Buscar

05 setembro 2014

Charge

Charge

Alunos vestem saias em protesto contra o sexismo em colégio do RJ

Do UOL, em São Paulo
  • Reprodução/Facebook
    Meninos do Colégio Pedro 2º, que é federal, usaram saias durante protesto
    Meninos do Colégio Pedro 2º, que é federal, usaram saias durante protesto
Um grupo de alunos trocou as calças azul marinho do uniforme do Colégio Pedro 2º, no Rio de Janeiro, por saias na última terça-feira (2) em um protesto "contra o sexismo". Os meninos não podem usar bermuda na escola, enquanto as meninas podem usar saia.
Segundo a direção do colégio, um aluno vestiu uma saia no dia 23 de agosto dentro das dependências da escola e, em seguida, foi orientado pela Sesop (Setor de Supervisão e Orientação Pedagógica) "sobre a necessidade de seguir as regras estipuladas pela instituição sobre o uso do uniforme escolar".
O colégio diz que em nenhum momento o aluno foi impedido de circular pelas dependências do prédio.
Por causa do ocorrido, um grupo de estudantes organizou um protesto no último dia 2, com meninos e meninas vestidos de saia, segurando cartazes e gritando frases "contra o sexismo".
"O Colégio Pedro 2º reconhece que a adolescência é um período de descobertas e repudia qualquer tipo de intolerância e discriminação", disse a escola federal.
"Ressaltamos que o atual Código de Ética Discente está sendo reformulado com a participação de toda a comunidade escolar, contando inclusive com a participação ativa dos alunos, que podem sugerir as alterações que acharem necessárias".
Ampliar

Alunos franceses vestem saias para protestar contra o sexismo5 fotos

1 / 5
16.mai.2014 - Jovens do sexo masculino foram para a escola de saia, nesta sexta-feira (16), na cidade de Nantes (oeste da França). Com o protesto, os estudantes pretendem fazer uma denúncia simbólica contra o sexismo. Além de convidar os jovens a usar saias como ato simbólico, a iniciativa pretende criar um espaço de debate entre os alunos sobre este tema nas escolas de ensino médio Leia mais Jean-Sebastien Evrard/AFP

Motorista se distrai com prostitutas de lingerie e bate carro em poste na Rússia

Duas mulheres tinham ido para a rua em Arcanjo, uma cidade na região de Arkhangelsk Oblast, noroeste da Rússia, vestindo apenas suas roupas íntimas e meias arrastão. A fim de garantir que os motoristas as notariam, uma das meninas começou a caminhar lentamente sobre a faixa de pedestres, para chamar atenção de quem passava, motivando uma segunda garota a se juntar a ela.
Um motorista ficou tão impressionado com o que viu, que pisou no freio e voltou em marcha ré para ver de pertos as garotas, terminando a manobra de maneira bizarra. Ele se distraiu e chocou a traseira do carro em um poste.
As travessuras das meninas estavam sendo filmadas em um telefone móvel pela testemunha Cornelius Kruglov, que mais tarde fez o upload do vídeo para o site russo de mídia social VKontakte.
Motorista se distrai com prostitutas de lingerie e bate carro em poste
Motorista se distraiu com prostitutas de lingerie e bateu carro de maneira bizarra em poste, sendo flagrado por câmera de homem que filmava o incidente.
Ele disse: “Eu perguntei como ele ia explicar isso para a companhia de seguros, mas ele não parecia interessado em discutir o assunto. Então eu enviei o vídeo para mostrar o que tinha acontecido, caso eventualmente, ele resolva procurar seus direitos.”
Fonte: Mirror

Candidatas do concurso Miss Bumbum 2014







Veja mais fotos:

