Buscar

30 novembro 2014

Corpo de Roberto Bolaños é levado para velório no estádio Azteca

Cortejo fúnebre segue neste domingo até local onde fãs farão homenagem.
Criador de 'Chaves' e 'Chapolin' morreu nesta sexta-feira aos 85 anos.

Caixão com o corpo de Roberto Bolaños é levado para o estádio Azteca (Foto: Reprodução/Foro TV)Caixão com o corpo de Roberto Bolaños é levado para o estádio Azteca (Foto: Reprodução/Televisa)
O cortejo fúnebre com caixão com o corpo de Roberto Bolaños partiu da sede da emissora Televisa, às 15h30 deste domingo (30), em direção ao estádio Azteca, na Cidade do México, onde acontece o velório do criador de "Chaves" e "Chapolin". O humorista morreu nesta sexta-feira (28) aos 85 anos. De acordo com a Televisa, o evento "Chesperirito: Obrigado para sempre" deve começar às 16h (horário de Brasília).
Neste sábado (29), aconteceu uma cerimônia privada na sede do canal, também na capital do país. Mais cedo, familiares haviam se despedido do comediante na casa em que ele vivia, em Cancún.
Polêmica
Na manhã deste domingo (30), Florinda Meza, viúva de Roberto Gómez Bolaños, queria restringir o acesso do ator Carlos Villagrán, o intérprete de Quico em "Chaves", nas homenagens póstumas ao seu marido, informou o jornal "La Opinión".
Segundo a publicação, Florinda, que interpretava Dona Florinda no seriado, queria evitar desencontros ou polêmicas desnecessárias. No entanto, Villágran postou fotos no velório do ator e uma imagem dos dois se abraçando circulava pelas redes sociais de fãs de "Chaves". De acordo com o periódico, Florinda queria restrição "ao homem que durante décadas desqualificou o falecido".
Carlos Villagran abraça Florinda Meza em velório (Foto: Reprodução/Facebook)Carlos Villagran abraça Florinda Meza em velório
(Foto: Reprodução/Facebook)
No dia anterior, Villágran havia lamentado a morte de Bolaños em uma rede social. "Hoje, como raramente acontece, fiquei longe do telefone por umas 4 horas e, quando voltei, havia 71 chamadas perdidas, para me dar a triste notícia da partida de Don Roberto Gómez Bolaños. Sinto muito a morte de um grande homem, amigo, gênio", escreveu Villagrán em seu perfil no Facebook.
Carlos Villagrán foi o primeiro ator a deixar "Chaves", ainda na década de 1970. Ele foi autorizado pelo próprio Bolaños a usar a imagem de Quico em um espetáculo solo, mas o processou mesmo assim, alegando ser o criador do personagem.
Após perder a ação, Villagrán disse que havia saído do programa por "ciúmes e inveja" entre os ex-colegas.
Outra versão é que Villagrán e Bolaños brigaram porque a segunda mulher de Bolaños – a atriz Florinda Meza, a Dona Florinda de "Chaves" – teve um relacionamento com Villagrán.
Assim, o clima entre os atores já não era bom quando o intérprete de Quico participou de seu último episódio, considerado um dos grandes clássicos da série, em que os personagens fazem uma viagem para Acapulco.
Em seu post no Facebook neste sábado, Villagrán também agradeceu a chance de atuar como Quico e lembrou o sucesso de "Chaves" nos muitos países em que foi exibido.
"Todo México, Brasil, Peru, Chile, Colombia, Venezuela, Argentina, Bolivia e resto do Mundo. Tantos países, tantas pessoas que foram tocadas pelo talento desta grande pessoa. Que me abriu as portas para desenvolver o personagem Quico", escreveu.
"Para ele, todo meu agradecimento, minha tristeza e minha dor. Somente quando se vive a realidade de uma ausência, se descobre o verdadeiro sentimento de uma amizade e um grande mestre. Que descanse em paz!!! Hoje me sinto triste por seu falecimento.
Fonte: G1

