Buscar

17 agosto 2014

Confira as fotos festa do município de Aracoiaba












Vejais mais fotos 
Fotos: Flávio Silva

Prefeitura de Aracoiaba encerra comemorações do aniversário do município em grande Estilo

Foto: Festa do Município de Aracoiaba Record de Público

Mais de 30 mil pessoas
http://ultimahoraaracoiaba.blogspot.com.br/A Gestão Aracoiaba Uma Cidade de Todos promoveu na noite do último sábado(16), a maior festa dançante da história do município. Em comemoração aos 124 anos de Aracoiaba, o Prefeito Antônio Claudio em parceria com à Jonas CampeloA3 Entretenimento e a 7 Tons, cumpre seu compromisso com o povo Aracoiabense e trouxe Solteirões do Forró, Mesa de Bar e Lagosta Bronzeada para apresentação na praça de eventos do município.
A Prefeitura de Aracoiaba ofereceu ainda uma mega estrutura de palco e iluminação, além de segurança e banheiros químicos. A festa que fechou as comemorações dos 124 anos de Aracoiaba gerou renda para a população, vendedores ambulantes, proprietários de bares, lanchonetes, restaurantes. Com um recorde de público, a festa encerrou-se as 7da manhã ao som da banda Lagosta Bronzeada. Um grande número de pessoas de outros municípios visitaram nossa cidade incrementando o turismo local, segundo informações o número chega em torno de 30 mil pessoas.
O ápice das comemorações do aniversário da cidade aconteceu na Praça de Eventos de Aracoiaba. O site Aracoiaba News, esteve presente no evento e traz com exclusividade todas as fotos e informações.
As festividades tiveram início na segunda, 11 de agosto, com Alvorada conduzida pela Banda Municipal, percorrendo diversas ruas da cidade. Presentes também toda a equipe de secretários e representação dos alunos das escolas municipais. Na ocasião, o prefeito Antônio Claudio fez questão de lembrar do novo momento vivido pelo povo Aracoiabense e do resgaste de valores e tradições do município.
“O nosso principal patrimônio é o povo de Aracoiaba, estamos trabalhando para devolver a este povo a sua história, os seus costumes, tradições e cultura”, destacou o prefeito.

Bruna Marquezine vai à praia em Los Angeles acompanhada

Bruna Marquezine vai à praia em Los Angeles acompanhada

A atriz estava com a amiga Stéphannie Oliveira, que viajou para os Estados Unidos com ela, e um rapaz neste domingo, 17.

Bruna Marquezine foi flagrada pegando um solzinho em uma praia de Los Angeles, na Califórnia, neste domingo, 17. A atriz estava acompanhada da amiga Stéphannie Oliveira, filha de Bebeto que viajou com ela, e de um rapaz. A atriz usou um biquíni preto cavado e mostrou o corpo em forma.
Bruna Marquezine (Foto: AKM-GSI BRASIL)Bruna Marquezine (Foto: AKM-GSI BRASIL)
Bruna Marquezine  (Foto: AKM-GSI BRASIL)Bruna Marquezine (Foto: AKM-GSI BRASIL)
Bruna Marquezine (Foto: AKM-GSI BRASIL)Bruna Marquezine (Foto: AKM-GSI BRASIL)
Fonte: EGO

Confira as fotos de Jéssica Alves - Playboy Agosto

RevistasGratis.ws

RevistasGratis.ws

RevistasGratis.ws

RevistasGratis.ws

RevistasGratis.ws

RevistasGratis.ws

RevistasGratis.ws

RevistasGratis.ws

RevistasGratis.ws

RevistasGratis.ws

Veja mais fotos clicando aqui

Morte do Cônjuge

Morte do Cônjuge


A morte do cônjuge é uma realidade que a grande maioria das pessoas tem de atravessar, mas assume perspectivas diferentes em cada situação particular: 
- pode acontecer no início da vida conjugal ou depois de muitos anos de união; 
- dar-se de forma repentina e inesperada ou após um longo período de sofrimento do parceiro; 
- pode ou não deixar filhos órfãos; 
- o casal pode estar junto ou separado e pode ter uma convivência muito boa ou muito má; 
- pode haver grande dependência emocional ou econômica de um em relação ao outro, etc. 