COPA DO BRASIL Dor que não apaga

Queda de energia na Arena Castelão, na última quarta-feira, que provocou mais de 20 minutos de atraso no jogo em que o time do Ceará acabou desclassificado da Copa do Brasil, após sofrer dois gols nos acréscimos
A derrota impressionante do Ceará para o Botafogo por 4 a 3, na última quarta-feira, quando levou dois gols nos acréscimos, que eliminaram o time da Copa do Brasil, causou um misto de revolta e comoção entre jogadores, comissão técnica e dirigentes do clube.
"É como se tivessem interrompendo um sonho. Infelizmente, não tem remédio. Depois de você presenciar o que se viu aqui, a vontade que dá é de largar tudo. Talvez só não seja pior do que perder um filho, mas que tira e arranca algo de você, isso eu não tenho dúvida nenhuma", declarou o presidente em exercício do Ceará, Robinson de Castro, visivelmente emocionado, com os olhos marejados, em entrevista coletiva, logo após a partida, ontem no Castelão. "Deus queira que tudo isso que aconteceu, tenha sido para o bem do Ceará. Para que a gente possa só pensar em algo maior que é o nosso retorno à Série A", completou o mandatário alvinegro.
A dor também foi compartilhada pelo treinador Sérgio Soares. Também com os olhos marejados e respirando fundo para responder os questionamentos e pausando as falas, o comandante alvinegro seguiu o discurso do chefe. "Uma situação como essa que nós passamos, só se o cara for de ferro. E nós somos seres humanos. É difícil (não sentir, não chorar), quando você faz tudo o que você tem de fazer, planeja tudo e, aí, um terceiro interfere no seu trabalho, aí é complicado. Pô, a gente estava classificado. Foi o árbitro que tirou a nossa classificação, não foi o Botafogo", afirmou Sérgio Soares.
Consequência
O treinador do Ceará reconheceu que talvez seja preciso trabalhar o lado mental para conseguir recuperar os atletas e, com isso, evitar que o abalo pela desclassificação não chegue até a Série B do Brasileiro. O time enfrenta amanhã, o Oeste, em Itápolis, no interior paulista. "Nós vamos ter de trabalhar diferente e trabalhar a cabeça. Se for necessário não treinar e trabalhar o psicológico para os jogadores estarem inteiro no sábado, nós vamos ter que fazer", reconheceu Sérgio Soares.
A atuação do árbitro Emerson Ferreira, de Minas Gerais, fez com que a diretoria divulgasse uma nota de repúdio no site oficial do clube.
A publicação, que enumera os erros cometidos pela arbitragem como o pênalti não marcado do lateral-esquerdo Júnior César, ao colocar a mão na bola, o gol anulado do atacante Magno Alves, e quarto gol do Botafogo marcado aos 50min, há fora do tempo de acréscimo.
A nota conclui "solicitando que o árbitro Emerson Almeida Ferreira não trabalhe mais em jogos do Vovô de Porangabuçu".
Súmula
Após o apito final, praticamente todos os jogadores e mais a comissão técnica foram reclamar do árbitro. Foi preciso a intervenção de policiais militares para evitar que acontece algo pior.
Emerson Ferreira citou a invasão na súmula do jogo. Apesar de não ter apontado o nome de nenhum atleta ou integrante da comissão técnica, ele usou uma frase genérica: "invasão generalizada e ostensiva".
Castelão volta a ser a casa do Vovô
Em julho, a Luarenas (consórcio que administra a Arena Castelão) rescindiu o contrato de 5 anos de exclusividade com o Ceará. Desde então a relação do clube com a administradora ruiu.
O time alvinegro levou alguns jogos para o Estádio Presidente Vargas e chegou a pensar em só mandar no Castelão partidas de grande apelo, como os diante do Internacional e Botafogo.
Porém, depois da diretoria do Ceará romper o diálogo com a BWA (uma das empresas do consórcio), a Secretaria Especial de Grande Eventos do Estado (SEGE) interveio e conseguiu adequar as solicitação dos dirigentes alvinegros para que os jogos no Castelão possam ser realizados conforme o desejo do clube. Assim, até a próxima semana, o Ceará deve oficializar um contrato de parceria para que todos os jogos do time, até o término da Série B, ocorram no Castelão.
Incidentes
A SEGE informou em nota divulgada ontem, que vai apurar a responsabilidade sobre a queda de energia ocorrida durante o jogo Ceará x Botafogo, na última quarta-feira.
STJD
O Ceará vai ser julgado na próxima segunda, pela 1ª Comissão Disciplinar do STJD. O time foi denunciado pelos incidentes causado ao ônibus do Internacional, que teve a janela quebrada por torcedores. O clube pode receber multa de R$ 100 a R$ 100 mil e interdição do local.
Magno Alves e Bill não pegam o Oeste
Atacante Lima deve ser a novidade na partida de amanhã, no interior paulista, em que a equipe alvinegra defende a liderança da Série B Foto: Bruno Gomes
O Ceará vai ter de cicatrizar a dor da desclassificação na Copa do Brasil trabalhando e jogando. Menos de 12 horas, após a derrota para o Botafogo, o grupo alvinegro já estava no Aeroporto Internacional Pinto Martins para viajar a São Paulo.
Amanhã, o time enfrenta o Oeste, na cidade de Itápolis, no interior paulista, pela 20ª Rodada Série B do Brasileiro, onde defende a liderança do Campeonato com 35 pontos.
A comissão técnica relacionou 20 jogadores para essa partida e não poderá contar com quatro jogadores considerados titulares. Os zagueiros Sandro e Diego Ivo, que não atuaram os últimos jogos, seguem vetados pelo departamento médico, se recuperando de lesões musculares.
O atacante Bill vai ter de cumprir suspensão automática por conta do terceiro amarelo tomado na vitória sobre o Luverdense, na rodada passada. Enquanto o astro da equipe, Magno Alves, vai ser poupado.
Em compensação, Sérgio Soares terá o retorno dos três jogadores, que não puderam atuar na Copa do Brasil, os atacantes Gil, Lima e Lulinha. Aliás, estes últimos dois têm tudo para formarem o ataque alvinegro. Enquanto, no setor defensivo, Alex Lima e Anderson continuam na zaga.
Reforço
O diretoria do clube alvinegro confirmou que negocia a contratação de mais um zagueiro. O anúncio oficial deve ser feito até o próximo domingo.
arte