Aracoiaba News membro oficial do blog frases, versos e poesias

VAGAS ABERTAS - Horizonte divulga 264 oportunidades

b
A cerca de 40 Km de Fortaleza, o município de Horizonte tem como padroeiro São João Batista. A população é de pouco mais de 55 mil habitantes
FOTO: ARQUIVO
A Prefeitura de Horizonte, no Ceará, abriu concurso para preencher 264 postos imediatos em diversas áreas.
Aqueles que cursaram até a quarta série do ensino fundamental podem se candidatar às duas vagas para o cargo de operador de máquinas leves. Quem já completou o fundamental concorre ao posto de operador de equipamento de áudio e vídeo. O salário de ambos é de R$ 789,85.
Candidatos com diploma do nível médio/técnico podem se inscrever para agente de administração (76), agente de trânsito (14), auxiliar de saúde bucal (6), auxiliar de laboratório (2), fiscal de vigilância sanitária (4), guarda municipal (45), instrutor de música (5), instrutor de dança (1), técnico em agropecuária (2), técnico em contabilidade (3), técnico em edificações (2), técnico em laboratório de análises clínicas (2), técnico em saneamento ambiental (1), técnico em segurança do trabalho (1) e topógrafo (1). As remunerações vão de R$ 789,95 a R$ 1.040,08.
Formados no ensino superior concorrem às ocupações de administrador (1), arquiteto e urbanista (1), biólogo (1), contador (3), economista (1), engenheiro civil (4), engenheiro elétrico (1), geógrafo (1), jornalista (1), médico I (29), professor - educação infantil (19), professor - ensino fundamental (19) e professor - inglês (3). Os vencimentos oferecidos atingem R$ 5.540,09.
As inscrições seguem abertas até o dia 8 de dezembro no site da Serctam (www.serctam.com.br). As taxas custam R$ 120 (nível superior) e R$ 80 (demais).
Ainda não há data prevista para as provas objetivas.
Fonte: DN