Afinal, lidar com a morte em geral é mais difícil quando se conviveu com a outra pessoa por longo tempo, seja qualquer forma de convivência que tenha havido. Imagine-se o que se passa, então, a um casal unido! A grande maioria das pessoas não escapará de enviuvar, mas reagirá à situação de maneiras distintas em cada caso específico. 
A morte de um dos parceiros que formam um casal em geral provoca um grande impacto no membro sobrevivente, com manifestações físicas e emocionais importantes e, não raro, patológicas. As primeiras reações à perda do companheiro, sobretudo se repentina, costumam ser de poderosa negação. O sobrevivente tem a sensação de que não aconteceu e que poderá ainda reencontrar o companheiro no cômodo ao lado ou tornar a vê-lo executando as tarefas de que tanto gostava. Esta fase de choque, ocasionada pela perda, pode durar horas ou dias, constituindo-se de atitudes de desespero, raiva, irritabilidade, amargura, isolamento e comportamentos emocionais irrazoáveis. 
Só aos poucos e com grande sofrimento o parceiro sobrevivente passa a tomar a perda como fato real. Muitas vezes ele conviveu com um longo período de doença, sofrimento do seu par e pode ter ido se “desligando” dele aos poucos e, em alguns casos, ter até mesmo desejado que sua morte fosse apressada. Tal reação, apesar de normal, pode desencadear posteriormente intensos sentimentos de culpa. 
A elaboração do luto posterior parece implicar numa separação gradativa da pessoa ausente e do seu modo de vida. Os rituais funerais e os outros ligados à morte parecem ter a finalidade de ajudar nesse processo. A missa católica de sétimo dia, por exemplo, à parte o sentido religioso que seja atribuído a ela, é uma importante etapa no encerramento desse processo e uma ocasião para que o sobrevivente receba o conforto e a solidariedade dos amigos. No entanto, embora esse procedimento pareça ajudar na elaboração e encerramento do luto, pode também desencadear recidivas de saudade e depressão que o recrudescem. 
Na verdade, esse luto não tem data para terminar, podendo durar meses ou anos e mesmo nunca acabar, na dependência das características individuais ou de fatores culturais. Em algumas aldeias interioranas portuguesas, as viúvas ainda hoje se vestem de preto o resto da vida. Normalmente, com o passar do tempo o cônjuge sobrevivente vai se desligando do morto e de seus antigos costumes, a menos que se envolva num luto patológico, de grande intensidade e duração indeterminada. Terminado o luto, muitos parceiros iniciam uma nova vida, em outras bases e muitas vezes se ligam novamente a outras pessoas, construindo uma vida feliz, embora sempre à sombra da morte ocorrida. Em resumo, tudo consiste na atitude assumida pelo sobrevivente de “permanecer no passado” ou “continuar a viver”.
O luto pelo cônjuge é complicado pelo fato de quase sempre atingir uma pessoa idosa, já sem condições de fazer grandes mudanças na vida. A depressão e a entrega impotente podem ser as piores reações, mas não são incomuns. 

Original em: ABC.MED.BR

Frase do dia

Olá Flávio!
Sol Frase do dia
Às vezes, pode mais a força de um sentimento do que de mil pensamentos juntos.
 
 
Abraços,
Equipe Frase do dia!

Velório de Campos deve reunir mais de 100 mil pessoas no Recife


Mais de 100 mil pessoas são esperadas no funeral do ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência pelo PSB Eduardo Campos, morto na quarta-feira em um acidente de avião em Santos (SP).

O enterro está marcado para as 17h de domingo, no cemitério de Santo Amaro, próximo ao centro do Recife. O político será enterrado ao lado do túmulo de seu avô, o ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes (1916-2005), no Cemitério de Santo Amaro.

O velório está sendo realizado no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo de Pernambuco, desde a madrugada de domingo. Campos governou o estado por dois mandatos, de 2006 a 2014, quando deixou o governo para se candidatar à Presidência.

Também estão sendo velados os corpos do jornalista Carlos Percol e do fotógrafo Alexandre Severo, que também morreram no acidente.

O PSB tem dez dias para apresentar um nome para substituir Campos. Na sexta-feira, a ex-senadora Marina Silva foi consultada de forma preliminar pelo PSB e, segundo a sigla, aceitou concorrer à Presidência no lugar de Campos. O PSB realiza uma reunião para anunciar sua decisão final na quarta-feira.