Ex-ator pornô vira pastor evangélico e lança livro para 'salvar almas'

Eduardo Schiavoni
Do UOL, em Americana (SP)
  • Arquivo pessoal
    O ex-ator pornô Giuliano Ferreira, 35, se tornou pastor em São Carlos, interior de SP
    O ex-ator pornô Giuliano Ferreira, 35, se tornou pastor em São Carlos, interior de SP
Uma doença fez o ex-ator pornô Giuliano Ferreira, 35, mudar o rumo de sua vida. Depois de participar de mais de 300 filmes de entretenimento adulto, tendo chegado inclusive a ser indicado ao "Oscar do pornô mundial", ele largou tudo no auge da carreira para, segundo ele, "atender a um chamado de Deus". Há dez anos, se tornou pastor evangélico.
Ferreira manteve silêncio desse outro lado de sua biografia até o mês passado, segundo ele para preservar os filhos e a família. "Não queria que eles sofressem na escola, com pessoas falando sobre isso. Então, simplesmente não falei sobre o assunto", conta ele, que é casado há dez anos e tem dois filhos, um de 18 anos e outro de 19. "Agora, os dois estão na faculdade, e eu achei que era tempo de contar minha história."
Resolveu, então, escrever um livro. "Luz, Câmera, Ação e Transformação" (editora Semeando Esperança, R$ 20), que pode ser comprado pelo site www.giulianoferreira.loja2.com.br, está prestes a chegar à segunda edição. 
Arquivo pessoal
"Não me envergonho do que fiz [a carreira pornô], só resolvi deixar tudo de lado após receber esse chamado", diz. Hoje ele mora em São Carlos (a 232 km da capital paulista) com a mulher e dois filhos. "Ela sempre soube o que eu fazia. Por dois anos, vivi com ela trabalhando no setor pornô", disse.

Coma

A guinada na vida de Ferreira aconteceu em 2004, em Araraquara (SP), pouco depois de filmar com Rita Cadillac e Márcia Imperator. Com uma dor de dente, procurou um especialista. "Tive um canal e fui ao dentista. O dente quebrou enquanto estava na cadeira e tive de arrancá-lo. A partir dai, houve uma infecção que se espalhou pelo corpo", explica. "Foi generalizada e tomou completamente os rins e pulmões. Cheguei a ser desenganado pelos médicos."
Ficou em coma por cinco dias. Durante esse período, afirma ter ouvido um chamado de Deus, dizendo que ele deveria parar com a vida que levava e utilizar seu exemplo para salvar almas. "Ouvi Deus falando comigo e chorei. Depois, acordei puro. Os médicos não tinham a menor ideia do que havia acontecido, porque não era para eu ter acordado. Mas eu acordei e, daquele dia em diante, deixei tudo de lado para servir ao Senhor."
Ferreira tinha comprado três casas e tinha um padrão de vida confortável. Mas teve de vender os imóveis para pagar as multas dos contratos que tinha com empresas do setor pornográfico – uma brasileira e uma europeia. "Só de multa, foram R$ 80 mil. Também tive de pagar outras dívidas e o que sobrou usei para comprar um apartamento em São Carlos, onde vivo hoje", conta. "Não me preocupei com o dinheiro, me preocupei em fazer o que Deus tinha me dito. Venderia tudo o que tinha, se precisasse", conta.

