Buscar

15 julho 2014

Pior do que está, não fica?

Pior do que está, não fica?

Inimigos imaginários
Tiririca: xará goiano
Ainda que Cowboy Beleza, Paulinho da Refrigeração e Tomé do Pau Branco também sejam candidatos no Rio, os eleitores fluminenses obviamente não serão os únicos a encontrar bizarrices no horário eleitoral. São Paulo e Minas Gerais, os dois maiores colégios eleitorais do país, por exemplo, também têm suas pérolas.
Os mineiros podem optar pelos candidatos a deputado federal Dinho do Bar, Palhaço Freak, Mister M, Hie Hie e Ronaldinho, um sósia do jogador do Atlético-MG. Já os paulistas terão como opções à Câmara dos deputados, entre muitos outros, Magno – Ornitorrincos, Chico Loco, Tio do Doce, Dr. Verme e Battman.
Tiririca, o deputado federal mais votado do Brasil em 2010, tentará a reeleição, mas não será exclusividade do eleitorado paulista. Os goianos também terão um Tiririca para chamar de seu, candidato pelo PSL.
Por Lauro Jardim

Thiago Campelo apresenta despedidas no plenário da AL


O deputado Thiago Campelo (SD) fez pronunciamento nesta terça-feira (15/07), durante o primeiro expediente da Assembleia Legislativa, para  apresentar as despedidas do parlamento no semestre. O parlamentar também fez um balanço de suas atividades, no exercício do mandato. Entre estas, lembrou o debate sobre saúde mental, sobre a seca e perfuração de poços profundos, especialmente na região do Maciço de Baturité, e construção de açudes, todos de sua iniciativa.
Outros assuntos debatidos, conforme lembrou, foi  a necessidade de ajuda aos confeccionistas e pequenas facções, discussão sobre a maioridade penal e temas como escândalos na Petrobras e a realização da  Copa do Mundo no Brasil.
    
Thiago disse ainda que, em quatro meses, apresentou quase 30 requerimentos. Entre estes, a pedido de recuperação da rodovia CE-464, ligando o distrito de Antonio Diogo a Ocara; e da CE-356, ligando o triângulo de Baturité à estrada do Algodão. Também produziu requerimentos pedindo construção de açude e a concessão de carteira de habilitação popular para diversos municípios cearenses. 
    
O parlamentar ressaltou que também participou de diversos debates promovidos por outros deputados. “Agradeço também aos funcionários da Assembleia, aos colegas deputados pelo tratamento cordial e aos 16 mil cearenses que depositaram confiança, possibilitando a minha chegada ao Parlamento”, acrescentou. 
    
Thiago Campelo disse que espera ter cumprido o mandato de acordo com expectativas dos seus eleitores, “com 100 de assiduidade”, durante o  mandato.  
    
Entre os processos de votação realizados em plenário, lembrou o projeto que concedeu independência funcional e administrativa à Defensoria Pública, o da  criação do Fundo Antidrogas, e de cargos públicos nas áreas de educação e na Polícia Civil. 
    
“Ao entrar nesta Casa tive noções específicas e detalhadas do funcionamento do Legislativo e as coloquei em prática. Por isso, saio de cabeça erguida. Espero que em um futuro bem próximo todos os parlamentares recebam tratamento igual. Hoje em dia é muito difícil para um jovem sem muito poder aquisitivo entrar na política e continuar. Mas recebi o apoio para continuar”, afirmou.
    
Em aparte, a deputada Eliane Novais (PSB) disse que os que votaram nele tiveram o retorno que esperavam. “Assumiu o mandato e deu resposta a sua base, em Baturité e Aracoiaba. Isso demonstra que novas lideranças precisam surgir na política, a seu exemplo”, observou
    
O deputado Danniel Oliveira (PMDB) reconheceu o valor de Thiago: “sempre presente às reuniões e discutindo problemas importantes. Engrandeceu esta Casa e cumpriu a sua missão, dando orgulho aos seus pares, representando bem o Estado e sua região.”  
    