Trajetória

Campos, que tinha 49 anos, estava em terceiro lugar na corrida eleitoral, com cerca de 10% dos votos, de acordo com as pesquisas mais recentes. Estava atrás da presidente Dilma Rouseff (PT) e do senador Aécio Neves (PSDB).

Nascido em 10 de agosto de 1965 no Recife, Eduardo Henrique Accioly Campos era filho do poeta Maximiano Campos (1941-1998) e de Ana Arraes, atual ministra do Tribunal de Contas da União.

Campos era economista e o principal herdeiro político de seu avô, Miguel Arraes. 

Começou oficialmente na política em 1986, ao trabalhar na campanha de Arraes em sua segunda campanha ao governo de Pernambuco.

Em 1990, filiou-se ao PSB, pelo qual foi eleito deputado estadual no mesmo ano.

Aos 25 anos, sofreu sua única derrota eleitoral ao terminar em quinto lugar na disputa pela Prefeitura do Recife. 

"Era uma criança, um menino", disse em entrevista à revista Época no ano passado.

Em 1994, foi eleito deputado federal com 133 mil votos. Licenciou-se do cargo para ser secretário do governo Arraes em Pernambuco. Em 1998, foi reeleito deputado federal com 173,6 mil votos.

Foi ministro de Ciência e Tecnologia entre 2004 e 2006, durante o primeiro governo Luiz Inácio Lula da Silva. Era o mais jovem entre os ministros à época.

Presidência

Campos assumiu a presidência do PSB em 2005 e, no ano seguinte, licenciou-se deste cargo para concorrer ao governo de Pernambuco.

Foi eleito com 60% dos votos no segundo turno. Em 2010, foi reeleito com 83% dos votos no primeiro turno, o maior índice registrado entre todos os governadores eleitos naquele ano.

O político estava em campanha para as próximas eleições presidenciais e havia firmado aliança com a ex-senadora Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, que seria sua vice-presidente.

Campos vinha se apresentando como uma nova via da política nacional.

"Se a gente quer chegar a um novo lugar, a gente não pode ir pelos mesmos caminhos", disse em sua última entrevista, dada à Rede Globo na terça-feira.

Mesmo atrás nas pesquisas, acreditava que cresceria ao se tornar conhecido com o início da campanha na televisão.

"Minha eleição vai ser de fenômeno, vai ser de arranque na última hora", disse à revista Piauí.

Acidente

De acordo com a Aeronáutica, o jato em que estava Campos saiu do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto do Guarujá, em São Paulo. Quando se preparava para o pouso, por volta das 10h, o avião arremeteu devido ao mau tempo.

Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave. A Aeronáutica já deu início às investigações para apurar o que pode ter contribuído para o acidente, no qual morreram outras seis pessoas - o fotógrafo da campanha, um operador de câmera, dois assessores e os dois pilotos.

Campos era casado com a economista e auditora concursada do Tribunal de Contas do Estado Renata de Andrade Lima Campos, de 47 anos. Eles começaram a namorar ainda na adolescência.

Renata estava com a família em Recife no momento do acidente. Campos deixa cinco filhos.
Leia mais em: http://zip.net/bhpkqf

Mulher se emociona ao esperar na fila para visitar o caixão


Velório de Eduardo Campos

17.ago.2014 - Mulher se emociona ao esperar na fila para visitar o caixão do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, morto em um acidente de avião na última quarta-feira. O corpo está sendo velado no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual em Recife (PE) neste domingo (17) Ricardo Moraes/Reuters
Leia mais em: http://zip.net/bkpkkh