De office boy a stripper

De origem humilde, Ferreira frequentou a igreja dos sete aos 14 anos. Parou quando teve que começar a trabalhar, como office boy, em São Paulo. 
Com 18 anos, teve um filho e ficou desempregado. Foi descoberto por um empresário do setor de entretenimento adulto. "Ele elogiou meu corpo e disse que eu poderia ganhar um bom dinheiro com ele. No começo recusei, achando que ele queria fazer um programa, mas depois ele explicou que era para trabalhar em uma boate de striptease", contou. "Eu fiquei com medo, mas o que eu ganhava em um fim de semana valia o mês inteiro de trabalho. Resolvi aceitar", disse.
Em menos de um ano, passou a ser um dos strippers mais assediados em São Paulo. Foi para o Rio de Janeiro, participou de um concurso nacional e conheceu o mundo do pornô. "Acabou sendo natural. Fiz revistas, depois recebi um convite para fazer um filme", conta. Ferreira utilizava o nome artístico de Juliano Ferraz, para filmes heterossexuais, e Júlio Vidal, para produções gays. 
O auge de sua carreira aconteceu entre 2002 e 2004. Na época, venceu um prêmio latino americano da categoria e, em 2002, foi o primeiro brasileiro a ser indicado ao AVN, o Oscar do pornô mundial.
"Eu nunca almejei isso. Eu queria dinheiro, comprar uma casa e dar tudo para o meu filho. Nunca achei espetacular. Automaticamente o cachê aumentou, mas foi por pouco tempo, porque em 2004 eu abandonei a carreira", conta.
Chegou a morar e trabalhar em Madri, Praga, Budapeste e São Petersburgo. Voltou ao Brasil em 2004, quando filmou "A Primeira Vez de Rita Cadillac", com ela como protagonista. Foi quando os problemas de saúde começaram.

'Bruno Surfistinha'

Seu sonho é ver as histórias que relatou no livro tomarem as telonas de cinema. "Mais ou menos como 'Bruno Surfistinha'", diz, se referindo à adaptação cinematográfica da biografia da garota de programa Raquel Pacheco. O filme foi dirigido por Marcus Baldini e estrelado por Deborah Secco em 2011.
 
"Minha história mostra que é possível recomeçar, mesmo quando todas as condições são adversas", conta. "É uma mensagem que vale para todos, desde drogados a criminosos. Eu sou um cara que estive na pornografia, já usei drogas e conseguiu vencer."
 
O pastor afirma que há uma glamourização excessiva da vida no mundo pornô. "Falam como se fosse uma coisa boa. Não é. Há prostituição, drogas, falta de respeito. Não é um mundo legal", conta.
 
Há dez anos, frequenta a igreja Assembleia de Deus. Foi auxiliar, diácono e presbítero antes de virar pastor, o que ocorreu em 2009.
 
Hoje, não ganha salário e vive da venda de seu livro e de outros livros religiosos. "Eu parei no auge da minha carreira, com 25 anos, e deixei tudo para atender um chamado. Meu único interesse na igreja é salvar almas."

Aluno de 15 anos esfaqueia professora em escola do Paraná

Do UOL, em Curitiba
  • Secretaria do Estado da Educação/Divulgação
    Professora foi agredida no Colégio Estadual Ivanete Martins de Souza
    Professora foi agredida no Colégio Estadual Ivanete Martins de Souza
Um aluno de 15 anos esfaqueou na manhã desta quinta-feira (4) a professora de inglês Ana Paula Marino dentro da Colégio Estadual Ivanete Martins de Souza, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. A mulher sofreu ferimentos no braço, na mão e também no tórax. Ela foi socorrida com o auxílio de um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal e encaminhada para o Hospital Angelina Caron.
Durante uma reunião entre pais e professores realizada nessa quarta-feira (3), Ana Paula teria chamado o estudante de indisciplinado. O garoto, ofendido, teria dito a alguns de seus colegas que queria assustá-la.
Por volta das 11h30 de hoje, o menino atacou a professora com uma faca, que foi deixada na sala de aula. Após cometer o crime, o aluno fugiu da escola.
O estudante foi encontrado pelo Polícia Militar na lavanderia de uma casa da região e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Piraquara. "Ele poderá ficar na delegacia por até cinco dias. Depois, o estudante será encaminhado à Delegacia de Polícia para Crianças e Adolescentes para aguardar a decisão de um juiz", disse um dos investigadores.
Em nota, a Secretaria de Estado da Educação afirma que lamenta o ocorrido e que presta assistência à professora e à família da vítima. Representantes da pasta e do Batalhão da Patrulha Escolar irão realizar uma reunião com a comunidade durante os próximos dias para prestar esclarecimentos e orientações sobre o episódio.
"A Secretaria de Estado da Educação esclarece que o fato ocorrido na escola é uma situação isolada e que, frente à totalidade do número de escolas da rede estadual, não representa a realidade existente na relação entre professores e alunos", esclareceu o órgão.

Ibope: maioria dos eleitores é contra casamento gay e legalização da maconha

Política

Ibope: maioria dos eleitores é contra casamento gay e legalização da maconha

Os homens são os que mais rejeitam o casamento entre pessoas do mesmo sexo: 58% deles são contra. Entre mulheres, são 49% contra e 44% a favor

Casamento gay ganhou força na campanha nesta semana
Casamento gay ganhou força na campanha nesta semana (Getty Images/VEJA)
Pesquisa Ibope revela que 79% dos eleitores brasileiros são contra a descriminalização da maconha, e apenas 17% a favor. Um placar semelhante envolve a questão do aborto: 79% são contrários à legalização e 16%, favoráveis. A maioria - ainda que por margem não tão larga - também rejeita o casamento gay: 53% a 40%. O tema da união entre homossexuais ganhou força na campanha eleitoral depois de a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, alterar o capítulo de seu programa de governo que tratava do tema. Aproveitando-se da repercussão do caso, a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) passou a defender a criminalização da homofobia em discursos.
O programa de governo da candidata do PSB trazia em sua versão original, divulgada na sexta-feira, a defesa do casamento do gay e do PLC 122, projeto de lei que criminaliza a homofobia. Após receber críticas de lideranças evangélicas, a campanha de Marina recuou e retirou o apoio formal às duas propostas, adotando uma redação mais genérica que se compromete em "garantir os direitos civis" dos gays.
Os homens são os que mais rejeitam o casamento entre pessoas do mesmo sexo: 58% deles são contra. Já entre as mulheres, são 49% contra e 44% a favor. Há faixas do eleitorado que são majoritariamente favoráveis à bandeira da comunidade gay: 51% entre os mais jovens, com idade entre 16 e 24 anos, e 55% entre os mais escolarizados, com curso superior. Já a legalização da maconha e do aborto não é defendida nem pelos mais jovens: 74% e 77%, respectivamente, são contrários.
A população está dividida em relação à pena de morte: 46% defendem a medida, e 49% a rejeitam. Já a redução da maioridade penal tem o apoio de oito em cada dez brasileiros. A pesquisa mostra ainda apoio significativo ao Bolsa Família, principal programa social do governo federal: 75% favoráveis e 22% contrários. Entre os que têm renda mensal de até um salário mínimo, a taxa de apoio chega a 90%. A privatização da Petrobras, bandeira levantada pelo candidato Pastor Everaldo (PSC), é rejeitada por 59% e aprovada por 22%.
(Com Estadão Conteúdo)

Com Lula, Dilma lança ofensiva para conter Marina no Nordeste

Eleições 2014

Com Lula, Dilma lança ofensiva para conter Marina no Nordeste

Principal foco de preocupação é Pernambuco, onde Dilma perdeu para Marina a 1ª colocação na preferência do eleitorado desde a morte de Eduardo Campos

Felipe Frazão
A presidente-candidata Dilma Rousseff, durante campanha em Belo Horizonte nesta quarta
A presidente-candidata Dilma Rousseff, durante campanha em Belo Horizonte nesta quarta (Douglas Magno/VEJA.com)
A presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) lança nesta quinta-feira uma ofensiva no Nordeste para conter o avanço na região de sua principal adversária na corrida eleitoral, a ex-senadora Marina Silva, candidata do PSB à Presidência. Pesquisa Ibope divulgada na quarta-feira mostra que Marina avançou cinco pontos na preferência do eleitor nordestino: ela tem 32% das intenções de voto na região, ante 48% de Dilma. O principal foco de preocupação é Pernambuco, onde Dilma perdeu para Marina a primeira colocação na preferência do eleitorado desde a morte do então candidato do PSB ao Planalto e ex-governador do Estado, Eduardo Campos. Na maratona desta quinta, a presidente terá a seu lado seu padrinho político e maior cabo eleitoral, o ex-presidente Lula. A dupla se dividirá para cumprir o roteiro de cidades a serem percorridas.
Dilma visitará à tarde um conjunto habitacional do programa Minha Casa Minha Vida em Fortaleza (CE). Ela também deve participar de uma caminhada ao lado de uma estação de tratamento de água na capital cearense. O Estado é governado pelo aliado Cid Gomes (Pros), egresso do PSB, e tido como um colégio eleitoral chave para que a petista mantenha a liderança no Nordeste.
Depois, Dilma fará um comício no começo da noite em Recife (PE), na favela Brasília Teimosa. Foi lá que o ex-presidente realizou um de seus primeiro atos de governo depois de eleito pela primeira vez, em 2003, ao lado de uma comitiva de ministros. A favela de palafitas recebeu recursos do governo federal para urbanização. Na primeira vez que viajam ao Recife desde o enterro de Campos, Dilma e Lula estarão ao lado do senador Armando Monteiro (PTB), candidato apoiado pelo PT ao Palácio do Campo das Princesas. O encontro terá a presença de Lula. Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta mostra que Monteiro está agora empatado com Paulo Câmara (PSB), afilhado político de Campos, na preferência do eleitorado. Desde o último levantamento, realizado entre os dias 12 e 13 agosto, Câmara cresceu 23 pontos porcentuais.
Antes de se juntar a Dilma em Recife, o ex-presidente deve visitar o eixo entre Juazeiro e Petrolina, às margens do Rio São Francisco. Nesta quarta, ele participou de comício em Salvador (BA) para alavancar a candidatura de Dilma e de Rui Costa (PT), candidato escolhido pelo governador baiano Jaques Wagner (PT) para sucedê-lo. Costa está atrás do candidato do DEM, o ex-governador Paulo Souto, na corrida eleitoral.
A passagem de Lula e Dilma no Nordeste também servirá para gravação de imagens do programa eleitoral na TV.​
Fonte: VEJA