INFECÇÃO RESPIRATÓRIA - Vírus VSR começa a circular em março

Image-0-Artigo-1747421-1
O contágio é extremamente fácil. Ocorre pela mucosa nasal e dos olhos, assim como pelo contato com superfícies porosas (brinquedos)
FOTO: AGÊNCIA DN
Resistente, de contágio extremamente fácil - sobrevive em superfícies porosas (como a de brinquedos) por até seis horas - o Vírus Sincicial Respiratório (VSR) é a causa mais frequente de infecções respiratórias do trato inferior em uma população vulnerável e de alto risco: bebês prematuros (nascidos com ou abaixo de 35 semanas de gestação) ou com cardiopatias congênitas. No Nordeste, a 'estação do vírus' coincide com a quadra chuvosa, em meados de março.
Em crianças maiores de dois anos e adultos sadios, os sintomas do VSR se assemelham aos de uma gripe forte. Detalhe: contrair o vírus não dá imunidade ao portador, sendo uma possível causa de resfriados recorrentes em adultos. No caso de crianças até três anos, o diagnóstico mais frequente decorrente do contágio pelo VSR é o de uma bronquiolite aguda, afirma a Dra. Patrícia Bezerra, pesquisadora do Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira (PE), uma das palestrantes do simpósio sobre o VSR apresentado durante o 22º Congresso Brasileiro de Perinatologia, realizado este mês, em Brasília.
Prematuridade
Não se sabe ainda ao certo porque, mas o fato é que a incidência de nascimentos prematuros se mantém crescente no Brasil desde 1990 (média de 10%). Estima-se que o índice de bebês prematuros alcance este ano cerca de 14%.
Sem estatísticas que confirmem essa tendência, os médicos supõem que tal condição resulte de uma série de fatores, a começar pelo estilo de vida da mulher contemporânea, que vive às voltas com o enfrentamento diário do estresse, dieta inadequada, infecções recorrentes, tabagismo.
As mudanças observadas no microbioma humano (trilhões de bactérias e vírus que povoam as diferentes partes do corpo) também poderiam explicar o aumento no número de nascimentos prematuros, segundo esclarece o pesquisador e coordenador do Laboratório de Fisiologia Respiratória da Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre (RS) e coautor do estudo Brevi ("Brazilian Respiratory Virus Study"), Dr. Marcus Jones.
Estudo Brevi
Estudo epidemiológico e prospectivo, o Brevi acompanhou, de 2008 a 2010, 303 bebês nascidos com ou abaixo de 35 semanas de gestação (abaixo de dois quilos), em três centros de pesquisa (Porto Alegre Curitiba e Ribeirão Preto), com apoio da biofarmacêutica AbbVie. O objetivo foi mapear a incidência do VSR em infecções respiratórias graves em bebês que necessitam de internação.
Além do Vírus Sincicial Respiratório, o estudo identificou outros oito vírus respiratórios associados com maior frequência às infecções respiratórias e a infecções graves e seu impacto na saúde já fragilizada do bebê prematuro. Entre os quatro vírus mais associados a quadro graves, o VSR foi o mais frequente, seguido do rinovírus.
"O VSR é o vírus mais malvado para o bebê prematuro", esclarece Dr. Marcus Jones que também coordena os Cursos de Especialização da Faculdade de Medicina da PUC/RS. Publicado em outubro deste ano, o Brevi mostrou que o VSR foi responsável por cerca de 66,7% dos casos de hospitalização de bebês prematuros por problemas respiratórios como agente único ou em coinfecção com outros vírus. A infecção pelo VSR ocorreu em todos os meses do período estudado (entre 2008 e 2010), sendo observado maior pico nos meses de abril a julho.
Presente o ano todo
Embora tenha sua sazonalidade mais definida em outros países (no outono e inverno), no Brasil, o VSR circula praticamente o ano inteiro. Num País com dimensão continental como o nosso, a 'estação do vírus' começa normalmente pela região Norte, seguida do Nordeste, Sudeste e Sul.
Ainda não há uma explicação para o modo como o vírus circula no Brasil. No entanto, é sabido que sua presença não está relacionada a baixas temperaturas.
Não há tratamento para o VSR, somente para amenizar os sintomas, afirma a pesquisadora do IMIP, Dra. Patrícia Bezerra. Para casos mais graves em bebês prematuros há apenas uma medicação, cujo alto custo inviabiliza seu uso.
Uma das questões levantadas pelos pesquisadores diz respeito à falta de um protocolo - medidas profiláticas - voltado especificamente para o prematuro. No âmbito preventivo, existe uma lei federal que determina o uso de um anticorpo monoclonal (injeções mensais) para os bebês do grupo de risco.
"O difícil diagnóstico se deve à falta de uma rotina/condutas a serem seguidas em todas as unidades hospitalares. Também seria necessário haver um exame específico para identificar o VSR", diz a médica. O mesmo não ocorre com outros vírus, a exemplo do influenza, que possui um monitoramento oficial (Fiocruz).
Estudo Previne
Antes do "Brazilian Respiratory Virus Study" (Brevi), a incidência do Vírus Sincicial Respiratório (VSR) foi objeto de outro estudo, o Previne, realizado em 2012, em quatro capitais nordestinas (Maceió, Aracaju, Salvador e Recife) com um grupo de 500 crianças, de 0 a 2 anos, hospitalizadas por infecção respiratória. As análises foram feitas mediante a coleta de secreção.
Na Região, o estudo observou maior prevalência do vírus em bebês prematuros durante a estação das chuvas, ou seja, a partir de março. No Sul e Sudeste, o pico do VSR costuma ocorrer entre os meses de junho e agosto.
Fique por dentro
NE concentra 14,7% dos partos prematuros
A prematuridade atinge 15 milhões de crianças todos os anos no mundo. No Brasil, 340 mil bebês nasceram prematuros só em 2012, segundo dados do Sistema de Informações de Nascidos Vivos, do SUS e do Ministério da Saúde. Isso significa que nascem 931 prematuros/dia ou 40 por hora, no Brasil, indicando uma taxa de prematuridade de 12.4%, o dobro do índice de alguns países europeus.
Segundo pesquisa da Unicamp, o índice médio de prematuridade foi maior na região Nordeste (14.7%) e menor no Sudeste (11.1%). Cerca de 80% dos nascimentos prematuros ocorreram entre a 32ª e a 36ª semana de gestação e 7.4% antes das 28 semanas.
Entre os diversos riscos pesquisados, 14 são importantes indicadores para a detecção precoce de um nascimento prematuro: gravidez múltipla (de gêmeos ou mais bebês), encurtamento do colo do útero, má formação fetal, sangramento vaginal e menos de seis consultas realizadas durante o pré-natal. Também há risco entre as mulheres que já tiveram uma gravidez no passado, parto prematuro e aborto prévio (e o aumento do volume de líquido amniótico ao redor do feto). Segundo o estudo, a chance de um parto prematuro também foi maior entre mães com menos de 19 anos e sem um parceiro, que fumam e tiveram infecções durante a gestação.
Giovanna Sampaio
Editora do Vida
A jornalista viajou a Brasília a convite da AbbVie
Fonte: DN

