Buscar

08 dezembro 2014

Revivaolta na eleição para presidente da câmara de Baturité

Os bastidores para a formação da nova mesa diretora da Câmara municipal de Baturité estão, cada vez mais, efervescentes, à medida em que se aproxima o pleito do dia 16 deste mês de dezembro.
A nossa reportagem recebeu informações dando conta que nada está definido, principalmente no que concerne à escolha do nome que vai presidir o poder legislativo mirim, a partir de primeiro de janeiro de 2015.
Como é do conhecimento de todos, o grupo formado pelos vereadores Luciano Furtado ( foto ), Irmã Edleuza, Gildo Barros, Valdim, Niltinho, Marcelo Cardoso e Herberle Mota lançou uma chapa para concorrer ao pleito do dia 16, tendo como candidata a presidente da mesa a vereadora Irmã Edleuza. Por outro lado, o bloco situacionista liderado pelo atual presidente do poder, vereador Renaldo Braga, lançou a vereadora Simony, para enfrentar a irmã Edleuza, na disputa pela presidência da casa legislativa do município de Baturité.
Articulações e conversações foram feitas até aqui visando se chegar a um nome de consenso para comandar as ações legislativas de Baturité. A vereadora Simony, a princípio, seria este nome de consenso, já que fora eleita de forma independente e não tem tantas ligações com nenhum grupo político. A candidatura de Simony encontrou resistências no seio da oposição, principalmente por parte dos vereadores Nilton Guedes e Herberle Mota, este último conterrâneo da vereadora Simony, já que ambos são de Tauá. Niltinho e Herberle Mota não querem votar em Simony, de jeito nenhum.
As articulações, então, levam aos nomes dos vereadores Luciano Furtado ( PMDB ) e Marcelo Cardoso ( PDT ), que já presidiram o poder legislativo municipal e se mostram um pouco mais maleáveis. Um dos dois será o futuro presidente da câmara municipal de Baturité, a menos que ocorra uma verdadeira hecatombe, uma catástrofe, de consequências inestimáveis.
Resumo da opereta: a Irmã Edleuza, dificilmente realizará, agora, o sonho de ser presidente da câmara municipal de Baturité.
Há quem diga que todo este imbroglio tem um responsável, e este atende pelo nome de Gildo Barros, que seria o nome de consenso para presidir a câmara municipal de Baturité, não aceitou e, ainda por cima, juntou o grupo e com ele fechou questão e tornou pública a união do referido grupo em torno do nome da vereadora Irmã Edleuza para presidente do poder legislativo municipal de Baturité. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário