Buscar

09 junho 2014

Jovem se revolta com atitude de porteiro e reacende discussão sobre cantadas

Jovem se revolta com atitude de porteiro e reacende discussão sobre cantadas

A estudante Yasmin Ferreira cansou de receber cantadas indecentes de um porteiro, no Rio de Janeiro e brigou com o rapaz. Ele nega que tenha se referido a ela de forma desrespeitosa. O caso fez voltar à tona uma discussão polêmica sobre a reação das mulheres a esse tipo de comportamento. Veja!

Saiba mitos e verdades sobre os alimentos afrodisíacos

Saiba mitos e verdades sobre os alimentos afrodisíacos

No Dia dos Namorados, comer pratos que podem dar animação extra ao casal é uma boa pedida 

O Dia dos Namorados está chegando! Muitos casais comemoram a data com um belo jantar romântico. Para apimentar a relação, uma boa pedida para o dia são os alimentos afrodisíacos. Mas será que este tipo de comida realmente faz efeito? Quais são os pratos mais indicados para uma refeição antes dos momentos mais íntimos?  

A crença popular prega que vários alimentos são capazes de proporcionar uma animação extra para o casal. Alguns deles são pura lenda, como o figo. Mas outros dão um efeito diferente no corpo humano. O morango, por exemplo, aumenta a liberação de adrenalina. Já a pimenta ativa a circulação e aumenta a vasodilatação, deixando a pessoa mais sensível e agitada, assim como outras especiarias, como o cravo da índia, a canela e a noz-moscada.   

A nutricionista Paula Castilho explica:  

—Todos esses alimentos têm uma substância termogênica que aumenta o nosso metabolismo e a disposição. Então são considerados afrodisíacos.  

Os afrodisíacos são divididos em quatro grupos. Um deles são os vasodilatadores, que aumentam a circulação sanguínea, principalmente na região genital. Esta lista inclui, além dos temperos, as frutas vermelhas, o suco de uva integral e o vinho tinto. Também existem os termogênicos, responsáveis por aumentar a temperatura corporal, que ajuda na libido. Os mais conhecidos são o café, o gengibre e o pó de guaraná.  

Alguns alimentos literalmente dão prazer — liberam serotonina, neurotransmissor que dá sensação de bem-estar — como frutas secas, mel e chocolate. E também existem pratos que aumentam a produção de hormônios sexuais (testosterona, para o homem, e estrógeno, para a mulher), pois têm grande quantidade de zinco e vitamina E.

Saiba mais na matéria especial do Domingo Espetacular:  
 