Repórter da Globo comete gafe e diz que Pelé toma veneno; assista

'Veno-venenosa'

Repórter da Globo comete gafe e diz que Pelé toma veneno; assista

REPRODUÇÃO/TV GLOBO
Mauro Naves informa estado de saúde de Pelé em frente a hospital em São Paulo, nesta sexta-feira (28)Por REDAÇÃO, em 28/11/2014 · Atualizado às 13h12
O repórter Mauro Naves, da Globo, cometeu um ato falho ao vivo nesta sexta-feira (28) ao falar do estado de saúde do ex-jogador Pelé, 74 anos, que está internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, com complicações renais. O jornalista disse duas vezes no Globo Esporte que o "Rei do Futebol" está se tratando com uma hemodiálise "veno-venenosa", quando o correto seria "venovenosa".
"No caso do Pelé, está sendo feito um tipo de hemodiálise que é considerada menos agressiva. Os médicos chamam popularmente de prisma, mas o nome oficial é hemodiafiltração veno venenosa. Hemo dialfitração veno venenosa contínua", disse Mauro Naves.
Apresentador interino do Globo Esporte, Léo Bianchi corrigiu o repórter na hora, para não assustar os telespectadores. "É venosa, não é? E não venenosa", disse Bianchi, assustando Naves: "Eu falei venenosa, Léo? Para com isso, Léo! Venovenosa! Pô, nós estamos aqui para tratar o Rei, não é para matá-lo, não, caramba!".
Imediatamente, a gafe virou piada nas redes sociais. "Essa eu vi, hein, Mauro Naves, a CNN matou o Rei e você quer envenenar? Mas você está perdoado", escreveu Marco Aurélio Saraiva no Twitter. "O pessoal do CQC tem que colocar o Mauro Naves no Top Five. Intravenenosa foi f***!", brincou Eduardo Santana.
Pelé foi internado na noite de segunda-feira com uma infecção urinária e transferido para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Albert Einstein na noite desta quinta (27). Em seu perfil no Twitter, a assessoria do ex-jogador esclareceu que ele foi para a UTI para ter mais privacidade. Há duas semanas, ele tirou pedras no único rim (retirou o outro quando ainda jogava futebol).
Assista ao ato falho de Mauro Naves:

29 novembro 2014

Quadrilha explode banco em Barreira

Um bando formado por seis homens armados com pistolas atacou a agência do Bradesco da cidade de Barreira (a 72Km de Fortaleza), na madrugada de ontem. De acordo com testemunhas, os criminosos chegaram em três motocicletas e instalaram as emulsões que explodiram o banco.
Uma mulher que mora nas proximidades do prédio informou que desconfiou da movimentação intensa na rua, em um horário em que a cidade costuma estar calma. "Por volta de 1 hora escutei o barulho das motos chegando e algumas pessoas conversando. Depois houve uma explosão", disse a mulher, que não quis se identificar.
A estrutura do prédio foi bastante danificada. O único caixa eletrônico instalado no local foi destruído. Informações da PM dão conta que o dinheiro que estava no equipamento foi levado. A quantia exata que foi subtraída não foi divulgada pelo banco, nem pela Polícia.
Segundo informações que a população deu à Polícia, o bando foi até a CE-347 onde dois automóveis aguardavam e fugiram pela rodovia. Conforme levantamentos da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), este foi o 49º ataque a banco no Estado.
Suspeitos
Em igual período do ano passado, ocorreram 82 ataques. A redução foi de 41%. O delegado titular da Especializada, Raphael Vilarinho, disse que já tem seis nomes de suspeitos conseguidos com base em levantamentos preliminares feitos no local do crime.
"As informações que recebemos levam a pessoas de outros Estados, que estavam aqui unicamente para praticar crimes. Eles fugiram em direção ao município de Horizonte e nossas buscas começaram por lá. Temos pistas do paradeiro deles e é muito provável que consigamos prendê-los nos próximos dias", afirmou o delegado.
Equipes da DRF foram deslocadas e estão participando das diligências, na tentativa de capturar os acusados.
Fonte: DN