O deputado Roberto Mesquita (PV) disse que Thiago deverá ser reeleito na próxima legislatura. “É filho da liberdade e pertence a um momento da história muito rico, quando as informações chegam rapidamente e é fácil se projetar com a inteligência que tem, demonstrando vocação de liderança”, assinalou. 
 
Para o deputado João Jaime (DEM), a participação de Thiago engrandeceu a Assembleia, colaborando com os debates de forma “inteligente”. João Jaime também disse torcer pelo retorno do colega parlamentar. O deputado Antonio Carlos (PT) também parabenizou o orador, e afirmou que observou repercussões positivas na população de suas intervenções durante o período em que ocupou a cadeira de titular na Assembleia. “Essa Casa só ganhou com a sua presença”, garantiu.   

Fonte: AL

Técnico chileno recusa proposta da CBF, diz jornal

Manuel Pellegrini, técnico chileno do Manchester City
Manuel Pellegrini foi campeão inglês na última temporada pelo Mancheter City (Shaun Botterill/Getty Images)
Na onda de especulações envolvendo o substituto de Luiz Felipe Scolari na seleção brasileira, o jornal chileno El Mercurio publicou reportagem nesta terça-feira afirmando que Manuel Pellegrini, atual treinador do Manchester City, foi convidado a assumir o cargo. O treinador, chileno, de 60 anos, porém, teria recusado. "A CBF se aproximou de Manuel Pellegrini no domingo para ver qual a sua disponibilidade para dirigir o Brasil. Emissários da entidade fizeram uma proposta, mas ele tem dois anos de contrato com Manchester City e pretende cumpri-los. Nem se falou em dinheiro, já que descartou a proposta de imediato", afirmou uma pessoa envolvida nas negociaçõesm, segundo garantiu o diário.
O jornal chileno publicou também entrevista com o vice-presidente da CBF, Marcos Antonio Ferreira, que negou haver na CBF resistência à contratação de um estrangeiro. "Conheço Manuel Pellegrini, mas não sua filosofia de jogo. Ainda não definimos a busca por um substituto, mas o novo técnico terá de mudar a mentalidade e a maneira de atuar dos jogadores. A impossibilidade de ser um estrangeiro é um paradigma bobo. Precisamos de resultados."
De acordo com o Mercurio, o salário de Pellegrini no Manchester City seria o principal impedimento. O chileno recebe cerca de 5,5 milhões de dólares (cerca de 12 milhões de reais) por temporada. A reportagem ainda cita o português José Mourinho e o argentino Marcelo Bielsa como candidatos ao cargo. Na segunda-feira, a CBF confirmou a demissão do técnico Luiz Felipe Scolari e da comissão técnica. 
Foto 1 / 14
AMPLIAR FOTOS
O técnico Luiz Felipe Scolari durante coletiva de imprensa antes do jogo contra a Alemanha, em Belo Horizonte
O técnico Luiz Felipe Scolari durante coletiva de imprensa antes do jogo contra a Alemanha, em Belo Horizonte - Ivan Pacheco/VEJA.com



Filho se recusa a conversar com a mãe porque a considera muito feia

Internautas estão revoltados com a história de um homem na província de Zhejiang, na China, que não quis visitas sua mãe porque ele achava que ela era “muito feia” e que iria perder a credibilidade se fosse visto com ela.
Quando a mãe, de sobrenome Ding, soube que seu filho Xu tinha ganhado uma menina, ela telefonou para o filho dizendo-lhe que queria visita-lo e levar um pouco de comida para sua família. Ele concordou. No dia seguinte, Ding foi para o escritório do filho levando macarrão, presuntos, roupas caseiras, uma cesta de ovos e uma galinha viva, mas ele não lhe respondeu o telefonema e nem apareceu no local.
Ding passou a tarde vagando ao redor de Xiaoshan Motor City, onde seu filho tem uma empresa. Alguns funcionários da loja ligaram várias vezes, mas ninguém atendeu.
Filho não conversa com a mãe porque a considera muito feia
Ding recentemente tentou visitar filho Xu, que se recusou a recebê-la e fingiu viagem de negócios para não deparar com ela. Rapaz acha que sua imagem seria prejudicada se o vissem com a mãe.
Xu acabou respondendo às mensagens textos, dizendo que ele estava em uma viagem de negócios em Xiamen. Ding viajou de volta para casa com o coração partido.
11
Segundo Ding, ela e seu marido trabalharam duro para enviar o filho para uma universidade, mas ele quase não telefonou para a família e parou de visita-los depois que se formou. Ele disse para sua mãe não ir visitá-lo, porque sua feiura o deixaria constrangido.
Fonte: Shanghaiist 

Após 12 anos, Rodrigo Paiva é demitido como diretor de comunicação da CBF

Rodrigo Paiva foi suspenso por um joog; CBF vai recorrer
Rodrigo Paiva estava há 12 anos na CBF, mas acabou demitido após a Copa
Após 12 anos, Rodrigo Paiva não é mais diretor de comunicação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Ele foi demitido logo depois da dissolução da comissão técnica da seleção que participou da Copa do Mundo em casa.
Também deixaram a entidade Thiago Larghi (analista de desempenho), Paulo Paixão (preparador físico), José Luis Runco (médico), Carlos Pracidelli (preparador de goleiros), Flavio Murtosa (auxiliar), Luiz Felipe Scolari (técnico) e Carlos Alberto Parreira (coordenador).
Rodrigo Paiva se envolveu em polêmica durante a Copa ao ser acusado de agredir o atacante Mauricio Pinilla no intervalo da partida entre Brasil e Chile, no Mineirão. O assessor de imprensa foi suspenso por quatro partidas pela Fifa.
Em contato com o ESPN.com.br, Paiva diz sair satisfeito com seu trabalho, principalmente durante a Copa no Brasil. "Saio muito satisfeito com todo o trabalho desses 12 anos, de fazer parte da cobertura do maior evento do mundo, e fazer isso funcionar muito bem. Tudo funcionou, com exceção do resultado em campo".
O jornalista soube da sua demissão por um telefonema nesta manhã do secretário-geral da CBF, Julio Avelleda, três dias depois da morte de sua mãe, no sábado em que o Brasil perdeu a disputa de terceiro lugar para a Holanda. José Maria Marin e Marco Polo del Nero (atual e futuro presidentes da entidade) não entraram em contato.
"Prefiro não comentar", limitou-se a dizer Rodrigo Paiva sobre como foi comunicado.
Política
Rodrigo Paiva é assessor desde os tempos de Ricardo Teixeira. Desde a mudança no comando da CBF, conversas sobre a saída do jornalista passaram a ser frequentes. As previsões ganharam ainda mais peso quando Marco Polo Del Nero foi eleito para a sucessão de Marin - a nova gestão começa em 2015.
A notícia, no entanto, surpreendeu pelo momento. Mesmo os mais pessimistas em relação ao futuro do diretor de comunicação acreditavam que a demissão só aconteceria no ano que vem. Paiva nunca foi visto como o homem de confiança da dupla e, mais do que isso, ainda era conhecido por ser a pessoa do Teixeira na atual administração.

Canal do Ensino | Guia de Educação‏

Canal do Ensino | Guia Gratuito de Educação

Posted: 15 Jul 2014 06:00 AM PDT
Olá pessoal! O governo do Rio de Janeiro abriu 10.000 vagas em cursos grátis em meio ambiente, setor em constante crescimento e com boa oferta de empregos. Ao todo são 8 cursos online sobre cidadania...
Posted: 15 Jul 2014 05:30 AM PDT
Olá pessoal! A Fundação Getúlio Vargas (FGV) lançou um site gratuito com foco no Ensino Médio. No portal é possível encontrar aulas online e um banco com mais de 4 mil questões que seguem o modelo do...