Chega de Fiu Fiu: resultado da pesquisa

Chega de Fiu Fiu: resultado da pesquisa

Onde você já recebeu cantadas? (era possível selecionar mais de uma opção)Na rua  98%
No transporte público  64%
No trabalho  33%
Na balada  77%
Em lugares públicos: parques, shoppings, cinemas  80%
olga onde ja recebeu cantada
Você acha que ouvir cantada é algo legal?
Sim 17%
Não 83%
olga voce acha que ouvir cantada é algo legal
Você já deixou de fazer alguma coisa (ir a algum lugar, passar na frente de uma obra, sair a pé) com medo do assédio?Sim 81%
Não 19%
olga voce deixou de fazer algo com medo de assedio
Você já trocou de roupa pensando no lugar que você ia por medo de assédio?Sim 90%
Não 10%
olga voce ja trocou de roupa por medo de assedio
Você responde aos assédios que ouve na rua?
Sim 27%
Não 73%
olga voce responde ao assedio
Se sim, como?
SeSim
Se não, por quê?
SeNao (1)
Quais cantadas você já ouviu em espaços públicos?  (era possível selecionar mais de uma opção)Linda  84%
Gostosa  83%
Delícia  78%
Fiu fiu  73%
Princesa  71%
Nossa senhora  64%
Ô lá em casa  62%
Boneca 47%
Vem cá, vem  44%
Te pegava toda  36%
Te chupava toda  36%
Outros  4%
olga voce ja ouviu alguma dessas cantadas
Se você já recebeu cantadas indiscretas no trabalho, de quem foi?  (era possível selecionar mais de uma opção)De um superior  13%
De um colega  21%
De um cliente  14%
De um funcionário  9%
olga cantada no trabalho
Que tipo de cantada você já ouviu no ambiente de trabalho?
trabalho
Você já foi assediada na balada?Sim 86%
Não 14%
olga voce ja foi assediada na balada
Já tentaram te agarrar na balada?Sim 82%
Não 18%
olga ja tentaram te agarrar na balada
Se sim, como?  (era possível selecionar mais de uma opção)Pelo braço 68%
Pelo cabelo 22%
Pela cintura 57%
Outros 4%
olga corpo agarrar na balada
Já passaram a mão em você?Sim 85%
Não 15%
olga ja passaram a mao em voce
Se sim, onde?  (era possível selecionar mais de uma opção)Peitos 17%
Bunda 73%
Cintura 46%
No meio das pernas 14%
Outros 4%
olga ja passaram a mao onde
Você já foi xingada porque disse não às cantadas de alguém?Sim 68%
Não 32%
olga voce ja foi xingada porque disse nao as cantadas
Se sim, do quê?  (era possível selecionar mais de uma opção)Metida 45%
Baranga 16%
Gorda 13%
Feia 23%
Mal-comida 25%
Outros 17%
olga xingamentos
Por favor, conte um episódio de cantada que ficou marcado na sua lembrança (alguns exemplos):
  • Um dia saí de casa para buscar fotos que eu havia mandado revelar. Era um dia frio e eu estava bastante agasalhada, nada estava amostra. E mesmo assim, por onde eu passava homens me observavam com olhares maliciosos, comentários baixos de desmerecimento e um deles até chegou a dizer “Ai, se essa buceta estivesse na minha cama”.
  • Em um bota fora da faculdade um menino tentou me agarrar fazendo uma chave de pescoço, enquanto dizia que eu era linda.
  • Em uma balada um menino passou a mão em minha bunda, por baixo da saia.
  • Eu tinha uns 11 anos. Era carnaval, as ruas cheias. Eu era uma criança. Lembro que estava de shorts não muito curto e uma camiseta. Um homem passou a mão em mim e acariciou meu cabelo dizendo: “Fooooofa” mostrando a língua depois.
  • Já estava perto de dobrar a esquina (da rua onde moro), à noite. Um cara vinha na direção contrária a minha. Quando chegou perto de mim, falou baixo: “Quer chupar meu pau?”. Pensei logo q seria estuprada, pq a esquina da minha rua é bem deserta e tal.
  • Eu estava voltando para casa, a pé. A rua estava praticamente vazia no ponto onde me encontrava e ao meu lado, uma motocicleta reduziu a velocidade. O motoqueiro ficou dizendo frases como “sobe aqui e eu te mostro como se trepa”, “meto em você todinha, delícia”. Fiquei constrangida e assustada, decidi ignorar o motoqueiro e ele foi embora sem que eu o olhasse. Tive medo de ser estuprada.
  • Eu tinha dez anos, estava andando de bicicleta e um cara, que veio andando de bicicleta, passou do meu lado e apalpou a minha bunda. Fui para casa chorando, corri falar com os meus pais chorando muito. Eu tinha me sentido invadida, mas não tinha entendido direito o que havia acontecido.
  • Andando na rua as 19 da noite em frente ao shopping Patio Savassi, eu, com 16 anos, ignorei um grupo de homens que me assediaram com palavras e levei um tapa com muita força na bunda. Chorei de dor e humilhação.
  • Ouvi um cara começar a me chamar de gostosa na rua e ignorei. De repente, o cara veio se chegando pro meu lado no ponto de ônibus, com o pau pra fora, batendo uma punheta pra mim, me chamando de gostosa. Entrei no primeiro ônibus que encostou, nem vi para onde ia, só pra fugir do safado. Quando cheguei em casa chorando, minha mãe perguntou o que tinha acontecido. Depois que contei, ela perguntou: “E o que você fez pra provocar o homem, ele não colocou o pau pra fora à toa”. Depois disso, nunca mais contei nenhum episódio de assédio, abuso ou qualquer outra coisa pessoal que aconteceu comigo.
  • Um cara de bicicleta invadiu a calçada na qual eu caminhava tranquilamente, à noite, e passou a mão nos meus seios.
  • Estava num show de rock e alguém enfiou o dedo na minha bunda. Eu tinha 15 anos. Parece até engraçado falar assim, mas foi traumático e doentio.
  • Andava a pé até a academia quando tinha 15 anos. Como, com o tempo, comecei a ficar muito incomodada com as cantadas, olhares, motoqueiros buzinando, acabei decidindo que ia colocar uma calça moletom e camiseta por cima da roupa de academia. Com isso, as cantadas imediatamente pararam, mas eu passava muito calor com 2 roupas, andando na rua em dias de sol.
  • Uma vez um sujeito masturbou-se ao meu lado no ônibus. Fiquei tão em choque que só tive a reação de sair do local desesperada. Não consegui gritar, nem fazer um escândalo.
  •  Era nova, mais ou menos 16 anos, estava passando por uma rua sozinha e me deparei com um grupo de homens torcedores de algum time que não me lembro (estava num bairro próximo a um estágio em Belo Horizonte, num dia de jogo). Eles começaram a me “cantar”, de repente estão passando a mão em mim, pelo menos uns quatro homens me empurrando. E eu desesperada saí andando rápido, tentando me soltar. Foi desesperador… Senti um medo real de me estuprarem coletivamente.
  •  Estava andando despreocupada, com fones de ouvido. Eram 17 horas e a rua estava bem movimentada, inclusive com vário pedestres fazendo caminhada. Um homem de moto diminui a velocidade ao passar por mim e enfiou a mão no meio das minhas pernas, de uma forma totalmente brutal. Fiquei assustada e o xinguei. Demorei uma semana para esquecer a sensação daquela mão no meio das minhas pernas.