Iphan realiza estudos para reconhecer Romaria de São Francisco das Chagas

Image-0-Artigo-1750683-1
Em 2015, a cidade de Canindé irá comemorar os cem anos do Santuário de São Francisco das Chagas e os 15 anos da estátua do santo
FOTO: ANTONIO CARLOS ALVES
Canindé. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) está realizando estudos para reconhecimento das romarias em louvor a São Francisco das Chagas de Canindé. A iniciativa partiu da Secretaria de Cultura do Município, que enviou, no início de 2013, ao Instituto, uma solicitação de registro das Romarias de São Francisco como Patrimônio Cultural Brasileiro.
Considerando as apreensões de veículos conduzindo romeiros, em operação deflagrada pela Polícia Rodoviária Federal, em atenção ao Ministério Público Estadual e Federal, em outubro deste ano, o Iphan enviou à Prefeitura um ofício, onde se coloca à disposição do Município para ajudar as autoridades interessadas em regularizar as romarias, e seguir com o processo de registro do evento como Patrimônio Nacional.
O ofício, assinado por Itala Byanca Morais da Silva, técnica em História do Iphan-CE, diz ainda que "está disponível para colaborar, por meio de parceria, em ações educativas junto aos romeiros e frentistas e, caso os órgãos considerem pertinente, estabelecer diálogo sobre a dimensão cultural que está presente no deslocamento penitencial dos peregrinos à cidade de Canindé, por eles considerada espaço sagrado, o que, segundo nossa opinião, suscitaria uma abordagem diferenciada".
O Prefeito de Canindé, Celso Crisóstomo, esteve no início do mês de novembro em Brasília, onde conseguiu uma audiência que será realizada com vários ministros para discutir os destinos das romarias de Canindé e Juazeiro do Norte. Deverão participar os frades do Santuário de Canindé, o bispo do Crato e os prefeitos de Canindé e Juazeiro. Para Celso Crisóstomo, a fé e a religiosidade do povo nordestino são características marcantes na cultura brasileira. "As romarias e peregrinações são jornadas empreendidas por motivos religiosos a um santuário, a um lugar sagrado e milagroso, onde as pessoas vão pedir graças especiais, cumprir promessas e agradecer favores recebidos".
Um fato que deixa o prefeito animado é que Canindé faz parte do roteiro turístico nacional, destacando-se nas peregrinações nacionais. "Em toda a história da Igreja Católica, as peregrinações constituíram sempre expressões de grande fervor religioso". Segundo ele, uma promessa é feita quando normalmente já se esgotaram os recursos humanos para resolver uma situação difícil, representando um ato de fé e confiança.
Peregrinação
"O cumprimento de uma promessa é um agradecimento, uma ação de graças de forte conteúdo simbólico, como extenso caminho percorrido", destaca Crisóstomo. O franciscano e historiador de Canindé frei Joãozinho Sanning é enfático ao dizer que os cristãos realizam suas peregrinações a Roma para visitar os túmulos dos apóstolos Pedro e Paulo o que originou a palavra romaria.
"As romarias para Canindé são fortes, porque o romeiro dedica a sua vida a São Francisco, o santo de Canindé, homem respeitado e reverenciado por todas as pessoas de boa vontade, pelos amantes da natureza, pelos pacificadores de todas as religiões", ressalta frei Joãozinho.
O frade lembra ainda que, em 2015, a cidade irá comemorar os 100 anos do Santuário de São Francisco das Chagas e os 15 anos da estátua do santo, os dois maiores ícones religiosos do povo nordestino.
Antonio Carlos Alves
Colaborador
Fonte: DN

28 novembro 2014

'Enorme privilégio', diz brasileira que recebeu último tuíte de Bolaños

'Enorme privilégio', diz brasileira que recebeu último tuíte de Bolaños

Jovem que reside no RS recebeu resposta do ator nesta quarta. Após vibrar com interação, jovem diz estar "chocada" com morte.