4 entre 10 homens preferem assistir futebol na TV do que fazer sexo

Sexo e futebol: 4 em 10 homens preferem futebol
Foto: Divulgação
Uma pesquisa conduzida pela consultoria inglesa 72 Point, a pedido da marca de preservativos Durex, concluiu que, em época de Copa do Mundo, dois em cada cinco homens admitem que recusariam sexo para ver futebol na televisão. Realizada com 2 mil homens do Reino Unido no começo deste mês, os resultados se mostraram mais estranhos que o primeiro tempo entre Brasil x México:
40% dos homens recusariam sexo com suas parceiras para ver futebol.
37% fariam sexo, mas apenas se pudessem manter a TV ligada, com um olho grudado na tela.
42% dos entrevistados afirmaram que, caso estivessem fazendo sexo, tentariam apressar a relação para acabar logo e assistir ao jogo.
1 em cada 3 homens acha que um jogador fingir falta em campo é pior do que uma mulher fingir orgasmo.

Depilação íntima: saiba qual tipo os homens gostam mais

Qual será o melhor na opinião deles?
Foto: Bolsa de Mulher
Escolher o método de depilação íntima que mais combina com o tipo de pele é importante para garantir que a pele da região fique lisinha, hidratada e longe de irritações. Em relação ao tipo as mulheres também têm suas preferências, mas qual será o melhor na opinião deles?
Pesquisa realizada pelo site C-date com seus usuários levantou, no universo masculino, qual a preferência que eles têm quando o assunto é a depilação íntima feminina.
Segundo o levantamento, a depilação do tipo “lisinha” é a preferida por 68,05% dos homens. Os entrevistados afirmam que a versão da virilha sem pelos é mais atraente porque facilita a prática do sexo oral e o estímulo visual.
O tipo moicano, também conhecido como depilação bigodinho, que mantém apenas uma faixa de pelo é o segundo mais sensual na opinião deles, com 22,75% da preferência.
Apenas 4,75% disseram preferir depilações divertidas no formato de coração, estrela ou outros desenhos geométricos. Por fim, 4,45% dos homens entrevistados disseram que gostam das mulheres que não depilam a área íntima.

