite de terça, a executiva da Rede promoveu uma discussão sobre o apoio. Ao fim de quatro horas, o grupo chegou ao acordo de apenas dizer “não à continuidade do atual governo”. Um documento foi criado após as discussões e será encaminhado ao diretório da Rede, composto por 120 pessoas, que fará uma nova rodada de conversas na noite desta quarta. Walter Feldman, porta-voz nacional da Rede, admitiu que há resistência em apoiar o nome do tucano. “Nós queremos uma mudança, porém qualificada. Tem que dar substância ao nosso conteúdo”, afirma, indicando que é necessário haver sinalizações do tucano com o programa de governo apresentando por Marina. “A resistência vem, fundamentalmente, da estrutura de polarização. Alguns consideram que os ataques a Marina também foram muito pesados por parte do PSDB. E consideram que, do ponto de vista social, o PSDB não tem mostrado vigor em relação às políticas que a Rede considera necessárias. São questionamentos que dificultam a definição do apoio ao Aécio”, admite. 
O aliado de Marina deu sinais, contudo, de que o que deve prevalecer no pronunciamento de quinta é o desejo da ex-candidata. “Ela é, na verdade, uma candidata da coligação. Claro que ela tem uma origem na Rede, mas ela foi colocada como candidata da coligação e vai se pronunciar como tal”. Ainda que PSB e Rede optem pela neutralidade, é possível, portanto, que Marina declare apoio em uma posição individual. Aliados avaliam que manter-se neutra não seria a decisão política mais indicada para a ex-senadora. E, em seu discurso no domingo, Marina já deu sinais de que deve optar por Aécio.

Dilma defende Pimentel após apreensão de dinheiro com aliado do PT

Eleições 2014

Dilma defende Pimentel após apreensão de dinheiro com aliado do PT

Presidente-candidata disse que confia no governador eleito de Minas Gerais, de onde colaboradores de sua campanha decolaram com R$ 116 mil a bordo

Felipe Frazão, de João Pessoa
A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff,  durante entrevista coletiva com lideranças políticas em João Pessoa
A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff,  durante entrevista coletiva com lideranças políticas em João Pessoa (Ichiro Guerra/Divulgação)
A presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) preferiu nesta quarta-feira à noite não comentar diretamente a apreensão pela Polícia Federal de 116.000 reais em dinheiro vivo em um avião bimotor em Brasília (DF), no qual decolaram de Belo Horizonte (MG) um ex-assessor do Ministério das Cidades, colaborador do governador eleito em Minas, Fernando Pimentel (PT), além do empresário Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené, antigo operador de campanhas petistas. Ao chegar a João Pessoa (PB) para participar de um comício, Dilma disse ter confiança em Pimentel, de quem é amiga, e descartou a hipótese de afastá-lo da coordenação de sua campanha à reeleição em Minas.
“Era tudo o que vocês queriam. Por que eu o afastaria? Você já condenou? Eu confio sim no Pimentel. Acho que o Pimentel é uma pessoa interessantíssima”, disse a presidente. Fernando Pimentel derrotou no primeiro turno o candidato do PSDB ao governo mineiro, Pimenta da Veiga, e tirou os tucanos do comando do Estado após doze anos.
Dilma também afirmou que não aceitará que Pimentel seja “condenado sem provas”. Ela ainda insinuou que a pressão por providências é fruto de uso eleitoreiro do caso. “Eu não vou aceitar de maneira alguma que alguém chegue aqui para mim e condene uma pessoa sem provas. Eu não vou aceitar de ninguém, eu não faço isso com ninguém. Não vou concordar com essa forma de tentar fazer campanha eleitoral. Me desculpe.”
A PF interceptou a aeronave em que estavam os colaboradores petistas por causa de uma denúncia anônima de que ela estaria carregada de malas com dinheiro vivo. Um inquérito foi instaurado para apurar o caso. Além de Bené, que em 2010 atuou informalmente na primeira campanha de Dilma, estava no avião Marcier Trombiere Moreira, que deixou em julho deste ano o cargo de assessor especial do ministro das Cidades, Gilberto Occhi, para trabalhar na área de comunicação da campanha de Fernando Pimentel.
Comício – Depois de conceder entrevista no Aeroporto de João Pessoa, Dilma seguiu para comício em uma casa de shows lotada na periferia da capital paraibana. Sem mencionar a apreensão feita pela PF, disse ter compromisso ético de combater a corrupção e acusou os tucanos de aparelharem a instituição no governo Fernando Henrique Cardoso.
“Eu sou uma das pessoas que falam que tem de combater a corrupção. Mas eu sei que além de garantir que a Polícia Federal seja autônoma, porque falam, ‘ah, mas está na lei’... Está na lei, mas no passado a Polícia Federal foi aparelhada, o diretor da Polícia Federal era filiado ao PSDB. No meu governo, diretor da PF não é filiado a partido nenhum, nem faz o jogo de partidos”, disse Dilma. “No governo do meu adversário, o Ministério Público era escolhido fora das lista que os procuradores apresentam para o presidente escolher. Eles não escolhiam da lista e criaram uma figura fantástica, chamada o engavetador geral da República, porque ele teve a pachorra de engavetar todas as investigações, não prosseguiu com nenhuma.”
Esse é o segundo caso nas eleições deste ano em que uma quantia acima de 100.000 reais em dinheiro vivo é apreendida durante viagens em que estavam assessores de governadores eleitos pelo PT. No mês passado, o motorista do senador petista Wellington Dias, governador eleito do Piauí, foi detido pela Polícia Rodoviária Federal em uma blitz enquanto viajava de Brasília ao interior do Estado. José Martinho Ferreira de Araujo, além de ocupar cargo de confiança no Senado é primo do governador petista. Ele carregava 180.000 reais em malotes com notas de 100 escondidos embaixo do banco traseiro do carro. A pedido do Ministério Público Eleitoral, a investigação foi assumida pela PF, por suspeita de compra de votos e lavagem de dinheiro.
Fonte: VEJA