Interação de brasileira com mexicano ocorreu na quarta-feira (Foto: Reprodução/Twitter)Interação de brasileira com mexicano ocorreu na quarta-feira (Foto: Reprodução/Twitter)
Menos de dois dias antes da morte do ator Roberto Bolaños, uma brasileira conseguiu interagir com o ator via Twitter. Depois de escrever a mensagem "Todo el amor desde Brasil, Don Chespirito!!" citando a conta oficial do ator, a gaúcha Maria do Carmo Branco, de 34 anos, conseguiu obter uma resposta no mesmo tom: "Todo mi amor, para Brasil", disse o perfil de Bolaños.
Procurada pelo G1, Maria disse estar chocada com a morte do ídolo. "Foi apenas um tuíte de carinho que mandei aquele dia e tive o enorme privilégio de ser respondida", afirmou. A resposta de Bolaños havia rendido até as 20h15 mais de 11,9 mil retweets e 8,7 mil curtidas.
Dono de frases antológicas como "ninguém tem paciência comigo" e "não contavam com a minha astúcia", que marcaram gerações de fãs em toda a América Latina, o criador dos seriados "Chaves" e "Chapolin" foi humorista, escritor, ator, produtor de cinema, televisão e teatro. A causa da morte, ocorrida às 14h30 (horário do México) em Cancún, não foi confirmada.
Trabalho reconhecido no mundo
"Chaves" foi o programa mais visto da televisão mexicana e foi dublado em 50 idiomas, segundo a Televisa.
Talvez o meu mérito foi conseguir, sem tentar, abordar um ambiente que existe no mundo inteiro", refletiu Bolaños sobre o sucesso de Chaves em uma entrevista à agência de notícias Reuters.
"Trabalhei muito neste personagem, que tem qualidade", explicou ele, "mas a resposta exata eu não sei".
Além disso, Bolaños escreveu roteiros de 50 filmes no México e atuou em 11. No Twitter, ele tinha mais 6 milhões de seguidores.
Tive o enorme privilégio de ser respondida"
Maria do Carmo Branco
Trajetória
Roberto Bolaños tirou seu apelido do dramaturgo William Shakespeare, cujo diminutivo em espanhol era "Chespirito". Há alguns anos, ele se mudou para Cancún, no México, junto com a mulher Florinda Meza, a Dona Florinda da série.
Bolaños nasceu na Cidade do México em 21 de fevereiro de 1929. Estudou engenharia, mas nunca exerceu a profissão. Começou sua carreira profissional na publicidade, onde começou a trabalhar em roteiros.
Casou-se pela primeira vez com a escritora Graciela Fernández, com quem teve seis filhos. Só em 2004 oficializaria seu casamento com a atriz Florinda Meza, a Dona Florinda.
Foto de maio de 2006 mostra Roberto Bolaños durante uma entrevista para a agencia de notícias Reuters em sua casa na Cidade do México (Foto: Henry Romero/Reuters/Arquivo)Foto de maio de 2006 mostra Roberto Bolaños durante uma entrevista para a agência de notícias
Reuters em sua casa na Cidade do México (Foto: Henry Romero/Reuters/Arquivo)









Fonte: G1

Morre Roberto Gómez Bolaños, criador de Chaves e Chapolin

Morre Roberto Gómez Bolaños, criador de Chaves e Chapolin

Comediante morreu aos 85 anos em casa no México.
Ele tinha saúde 'frágil' e vivia com a esposa Florinda Meza em Cancún.