Roupas não justificam o estupro

Leia mais:


ARTE
Karina Pütz tem no sangue a arte do desenho. O avô pintava durante a 2ª Guerra e passou para o filho o gosto pelas artes, pela beleza das cores e do criar. Mesmo tendo tudo isso a seu favor passou muito tempo escondida. Hoje finalmente busca espaço para deixar escoar todas as cores, formas e emoções guardadas lá dentro.

Campanha - Chega de Fiu Fiu

Chega de Fiu Fiu

CHEGA DE FIU FIU é uma campanha contra o assédio sexual em espaços públicos.
Quando transformamos em coisa rotineira o fato da mulher não ter espaços privados – nem mesmo serem donas do seu próprio corpo -, incentivamos a violência. E isso NÃO é normal. Vamos reforçar nossa luta contra o assédio, afinal, temos o direito andar na rua sem medo de sermos intimidadas. Para isso, manteremos o debate sobre assédio sexual vivo e frequente. 
Nesta página, vamos publicar material contra a intimidação – ilustrações feitas pela designer Gabriela Shigihara. Divulgue, espalhe, crie oportunidades de debates… Retome sua voz!
Se quiser contribuir com sua história, escreva para olga@thinkolga.com. Publicaremos as opiniões e experiências dos leitores na seção DEPOIMENTOS.
Veja o resultado da nossa PESQUISA sobre assédio.
Nos ajude a mapear os casos de violência contra a mulher com o MAPA CHEGA DE FIU FIU.
fiufiu4
fiufiu3 (1)
fiufiu2
fiufiu1

infografico chega de fiu fiu
(Infográfico com os resultados da Pesquisa Chega de Fiu Fiu por Flávio Bezerra, para a FutureChallenges.org)

Teste de Fidelidade - FULL HD - Completo - 08/06/2014


Academia Feminy Fitness - Novas Instalações confira!!

Academia Feminy Fitness novas instalações
localizada próxima a Igreja Matriz de Aracoiaba.















Prouni - Clique aqui e faça sua Inscrição



‪#‎ProUni‬: Para esta edição, são oferecidas 115.101 bolsas de estudos em instituições particulares de educação superior.

Cerimônia coletiva oficializa união de 30 casais gays


Cerimônia coletiva oficializa união de 30 casais gays

Cerimônia foi na Cidade da Criança. Com a união civil, cônjuges têm garantidos direitos a heranças e adoção
“Que o amor sempre vença todos os desafios e todas as barreiras. Que seja a grande revolução”, foram as palavras do juiz de paz Hamilton Fernandes, do Cartório do Registro Civil Distrito Mucuripe, durante o casamento de 30 casais homoafetivos na tarde do sábado, 7. No ato coletivo, 23 casais de lésbicas e sete casais gays oficializaram a união civil em meio a sorrisos, lágrimas, promessas e trocas de aliança. A cerimônia ocorreu no anfiteatro da Cidade da Criança, no Centro.
Vestido branco, flores e arranjos no cabelo. O visual foi caprichado para celebrar uma história que começou há seis anos. “Foi amor à primeira vista”, lembra Jose Meiry Barroso, 35, sobre o dia em que viu Eteile Silva, 28, no Theatro José de Alencar. Duas semanas depois, já estavam morando juntas. E comemoraram cada passo conquistado. Há dois anos, formalizaram a união estável homoafetiva. Neste fim de semana, foram declaradas oficialmente casadas. “Ficamos muito ansiosas”, dizia Eteile ao sorrir para as fotos.