Mulheres fingem orgasmos para ter mais prazer, diz estudo

“mentira altruísta” foi a razão mais citada pelas mulheres para simular o clímax
Foto: Bolsa de Mulher
O senso comum nos diz que mulheres que fingem ter orgasmos o fazem para agradar seus parceiros. Do pouco que se estudou sobre o assunto, a teoria mais aceita é a de que elas, como um sinal de submissão ao homem, dão a falsa impressão de atingirem o clímax junto com eles em uma tentativa de reforçar a autoconfiança do parceiro e garantir a segurança do relacionamento. No entanto, um estudo recente oferece uma visão diferente sobre o tema.
É mesmo de se estranhar que, em uma sociedade onde as mulheres estão cada vez mais esclarecidas e escolhendo fazer sexo pelo próprio prazer, e não mais como uma forma de agradar o parceiro, 80% delas ainda finjam orgasmos. O estudo “A Escala de Fingimento de Orgasmo Para Mulheres: Propriedades Psicométricas”, publicado no Journal of Sexual Archives, analisou justamente as razões que levam esta grande maioria a enganar os parceiros e descobriu um fato que parece ir totalmente contra as crenças atuais sobre o assunto: é possível que as mulheres simulem orgasmos para tornar sua própria experiência mais prazerosa, e não como uma estratégia para “acabar logo com o sexo” ou alavancar o ego do homem.
Para testar a teoria, pesquisadores da Temple University e Kenyon College entrevistaram 481 mulheres heterossexuais com idade média de 20 anos e que eram sexualmente ativas, porém não estavam em um relacionamento sério. As participantes tiveram de indicar quanto cada um dos seguintes fatores influenciava sua decisão de fingir um orgasmo:
1 – Mentira altruísta (preocupação com os sentimentos do parceiro)
2 – Medo e insegurança (tentativa de evitar emoções negativas associadas à experiência sexual)
3 – Maior excitação (tentativa de aumentar o próprio tesão por meio do fingimento do orgasmo)
4 – Encerramento do sexo (fingir orgasmo para que o sexo termine)
Resultados
Enquanto “mentira altruísta” foi a razão mais citada pelas mulheres para simular o clímax, seguida por “medo e insegurança”, as participantes se mostraram mais propensas a fingir orgasmos como meio de sentir mais prazer na prática do que para acabar logo com o sexo (“encerramento do sexo”, ranqueado em último lugar).
Enquanto os dois primeiros resultados foram “dentro do esperado”, o escopo do estudo sugere que as mulheres estão mais preocupadas em atingir um final satisfatório do que simplesmente chegar ao final. Mais do que isso, ele mostra que elas estão mais empenhadas em buscar um resultado positivo do que simplesmente evitar um negativo, o que comprova que é errado presumir que todas as mulheres que fingem orgasmos são sexualmente insatisfeitas, já que isso pode ser uma estratégia utilizada justamente para aumentar a satisfação.
“Pela primeira vez, temos evidências quantitativas que sugerem que mulheres podem fingir orgasmos por razões muito mais ‘egoístas’, como aumentar a própria excitação”, afirmou o coautor do estudo Erin Cooper em entrevista ao jornal The Huffington Post. “A decisão de fingir o orgasmo por este motivo pode ter pouca ou nenhuma relação com o parceiro e sua experiência sexual. Eu vejo essa estratégia como uma das muitas ferramentas que mulheres usam para melhorar sua própria experiência sexual”, completou.
Sexo oral: um caso à parte
No entanto, nem todos os atos sexuais produzem as mesmas reações e ansiedades. Os pesquisadores pontuam que a motivação para simular o gozo durante a penetração pode ser diferente do motivo que leva ao fingimento durante o sexo oral.
Nesta última circunstância, o motivo mais apontado pelas mulheres foi “mentira altruísta”, mesma indicada como principal no caso da penetração. No entanto, em segundo lugar, apareceu a razão “para evitar inseguranças”, o que os autores acreditam ser muito mais uma escolha que mulheres fazem para aliviar a própria ansiedade durante o sexo oral do que um ato submisso decorrente de uma visão negativa do próprio corpo.

As dez maiores dúvidas sobre sexo anal respondidas

A prática do sexo anal é cercada de mitos e dúvidas.. Desde questões relacionadas ao prazer até o risco de contrair doenças, as perguntas são diversas. Para ajudar a desmistificar esta prática sexual, conversamos com o proctologista Alexandre Sakano e com o urologista, sexólogo e terapeuta sexual Celso Marzano, autor do livro “O Prazer Secreto” (Editora Eden).