Dono de frases antológicas como "ninguém tem paciência comigo" e "não contavam com a minha astúcia", que marcaram gerações de fãs em toda a América Latina, Roberto Gómez Bolaños, criador dos seriados "Chaves" e "Chapolin", morreu nesta sexta-feira (28) aos 85 anos. Bolanõs foi humorista, escritor, ator, produtor de cinema, televisão e teatro.
A causa da morte, ocorrida às 14h30 (horário do México) em casa em Cancún, não foi confirmada. Em fevereiro deste ano, quandoRoberto Bolaños completou 85 anos, um parente confirmou à agência de notícias Efe que a saúde dele era “frágil” e que ele permanecia quase o tempo todo na cama, com acompanhamento 24 horas por dia.
Segundo a CNN mexicana, o ator Edgar Vivar, que interpretou o Senhor Barriga, disse que o corpo do comediante será levado à Cidade do México, onde será velado.
Edgar Vivar deu seu depoimento à Televisa: "Estou em estado de choque. Não pensei que me fosse afetar tanto. Meu telefone não para de tocar. Um abraço compartilhado com milhões de pessoas do mundo. Vou lembrar dele sempre com sorriso e com ânimo. Temos que agradecer a Deus. Seu bom humor é a maior lembrança."
"Roberto, você não vai, permanece em meu coração e em todos os corações de tantos a quem fez feliz. Adeus Chaves para sempre", disse no Twitter Edgard Vivar.
 Chaves (Roberto Bolaños) posa ao lado dos personagens Jaiminho (Raúl Padilla), Dona Clotilde (Angelines Fernández), Chiquinha (Maria Antonieta de Las Nieves), Professor Girafales (Rubén Aguirre) e Dona Florinda (Florinda Meza) (Foto: Divulgação/SBT)Chaves (Roberto Bolaños) posa ao lado dos personagens Jaiminho (Raúl Padilla), Dona Clotilde (Angelines Fernández), Chiquinha (Maria Antonieta de Las Nieves), Professor Girafales (Rubén Aguirre) e Dona Florinda (Florinda Meza) (Foto: Divulgação/SBT)
"Obrigado por fazer tanta gente feliz e por todos os momentos maravilhosos que compartilhamos no grupo. Descanse em paz, Roberto", disse Maria Antonieta de Las Nieves, que interpretou a Chiquinha.
Prefiro morrer do que perder a vida"
Chaves, personagem de Roberto Gómez Bolaños
"O México perdeu um ícone, cujo trabalho transcendeu gerações e fronteiras", disse o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto.
"Foi um bom companheiro, amigo, irmão e um dos melhores escritores dos últimos tempos no México", disse Ruben Aguirre, que interpretou o professor Girafales.
Trabalho reconhecido no mundo
"Chaves" foi o programa mais visto da televisão mexicana e foi dublado em 50 idiomas, segundo a Televisa.
Foto de maio de 2006 mostra Roberto Bolaños durante uma entrevista para a agencia de notícias Reuters em sua casa na Cidade do México (Foto: Henry Romero/Reuters/Arquivo)Foto de maio de 2006 mostra Roberto Bolaños durante uma entrevista para a agencia de notícias Reuters em sua casa na Cidade do México (Foto: Henry Romero/Reuters/Arquivo)
"Talvez o meu mérito foi conseguir, sem tentar, abordar um ambiente que existe no mundo inteiro", refletiu Bolaños sobre o sucesso de Chaves em uma entrevista à agência de notícias Reuters.
"Trabalhei muito neste personagem, que tem qualidade", explicou ele, "mas a resposta exata eu não sei".
Além disso, Bolaños escreveu roteiros de 50 filmes no México e atuou em 11. No Twitter, ele tinha mais 6 milhões de seguidores.
Roberto Bolaños, o Chaves, e Edgar Vivar, o Sr. Barriga, em encontro no Auditório Nacional da Cidade do México, em fevereiro de 2012 (Foto: Eduardo Verdugo/AP)Roberto Bolaños, o Chaves, e Edgar Vivar, o Sr. Barriga, em encontro no Auditório Nacional da Cidade do México, em fevereiro de 2012 (Foto: Eduardo Verdugo/AP)
Trajetória
Roberto Bolaños tirou seu apelido do dramaturgo William Shakespeare, cujo diminutivo em espanhol era "Chespirito". Há alguns anos, ele se mudou para Cancún, no México, junto com a mulher Florinda Meza, a Dona Florinda da série.
Bolaños nasceu na Cidade do México em 21 de fevereiro de 1929. Estudou engenharia, mas nunca exerceu a profissão. Praticou boxe e era um fanático torcedor do clube de futebol América. Começou sua carreira profissional na publicidade, onde começou a trabalhar em roteiros.
Casou-se pela primeira vez com a escritora Graciela Fernández, com quem teve seis filhos. Só em 2004 oficializaria seu casamento com a atriz Florinda Meza, a Dona Florinda. Aos 80 anos, perguntaram a ele sobre a sua relação de décadas com a atriz Florinda Meza. "Já estamos há 30 anos casados", respondeu. "Temos um casamento sólido que só a morte acabará com ele... ou a Shakira!".
Escultura de 9m de altura de personagem interpretado pelo mexicano Roberto Gómez  Bolaños está exposta em frente a shopping (Foto: Luis Robayo/AFP)Escultura de 9m de altura de personagem interpretado pelo mexicano Roberto Gómez Bolaños está exposta em frente a shopping (Foto: Luis Robayo/AFP)
Ganhou o apelido de Chesperito do diretor de cinema Agustín P. Delgado por causa do 1,60 de altura.