No Sul, Marina enfrenta protesto de grupo LGBT

No Sul, Marina enfrenta protesto de grupo LGBT

Candidata do PSB à Presidência foi vaiada por um grupo que reclamou do capítulo do plano de governo que defendia o casamento gay

Marcela Mattos, de Esteio (RS)
Foto 1 / 10
AMPLIAR FOTOS
A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, durante campanha em Porto Alegre
A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, durante campanha em Porto Alegre - Ivan Pacheco/VEJA.com
A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, foi alvo de protesto nesta quinta-feira na Expointer, feira de agronegócio no Rio Grande do Sul. Durante caminhada no evento, Marina foi vaiada e chamada de “homofóbica” e “fundamentalista” por um pequeno grupo de manifestantes ligados ao movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais). Por causa do tumulto, a equipe da candidata seguiu a orientação da Polícia Federal, que agora faz a sua escolta, e decidiu cancelar a caminhada na feira – Marina e o vice, Beto Albuquerque, seguiram de carro em um trajeto de menos de cem metros.
A reação dos ativistas ocorre cinco dias após a candidata recuar do capítulo do programa de governo que apoiava o casamento gay. A versão inicial do programa apoiava propostas "em defesa do casamento civil igualitário" e "projetos de lei e a emenda constitucional em tramitação, que garantem o direito ao casamento igualitário na Constituição e no Código Civil". Menos de 24 horas após a publicação do documento, a campanha retificou o capítulo, prevendo apenas a garantia dos “direitos oriundos da união civil entre pessoas do mesmo sexo".
Questionada sobre o mal-estar com os manifestantes gaúchos, Marina desconversou. “Eu não rebato. Costumo dizer que prefiro sofrer uma injustiça do que praticar uma injustiça”, afirmou, ao repetir frase que se tornou bordão para qualquer assunto espinhoso. “Os brasileiros querem unir o Brasil e eu tenho repetido que eu quero oferecer a outra face. Para a face da incompreensão, a compreensão. Para a face de algumas mentiras que estão sendo ditas contra mim, a verdade. Para a face da mesmice, a esperança”, disse.
Sobre quais mentiras estariam sendo ditas sobre ela, Marina afirmou que está sendo propagandeado que ela vai acabar com o Bolsa Família – programa vitrine do governo petista. “Imagine uma pessoa que foi analfabeta até os 16 anos, que passou as agruras que eu passei no meio daquela floresta sem ter um delegado, um padre, um juiz, um médico, que teve cinco malárias e três hepatites, que viu a fome assolando a vida da família, se eu iria prejudicar as pessoas que fazem parte da minha origem. Essa é uma inverdade”, disse.
Marina disse ter respeito por todas as candidaturas e que não tem a pretensão de desconstruir nenhuma candidatura. Ainda assim, criticou a falta de um programa de governo dos principais adversários – a petista Dilma Rousseff e o tucano Aécio Neves. “Eu fico muito feliz que os nossos concorrentes estejam lendo o nosso programa de governo e fazendo cálculos Eu gostaria de estar fazendo o mesmo, mas eles ainda não apresentaram programas. Apresentaram apenas pontos genéricos e ainda não têm o compromisso de apresentar para a sociedade o que irão fazer”, afirmou.