Juliana e Jairo ficam nas mãos de assaltante

Juliana e Jairo ficam nas mãos de assaltante

Malandro mostra coragem ao defender Juliana e a impressiona


Juliana e Jairo são surpreendidos por assaltante  (Foto: Em Família / TV Globo)Juliana e Jairo são surpreendidos por assaltante (Foto: Em Família / TV Globo)
De tanto Juliana (Vanessa Gerbelli) insistir, Jairo (Marcello Melo Jr.) acompanha a esposa no curso de gestantes. Enquanto os casais acompanham as aulas, o malandro boceja e não vê a hora de sair dali. Mas, quando ele menos espera, a porta da sala se abre e surge um assaltante armado correndo da polícia. Aquela confusão!

Silvia e Verônica disputam Cadu e dão show de alfinetadas

Silvia e Verônica disputam Cadu e dão show de alfinetadas

Pianista leva o chef para o consultório da médica e se desentende com rival


Verônica acompanha Cadu em consulta médica (Foto: Em Família/ TV Globo)Verônica acompanha Cadu em consulta médica (Foto: Em Família/ TV Globo)
Depois de se sentir mal no bistrô, Cadu (Reynaldo Gianecchini) recebe todo o cuidado de Verônica(Helena Ranaldi) e vai, acompanhado, para o consultório de Silvia (Bianca Rinaldi). Ao verificar que está tudo bem com o chef, a doutora ainda pede que ele se poupe e não se esforce tanto. A pianista, então, logo se coloca à disposição para ficar de olho no bonitão.

Marina e Clara trocam carícias

Marina e Clara trocam carícias

Mãe de Ivan fica mais solta diante da fotógrafa durante um jantar


Clara e Marina jantam juntas em shopping (Foto: Raphael Dias / TV Globo)Clara e Marina jantam juntas em shopping (Foto: Raphael Dias / TV Globo)
O clima esquenta entre as duas que brincam com os pés por debaixo da mesa (Foto: Raphael Dias / TV Globo)Clima esquenta entre as duas
(Foto: Raphael Dias / TV Globo)
Parece que o clima entre Clara (Giovanna Antonelli) e Marina (Tainá Müller) vai esquentar de vez! A dupla decide jantar no restaurante de um shopping, onde a fotógrafa fica feliz ao ver a amada mais solta perto dela. Clara usa um discurso de que resolveu estar mais disponível para si mesma. Neste meio tempo, Marina não perde tempo e começa a fazer carinhos no pé da mãe de Ivan (Vitor Figueiredo) por debaixo da mesa. Elas se olham e ficam sorrindo.

Marina tenta seduzir Clara

Marina tenta seduzir Clara

Em clima de intimidade, as duas trocam confidências sobre a vida

Marina e Clara trocam carícias (Foto: Felipe Monteiro / TV Globo)Marina e Clara trocam carícias (Foto: Felipe Monteiro / TV Globo)
A relação de Marina (Tainá Müller) e Clara (Giovanna Antonelli) está cada vez mais intensa e, num clima de total intimidade, as duas trocam carinhos enquanto estão deitadas e desabafam sobre os problemas que têm tido.

Antonia Fontenelle desabafa em rede social: "Quem me machuca, me faz mais forte"

Antonia Fontenelle desabafa em rede social: "Quem me machuca, me faz mais forte"

A atriz apareceu nas redes sociais em um desabafo após seu ex-namorado, o jogador Emerson Sheik, ter aparecido andando ao lado de uma loira no Rio de Janeiro

Antonia Fontenelle resolveu desabafar nas redes sociais na madrugada desta segunda-feira, 9.
"Para a legenda a seguir, acho que não tem imagem mais adequada: 'Se você quer brincar e acha que com isso estou sofrendo, se enganou meu bem, pode vir quente que eu estou fervendo'. Quem me machuca, me faz mais forte. Quem me critica, me faz mais importante. Quem me inveja, me faz valiosa", escreveu a atriz na legenda da imagem em que aparece fazendo um gesto obsceno com o dedo do meio.
Além de citar a canção conhecida de Erasmo Carlos, Fontenelle parece ter mandado um recado para o ex-namorado, o jogador Emerson Sheik, que apareceu neste domingo, 8, caminhando na praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, ao lado de Andressa Quintanilha.
A loira de 21 anos foi eleita Miss Cidade de São Paulo, em 2013, e já apareceu ao lado do atleta desde abril.
Tags relacionadas: Antônia Fontenelle | atualidades
Notícia publicada Seg, 9 Jun 2014 as 08:07, por CARAS Digital.
Fonte: http://caras.uol.com.br/atualidades/antonia-fontenelle-desabafa-em-rede-social-quem-me-machuca-me-faz-mais-forte#.U5WcMnJdV_Q