Charge

Charge

PSB sela acordo para lançar Marina

A negociação se acelerou após Marina Silva receber apoio público da família do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos
Brasília. O PSB superou as divergências internas e selou acordo para lançar Marina Silva à Presidência da República no lugar de Eduardo Campos. Ela concordou com a inversão da chapa e deverá ser anunciada oficialmente na próxima quarta-feira (20). O novo presidente do PSB, Roberto Amaral, era visto como último entrave ao acerto.
Sob forte pressão de correligionários, ele se convenceu a apoiar Marina, que disputou o Planalto em 2010 pelo PV. O PSB agora discutirá a indicação do novo vice na chapa presidencial. O deputado gaúcho Beto Albuquerque, candidato ao Senado, é cotado para a vaga.
"A candidatura de Marina contempla nosso projeto. Será uma solução de continuidade. O PSB indicará o novo vice", disse Amaral. Depois de uma reunião com Marina, o coordenador da Rede Sustentabilidade, Bazileu Margarido, confirmou que ela aceita disputar a Presidência. "Com o OK do PSB, ela está à disposição para ser a candidata", disse.
Por respeito à memória de Campos, o anúncio oficial da nova chapa só deverá ser feito três dias depois do enterro, programado para este domingo (17), em reunião da executiva nacional do PSB. A negociação se acelerou após Marina receber apoio público da família do ex-governador de Pernambuco.
Ex-ministro da Ciência e Tecnologia no governo Lula e considerado próximo ao PT, Roberto Amaral visitou Marina na sexta (15). Com seu aval, começou a consultar os governadores do PSB sobre a inversão da chapa.
Ele quer dar caráter coletivo à decisão e agora buscará entendimento sobre o vice até a reunião da executiva. Além de Albuquerque, são vistos como alternativas o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), o ex-deputado Maurício Rands (PSB-PE) e Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), ex-ministro da Integração Nacional no governo Dilma Rousseff.
Investigação
A investigação sobre a queda do o jato executivo que matou o candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, e mais seis pessoas, contará com uma equipe dos Estados Unidos. O grupo é formado por especialistas do National Transportation Safety Board (NTSB), a principal autoridade norte-americana de investigação de acidentes, e da Cessna Aircraft Company, o fabricante do avião.
Na noite de sexta-feira (15), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que os corpos das sete vítimas do acidente aéreo seriam liberados na tarde deste sábado. Os aviões da FAB com os restos mortais vão sair da Base Aérea de Cumbica, em Guarulhos. Na manhã deste domingo, às 10h, está marcada um missa campal em frente ao Palácio do Governo, em Recife, onde também vai ocorrer o velório.
Fonte: Diário

Fortaleza se mantém invicto ao arrancar empate ante o Cuiabá

Tiago Cametá não atacou muito no jogo contra o Cuiabá, mas tentou, em alguns momentos, cruzar a bola para os atacantes Robert e Waldison
Em jogo envolvendo os líderes do Grupo A da Série C, o Fortaleza arrancou o empate em 1 a 1 com o Cuiabá/MT, ontem, na Arena Pantanal, pela 11ª rodada da competição.
O resultado manteve o Tricolor, com 23 pontos, invicto na competição e segurou a distância de cinco pontos que o separa do segundo colocado, que é o próprio Cuiabá (18 pontos).
O Leão terá outro compromisso fora de casa no próximo dia 25, às 21h30, no Estádio Zinho de Oliveira, contra Águia de Marabá, pela 12ª rodada.
No jogo, o Cuiabá foi para cima e exerceu forte pressão durante todo o 1º tempo. Marcando forte, com os zagueiros sem perder viagem na caça aos tricolores. Os cearenses não conseguiam sair da marcação e todos os rebotes eram ganhos pela equipe mato-grossense.
Em momentos espaçados é que o Fortaleza tentava reagir. Após várias chances de gol do adversário, o Tricolor só mostrou algum perigo aos 7 minutos, em chute de Robert, que o goleiro William Alves espalmou.
O Leão conseguiu uma tabela organizada apenas aos 16 minutos, quando a bola veio de pé em pé até Edinho finalizar.
Sem marcação consistente no meio campo, o Fortaleza continuou sofrendo, até que Edinho rolou a bola para Corrêa, que chutou de longe, por cima.
Aos 36 minutos, o lateral-esquerdo Ruan driblou Tiago Cametá e chutou no canto esquerdo, marcando 1 a 0 Cuiabá.
O 2º tempo começou com o Leão do Pici procurando prender mais a bola. Com isso, Marcelinho conseguiu chutar uma bola de longe, para fora.
Um lance polêmico foi o suposto pênalti de Bogé em cima de Edinho. O volante do Dourado acertou o tornozelo do atleta tricolor na área e o árbitro nada marcou, mandando seguir.
O Cuiabá diminuiu o ritmo, enquanto o Fortaleza, tocando a bola, passou a ditar as ações. Aos 19 minutos, Edinho deu uma cabeçada certeira, após escanteio.
O Dourado teve um gol mal anulado por conta de um impedimento marcado. Mas logo em seguida, aos 33, Uilliam, que havia entrado no lugar de Guto, cruzou, Waldison dominou, chutou e empatou a partida.
b
C
Fonte: Diário