Marina lidera em SP e no RJ; Dilma, em MG

Pesquisas

Datafolha: Marina lidera em SP e no RJ; Dilma, em MG

Segundo pesquisa, candidata do PSB tem 42% das intenções de voto no maior colégio eleitoral do país; presidente-candidata aparece em 1º na terra de Aécio

Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB), Marina Silva (PSB)
Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB), Marina Silva (PSB) (Divulgação/VEJA)
O instituto Datafolha pesquisou o desempenho dos presidenciáveis em seis Estados e no Distrito Federal. De acordo com o levantamento, realizado entre os dias 1º e 3 de setembro e divulgado nesta sexta-feira pelo jornal Folha de S. Paulo, Marina Silva (PSB) lidera com 42% em São Paulo, o maior colégio eleitoral do país. Entre os paulistas, Dilma Rousseff (PT) tem 23% das intenções de votos e Aécio Neves (PSDB), 18%.

Leia também:
Pesquisas mostram consolidação do embate entre Dilma e Marina
Em Minas, Aécio tenta salvar a campanha de Pimenta da Veiga. E a sua

A candidata do PSB também apresenta bons números no Rio de Janeiro, onde tem 37% da preferência do eleitorado. Dilma aparece em segundo, com 31%, e Aécio tem 11%. Outro colégio eleitoral onde Marina lidera é Pernambuco. Na terra de Eduardo Campos, a sucessora do ex-governador aparece com 46% das intenções de voto, contra 37% de Dilma. Aécio está em terceiro, com apenas 2%.

Minas Gerais – No Ceará, Dilma atinge o seu melhor desempenho entre os Estados sondados pelo Datafolha. Lá, a presidente-candidata lidera com 57% das intenções de voto, seguida de Marina com 24%. Aécio, novamente, aparece em terceiro, com 4%. O pior resultado para o tucano, no entanto, é Minas Gerais. No Estado em que foi governador por oito anos, Aécio aparece com 22%, atrás de Marina, com 27%, e de Dilma, que lidera com 35%. Como a margem de erro em Minas é de 3 pontos, o tucano e a candidata do PSB estão tecnicamente empatados.

Confira os resultados presidenciais do Datafolha em seis Estados e no DF:

São Paulo
Marina Silva (PSB) - 42%
Dilma Rousseff (PT) - 23%
Aécio Neves (PSDB) - 18%
Margem de erro: 2 pontos

Rio de Janeiro
Marina Silva (PSB) - 37%
Dilma Rousseff (PT) - 31%
Aécio Neves (PSDB) - 11%
Margem de erro: 3 pontos

Minas Gerais
Dilma Rousseff (PT) - 35%
Marina Silva (PSB) - 27%
Aécio Neves (PSDB) - 22%
Margem de erro: 3 pontos

Pernambuco
Marina Silva (PSB) - 46%
Dilma Rousseff (PT) - 37%
Aécio Neves (PSDB) - 2%
Margem de erro: 3 pontos

Rio Grande do Sul
Dilma Rousseff (PT) - 38%
Marina Silva (PSB) - 30%
Aécio Neves (PSDB) - 15%
Margem de erro: 3 pontos

Ceará
Dilma Rousseff (PT) - 57%
Marina Silva (PSB) - 24%
Aécio Neves (PSDB) - 4%
Margem de erro: 3 pontos

Distrito Federal
Marina Silva (PSB) - 33%
Dilma Rousseff (PT) - 23%
Aécio Neves (PSDB) - 20%
Margem de erro: 4 pontos
Fonte: VEJA

Em Pernambuco, Dilma sugere que Marina 'virou a casaca'

Nordeste

Em Pernambuco, Dilma sugere que Marina 'virou a casaca'

Em comício na terra de Campos, petista fez críticas indiretas à candidata do PSB, que integrou o governo Lula. Ex-presidente disse que Aécio 'já está fora'

Felipe Frazão, do Recife (PE)
04/09/2014 - A candidata do PT à reeleição, Dilma Roussef, o ex-presidente Lula e o candidato ao governo de Pernamabuco, Armando Monteiro, durante comício em Recife
04/09/2014 - A candidata do PT à reeleição, Dilma Roussef, o ex-presidente Lula e o candidato ao governo de Pernamabuco, Armando Monteiro, durante comício em Recife   (Alexandre Gondim/Folhapress)
Para evitar perder eleitorado no Nordeste, a presidente-candidata Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula fizeram na noite desta quinta-feira um comício à beira-mar em uma favela urbanizada no Recife (PE), a comunidade Brasília Teimosa. Foi a primeira vez que eles voltaram ao Estado em campanha após a morte do ex-governador Eduardo Campos, sucedido por Marina Silva na disputa. Coube ao padrinho político de Dilma expor a estratégia do comitê petista para os próximos trintas dias de campanha. Ele afirmou que o tucano Aécio Neves não está mais no páreo. "A única previsibilidade que se tem é que ele já está fora da disputa eleitoral de 2014 e não foi capaz de prever isso", disse ironizando o discurso do tucano, que promete governar com "previsibilidade" de regras na economia.