Aécio recebe apoio do PSB e repete lema de Eduardo Campos: 'Não vamos desistir do Brasil

Aécio recebe apoio do PSB e repete lema de Eduardo Campos: 'Não vamos desistir do Brasil'

Em reunião na sede do partido, em Brasília, o candidato do PSDB fez discurso para sacramentar o apoio dos socialistas no segundo turno contra Dilma

Marcela Mattos, de Brasília
O candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), se encontra com a Executiva Nacional do PSB, em Brasília
O candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), se encontra com a Executiva Nacional do PSB, em Brasília (Valter Campanato/Agência Brasil)
Candidato à presidência pelo PSDB, Aécio Neves compareceu à sede do PSB na noite desta quarta-feira para sacramentar a aliança com o partido no segundo turno das eleições. Em discurso, o tucano ressaltou que a união expressa o sentimento de mudança da população brasileira e, em busca de se aproximar da nova legenda, evocou Eduardo Campos, morto em agosto em acidente aéreo: “Hoje eu me preencho com sonhos, lembranças extremamente marcantes para mim. E é por isso que eu quero encerrar essas minhas palavras dizendo: ‘Nós não vamos desistir do Brasil’”, afirmou.
“Sou, a partir desta histórica manifestação, o candidato das mudanças verdadeiras. Do ponto de vista pessoal, me sinto honrado e emocionado neste instante, porque passo a ter a responsabilidade de, no limite das minhas forças, levar pelo Brasil inteiro o legado de Eduardo Campos”, disse Aécio Neves, bastante aplaudido por socialistas. “Os seus sonhos, Eduardo, passam a ser os meus sonhos. E os seus compromissos com a diminuição das diferenças vergonhosas do Brasil passam a ser os meus compromissos. A partir deste instante caminharemos juntos num só sentimento de responsabilidade pela construção de um novo tempo pelo Brasil”, continuou.
O tucano aguardava a definição do PSB durante ato de campanha em Brasília, e compareceu à sede do partido após ser confirmado o apoio. Ele estava acompanhado de Tasso Jereissati (PSDB-CE), eleito para o Senado, e do senador Pedro Taques (PDT), que a partir janeiro vai assumir o governo de Mato Grosso. Nesta quarta-feira, mais duas legendas oficializaram a preferência pelo tucano na reta final da eleição: o PSC, do Pastor Everaldo, e o PV, de Eduardo Jorge. Ontem, o PPS adotou posição idêntica.
Com a confirmação da aliança, tucanos e socialistas vão definir um programa de governo convergente com as propostas dos dois partidos. Integrarão o time o senador e agora coordenador da campanha Tasso Jereissati, o coordenador de temas ambientais, Fábio Feldman, e a coordenadora de educação, Maria Helena Castro, ligados a Aécio. Do lado do PSB estão o senador Fernando Bezerra, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, e o secretário nacional do partido, Carlos Siqueira – este que havia abandonado a campanha socialista após desentender-se com Marina Silva.
“O meu otimismo é muito grande. Só não é maior que a minha determinação de acabar com esse ciclo que aí está. Quero um governo onde a ética e a decência possam caminhar juntos. Trabalharei no meu limite para honrar essa manifestação nos próximos dias, semanas e, se couber a mim, nos próximos cinco anos”, disse o candidato à Presidência.
O apoio ao tucano foi confirmado nesta tarde por 21 votos de membros da Executiva do partido. Outros seis socialistas defenderam a liberação dos integrantes da legenda, enquanto apenas um voto foi favorável à aliança com Dilma Rousseff. 
Fonte: VEJA