Foi só em 1968 que começou sua carreira de ator, na emissora TIM, em séries como “Los Supergenios de la Mesa Cuadrada” e “El Ciudadano Gómez”, em espaços de 30 minutos de duração aos sábados.
Foi só na década de 1970 que começaram a ser exibidos as séries que fizeram de Bolaños um gigante do humor: "Chespirito", "Chapolin" e "Chaves". A partir de 1973, quase todos os países da América Latina tinha na programação de TV episídios dos programas.
Roberto Gómez Bolaños (sentado) e ex-atores de "Chaves" participam de evento no México (Foto: AP/Eduardo Verdugo)Roberto Gómez Bolaños (sentado) e ex-atores de "Chaves" participam de evento no México (Foto: AP/Eduardo Verdugo)
O jornal mexicano "Excelsior" cita a seguinte declaração de Bolaños a um TV espanhola sobre seu personagem mais famoso no Brasil: "Chaves, ainda que carecendo de quase tudo, é otimista, aproveita a vida, brinca, se emociona e tem o maravilhoso dom que é a vida"
No começo da década de 1990, Bolaños decidiu aposentar "Chaves" e "Chapolin" e resolveu apostar em "Los Caquitos", em que interpretava o ladrão Chómpiras (que ganhou no Brasil o nome de Chaveco).
Chaves era um dos personagens e segmentos do programa "Chespirito" que começou a ser exibido no México em 1971. O primeiro capítulo de "El Chavo del Ocho" (como era conhecido o personagem nos outros países de língua espanhola) foi transmitido em 20 de junho de 1971.
Rubén Aguirre contrancena com Roberto Bolaños em episódio de 'Chapolin' (Foto: Divulgação/SBT)Rubén Aguirre contrancena com Roberto Bolaños em episódio de 'Chapolin' (Foto: Divulgação/SBT)
O sucesso das histórias do menino sardento de 8 anos que vive dentro de um barril foi tanto que seu programa era transmitido para quase todos os países da América Latina já em 1973. Chaves foi dublado para mais de 50 idiomas e transmitido em países distantes do Tailândia, China, Japão e Grécia.
A série foi produzida originalmente entre 1971 e 1980, como programa independente, e entre 1980 e 1992 como esquete do programa de variedades "Chespirito", que Bolaños estrelou na rede de TV Televisa. No total, foram 290 episódios, contabilizou o ator ao jornal chileno "La Nación".
A série "Os Simpsons" homenageou Bolaños com o personagem Pedro Chespirito, que aparece sempre vestido de abelha e fala frases em espanhol.
Roberto Gomes Bolaños durante apresentação da fundação Chespirito na Cidade do México em 2008 (Foto: Francisco Vega/AFP)Roberto Gomes Bolaños durante apresentação da fundação Chespirito na Cidade do México em 2008 (Foto: Francisco Vega/AFP)
Roberto ficou conhecido no México pelo nome de Chespirito. Mas foram os programas "Chaves" e "Chapolin", ainda exibidos pelo SBT, que ficaram mais famosos no Brasil.
Distante da televisão, Bolaños explorou a sua veia literária com um livro de poemas e uma autobiografia, "Sem Querer Querendo".
Em um dos seus livros, "O Diário de Chaves", revela alguns dos mistérios da série. Ele conta, por exemplo, que Chaves não morava dentro de um barril, mas no apartamento número oito, e que o recipiente era apenas para se esconder quando estava triste ou era perseguido.
Casados na vida real, Florinda Meza e Roberto Bolaños interpretavam Dona Florinda e Chaves (Foto: Divulgação)Casados na vida real, Florinda Meza e Roberto Bolaños interpretavam Dona Florinda e Chaves (Foto: Divulgação)
Apesar de ter vivido em concubinato com Florinda por 27 anos, os valores de Bolaños eram conservadores. Inclusive, chegou a participar de uma campanha contra a legalização do aborto na Cidade do México.
Nunca escondeu suas convicções políticas e apoiou a campanha do conservador Vicente Fox, cuja eleição em 2000 rompeu com mais de 70 anos de governo do Partido da Revolução Institucional.
Apaixonado por futebol, Bolaños chegou a se encontrar com o astro argentino Diego Maradona, que o agradeceu por tê-lo divertido com os seus personagens e ele aproveitou para retribuir por tê-lo deleitado com suas proezas dentro do campo.
(Com agência Reuters)
Fonte: G1