Leia também:
Campanha de Marina diz que programa passa por revisão
Lula sinaliza volta em 2008, tropica e desaba no palco
Paulo Câmara sobe 23 pontos e empata com Monteiro em PE

Nem Lula nem Dilma citaram nominalmente Marina e Campos, mas ambos fizeram críticas ao discurso dos pessebistas que ocuparam cargos no governo Lula. Por ter proximidade com ambos, o ex-presidente fez a ressalva de que não estava ali "para falar mal ou para ferir ninguém". É um sinal de recuo frente à ofensiva lançada pelo marketing da campanha de Dilma, que decidiu procurar o embate direto com Marina. "Estou vendo as pessoas falarem a palavra 'nova política', e a pessoa já foi vereadora, deputada estadual, federal, senadora. Se tem uma 'nova política' no país é a Dilma que nunca foi política", disse Lula.

Marina e seu antecessor, Eduardo Campos, foram alfinetados de forma indireta por Dilma e caciques petistas, como o senador Humberto Costa, o candidato ao Senado João Paulo, ex-prefeito de Recife, e pelo candidato ao governo pernambucano, Armando Monteiro (PTB), queperdeu terreno para o rival Paulo Câmara (PSB), afilhado político de Campos, na disputa estadual. A presidente afagou os cerca de 20.000 cabos eleitorais e militantes presentes, segundo a organização, e ainda adaptou o slogan de Campos, que virou mote da candidatura de Marina – "Não vamos desistir do Brasil". "Acreditei no Brasil minha vida inteira e não desiste dele nem quando fui presa e torturada, porque o nosso país é muito mais do que um bando de ditadores", disse. "Aprendi com Lula, um dos filhos mais queridos de Pernambuco, que sempre nos deu lideranças fortes, a ter verdadeira paixão por Pernambuco."

Vira-casaca – Dilma voltou a reprovar o programa de governo de Marina, acusando a rival de não priorizar o pré-sal, cujos recursos a presidente-candidata promete reverter para a educação. Dilma também repetiu a afirmação de que as propostas de Marina gerariam desemprego. Ela alfinetou os recuos no programa do PSB, que soltou erratas sobre a defesa dos direitos de homossexuais e da política de energia baseada em usinas nucleares. "Aqui nesse palanque estão as pessoas que não mudam de lado, que não viram a casaca, não dizem uma coisa hoje e outra amanhã", disse Dilma. "Não podemos aqui aceitar aqueles que negociam o emprego e o salário, numa pretensa, falsa política sem sustentação para enganar a população".

Dilma também alfinetou Campos, ao citar obras e investimentos no Estado que o ex-governador usava como vitrine eleitoral: como a Refinaria Abreu e Lima –  alvo de investigação da CPI da Petrobras –, estaleiros e a instalação da fábrica de automóveis da Fiat. "Tem muito cara de pau por aí. Quantas vezes vocês escutaram que a transposição do São Francisco foi feita por uma pessoa só? Não, a transposição começou com Lula e eu dei continuidade."

O coordenador da campanha de Dilma em Pernambuco, senador Humberto Costa (PE), questionou a falta de realizações de Marina. Ele também assumiu como do governo federal a "paternidade" de obras que Campos. "Pernambuco só se curva para agradecer. Existe um defeito que Pernambuco não tem que é o defeito da ingratidão. Quando eu olho essas pesquisas que dizem que Marina está na frente de Dilma eu custo a acreditar. Dou um prêmio a quem achar um tijolo que ela tenha botado aqui quando foi ministra".

Tragédia – Os únicos a citarem a queda do jatinho que matou Campos foram João Paulo e Armando Monteiro, que disputam cargos na chapa local. Eles tentaram dar como "encerrada" a comoção pela morte de Campos, após a qual os pessebistas Marina Silva e Paulo Câmara subiram nas pesquisas de intenção de voto. “Teve gente nessa batalha incansável que tentou se utilizar uma tragédia nacional para reverter o cenário eleitoral", acusou João Paulo. Ele também disse que os partidários de Campos "apropriaram-se de forma injusta e indecente" das obras em Pernambuco, "sem dar crédito" a Lula e Dilma.

Monteiro, que é candidato ao Palácio das Princesas e ex-aliado de Campos, preferiu um tom menos beligerante. "Pernambuco vive um momento especial, o momento de um povo que sabe reverenciar a memória de suas figuras públicas. Pernambuco sempre teve a compreensão que tem de reverenciar a memória de muitos, mas tem o compromisso de trabalhar olhando para frente."
Fonte: VEJA