1 - Por que os homens gostam tanto de sexo anal?
É justamente a relutância de algumas mulheres em aceitar o sexo anal que desperta a curiosidade dos homens. E tem a questão fetiche: a posição de dominação masculina é outro fator que contribui para a preferência deles. Além disso, o ânus é um orifício mais apertado que a vagina, e por isso a sensação do sexo anal é diferente da sensação do sexo vaginal.
2 - Posso contrair doenças fazendo sexo anal?
As chances de contrair alguma doença fazendo sexo anal sem proteção são grandes. O ânus é uma região muito contaminada pela presença de fezes, e essas bactérias são nocivas quando em contato com outras áreas do corpo. Além disso, a mucosa do reto é muito absorvente. Podem acontecer infecções e diversas doenças sexualmente transmissíveis (DST), tanto em quem penetra quanto em quem é penetrado. Para evitar doenças, o uso do preservativo é imprescindível, bem como lubrificante à base de água, que mantém a camisinha em bom estado e evita lesões na pele. E atenção: não pode usar a mesma camisinha para penetrar no ânus e depois na vagina. A camisinha infectada por bactérias pode causar problemas na mulher. Além disso, é preciso que homem e mulher lavem as partes íntimas após o sexo anal.
3 - Posso usar pomada anestésica para fazer sexo anal?
Não é recomendável. A pomada anestésica diminui a sensibilidade do ânus, causando perda parcial de controle – é arriscado não perceber um possível excesso de força na penetração. Vale lembrar que a pomada só anestesia a mucosa, mas não ajuda a relaxar o músculo do ânus, chamado esfíncter. O sexo anal só é bacana quando as duas partes querem fazer, com a mulher relaxada e descobrindo novas formas de excitação e prazer. Para evitar desconforto, a dica de sempre: lubrificante e carinho.
4 - Sexo anal engravida?
Não existe nenhuma possibilidade de engravidar fazendo sexo anal. Quando o homem ejacula, o sêmen vai para dentro do canal do reto, não há possibilidade de fertilização. Mesmo sem o risco de engravidar, é indispensável usar camisinha para fazer sexo anal, para evitar transmissão de doenças.
5 - Sexo anal pode causar câncer?
Sabe-se que alguns casos de câncer do canal anal estão relacionados ao HPV . O HPV é uma doença sexualmente transmissível causada por vírus. Ao fazer sexo anal sem camisinha, este vírus pode causar uma infecção na região anal. Em longo prazo, podem aparecer pequenas feridas decorrentes da infecção. Em alguns casos, se não for tratado, esse problema pode evoluir para um quadro de câncer. Para evitar qualquer tipo de problema é essencial usar preservativo e muito lubrificante à base de água. Mas a maior parte dos casos de câncer do reto e do canal anal não tem ligação com a prática sexual.
6 - O ânus pode se alargar depois de fazer sexo anal?
Não. A abertura do ânus é controlada por um músculo chamado esfíncter, que relaxa ou se contrai conforme a necessidade. O esfíncter não perde a força por causa do sexo anal. A única possibilidade de “alargamento” do ânus é caso o músculo se rompa, mas a prática de sexo anal não causa rompimento.
7 - Sexo anal causa hemorroidas?
Não. Hemorroidas são como varizes, veias da região do ânus que se dilatam. Algumas pessoas têm tendência a hemorroidas, e para essas pessoas a prática de sexo anal pode piorar a situação. Para quem já tem hemorroidas, o sexo anal pode ser desconfortável e causar dor e sangramento. Mas o sexo anal não é causador de hemorroidas.
8 - Posso alternar entre sexo anal, oral e vaginal?
É muito perigoso fazer sexo oral ou vaginal depois de fazer sexo anal. O que é penetrado no ânus não deve ser penetrado em nenhum outro lugar, pois os resíduos de fezes e secreções são muito contaminados. E não basta trocar o preservativo, já que as secreções podem se espalhar pela base do pênis e pelos testículos. Depois do sexo anal, se o casal desejar continuar transando, tem de lavar as partes íntimas cuidadosamente, com água e sabão.
9 - Como evitar que apareçam resíduos fecais ou flatulência durante ou depois da relação?
Para diminuir a possibilidade de aparecerem resíduos fecais o ideal é evacuar antes da relação sexual e fazer uma boa higienização da área anal. Além disso, é possível fazer uma lavagem do canal anal, usando enema, um produto vendido em farmácias. A lavagem caseira, feita com “chuveirinho” não é adequada, pois pode causar danos ao canal anal. A flatulência é mais difícil de evitar. Acontece porque durante a relação sexual a musculatura do ânus fica relaxada, e com os movimentos de vai e vem pode entrar ar no reto, causando flatulência.
10 - É possível sentir prazer com sexo anal? Qual a melhor posição?
É possível, e há mulheres que alcançam o orgasmo com penetração anal – minoria total. Para o sexo anal ser prazeroso para a mulher, é importante que seja feito sem pressa e com muito cuidado. O parceiro deve começar introduzindo o dedo no ânus, usando bastante lubrificante, para o relaxamento do esfíncter. A mulher deve estar relaxada e confiante antes da penetração. Ao mesmo tempo em que acontece a penetração anal o parceiro deve estimular seu clitóris, seus seios, ou a mulher mesmo pode se masturbar. Uma posição recomendada é a “colher”, em que a mulher fica deitada de lado e de costas para seu parceiro. Esta posição costuma ser mais confortável para a mulher do que a popular “cachorrinho”.

5 atividades sexuais “depravadas” que são boas para sua saúde

Se você é daquelas pessoas que nem consegue dizer a palavra “sexo” sem ficar vermelha, não prossiga. Nesse artigo, vamos falar de tudo que as pessoas acham “tabu”, “depravado” ou “estranho”, e daí vamos piorar a situação afirmando que a ciência diz que isso é bom pra você.
5. SDSM é bom para a sua saúde psicológica

SDSM é um acrônimo para a expressão “Submissão e Disciplina, Sadismo e Masoquismo”, um grupo de padrões de comportamento sexual humano (…que faz algumas pessoas contorcerem o rosto em desaprovação). No entanto, dizem os estudos científicos, pessoas que curtem SDSM são psicologicamente mais saudáveis do que as pessoas que não praticam nenhum desses comportamentos. Os fãs de SDSM são mais extrovertidos e abertos a novas experiências, além de menos neuróticos, ansiosos e paranoicos. Eles também são mais seguros em seus relacionamentos, mas isso pode ser porque os seus parceiros estão acorrentados na cama (espero que vocês tenham entendido que isso foi uma piada e não tentem o mesmo em casa).
4. Poliamor torna os relacionamentos mais fortes

“Poliamor” é uma palavra grega chique para “relação aberta” (também conhecida como “fazemos o que queremos, mas nos amamos”). A ciência diz que as relações poliamorosas são boas para os casais porque exigem bastante diálogo, que é a parte mais importante de um relacionamento. Honestidade, transparência e comunicação são pilares nas relações poliamorosas. O ciúme também é quase inexistente. No entanto, mesmo quando esse sentimento aparece, casais em relações poliamorosas conversam para descobrir o que está lhes incomodando e negociam limites.
3. Sexo casual é bom (se você fizer isso pelas razões certas)

Sexo casual é um grande tabu na sociedade hoje – as mulheres taxadas de “vagabundas” que o digam. Mas a ciência diz: “Foda-se o que os outros acham”. Literalmente. De acordo com essa grande mestre do universo, fazer sexo é bom para você se você está fazendo sexo porque quer. Simples assim. Sexo casual é ruim para você se você está fazendo isso para esquecer sua própria falta de autoestima e sentimentos de inadequação. Mas se você só gosta de esfregar seus órgãos genitais em outras pessoas, então isso é de fato bom para a sua autoestima. Não parece uma distinção óbvia?
2. Fazer sexo “naqueles dias” alivia cólicas menstruais

Apesar de praticamente todas as mulheres do mundo usarem o fato de estarem menstruadas como uma razão para não fazer sexo, não há nada que apoie a ideia de que sexo não pode ser feito durante o período de menstruação. Na verdade, pode ser bom para as mulheres. Segundo a ciência, “partir o mar vermelho” pode ajudar a aliviar os sintomas mais desconfortáveis do ciclo menstrual, porque “as contrações do orgasmo no útero agem como uma massagem interna reconfortante”. Então pare de ser nojenta (ou nojento, se for o homem que não quiser encarar a situação), forre o local escolhido com uma toalha, e proceda como de costume.
1. Masturbar faz MUITO bem para a saúde

A comunidade científica é fã da masturbação. Segundo eles, ela é boa para os homens porque protege contra o câncer de próstata, e para as mulheres é incrível porque faz de tudo, como ajudar a prevenir infecções do colo do útero e a aliviar infecções do trato urinário, melhorar a saúde cardiovascular e diminuir o risco de diabetes tipo 2, além de trabalhar contra a insônia, através da liberação de hormônios. É importante notar também que a masturbação melhora o humor, e ser feliz faz você viver mais. Em suma, masturbação não deveria associada a nerds adolescentes desajeitados, mas sim com uma vida perfeitamente saudável e feliz.